Latam e Azul têm vôos diretos do Brasil para Bariloche em julho e agosto

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Vôos diretos para Bariloche

Viajar do Brasil para Bariloche (e também para El Calafate ou Ushuaia) é uma mina de problemas. Às vezes você não percebe que tem que trocar de aeroporto em Buenos Aires na conexão; outras vezes, tem que pegar vôos de madrugada que estragam o começo ou a volta das férias.

Em julho e agosto, a Latam e a Azul vão oferecer para o passageiro de vôo regular uma experiência que até hoje só quem voou charter pôde aproveitar: voar direto do Brasil a Bariloche durante a temporada de férias, sem precisar fazer conexão em Buenos Aires.

Os vôos diretos da Latam já estão à venda: vão operar toda 6ª, sábado e domingo, com saída de Guarulhos. Os horários são excelentes: o vôo de ida parte às 10h35 e chega às 15h15 em Bariloche -- você não precisa esperar para ocupar o quarto e tem tempo para alugar roupas de neve e já resolver os passeios dos primeiros dias. A volta é às 16h30, com chegada em São Paulo às 20h30 -- dá para aproveitar ainda a última manhã na cidade e almoçar antes de voltar. O horário só não é bom para quem ainda precisar pegar uma conexão para sua cidade de origem.

Os vôos diretos da Azul, por enquanto, estão só no papel: a cia. ainda está na fase de solicitar autorização tanto no Brasil quanto na Argentina. A intenção da Azul é operar a rota todos os sábados, com saída de Viracopos (Campinas). As saídas serão às 9h (puxado para quem vem de outra cidade), com chegada em Bariloche às 13h40. A volta terá decolagem às 14h30 e chegada às 18h40 (um horário melhor do que o da Latam para quem ainda vai pegar uma conexão).

(A propósito: as tais rotas da Azul a Jericoacoara, com saídas do Recife e de Viracopos, prometidas para estrear em abril, ainda não estão à venda. Estranho...)

Se você é adepto da viagem com dinheiro vivo, entenda que ao optar pelo vôo direto você perde a melhor chance de trocar seus reais por pesos pela melhor cotação -- nas agências do Banco de la Nación dos aeroportos de Ezeiza e Aeroparque. Sem passar por esses aeroportos, você vai ficar à mercê do câmbio em Bariloche, que é mais fraquinho do que o de Buenos Aires tanto para reais quanto para dólares. Vale lembrar que, em lugares onde as casas de câmbio não oferecem boas cotações, o cartão de crédito pode levar vantagem até mesmo na ponta do lápis.

Leia mais:

6 comentários

Izabella Zava
Izabella ZavaPermalinkResponder

Eba! Dá até mais vontade de voltar a Bariloche!!!

Angelo Pavan
Angelo PavanPermalinkResponder

Dá mesmo! grin

Tania jaqueiras

Vou julho e não achei voo direto

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tania! Na página de resultados, desabilite a opção 1 conexão. Deixe só a opção 0 conexão.

Jackie Jordao
Jackie JordaoPermalinkResponder

Só acho que esses voos deveriam ficar disponíveis por um período maior, não só julho e início de agosto...

CARLOS GIUNCO
CARLOS GIUNCOPermalinkResponder

Estivemos em Bariloche e La Angostura entre 30 jun até 8 de julho (5 e 3 noites respectivamente), voo direto Azul saindo de Campinas, somos de São José do Rio Preto. O atraso de voos para Bariloche é quase inevitável, o voo VCP/BRC azul não conseguiu pousar e teve que voltar ao Brasil. Convém programar-se e ter um plano B. Aeroporto de Bariloche tem condiçoes precárias para permanecer muito tempo.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar