Vôos extras e atendimento a necessidades especiais: os preparativos da Latam para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

Preparativos da Latam para Jogos Olímpicos e Paralímpicos
Já está com ingressos na mão para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016? Como o Comandante disse na semana passada, é um ótimo momento para comprar passagens da Ponte Aérea por um preço razoável. Semana passada a Latam reuniu a imprensa para anunciar os preparativos da empresa para os dois eventos.

Com a perspectiva de atender cerca de 25% do público que vai usar o transporte aéreo para chegar ao Rio, a Latam colocou à venda cerca de 100 vôos domésticos extras para o período da competição, número que pode chegar a 300 durante todo o período dos jogos. A idéia é assegurar conexões em caso de problemas que impactem outros aviões, como atrasos e cancelamentos, queda de sistema (ou mesmo, bata na madeira enquanto lê, contratempos de segurança). Seis aviões ficarão de reserva nos aeroportos mais movimentados do Brasil para assegurar o plano. Uma Central Especial de Controle vai atuar 24 horas por dia durante o evento, a fim de agilizar a resolução de eventuais problemas.

A empresa treinou muitos de seus funcionários para que todas as etapas do serviço possam ser atendidas a contento, seja no aeroporto, na logística interna ou a bordo. Entre outras ações que vão acontecer durante o período está o serviço de bordo simplificado em voos de menos de uma hora: uma caixinha com a bebida e os petiscos servidos estará esperando pelo passageiro em seu assento.

Legado paralímpico

Mesmo depois que todos os atletas, comissões técnicas e turistas deixarem o Rio de Janeiro lá pelo dia 20 de setembro, alguns legados permanecerão. O mais importante deles, provavelmente, é o aprendizado que os funcionários de aeroportos terão adquirido pelo trato com os participantes das Paralimpíadas.

Durante o evento, todo um sistema especial foi desenvolvido para que pessoas com mobilidade reduzida possam seguir com suas cadeiras até a entrada do avião, quando então são transportadas para outra cadeira especial, capaz de passar pelos corredores de qualquer aeronave da Latam. Rapidamente os comissários podem passar as cadeiras para outro grupo, responsável por embalá-las de forma cuidadosa para que sejam transportadas. São as Paralimpiadas, e a quantidade massiva de embarque e desembarque, que criou a necessidade de se desenvolver essa ideia. Ainda que na “vida real” a companhia já transporte em média até 20 mil passageiros com necessidades especiais por mês, a melhora no serviço para esses clientes deve ser sentida no futuro.

As Olimpíadas são consideradas a maior operação logística do mundo. Compare com a Copa do Mundo, que o Brasil sediou em 2014. Seleções e comissões técnicas chegaram a 12 cidades diferentes, algumas vezes até com um mês de antecedência. Os Jogos Olímpicos, porém, recebem ~apenas~ todos os representantes das nações participantes, além de equipes técnicas e famílias de atletas em uma mesma cidade (fora os turistas).

Leia mais:

1 comentário

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Muito empolgada com este evento único.
Todos nós vamos aprender muito.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar