Enquete | Safári na África do Sul: Kruger x parques menores

Natalie Soares
por Natalie Soares

safari africa do sul

Bu! Madikwe Game Reserve

O Kruger National Park é, sem dúvidas, o endereço mais famoso na África do Sul para quem procura fazer um safári, mas ele não é o único, não. Lá existem quase 20 parques nacionais e inúmeras reservas privadas que podem proporcionar experiências distintas ao viajante.

safari africa do sul

Fim do dia depois do primeiro game drive

Na véspera do meu embarque, li um texto da Adriana Setti elencando, entre muitos fatores positivos, um detalhe sobre o Kruger: “... é uma das principais atrações da África do Sul, além de um programa fácil e acessível. Ou seja: tem sempre bastante gente (os game drives operados pelo parque nacional chegam a levar mais de 20 pessoas em veículos enormes). Também acho que o asfalto e as largas estradas de terra tiram bastante a graça da aventura”.

safari africa do sul

Madikwe Game Reserve

Como eu fui direto para a Madikwe Game Reserve, na região de North West, quase na fronteira com Botswana, pude vivenciar uma experiência mais exclusiva e de puro contato com a vida selvagem como já relatei. Existem poucos lodges dentro dessa reserva, por conta disso e do seu extenso território, encontramos poucos jipes e carros com turistas durante os game drives.

Entretanto, uma dúvida não saía da minha cabeça: qual é a grande diferença entre percorrer as áreas públicas do Kruger Park, reservar um safári numa reserva privada como a famosa Sabi Sabi – que fica dentro do próprio Kruger – ou visitar outras reservas naturais?

safari africa do sul

Madikwe Game Reserve

Então queremos saber: o asfalto, o número de carros e de visitantes podem impactar essa grande experiência? Qual é o melhor parque ou reserva para fazer um safári na África do Sul? Você tem algum relato para compartilhar?

safari africa do sul

Trânsito movimentado smile

Natalie viajou a convite do turismo da África do Sul e da South African Airways.

Leia mais:

6 comentários

Fernanda Scafi

O número de pessoas no carro COM CERTEZA afeta a experiência!!! Com muita gente, algumas pessoas ficarão no meio do carro, sem poder tirar fotos a qq hora e sem visão privilegiada para os animais em vários momentos. Isso sem contar que a África do Sul é um país barato, ou seja, é a chance de você pagar um pouco mais e ter uma experiência mais luxuosa do que o "normal" nas viagens do pessoal que fica contando as moedinhas - eu por exemplo rs. Quanto às estradas de terra, sim, é MUITO mais emocionante quando alguém avista um bicho à distância e somos obrigados a pegar estradinhas menores, ou até andar fora das estradas pra chegar mais perto - muito mais aventura!!! Mas preparem=se para chacoalhar. Eu fiquei no Shamwari Game Reserve - ótimo!!! Pertinho de Port Elizabeth, ideal para uns dias antes ou depois da Rota Jardim. Fiz Cidade do Cabo/Rota 62 (vinhos)/Rota Jardim/Shamwari. Contei tudo lá no meu blog: http://www.taindopraonde.com.br/search/label/saf%C3%A1ri.

Jimmy Duarte
Jimmy DuartePermalinkResponder

Quando estivemos na África do Sul, ficamos na reserva privada do Kapama. Foi uma experiência muito bacana. Geralmente, as pessoas nos falavam que era bem melhor do que ficar no Kruger, por causa da bagunça e de uma possível dificuldade de encontrar todos os Big Five. Por outro lado... tinha muita gente decepcionada com o Kapama por não ser tão selvagem quanto os safáris que haviam feito em outros países, como na Tanzânia, Quênia, etc.

Temos nosso relatos e fotos no blog - http://basicoamais.com/category/africa-do-sul

Bjos!

wink

Fernando Pavan

Fiquei recentemente no Kapama e achei muito bom. Tinha um casal que também havia ido ao Kruger e disse preferir este.
No Kapama, a mata é mais fechada, mas conseguimos ver os big 5, além de guepardo, hiena, hipopótamo e crocodilo. Porém não vimos manadas de elefantes, só alguns solitários.
Segundo o casal, no Kruger, com campos mais abertos, era possível ver grupos enormes de búfalos e elefantes. No entanto, não viram os grandes felinos.

Odlan
OdlanPermalinkResponder

Em maio/13, conhecemos a Reserva Kapama. Não tenho outra referência de safaris, mas posso dizer que fiquei muito satisfeito com os programa lá. No máximo seis pessoas por jeep, ranger/tracker muito profissionais, Big Five e muitos outros animais. 2 games por dia. Até um emocionante safari a pé fizemos. A qualidade da hospedagem é digna de um comentário a parte.

Nivia
NiviaPermalinkResponder

Em abril de 2013 fiquei na região de Port Elizabeth, dentro do Addo Elephant Park e me hospedei no Kuzuko Lodge. Não é um hotel de extremo luxo como outros que vimos, mas como a época é de chuvas no Kruger e estamos mais perto, na rota jardim, foi uma boa opção. O hotel era pequeno, no carro menos de 10 pessoas e sempre saiam apenas 2 ou 3 carros. Achei ótima esta quantidade, pois mesmo quem ficava no meio conseguia tirar fotos. Existem outros tantos hoteis dentro do Addo, até camping, uma excelente opção para um safari econômico.

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Fui em agosto deste ano para a Sabi Sands (Sabi Sabi Little Bush Lodge) e Timbavati (Nagala Safari Lodge). Eu amei a experiência – nas duas reservas os safáris eram feitos no meio do mato, andando por estradas de terra pré-demarcadas, mas muitas vezes (muitas mesmo) saindo do caminho e entrando no meio das árvores para procurar e ver os animais mais de perto. Realmente não vi muitos grupos grandes (o máximo foram uns 10 elefantes e um grupo de uns 8 búfalos). Mas vimos todos os tipos de animais, leões (incluindo filhotes) e leopardos várias vezes, rinocerontes (com filhotes!) e tudo muito de perto. Passei no Kruger em si (as duas reservas são privadas e anexas ao Kruger, mas bem diferentes dele em relação ao modo como é feito o safári - com a vantagem de não terem cercas para o parque, permitindo que os animais circulem livremente, o que aumenta muito a qualidade do safári) para pegar o voo para ir embora e no pouco que circulei no parque tive certeza que fiz a escolha certa – achei muito sem graça andar nas estradas de asfalto, ver os animais de longe e não poder ir atrás.

(para vcs terem uma idéia, na Sabi Sands ficamos no mesmo carro que dois casais de mexicanos, que já viajaram o mundo todo e já tinham feito safári no Quênia. Eles ficaram encantados – e até com um pouco de medo – com a proximidade que ficávamos dos animais. Disseram que no Quênia realmente viram grupos gigantescos de animais, mas sempre de longe)

Sobre o número de pessoas no carro, realmente com menos gente fica bem melhor – nos dois hotéis que fiquei saíamos no carro com no máximo 6 hóspedes. No Ngala, cruzávamos com mais dois ou três carros a cada safári, e quando tinha algum animal mais sensível (como quando vimos filhotes de leão) os carros se revezavam na observação, então era bem tranquilo e sem muvuca – tanto para os hóspedes quanto para os animais, o que é bem importante. Na Sabi Sands cruzávamos com mais carros - a reserva tem muito mais hotéis que na Timbavati, mas são pequenos, o que fiquei tinha apenas 6 quartos - mas nada que atrapalhasse a experiência.

(outra coisa que fez diferença para mim foi sair nos carros abertos, sem cobertura - a sensação é outra, de muito mais integração com a natureza, é incrível)

Além disso, nas reservas privadas, que são mais caras, a chance de vc estar com outros hóspedes que realmente se interessam por animais e não estão ali só pra “riscar o destino da lista” é maior – e pra quem gosta de natureza, isso é importante e aumenta muito a qualidade da viagem.

Lógico que ficar nas reservas privadas é bem mais caro que no Kruger – que tem opções bem em conta e onde é possível dirigir sozinho. Mas se vc tem um pouco de dinheiro pra investir, e ama animais e natureza, recomendo sem nenhuma dúvida ficar nas reservas privadas (e de preferência as com hotéis menores, como as que fiquei). Foi o dinheiro mais bem gasto da minha vida!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar