Enquete | Qual é sua melhor lembrança gastronômica de viagem?

Natalie Soares
por Natalie Soares

Viagens gastronômicas: mercado de Surquillo, Lima

Mercado Surquillo, Lima

A primeira vez que embarquei para o Peru, não tinha nenhuma experiência em viagens gastronômicas. Sabia muito pouco ou quase nada sobre gastronomia, chefs estrelados, cozinha fushion e outras palavras de ordem do repertório gourmet. Conhecia apenas a forte ligação do país com sua cozinha e sabia que não deveria voltar antes de provar um bocado de ceviches e pisco sours.

Com apenas uns trocados no bolso, fui pega pelo estômago: as cores, os temperos, os aromas e novos sabores. Tudo era tão distinto do que eu estava acostumada a comer no interior de São Paulo e ao mesmo tempo muito instigante e curioso. Pronto. Sentada numa mesa qualquer em Lima, foi amor à primeira vista por um prato simples e corriqueiro no Peru: o tacu-tacu.

Muitas vezes, já no Brasil, me recordava dos sabores que provei pela América Latina e logo me dei conta como lembranças de viagem também passam pelos momentos que dividimos à mesa. Mas não pense você que eles só acontecem em jantares refinados em restaurantes que pedem reservas com meses de antecedência.

A comida honesta e autêntica tem um valor muito importante. Aquele mercado de rua, o quiosque escondido ou o piquenique no parque podem nos render boas histórias e transformar qualquer dia de férias quase num capítulo dos livros da Julia Child.

Sem raio gourmetizador e sem notas de trufas encontradas por ninfas do Himalaia, conta pra gente: qual destino você mais se surpreendeu com a cozinha local? Qual é sua melhor lembrança gastronômica de viagem? Pra onde você voltaria, neste momento, só para provar aquele prato especial novamente?

Palpite também:

75 comentários

Irina Yamashita

Um almoço na Bodega Bouza em Montevideo, no dia do meu aniversário! Com certeza a melhor refeição da minha vida!

Andre Rigueira

Nenhuma viagem é verdadeiramente completa se não tiver uma experiência gastronômica...
Tenho amigos que viajam e preferem ficar no "McDonald´s" para evitar "surpresas", já eu sou exatamente o contrário!
Gosto de me aventurar na gastronomia local, mesmo que o resultado depois não seja tão positivo....
Fica muitíssimo difícil escolher um prato ou um local, pois cada um me reserva uma excelente recordação de viagem, e minhas viagens normalmente são "épicas" e me fazem querer voltar...
Vou fugir do script e listar "as" experiências: Que tal um "eisbein mit sauerkraut" no coração de Berlin no restaurante Linderbraun ou um currywurst em plena Kufurstendan... um goulash numa Taverna Medieval (Stredoveka Krcma) em Praga, ou um "three courses" em restaurantes como o Fifteen (do Chef Jamie Oliver), ou Maze (do Chef Gordon Ramsay), ou ainda um "Fish and Chips" no The Granadier em Londres... Um stew com Guinness, na Guinness em Dublin, ou uma Pizza Napolitana em Napoles (La Antica Pizzaria da Michelle), um pastel de belém na Pastelaria de Belém em Lisboa, ou ainda uma Sardinha grelhada na Festa de São Jorge ou um Bacalhau com batatas ao murro no baixo chiado... um Ojo de Bife no "El boliche de alberto" em Bariloche, uma verdadeira cerveja com um belo pedaço de bratwurst em Munich, em plena Oktoberfest... Ou quem sabe uma pupusa no mercado de San Salvador, acompanhado de "elotes ternos"... enfim... não tem como eleger um único lugar ou um único prato....
Abraços!

Armando
ArmandoPermalinkResponder

Maialino arrosto do Latte de Luna em Pienza, Toscana
Spaghetti a la carbonara do Antica Bohemia em Roma
Tartufo do Tre Scalini em Roma
Ostras frescas do Sushi Issao em São Paulo
Pescados grelhados do Mare Nostrum em Quito
Carpaccio de sepia do Il Grotino em Riomaggiore, Liguria
Buffet de pratos típicos do El Salam Concorde no Cairo
Kafta de carneiro assada no café do Mercado de Luxor, Egito
Pernil de bode no Mangai em Natal
E por aí vai ..... rsrsrs ....

Maryanne
MaryannePermalinkResponder

Lula recheada com arroz num restaurante em Cartagena. Toda vez que como lula, lembro daquele prato. Estava tão bom que voltamos no dia seguinte pra repetir e foi ainda melhor que da primeira vez.

Mario Alberto Goto Jr

Sem dúvida pra mim também foi em Lima - Perú! O menú degustação do Chef Gastón Acurio no premiado restaurante Astrid y Gaston é fantástico!

Denise Vieira
Denise VieiraPermalinkResponder

Churrasco no Siga La Vaca de Buenos Aires, apreciando o famoso ojo de chorizo.

Inácio Novaes

Acarajé e vatapá em Salvador, tapiocas e bolos de rolo em Porto de Galinhas! Lembranças que dão até fome...

VAL
VALPermalinkResponder

Gosto de experimentar as comidas típicas de todos os lugares que visito, mas as melhores lembranças são o goulash que comi em Siófok, na Hungria, um gyros que provei em Santorini e um kebab encontrado numa birosquinha de Arequipa.

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

Na América do Sul:
Mendoza é a vencedora, com um almoço maravilhoso na Bodega Ruca Malen (fortemente recomendo). Passei uma semana na cidade e a programação girava em torno de bem comer e bem beber - tudo memorável.

Como alguém citou, também gostei muito de almoçar na Bodega Bouza, em Montevideo.
Dulce de leche é sempre especial na Argentina e no Uruguay.

A culinária peruana me agradou muito: em Cusco fui duas vezes ao Chicha, do renomado Gastón Acurio - explosão de sabores.

Do Chile, lembro de ter curtido a brincadeira literária do "Como água para chocolate" em Santiago (porque eu já amava o livro e o filme) e de ter me surpreendido positivamente com a riqueza dos restaurantes do Atacama (esses eu coloquei no blog).

Na Europa, lembro com saudades dos tapas que comi na Espanha e (me penitenciando por ter sido preconceituosa) lembro com alegria do prazer das comidas étnicas que comi em Londres.

Não sei se era para incluir o Brasil, mas minha menção honrosa vai para o restaurante Santa Clara, em Boipeba (2007). Na mesma ilha sorrio pensando na lagosta da barracad do Guido. A melhor casquinha de siri da vida eu comi quase diariamente por uma semana na beira de uma praia em Itacaré, feita com leite de coco. Gramado também merece aplausos. E se alguém for carnívoro e vier ao Paraná, não pode deixar de provar um belo barreado.

Deu fome.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Acho que eu ficaria entre Peru e Itália. No Peru, pela variedade de ingredientes locais únicos (mil cebolas, batatas, milhos e temperos), pela criatividade das combinações e pelo orgulho que o seu povo tem da sua gastronomia.

E a Itália pelo apreço pela tradição das preparações e das receitas e também pela preferência pelos ingredientes locais de cada região. Nunca vou esquecer do dia em que eu escolhi aleatoriamente um restaurante pequeninho em Florença e provei a minha primeira "massa" italiana, foi quase uma epifania, quando você prova algo tão bom pela primeira vez e sabe que essa sensação tão única que dificilmente poderá ser reproduzida de novo.

Ricardo Costa Lima Corrêa de Araújo

Uma sopa de tartaruga em Antwerpen-Bélgica em 1980.Divina.

Raíssa
RaíssaPermalinkResponder

Engraçado como vivo rodando o mundo para comer, mas a primeira coisa que me veio em mente ao ler a enquete foi o Barreado de Morretes/PR, que experimentei há uns 12 anos... Que delícia!

Zé Luiz
Zé LuizPermalinkResponder

Centollas no Tia Elvira, em frente ao porto de Ushuaia.
Cordeiro no Casimiro Bigua, El Calafate

selma soares manhaes

Gostei muito da comida na republica tcheca!!! Carne de caça. Veado, porco, pato e outros, tudo muito bem temperado com paprika!!!?

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

Adoro experimentar a comida de cada lugar que visito! O primeiro lugar que me veio à cabeça foi Gramado! Para quem vai no inverno, é impossível não voltar com uns 3 quilos a mais: excelentes vinhos, sucos e geléias de uva, sequências de fondues, carnes, massas, o apfelstrudell em Canela, enfim, um sonho! Nas praias do Nordeste também sempre gosto da comida: peixes e frutos do mar sempre frescos, sucos naturais, excelente atendimento e bons preços! Comi muito bem também em Portugal e na Espanha, principalmente em Portugal. Comida farta e com bom custo. Tudo delicioso! E como esquecer dos doces parisienses? Hum! Por falar em doce, não há nada como os doces uruguaios, principalmente o dulce de leche. E a carne argentina, fantástica! E não tenho como deixar de lembrar da comida caseira do interior de Minas Gerais, meu estado querido! Tenho muira vontade de conhecer o Peru e a Itália, dois paraísos gastronômicos.

Damares-Keviagem

É muito difícil saber com exatidão qual o melhor prato experimentado quando viajamos muito e gostamos de degustar a culinária local. Mas comi uma mariscada na ilha de Boipeba na Bahia há mais de 15 anos e não esqueço da danada desde então. Tudo feito na hora com frutos do mar frescos que vi chegar no barco dos pescadores. A espera foi longa, mas valeu a pena.

Victor
VictorPermalinkResponder

Não sou bom de garfo, mas tive uma experiência maravilhosa, e surpreendente, em NYC no "The River Cafe" (fica no Brooklin, bem abaixo da ponte). Atendimento, qualidade do serviço, sabor da alimentação, apresentação do prato, além da vista para o rio: tudo perfeito. Adorei.

Nadia Braglia
Nadia BragliaPermalinkResponder

Um dos pratos inesquecíveis foi o fetuccini alfredo, do Il vero Alfredo Ristorante localizado em Roma na Piazza Augusto Imperatore. Imperdível ver os garçons finalizando a preparação na sua frente.
E não posso deixar de mencionar o panino do Il Due Fratelli em Florença!! Simplesmente delicioso. Come-se um panino de presunto di parma num pão quentinho e crocante por 2,50 euros com uma boa taça de Chianti a 1,80.
Tudo de bom!!!

Karla Maria Corrêa

Para mim, a gastronomia é um dos atrativos da viagem. Eu e meu marido sempre selecionamos alguns lugares especiais para conhecer os sabores locais. Temos várias memórias gastronômicas, mas uma das que mais nos marcou foi na Toscana, em Montelpuciano, na Cantina Gattavecchi, onde a Liliam, uma brasileira de Salvador, casada com um italiano, fez para nós um menu degustação harmonizado com os vinhos que produzem e até hoje esta noite está nas nossas lembranças. Vale super à pena, estando por la, não deixem de ir!

Fernanda Ribeiro

Biryani de carneiro num restaurante de comida paquistanesa que se chama Raavi em North Beach, San Francisco.
Tudo bem, não é comida típica.
Mas foi uma maravilha descobrir aquele restaurante super simples, de gente simpática, com preços ótimos e que servem aquele tipo de comida que te abraça. Consigo até sentir o perfume da masala ao lembrar do prato.

Fernanda Ribeiro

Em BH, um restaurante que não sai da minha memória é o Xapuri, onde comi as melhores costelinhas de porco da vida. A comida é toda preparada no fogão à lenha, com cardápio bem mineiro mesmo.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar