Buenos Aires: seus problemas com táxis acabaram

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

EasyTaxi

[box
Atualização>

    O aplicativo EasyTaxi acabou proibido em janeiro de 2016 e a empesa não opera mais na cidade de Buenos Aires. É possível, porém, usar o Uber, que segue desafiando as autoridades.
    Leia:

[/box]

O pessoal é bastante paranóico com táxi em Buenos Aires. Sim, existem alguns salafrários que ainda praticam o truque de substituir rapidamente uma nota de 100 por uma nota de 10 para dizer que você está dando dinheiro de menos. Sim, existe um ou outro que pode andar com taxímetro adulterado. Sim, existem muitos que enrolam pelo caminho mais longo (honrando uma tradição do métier taxista que se estende por boa parte do planeta, do Rio de Janeiro a Budapeste).

Mas existem também muitos (e põe muitos nisso!) boatos, plantados por taxistas e cambistas de Facebook que postam na internet relatos enormes em vários sites e blogs como se fossem turistas brasileiros, repassando dicas (muitas delas, válidas) sempre recheadas com algum infortúnio vivido num táxi. Esse infortúnio invariavelmente acontece no começo da viagem, a tempo de poder contratar os serviços de um taxista ou de um cambista de Facebook (anote aí o Whatsapp!) que então salva o resto das férias.

Não caia nessa. Esses caras são infinitamente mais desonestos que a média dos taxistas portenhos. Para começar, estão cometendo crime de falsidade ideológica na internet.

Eu sempre peguei táxi na rua e nunca fui vítima de golpe. A única vez que tentaram me enganar foi na chegada do Buquebus, quando o taxista queria cobrar 200 pesos sem usar o taxímetro para ir à Recoleta. Atravessei a avenida e peguei um táxi na rua. A corrida deu 60 pesos.

Mas se você acha que todo taxista vai se aproveitar da sua brasileirice, siga essa dica fresquinha que o Luciano deixou agorinha há pouco na caixa de comentários:

[box]

    Cheguei hoje de Buenos Aires e durante toda a viagem chamei os táxis pelo aplicativo de celular EasyTaxi (exatamente o mesmo que já uso aqui no Rio). Todas as corridas ficam gravadas no histórico com o nome do motorista e dados do automóvel. Para isso você precisa estar conectado na internet utilizando um chip pré-pago local que é baratinho (4 pesos por dia o chip da Claro).

[/box]

Na real, nem é tão necessário assim ter o chip local: todos os hotéis e restaurantes de Buenos Aires oferecem wifi grátis, assim como todos os Starbucks e McDonalds que houver pelo seu caminho.

(Se quiser comprar um chip, basta passar em qualquer kiosco com o logotipo da Claro.)

Você pode usar o EasyTaxi até ao chegar no Aeroparque, que tem wifi aberto. Assim você evita dores de cabeça com os taxistas de lá, que são escolados em encarecer corridas de brasileiros.

Chegando por Ezeiza, não se preocupe: o Táxi Ezeiza é 120% confiável, tem tarifas fixas, aceita reais e dólares também, e funciona 24 horas. Mas se você gosta de ter alguém esperando no desembarque com uma plaquinha com o seu nome, contrate esse serviço com o seu hotel. Não contrate trânsfer de taxista com contato na internet. Esses caras repassam as corridas para colegas, que perigam não aparecer (e daí para quem você reclama?). Além disso, o objetivo maior de um taxista que vai te apanhar no aeroporto é vender passeios, empurrar um ingresso da casa de tango ou na loja de couros onde ele tem comissão, tentar amarrar você pelo resto da viagem.

E sempre que for pegar táxi, para evitar dores de cabeça, dê o endereço à maneira portenha: o nome da rua e suas transversais ("El Salvador entre Armenia e Malabia, por favor). Aproveite o wifi para ver o endereço no Google Maps antes de chamar o táxi e anote. Isso vai demonstrar que você não é tão cru na cidade e deve evitar voltas desnecessárias.

Leia mais:

37 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Thiago Castro
Thiago CastroPermalink

Não é pq vc nunca sofreu um golpe pegando táxi na rua que isso não existe. Táxis são um problema (em maior ou menor grau) na maioria das cidades turísticas do mundo, desde Rio, São Paulo a Lisboa e Paris. Entendi a questão dos taxistas "honestos" da internet. Tb acho furada, mas isso não invalida a preocupação com os taxis que pegamos na rua.

Acho que usar o Easy Taxi em Buenos Aires vai ser uma mão na roda e sempre que vou com muita gente (leia-se 4 ou 5) prefiro um transfer conhecido que já esteja me esperando, no padrão perrengue quase zero. smile

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Thiago, você leu o primeiro parágrafo? Onde, em todo o texto, você leu que eu escrevi que não existem golpes?

Thiago Castro
Thiago CastroPermalink

"Eu sempre peguei táxi na rua e nunca fui vítima de golpe"

Eu entendi seu ponto, só estou ressaltando que existem muitos golpes com táxi no mundo todo e não é pq vc nunca sofreu com isso que não existem. O primeiro parágrafo minimiza um pouco essa questão dos golpes ("o pessoal é bastante paranóico"; "sim, existem alguns"; "sim, existem um ou outro", reparou?). É apenas uma questão de interpretação, não precisa se ofender ok?

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Desculpe, Thiago, mas o seu comentário cabe num texto que tenha o seguinte encadeamento de raciocínio: "Eu nunca sofri golpe em táxi em Buenos Aires. Mas para vocês que são paranóicos com isso, agora tem EasyTaxi". O encadeamento do texto é: "Muita gente é paranóica com táxi em Buenos Aires e há uma certa razão para isso. Agora com EasyTaxi não há mais motivo para temores. Eu, casualmente, até hoje não fui enganado, salvo uma tentativa no Buquebus. Uma maneira de evitar ser enganado é dar o endereço à maneira portenha".

Todas as ressalvas -- "alguns", "certos", "às vezes", "eu nunca", a receita para evitar voltinhas -- estão aí para tentar atenuar a paranóia do leitor que ainda não viajou. A internet está forrada de depoimentos de falsos turistas plantados por cambistas de Facebook e agenciadores pilantras, que pintam todos os taxistas de rua como desonestos; certamente esse post vai ser lido pessoas apavoradas por outros sites.

Houve, sim, uma leitura enviezada e uma interpretação equivocada do que eu escrevi.

Mauricio
MauricioPermalink

Eu concordo com o Thiago. O fato de existir a possibilidade de um golpe no táxi, mesmo que seja baixa, já é suficiente pra que tenhamos cuidado e a postura deve ser de precaução. É como andar na rua numa metrópole como são Paulo onde várias pessoas já foram assaltadas mas o pânico é maior do que a realidade. Nem por isso vc vai sair andando nessa rua desatento. Então o Thiago se referiu a postura de dizer que é tranquilo, vai de boa, não se preocupe pq isso acontece pouco. O que eu acho válido, sem discordar que isso acontece pouco e que pode ser uma preocupação de quem nunca foi.

Thiago
ThiagoPermalink

Que coisa mais insana! kkkk Ricardo, eu li o que você escreveu e entendi direitinho, ok? Se você achasse que não há golpe, sequer teria escrito este artigo. Que bom que você não sofreu esses golpes, eles cortam todo o barato (aquele Malbec do jantar fica com gosto amargo na boca depois de uma dessas!). Eu passei por isso 2 vezes e achei a dica muito boa, mas vale a pena ainda assim andar com dinheiro trocado, pagar o taxista e sumir dali. Porque mesmo que você saiba quem ele é, não quer dizer que poderá tomar uma ação contra ele posteriormente - nem mesmo o ranking da Easytaxi é tão confiável assim, pois se o cara for expulso, amanhã aparece de novo usando um laranja no cadastro...

Larissa
LarissaPermalink

Eu devo ser muito azarada, em minha primeira viagem à Buenos Aires 3 em cada 5 taxistas tentaram algum golpe comigo. Somente 3 conseguiram: 1 taximetro descaradament adulterado (tive que mandar ele parar no meio do caminho quando eu vi e mudei de taxi, mas ainda assim paguei a corrida num valor bem maior sem nem ter chegado ao destino),outro fez um caminho 3 vezes mais longo sendo que no dia anterior ja tinha ido nesse mesmo lugar e o outro alegou que eu nao dei dinheiro suficiente. Isso sem contar os que nao davam pequenos trocos, tipo a corrida foi 35, voce deu 40 e ficou sem troco. Agora,quase 10 anos depois e com mto mais bagagem de viagem nas costas por esse mundao vou voltar a BA mes que vem com outra atitude mas ja com a certeza dre que vao tentar me enganar, pq taxista em Buenos Aires é pilantra demais!

André
AndréPermalink

Lê o texto de novo Tiago. Vai lá, vai lá!!! ?

Thiago Castro
Thiago CastroPermalink

Não preciso ler de novo, vcs que não entenderam meu ponto.

karen
karenPermalink

Será que funciona em Mendoza? Estarei lá no Natal...

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Karen! Provavelmente funcione. Mas lá você vai poder andar a pé na região central. Só vai precisar de carro para ir às vinícolas, para o que vai precisar de um remis, não de um táxi urbano.

Victor Santiago
Victor SantiagoPermalink

Olá Karen!! Acabei de chegar de Mendoza e lá funciona sim!! Muitos taxistas trabalham com o Easy Taxi, mas como A Boia já explicou, você consegue fazer tudo no centro à pé, pois é tudo muito próximo e seguro, inclusive à noite!!

edson shitara
edson shitaraPermalink

Olá, Ricardo, bom dia!
O que é remis? Qual a diferença de um táxi normal?
Obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Edson! Quem responde é A Bóia. Remis é um carro com motorista que trabalha com tarifas negociadas, sem taxímetro. São carros legalizados, apenas não ficam na rua recolhendo passageiros.

Alex
AlexPermalink

Hoje, com o celular, fica mais difícil ser enrolado. Sempre mostro ao motorista que
o google maps está aberto com o trajeto a
ser feito.
Em São Paulo, certa vez, o taxista fez um caminho mais curto que oo mostrado pelo
aplicativo.
Problema mesmo tive apenas uma vez, saindo
do Pelourinho em Salvador à noite para ir a
umrestaurante.

Silvio Carlos Cury
Silvio Carlos CuryPermalink

Para acrescentar, nos dois aeroportos existem serviços de remis. Os "boxes" ficam na área de desembarque, antes da saída do setor das esteiras de bagagem. Normalmente valem financeiramente para percursos acima de 10 km. Claro que se você pegar um táxi cujo motorista seja desonesto, desconsidere a distância. Apenas como referência: o valor para uma corrida de 6-7 km gira em torno de 100 pesos. Sobre a celeuma de motoristas desonestos posso afirmar que é cada vez mais frequente, embora sejam uma minoria. O que fazer? normalmente aceitar. Em uma destas corridas fiquei muito ofendido. Era assustador como o taxímetro "girava". Disse ao motorista que iria pagar a ele 100 pesos, independente do valor. Ele quis argumentar e rebati dizendo que caso se sentisse prejudicado, poderia parar no primeiro policial que avistasse. Ficou quieto e aceitou o valor que eu propus. Dica: os táxis controlados por centrais de rádios são muito mais seguros.

Renata
RenataPermalink

Devo acrescentar que isso vale para Bogotá e Lima também. Só uso easy táxi e nunca tive problema! Quando estou com mais de 4 pessoas, uso Uber e peço uma van. (em Lima só não dá pra fazer isso pra sair do aeroporto, mas pra chegar, fui de Uber tb smile

Neftalí
NeftalíPermalink

E vale para Santiago também, dando preferência para o Uber.

Victor Santiago
Victor SantiagoPermalink

Montevideu e Mendoza também!! Usei bastante o Easy Taxi nesses locais!!

Mô Gribel
Mô GribelPermalink

Uber e Easy Taxi dando um show de serviço em várias cidades desse mundão.
Impressionante como o serviço é mais seguro e sem stress.

Hugo
HugoPermalink

Estive em Buenos Aires apenas uma vez por 7 dias, juntou com dois casais de amigos. Pegamos muitos táxis na rua e nenhum de nós nunca teve nenhum problema.

Mas sempre seguimos a dica de pagar informando a nota que estávamos entregando e o troco que ele precisava nos dar. Além disso, sempre informamos os endereços indicando o nome da rua e uma esquina próxima para facilitar a localização.

E a grande vantagem por lá é que tem táxi em todo lugar. Não importa a hora ou onde você está, sempre passa um táxi por perto.

Amaro - Recife
Amaro - RecifePermalink

Rick, um adendo:
ao fazer reserva no Taxi Ezeiza (no site tem o link), no kiosco do desembarque também fica alguém com a "plaquinha com o seu nome"...

Silvia Andrade
Silvia AndradePermalink

Acrescento que em Montevidéu sempre foi tranquilo pegar táxis, mas nessa última vez (agora em outubro), eu tive que discutir com o taxista no retorno do aeroporto. Pedi na recepção do hotel, imaginando que fosse chamado um remis que são carros especiais a preço fixo (na chegada peguei uma Mercedez Bens novinha com wi-fi para os mais de 30 minutos até o destino pagando no cartão no balcão uns URU$ 1.100,00). Cheguei a perguntar o preço e que foi respondido um valor de URU$ 900,00 (uns R$ 115,00). Chegou um carro comum, caindo aos pedaços, mas estava chovendo, eram 6:30 AM (sem café da manhã), eu entrei e vi que o taxímetro estava ligado mas... em seguida a figura puxou um pedaço de plástico branco tapando o visor... prá cima de "moi"? Quando cheguei ao aeroporto, pedi a ele que retirasse o plástico... ele se fez de desentendido e tive que repetir o pedido. Quando ele afastou o plástico lá marcava URU 460, e foi o que paguei... ele começou a reclamar dizendo que que o preço era fechado com o hotel, etc... dei a ele mais 40 para inteirar 500, e só... se ele quer virar um carro especial, com conforto (e amortecedores pelo amor de Deus) e cobrar o preço adequado tudo bem... mas com truque barato não será com a minha colaboração. Alguém sabe se o Easy ou se o Uber funciona lá em MVD?

Victor Santiago
Victor SantiagoPermalink

Funciona sim Silvia!! Utilizei o Easy Taxi para fazer uma corrida do meu Hotel em Montevidéu até a Bodega Bouza e também do meu hotel até a Rodoviária, quando fui fazer a travessia até Colonia del Sacramento.

Paula Guimarães
Paula GuimarãesPermalink

Havia comentado antes aqui sobre minha experiência com o Easy Taxi e não foi postada, não sei o motivo.
Enfim, só queria ressaltar que foi muito mais seguro utilizar o aplicativo quando necessitei táxi, pois você tem todos os dados do taxista e, caso ele seja mal avaliado, ele pode até sair do aplicativo, então leva o motorista a te atender melhor.
Utilizei táxi pelo Easy apenas pela madrugada pra voltar de bares e/ou restaurantes e para ir até o aeroporto (Aeroparque) que me saiu cerca de 40 pesos mais barato que os remis que o hotel solicitava, porém com hora marcada um dia antes.

Andre
AndrePermalink

Tenho uma dúvida. Como devem existir muitos táxis no aeroparque, como vou conseguir identificar o que solicitei pelo Easy Taxi?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Andre... Tipo: pela placa, igualzinho você faz no Brasil?

Andre
AndrePermalink

Obrigado. É que nunca usei o Easy Taxy e não sabia que recebíamos a informação da placa no momento do pedido.

Paula Guimarães
Paula GuimarãesPermalink

O aplicativo te dá o nome do motorista, placa do carro e modelo, então você pode conferir tudo antes de entrar. É fácil! wink

Alexandre
AlexandrePermalink

Acabou-se o que era doce... Deu no La Nación de hoje que o Easy Taxi foi proibido por lá por infringir o Código de Transito e o taxista que usar poderá pagar multas de 24 mil pesos.

Paula Guimarães
Paula GuimarãesPermalink

Então eles devem ser coniventes com a roubalheira que os taxistas portenhos fazendo conosco. Só pode!
Jà chegou Uber por lá, sabem dizer?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Paula! Já.

Isadora
IsadoraPermalink

Oi gente!!! Sério que foi proibido o Easy Taxi??

Junior
JuniorPermalink

Sim, continua proibido.

Junior
JuniorPermalink

Uber também está proibido, voltamos a ser vitimas dos taxistas de Bs. As.

Ygor
YgorPermalink

Easy Taxi realmente está proibido? E Uber, como anda?
Estou de viagem marcada para Julho e cada vez fico mais nervoso ao ler sobre os Taxis.
A opção mais segura então seria o Remis?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Ygor! O EasyTaxi foi realmente proibido e não opera mais na cidade, apenas em outros pontos da Argentina, como Córdoba. O Uber segue desafiando as autoridades.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2016/05/uber-em-montevideu-e-buenos-aires