Montreal: um passeio 'indoor' pelas atrações da cidade antiga

Heloísa Dall'Antonia
por Heloísa Dall'Antonia

Vista do Marché Bonsecours

Choveu? Está muito frio? Ou você simplesmente já se cansou de andar de bicicleta pela quantidade absurda de parques de Montreal? Seja qual for sua motivação, saiba que o bairro histórico do Vieux-Montréal tem várias atrações interessantes pra quem quer passar um dia indoor, mas ainda conhecendo detalhes da história desse apaixonante pedaço de terra que ganhou seu nome por conta do Mont-Royal.

Basílica de Notre Dame de Montreal

Notre Dame de Montreal

Fachada da Notre Dame de Montreal

Interior da Notre Dame de Montreal

A Basílica (Fotos: © Michael Vesia e © Notre-Dame Basilica, Stéphan Poulin)

A arquitetura gótica da igreja começou a ficar estampada na construção em 1829, depois que o local passou por diversas reformas, pequenas e grandes. Pinturas, esculturas e maravilhosos vitrais ilustram não apenas passagens bíblicas, mas também um pouco da história da cidade. A cripta conserva ainda alguns tesouros arqueológicos de outros séculos. Cheguei lá durante uma missa, e por isso não pude nem fazer a visita guiada (tínhamos hora em outro compromisso), nem fazer fotos decentes do lugar. Também é possível fazer um passeio pelo local por conta própria, com a ajuda de um mapinha fornecido em várias línguas.

Basílica de Notre Dame de Montreal (110 rue de Notre-Dame Ouest; tel. 514/842-2925; aberta diariamente das 8h até às 16h – o horário muda conforme a época do ano; C$ 5 para adultos e valores diferenciados para crianças). 

Mercado Bonsecours

Marché Bonsecours

Inaugurado em 1847 em um dos prédios mais bonitos da Velha Montreal, o Marché Bonsecours conta com 15 lojas de produtos feitos na província de Quebéc, como roupas, móveis, artesanato e joias... Há também restaurantes com charmosos terraços -- que só funcionam em dias de calor, permitindo uma linda vista da cidade --, ou mesmo um estabelecimento temático, o Cabaret du Roy, que recria em seu ambiente interno um esconderijo de piratas do século 18 que serve pratos feitos com produtos da área rural da província.

Marché Bonsecours (350 rue Saint-Paul Est; tel. 514/872-7730; aberto diariamente a partir das 10h).

Museu dos Têxteis e do Vestuário

Musée du costume et du textile du Québec

Exposição do MCTQ (Foto: Alexis K. Laflamme/Divulgação)

Bem pertinho do Marché Bonsecours está esse pequeno museu dedicado à moda e aos tecidos. Algumas vezes, há inclusive uma pequena amostra das exposições em uma área do próprio mercado. Um passeio interessante (mas bem rapidinho) para quem gosta do tema.

Musée du costume et du textile du Québec (MCTQ) (363 rue de la Commune Est; tel. 514/419-2300; aberto de terça a domingo, das 10h às 17; C$ 7 – preços diferenciados para crianças e pessoas com mais de 65 anos)

Capela de Nossa Senhora do Socorro

Torre do Relógio de Montreal

Notre Dame de BonsecoursNotre-Dame-de-Bon-Secours (Fotos: © Tourisme Montréal, Stéphan Poulin e © Marguerite-Bourgeoys Museum and Notre-Dame-de-Bon-Secours Chapel)

A capela de Notre-Dame de Bon Secours é a mais antiga de Montreal, construída em 1771, das ruínas da primeira capela de pedra construída para peregrinação no local. Por sua proximidade com a Torre do Relógio de Montreal, o local se tornou o preferido de marinheiros para suas orações. O local é também onde estão as relíquias da santa Marguerite-Bourgeoys, assim como de Jeanne Le Ber, outra importante freira da história da cidade. Um museu dedicado ao trabalho e a vida de santa Marguerite em Montreal também pode ser visitado.

Museu Marguerite-Bourgeoys e Capela de Notre-Dame-de-Bon-Secours (400 Saint Paul Street East; tel. 514/282-8670; aberto de terça a domingo, em horários variados conforme a época do ano; C$ 12, com valores diferenciados para crianças e pessoas com mais de 65 anos).

Centro de Ciências de Montreal

Fachada do Science Centre de Montreal

Interatividade no Science Centre de Montreal

Centro de Ciências (Fotos: © Montréal Science Centre, Miguel Legault e © Montréal Science Centre, Luc Lavergne)

É bem verdade que a área do Porto Velho de Montreal é bem mais aproveitável no calor, quando a praia é uma opção de passeio, assim como as várias atividades culturais e esportivas promovidas no local, que possui uma deliciosa área para andar de bicicleta, skate ou mesmo apenas para caminhar. Mas o Centro de Ciências de Montreal, com suas exposições diferentonas e interativas, além do cinema IMAX, é sinônimo de diversão.

Vieux-Port de Montreal (333 de la Commune Ouest; tel. 514/496-7678; aberto diariamente das 6h às 23h).
Centre des Sciences de Montréal  (2 rue de la Commune Ouest; tel. 514/496-4724; aberto diariamente das 10h às 17h; C$ 22,50 para exposições e um filme no IMAX, com valores diferenciados para crianças)

Ruela das Fortificações

Ruelle des Fortifications

Rua das Fortificações, em Montreal

A Velha Montreal era protegida por uma muralha no século 18. Essa fortificação foi demolida entre 1804 e 1812, mas ainda é possível conhecê-la na Ruelle des Fortifications, onde hoje está situado o World Trade Centre Montreal, um centro comercial que preservou o local em que estava o muro, assim como algumas fachadas históricas, que agora abrigam escritórios. Coberto por um teto de vidro que dá mais charme à visita, o local tem ainda uma fonte para Anfitrite, a esposa de Poseidon; um pedaço do Muro de Berlim (dado de presente à cidade em seu aniversário de 350 anos), e uma série de restaurantes, lojas e cafés.

Ruelle des Fortifications (747 rue du Square-Victoria; tel. 514/982-9888; aberto diariamente com horários extremamente diversos para cada um de seus estabelecimentos).

Museu Point-à-Callière

Montreal Museum of Archaeology and History e Point-à-Callière

Montreal Museum of Archaeology and History e Point-à-Callière

Cada pedacinho do Point-à-Callière mostra algum detalhe do nascimento da cidade 

Montreal Museum of Archaeology and History e Point-à-Callière

Sim, é um museu. Mas quantos museus você conhece que estão localizados exatamente em cima do local de fundação da cidade em que ficam? Aberto em 1992, o Point-à-Callière nasceu depois de 10 anos de escavações no local. Os artefatos encontrados pelos arqueólogos evidenciam mais de 1000 anos de presença humana na área. Construções, detalhes arquitetônicos, além de diversos outros itens fazem parte do acervo de Point-à-Callière, que protege todos os achados em seis seções distintas, que abrangem ainda um túnel, construído para a passagem do rio Little Saint-Pierre. Recursos tecnológicos, como projeções, e a exposição permanente “Where Montreal Was Born” levam o visitante ao século 14.

Vista geral de Point a Calliere, em Montreal

Point-à-Callière por cima... (Foto: © Pointe-à-Callière, Caroline Bergeron)

Quadro de Old Montreal

... e por baixo, mostrando o que está escondido nas ruas de Montreal

Musée Point-à-Callière (350 Place Royale; tel. 514/872-9150; aberto das 10h às 18h de segunda a sexta e das 11h às 18h de sábados e domingos; C$ 20 – preços diferenciados para crianças e pessoas com mais de 65 anos).

Palácio dos Congressos

Palais des Congrès de Montréal

O mais colorido prédio de Montreal não é sempre “visitável”, mas vale pelo visual de sua fachada e pelas Galeries du Palais, um pequeno shopping com oferta de lojas, serviços, restaurantes e até uma galeria de arte. O local, inaugurado em 1983, é comumente usado para exposições, recepções, convenções públicas e eventos corporativos.

Palais des Congrès de Montréal (1001 Place Jean-Paul-Riopelle; tel. 514/871-8122).

Heloisa viajou a convite da Canadian Tourism Comission.

Leia mais:

4 comentários

Naedy
NaedyPermalinkResponder

Heloissa,
Não encare a visita a uma igreja na hora da missa como infelicidade... sei que ficou desapontada por não poder desfrutar de tudo que um turista gostaria, mas quando isso acontecer, encare como uma benção poder passar por um lugar tão especial em um dos momentos mais especiais a que ele foi destinado. Fica a dica!

ana rita
ana ritaPermalinkResponder

vai a uma igreja e ter uma missa é infelicidade?!?!?!?!

Heloisa
HeloisaPermalinkResponder

Oi, Naedy! Acho que minha escolha de palavras é que não foi a melhor. Adoro profundamente visitar igrejas, em todo e qualquer lugar! É que prefiro, quando posso (e não era o caso), primeiro andar por todo o espaço, observar os detalhes, ver quais são as imagens consagradas ali e aquela coisa toda antes de parar um pouquinho para fazer uma prece, sabe? O tempo estava muito cronometrado... sad

Naedy Castro
Naedy CastroPermalinkResponder

Heloisa,
Eu também gosto de fazer exatamente isso. É que de fato as palavras escolhidas não foram as melhores e pode chocar um pouco...No mais anotei as dicas para uma próximo roteiro.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar