Enquete | Vinícolas no Uruguai: deixe suas dicas!

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Vinícolas no Uruguai

Visitar vinícolas é o novo esporte do brasileiro -- e pode dar um toque especial à sua viagem ao nosso vizinho de baixo. Sim, existem ótimas vinícolas no Uruguai. Muitas estão nos arredores de Montevidéu. Carmelo, pertinho de Colonia del Sacramento, também tem suas bodegas (que é como se diz vinícola em castelhano).

A produção de vinhos uruguaios é pequena e quase toda consumida localmente. As estrelas são as uvas tannat e viognier, que dão um caráter todo próprio aos tintos e brancos do país.

Lembre-se que há tolerância zero para direção e álcool no Uruguai. Faça seus tours com traslados contratados.

Vinícolas no Uruguai: perto de Montevidéu

A região vinícola próxima a Montevidéu fica em Canelones, ao norte da capital, saindo pela Ruta 5. À bodega mais próxima, a Bouza, dá para ir tranqüilamente de táxi. Para as outras, você pode contratar um remis (carro com motorista) a partir de 100 dólares (seu hotel pode arranjar um para você).

  • Bodega Bouza
    A mais próxima (15 km) e mais bem-estruturada para receber visitantes. Tem também uma coleção de carros antigos. Seu restaurante funciona todos os dias. As visitas acontecem de 2ª a 6ª às 11h, 13h30 e 16h; sábado, domingo e feriado às 11h e 16h; custa 490 pesos uruguaios ou 17 dólares. Degustações ocorrem ininterruptamente das 10h às 18h; custam 1.000 pesos uruguaios ou 35 dólares e incluem a visita guiada. Reserve pelo site. Ruta 5, km 13 - Camino de la Redención, 7658 bis, tel. 598/2323-7491. Veja relato da visita da Lu Malheiros no Divindo a Bagagem.
  • H. Stagnari
    A H. Stagnari se apresenta como a mais premiada do mundo em tannat. A atração mais peculiar da propriedade é um labirinto de vinhas. A visita simples, sem degustação (inclui vinhedo, vinícola, cave e labirinto) custa 300 pesos ou 10 dólares. A visita com degustação de 4 vinhos custa 45 dólares; a visita com degustação de 4 vinhos de alta gama e um espumante sai 70 dólares. Se você for fazer uma degustação, é possível contratar o traslado diretamente com a vinícola; para duas pessoas, o traslado ida e volta sai 40 dólares. Reserve pelo site com 48 horas de antecedência. Ruta 5, km 20, La Puebla, tel. 598/2362-2940.
  • Antigua Bodega Stagnari
    A Antigua Bodega Stagnari é vizinha da H. Stagnari. Abre para visitas de 2ª a 6ª das 9h às 17h e sábado das 9h às 14h. É preciso reservar com 24 horas de antecedência por telefone. Não informa os preços da visita no site. Ruta 5, km 20, La Puebla, tel. 598/2362-2137.
  • Bodega Juanicó
    A 37 km de Montevidéu (e 6 km do centro de Canelones), a Juanicó é bem-estruturada para receber visitantes. As visitas se realizam de 2ª a sábado às 10h, 13h e 15h; domingo às 10h, 12h e 14h. Há quatro tipos de visita a escolher; duas delas incluem almoço. É preciso reservar os tours com almoço com 24 horas de antecedência. Use o formulário do site. Ruta 5, km 37, pueblo Juanicó, tel. 598/4335-9725.
  • Viñedo de los Vientos
    Perto da estrada que leva de Montevidéu a Punta del Este, o Viñedo de los Vientos está a meio caminho entre a capital uruguaia e seu balneário mais famoso. As visitas são feitas apenas por agendamento pelo site. Ruta 11, km 162, tel. 598/4372-1622.

Vinícolas no Uruguai: Carmelo

A uma hora de carro de Colonia del Sacramento, Carmelo está para o campo assim como Punta está para a praia: você não vai encontrar nada mais sofisticado, no gênero, no lado de baixo da América.

  • Finca Narbona
    A senha para visitar essa bela vinícola (que tem uma filial do restaurante em Punta del Este) é fazer uma reserva para almoçar no restaurante. Querendo o pacote completo, aproveite para se hospedar. Ruta 21, km 268, tel. 598/4540-4778. Veja a visita da Alexandra Aranovich no Café Viagem (role a página).
  • El Legado
    Despretensiosa e familiar, a El Legado recebe visitantes num espaço aconchegante. As degustações podem ser marcadas por telefone. Ramal Ruta 97, Carmelo, tel. 598/98-307-193. Veja relato da Mile Cardoso no Uruguai por uma brasileira.
  • Familia Irurtia
    Muito próxima ao centro de Carmelo, a bodega Familia Irurtia oferece visitas guiadas regulares 6ª. sábado, domingo e 2ª às 11h. Para visitas e degustações em outros dias e horários é preciso agendar com pelo menos duas horas de antecedência, por telefone. Ingiñero Químico Dante Irurtia, Paraje Curupí, tel. 598/99-692-545.
  • Los Cerros de San Juan
    Mais próxima a Colonia, a Cerros de San Juan é uma bodega histórica: funciona desde 1854. Oferece degustações com agendamento prévio: podem ser simples, com queijos e embutidos ou com churrasco. Ruta 21 km 213, tel. 598/91-949-494.

Você já visitou vinícolas no Uruguai?

Quais bodegas visitou, e quais valeram mais a pena? Como você foi? Quanto custou o transporte? Pode indicar algum guia ou agência?

Suas dicas podem ajudar muito no roteiro de outros leitores -- como a Dri, que acaba de nos escrever contando sua dificuldade em planejar esta parte da viagem, por não encontrar remises que façam transporte particular às bodegas, como aqueles em Mendoza.

Aos comentários!

Leia mais:

35 comentários

Cândida Silva

Indo à Bodega Bouza, almoce lá! A visita vale a pena, mas o restaurante vale mais.

Leonardo Lacerda

Visitei das das três que considero melhores do Uruguai: Bouza e Juanicó. A terceira, Pisano, não aceita visitas.

Em relação às visitadas:

Bouza - ótimos vinhos e bons preços nas vinícolas. O tour é interessante, mas acrescenta pouco para quem tem maior conhecimento. O restaurante é dos melhores do Uruguai, com certeza vale a pena almoçar por lá.

Juanicó - produz grande quantidade de vinhos, e de todo tipo de qualidade. Recomento a linha Família Deicas. A visita é interessante e individualizada (o que é um diferencial). Achei o almoço caríssimo e péssimo. Funciona como um menu fixo e terceirizado de entrada, prato principal e sobremesa. Dispense.

Fernanda Scafi

Meus pais que são super entendidos de vinho (mãe sommelier e pai que já fez inúmeros cursos na área) passaram uns 4 dias em Montevideo com um grupo de amigos tb enófilos e visitaram algumas das vinícolas deste post e outras mais. Está tudo registrado lá no meu blog: http://www.taindopraonde.com.br/2015/09/5-vinicolas-perto-montevideu-uruguai.html.

Quenia
QueniaPermalinkResponder

Nós ficamos no Narbona e amamos. Fiz reserva para uma noite e ficamos duas. Restaurante e hotel excelentes. Eu não entendo nada de vinho, mas meu marido gostou. Temos um post sobre esta agradável experiência http://viagens-porai.blogspot.com.br/search/label/Carmelo

Túlio
TúlioPermalinkResponder

Perto de Montevidéu visitéi a vinícola Berreta, bem pequena e administrada pelos seus donos, muito apaixonados pelo local. Vale muito
Bouza e Narbona, citadas no post, são excelentes!

Thatiana
ThatianaPermalinkResponder

Fui em várias vinícolas no Uruguai. Segue a lista:
Bouza, Narbona, Campotinto, Cordano, Cerros de San Juan, Familia Irrurtia, Alto de La Ballena, Carrau e H. Stagnari.
Dessas todas, só NÃO recomendo a última. Vinhos apenas razoáveis e atendimento péssimo (ignoraram 3 emails meus e só consegui ir pegando carona com um grupo de conheci na Carrau).

* A Cordano é extremamente artesanal, vale pelo bizarro, não exatamente pelos vinhos. E eles tem um armazém que vende vários produtos, pra quem gosta de gastronomia é bom.
* A Bouza é como a Concha y Toro no Chile: turistona, mas vale a visita. O restaurante é bom.
* Narbona fui em Carmelo, também somente para almoço e breve visita. Bons vinhos e boa comida.
* Cerros de San Juan é difícil chegar, mas vale a visita. Deles, recomendo o Pinot Viejo e o Mil Botellas.
* Campotinto somente jantei, mas é um ótimo restaurante, vale a pena conhecer.
* Familia Irrurtia, Alto de La Ballena e Carrau são estilos parecidos: os donos vem te receber e são bastante atenciosos. Da primeira recomendo o vinho Km.0. Do Alto de La Ballena recomendo o Cetus, eleito melhor vinho "não-tannat" do Uruguai. Da Carrau vários rótulos merecem destaques, como o 1752, o Vilasar e o Amat. Destaque para o Alto de La Ballena por ser bem próximo ao CasaPueblo, estando lá é fácil chegar.

Para visitar todas aluguei um carro, exceto a carrau, que consegui ir de Uber e deu bem menos de 100 reais.

Thais Silva
Thais SilvaPermalinkResponder

Siiiimmm! Bodega Garzon, "perto" de Jose Ignácio... Dá pra ir sem guia ou contratar alguém por lá, mas alugar carro é essencial!

mirna
mirnaPermalinkResponder

Acabo de voltar de Carmelo e só a incluí no meu giro por todo o Uruguai para visitar a Narbona (fortemente influenciada pelo relato do CaféViagem). Pois bem,a experiência acabou frustrando-se bastante pois não fiquei hospedada lá e sim num hotel central. Liguei para eles na hora do almoço e perguntei se haveria degustação naquela tarde (era um sábado e supus que seria certeiro) mas responderam que ainda não sabiam pois deveriam consultar o sommelier e me pediram para voltar a ligar dali umas 2 horas para confirmação. Acabei indo almoçar no Puerto Camacho ali perto (a uns 2,5 km) que inclusive tem uma lojinha que vende os produtos deles e aproveitei para comprar alguns, além de pedir o Tannat Roble deles para acompanhar o meu almoço. Só que não estava de carro e o tempo estava péssimo para tentar ir a pé. Acabei desistindo pois a bodega não oferece qualquer facilidade aos visitantes e tampouco achei aluguel de bicicleta no centro como alternativa. Tive que ir de taxi do centro até o Basta Pedro (restaurante de Puerto Camacho) e chamá-lo depois para vir me buscar (350 pesos uruguaios cada trecho).A infra naquela região para este tipo de passeio ainda está muito subdesenvolvida e é uma pena que ainda não "acordaram" para explorar este tipo de turismo...deixando o turista "na mão"

Thatiana
ThatianaPermalinkResponder

Mirna, senti o mesmo. Não fiquei em resort nem em pousada especializada como a Campotinto ou a Narbona e achei bem ruim. Carmelo ainda é uma cidade do interior.
Meu hotel oferecia aluguel de bicicleta de graça, mesmo assim não foi útil para ir às vinícolas, pois é preciso passar pela Ruta, uma estrada bem movimentada e com fila única em cada mão.
A noite de Carmelo é completamente morta e há poucos restaurantes na cidade em si. Uma lástima.

Ainda estão se acertando, creio que em alguns anos, com inteligência e investimento a coisa vá para frente.

Nivia
NiviaPermalinkResponder

Estive na Bouza e na Juanicó e indico muito a visita a Bouza, atendimento profissional, restaurante maravilhoso, ambiente muito bonito e vinhos bons. Claro que para quem conhece Mendoza e a Região de Maipo e Colchagua no Chile, percebe que este atrativo turístico ainda é muito iniciante, mas achei um dos melhores passeios próximos de Montevidéu. Contei minha experiência em um post http://www.viagensinvisiveis.com.br/2012/08/o-melhor-de-montevideu-tanat.html No mês que vem vou conhecer Carmelo e Colônia e conto aqui o que achei smile

Nanda Castelo Branco

Escolhi a Bouza pela praticidade e pelo "extra" de ter a coleção de carros antigos (que são uma paixão no Uruguai). Além de fazer o tour e a degustação, almoçamos no restaurante na bodega, foi um programa delicioso! Com certeza dá um charme no roteiro da viagem e vale conhecer a uva tannat característica da região wink Tem fotos e outros detalhes aqui: http://vontadedeviajar.com/uma-bela-vinicola-uruguaia/

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Também visitamos a Bouza em nossa última visita a Montevideo. É um excelente programa, realmente. Visita ótima, propriedade linda e o restaurante sensacional. Fomos de táxi e é muito tranquilo e perto da cidade.

Renata
RenataPermalinkResponder

Bodega Bouza, é espetacular, principalmente pra almoçar!

LÚBIA SCLIAR ZILBERKNOP

Faz uns 2 ou 3 anos, almoçamos na vinícola Bouza. O passeio é legal, o restaurante é muito bom, com um ambiente acolhedor e, na época, havia um pianista que era responsável pela música de fundo. Recomendo!

manoela
manoelaPermalinkResponder

Fomos na Bouza no Carnaval de 2015 e fizemos o menu degustação. Simplesmente sensacional!
A Vinícola é muito bonita, mas o ponto alto foi o restaurante. Atendimento super gentil, vinhos maravilhosos e o menu, da entrada à sobremesa, valem cada dólar (ou peso). Indico muitíssimo!
Reserve com antecedência.
Ficamos no bairro de Carrasco e o hotel nos auxiliou contactando um motorista.
Por sinal, este bairro é lindo. Já ficamos em outras oportunidades em Pocitos (próximo à playa) e no Four Points próximo à Feria Tristan Narvaja, mas Carrasco é sem dúvida o barrio mais charmoso de Montevideo.

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Estive em Montevidéu em set de 2014 e fiz o passeio à vinícola Bouza com o menu degustação. Fomos de táxi e imprimi o trajeto como sugeriu a Lu do "Dividindo a Bagagem", e não tivemos nenhum "perrengue". Na volta, a própria vinícola solicitou um táxi, que aguardamos confortavelmente refasteladas na cadeiras do jardim, fazendo um merecido "quilo" pelo delicioso almoço. A vinícola é encantadora, compacta na medida certa, e nos recebe de forma acolhedora. Vale a visita. É, sem dúvida, como diria o "comandante", um passeio redondinho para ser encaixado em uma viagem a Montevidéu!

flavia maia
flavia maiaPermalinkResponder

Montevidéu é sensacional e a Bouza é maravilhosa.Fomos de van que pegamos no hotel.O restaurante é sem dúvida o melhor de todos!
Pra quem gosta de carros antigos, o dono tem um museu bem diversificado na propriedade.
Vale mto a visita!!

Daniel Conceição

Fiz uma viagem etílica pelo Uruguai, onde visitei 10 bodegas. Aí vai uma breve descrição delas:

- Colinas de Garzón (Região de Maldonado): Na verdade é uma olívícola (azeite), mas produz seus vinhos, que não são nada demais. Vale muito a visita pelo local e os azeites. Fica em Pueblo Garzón, perto de Punta del Este.

- Alto de la Ballena (Região de Maldonado): Gostei da visita e da vista que se tem desde o local onde degusta-se os vinhos. A dona que nos recebeu e fez a degustação e o passeio. Eles têm o melhor Merlot que já bebi.

- Bodega Cordano - Almacén de la Capilla (Região de Colônia): É uma simpática loja na parte rural da cidade de Carmelo e a visita é bem interessante, com uma parte subterrânea e, na parte das parreiras, uma linda cabana para alugar. Destaco os vinhos rosés, um deles muito perfumado.

- El Legado (Região de Colônia): Fica bem próximo à Cordano. A bodega é bem pequena, com produção de somente 3000 garrafas por ano. Fomos recebidos pelo dono, que é muito simpático. A experiência é bem legal e numa das provas, tira-se o vinho do próprio barril com uma pipeta! Elegi o melhor vinho que bebi no Uruguai, um corte de tannat e syrah.

- Irurtia (Região de Colônia): A bodega é bem grande e o destaque fica para a visita a sua sala de degustações subterrânea. A melhor bebida deles não é o vinho e sim uma grapa (premiada).

- Bodega Marichal (Região de Canelones): A guia que nos recebeu foi a mais simpática de todos, e apesar de um pouco longe do centro de Montevidéu, a visita vale muito a pena. Todos os vinhos são ótimos, mas destaco o Tannat (o melhor tannat que bebi) e o Pinot Noir blanc de noir Chadornnay (o melhor vinho branco que já bebi, fantástico!).

- Bodega Artesana (Região de Canelones): Muito bonitas as instalações desta bodega, onde destaco o vinho rosé tannat, muito gostoso e com uma linda cor vermelha, bem escura para um rosé.

- Bodega H. Stagniari (Região de Canelones): Bodega grande, relativamente próxima a Montevidéu. Tem bons vinhos, mas nenhum que eu destaque.

- Bodega Juanicó (Região de Canelones): Não é muito perto do centro de Montevidéu, mas vale muito a visita. A guia é muito simpática e a visita, bem interessante, também com uma parte subterrânea. Dos vinhos, destaco o Dom Pascual Single Barrel Tannat.

Lu
LuPermalinkResponder

Visitei a Narbona e almocei lá. Gostei mto da comida, do azeite, e do vinho. Visitei os quartos e imagino ser mto gostoso pernoitar lá. Estávamos de moto portanto n tivemos problema de transporte (só o piloto n pode beber). Carnelo e uma cidade do interior mesmo. Mas tem um hotelzao já saindo da cidade (acho q Sheraton) onde deve ser uma boa base p visitar outras vinícolas e eles devem ter um esquema de transporte.

Márcio
MárcioPermalinkResponder

Indico muita Colinas de Garzón, assim como o Daniel e a Thais acima comentaram. Dá para ir sozinho, mas tem que alugar um carro saindo de Punta. Vale muito a pena pelo local, degustação e atendimento e a qualidade dos produtos. Eles na verdade são excelentes produtores de azeites, mas já produzem vinhos há algum tempo e estão evoluindo muito nos últimos, possuindo vinhos muito bem conceituados e premiados, ainda mais levando-se em conta o pouco tempo de início na produção.

Esse relato aqui do Vnv fala até muito bem disso:
https://www.viajenaviagem.com/2016/04/montevideu-e-punta-del-este-fora-de-temporada

Lá recebi informações que inclusive estão trabalhando para investir cada vez mais nesse ramo de turismo ligado ao vinho, com a criação de um hotel na região, que por sinal é linda, no estilo da Casa Valduga, como um complexo.
Recomendo muito. Fui em janeiro de 2015 e trouxe alguns vinhos e azeites e me arrependo de não ter trazido mais.

Segue o site que fala da empresa e as informações de turismo:

http://bodegagarzon.com/pt/adega/

Aline Barbosa
Aline BarbosaPermalinkResponder

Estou indo a Carmelo nos dia 04/01 à 07/01, pretendo visitar as vinícolas Narbona, Campotinto e El Legado. No entanto como estou indo com família, marido, meus pais, irmão e primos optei por alugar uma casa em Carmelo, próxima "praia" no entanto agora estou tendo dificuldades em conseguir remises, não queria alugar carro pois precisaríamos de dois e o motorista não poderia beber.
Aceito dicas se alguém tiver alguma indicação. E depois da viagem volto para contar como foi e dar dicas para quem quiser ir.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aline! Já tentou contatar a vinícola Narbona para ver se indicam algum? Ou a imobiliária/proprietário que alugou o apartamento? No Google achei este:
http://www.carmeloviajes.com.uy/index.php?id_prod=63&prod=Remise

De todo modo, vamos compartilhar sua pergunta no Perguntódromo. Havendo resposta, aparecerá aqui.

Mônica
MônicaPermalinkResponder

Carmelo é uma cidade muito pequena mas há táxis que te levam para as vinícolas com facilidade.

Elaine Mathias

Visitei a vinícola Bouza. Muito bem cuidada, linda mesmo! Almoço harmonizado top! Mas pedimos para degustação os vinhos top também. Valeu muito!

Edison Terterola

Sim, já visitei o Espaço Juanicó e achei fantástico. O diferencia esta vinícula de outras do Brasil e do Chile é sua hospitalidade. O lugar é pitoresco e belíssimo. O atendimento feito por um dos membros da família foi excelente e praticamente personalizado. Talvez, no futuro, devido ao amento da demanda, esse atendimento venha a cair em qualidade, mas mesmo assim, o local e os produtos valem muito a pena.

camila almeida

o passeio a Bouza é imperdível !!!
agendei por e-mail o almoço, com isso ganhamos a visitação. não quis fazer a degustação.
fomos de uber(em torno de 550 a 600 pesos), mas chegando lá descobri que eles tem vans que custam 200 pesos cada trecho. e resolvemos voltar com o serviço de van.
o almoço foi o ponto alto da viagem, atendimento impecável, comida maravilhosa. super recomento almoçar.
chegamos para visitação de 11:30 e depois partimos para o almoço, agendei a van para as 16:30 (existe outro horário as 14:30) com certeza um dia maravilhoso.
nossa conta deu em torno de 4400 pesos (sem desconto de iva), eramos 3 pessoas. foram 1 entrada, 1 grappa, 2 sucos, 1 garrafa de vinho, 1 água, 3 pratos principais, 1 café e 2 sobremesas).
não esqueçam de agendar !

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Olá pessoal,
Só uma atualização e detalhes de quem acabou de chegar e nem desfez as malas: a degustação na Bouza, que inclui o tour, está 42 dólares. Fui de Uber, super tranquilo e rápido, e ficou 445 pesos a partir da Ciudad Vieja. A visita é rápida, realmente não traz muita novidade. A degustação foi boa porque os vinhos são realmente sensacionais. Tem uma lojinha pequena e eu que gosto dos apetrechos com a marca da vinícola acabei não encontrando nada. Os vinhos tem preço salgadinho, mas bem mais em conta que em outros pontos de venda. O lugar é lindo e eu nao tinha tempo pra visitar outra, então achei que valeu!

Taís Zanatta
Taís ZanattaPermalinkResponder

Gente! Fui a Montevideo em fevereiro com meu marido. Segui praticamente todas as dicas aqui do Viagem. Em relação às vinícolas... Bom, fomos apenas na Bodega Bouza. Fizemos a reserva pelo site deles mesmo (visita guiada, degustação harmonizada e almoço).
Para chegarmos até lá pegamos um Uber do nosso hotel (palladium business, em Buceo) e o motorista nos deixou lá na Bouza. Demorou mais ou menos uns 40 minutos.
Na volta, idem. Chamamos um Uber e fomos até o hotel.
Tudo muito tranquilo e prático. Super recomendo (o passeio, o almoço e o serviço do Uber - este último, por toda a Montevideo)!

Dario Vitório Sebben

Estivemos em EL LEGADO ano passado. Ótima recepção, ambiente aconchegante e o vinho muito bom. Vale a pena das uma passada por lá e aproveitar o momento.

Tereza Messina

Olá! Já sou fã de carterinha do VIAJE. Não saio sem antes consultar as dicas. Agora vou para Montevideo e me interessei em conhecer a bodega H. Stagnari. Mas no site da vinicola não existem as opçoes de passeios que voces colocaram no post. Apenas com almoço incluido de 100 a 140 dolares. Tem alguma atualização ?? Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tereza! Se o site oficial está dizendo isso, é porque esta é a informação que está valendo hoje. Este post foi feito com informações compiladas em abril de 2016. Sempre incluímos os links externos para que as informações possam ser checadas entre as atualizações do post.

diego spinoglio

Convidamo-lo a visitar a vinícola SPINOGLIO em Montevidéu. Uma terra de vinhos com muita história familiar e arquitetônica. Nós o atendemos pessoalmente! Obrigado

Cynthia Rangel

Estou planejando uma viagem com amigas e a nossa disponibilidade é no mês de agosto. Sei que faz frio. Mas minha maior preocupação é saber se as vinícolas estarão abertas para visitação normalmente. Na Europa, no período mais rigoroso do inverno, eles costumam fechar. Alguém saberia me dizer se no Uruguai acontece o mesmo?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cynthia! A maioria das vinícolas recebe visitantes com hora marcada. Marque antes e tudo correrá bem. Note que no inverno os vinhedos estarão secos, sem folhas nem frutos.

Paulo Gomes
Paulo GomesPermalinkResponder

Só conheço a Bouza e volto para lá com certeza. É fácil ir de táxi e o almoço harmonizado foi muito bom.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar