Despedida de aeroporto (minha coluna de hoje no Estadão)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Ricardo Freire despedida Estadão

Reproduzo aqui a minha coluna de hoje no Estadão. Vocês vão entender por quê smile

Foto | Marco Ferraz

Você deve se lembrar: antigamente, qualquer viagem de avião era motivo para a família e os amigos irem em caravana ao aeroporto para despachar o passageiro. Viagens de avião não eram corriqueiras, e as passagens eram tão caras (sobretudo ao exterior), que só justificavam viagens mais longas. Viajava-se à Europa para passar trinta dias. Ou mais, até: férias se acumulavam, licenças eram tiradas para aproveitar melhor o investimento

(Quando fui pela primeira vez à Europa, há 32 anos, a passagem aérea a Madri custava 900 dólares e uma noite em albergue, 4 dólares. Hoje de vez em quando aparecem passagens com o mesmo preço de 1985, mas uma cama em hostel custa pelo menos oito vezes mais.)

Levar o viajante ao aeroporto não era só uma questão de consideração. Era saudade antecipada, mesmo. Viajar trinta dias significava ficar trinta dias praticamente sem comunicação com os mais chegados. Telefonemas eram feitos só em caso de emergência – a não ser que você recebesse a dica de algum um orelhão com defeito de onde se fazia ligação internacional com ficha local.

As notícias eram enviadas por cartões postais, e chegavam ao Brasil depois do viajante. Comecei a escrever sobre viagem no dorso de postais, durante um mochilão de quatro meses pela Europa. Comprava um bolo de postais, sentava num café e ia escrevendo minhas impressões sobre o lugar. Os melhores insights de um cartão eu acabava repetindo no cartão seguinte, e quando chegava no último postal, o texto estava tipo assim digamos quase praticamente ótimo.

Havia também a Posta Restante, algo que hoje só resiste naquele verso de ‘Futuros Amantes’, do Chico Buarque. Amigos e familiares podiam mandar cartas em seu nome para as agências centrais dos Correios de qualquer cidade. Sim: eu já fui à agência dos Correios no Louvre e perguntei: ‘Tem carta pra mim?’. (E tinha.) Em Amsterdã, recebi uma fita cassete com a voz da família inteira – e uma gravação, direto da TV, da Fafá de Belém cantando o Hino Nacional na reportagem sobre o funeral do presidente Tancredo Neves.

Hoje as pessoas pensam duas vezes antes de pegar trânsito ou encarar a muvuca de aeroporto. A falta de comunicação durante a viagem não existe mais: além de abarrotar o Facebook e o Instagram de fotos durante as férias, os viajantes hoje continuam 24 horas conectados ao WhatsApp. Ninguém mais espera que seus amigos se abalem até o aeroporto para se despedir. A não ser em situações especiais.

Pois bem, querida leitora, estimado leitor. Trouxe vocês até o aeroporto porque, depois de 8 anos, estou de partida deste espaço no Estadão. Preciso de mais tempo para meus projetos pessoais e, com tristeza, tenho que me despedir. Muito obrigado, não só pela companhia, como também pelos excelentes quebra-cabeças de viagem que vocês me deram a chance de solucionar. Me diverti muito e aprendi muitíssimo nessa convivência. E tenho certeza de que, como bons viajantes do século 21, vamos continuar em contato. Boas viagens!

Agradeço a Adriana Moreira, Mônica Nóbrega, Carla Miranda, Bruna Toni, Felipe Mortara, Bruna Tiussu, Camila Anauate e a todos os colegas do caderno Viagem que durante esses oito anos editaram meus textos com o maior respeito. Foi uma delícia trabalhar com vocês.

Leia mais:

58 comentários

José Luiz
José LuizPermalinkResponder

Sucesso na nova empreitada!

Ricardo Freire

É tudo por aqui mesmo, José Luiz!

Hugo
HugoPermalinkResponder

Perdem o Estadão e seus leitores. Mas continuamos conectados e acompanhando, aqui, as aventuras da boia mais querida do Brasil.

Ricardo Freire

Não me faz sentir culpado, Hugo!

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Que excelente texto! A Posta Restante é uma ótima lembrança, e me diverti recordando os orelhões alemães antigos, onde com uma moeda você tinha direito a no máximo 4 segundos de tempo, para informar à familia no Brasil que continuava vivo...
Sem Internet, a fonte de noticias sobre o Brasil era um Jornal do Brasil velho, com notícias de 10 dias atrás, surrupiado de lojas da Varig ou pedidos em Embaixadas brasileiras pelo mundo. E o vôo para Europa dos mochileiros era pelo 707 jurássico da Lineas Aéreas Paraguayas, rota Assunção-Madrid com uma escala sempre problemática em Dacar, no Senegal. É bom destacar que a criticada LAP nunca sofreu um acidente.
Enfim, vou sentir saudades da sua coluna do Estadão, onde utilizava meu enorme limite de ler 10 textos por mês. Muito sucesso nos projetos futuros!
Mas nem pense na possibilidade de deixar orfãos a todos os tripulantes que estamos por aqui, OK? Grande abraço!

Ricardo Freire

Neftalí, os projetos futuros são aqui mesmo no Viaje na Viagem, tô saindo do Estadão justamente pra ter mais tempo pra cá. Abraço!

(Esse meu vôo de 1985 foi com a LAP, também. Na ida o itinerário era Assunção-Recife-Madri; peguei em Recife. Na volta foi Madri-Assunção-São Paulo.)

Ciro Torres
Ciro TorresPermalinkResponder

Boa sorte! Saiba que sempre acompanharei suas dicas de viagem! Pois você nunca nos coloca em furada e dá dicas para os com grana e os sem grana, como é o caso de um professor com eu! Abraços e boa sorte nos novos projetos!

Ricardo Freire

Ciro, os novos projetos são aqui mesmo smile

Ana claudia
Ana claudiaPermalinkResponder

Adoro ler o que voce escreve.
Continuo sua fa.
Boas viagens pra todos nos!

Aurea
AureaPermalinkResponder

Hoje fico triste e um pouquinho órfã. Despedida de aeroporto???? Ricardo.....já fiz tantos roteiros por vc.recomendado e agora???? Está saindo mesmo do Estadão?? Preparo minha próxima viagem pela Costa Amalfitana e Andaluzia , em setembro, totalmente fechada pelo seu roteiro. Me dê dicas de onde você estará para não perdê-lo de vista. Obrigada, muito obrigada, parabéns pelo trabalho e seja feliz!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Bom, tenho certeza que os leitores do Estadão serão sempre muito bem vindos por aqui... Só vão perder contato se quiserem! wink

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

É, meu amigo ( desculpe a intimidade) ...

É a inexorável tendencia da perda de importância da grande midia para a valorização da geração de conteúdo proprio!
Não se sinta culpado, não: rapidinho os seus leitores off-line vão descobrir as vantagens de navegar aqui pelo VnV!!!

Diogo - Cumbicão

Riq,
Belo texto!
Voltei à década de 80 quando íamos levar e buscar meu pai que viajava bastante a trabalho.
Era mesmo um evento familiar e acho que daí que peguei o gosto pelas viagens e aeroporto.
Abraço.

Yara Xavier
Yara XavierPermalinkResponder

A última vez que fui ao aeroporto para uma despedida foi para embarcar minha filha, então com 16 anos, para fazer um intercâmbio. Hoje ela tem 32! A vida é assim mesmo: a gente vai, a gente volta, e escolhe o melhor caminho. Que seus leitores do Estadão sigam você por aqui, ora pois.

Manu Tessinari

Fui lendo no seu texto a reprodução perfeita da minha primeira viagem internacional há mais de 20 anos... Sucesso sempre Rio! E pode deixar que a gente vai onde o comandante nos levar! wink

Henrique
HenriquePermalinkResponder

Vai continuar sendo um prazer viajar com vc Riq, onde quer que esteja. Suas matérias e dicas elevaram minhas viagens a outro nível, hoje todo mundo quer viajar comigo, graças a vc !
E o Freire's de papel continua aqui na minha estante, para não deixar esquecer quando tudo começou. Parabéns e boas viagens !!!

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Parabéns por esses 8 anos de Estadão! Vai deixar saudades ...
Que seus novos projetos continuem nos levando para mais longe!
Bjks

Vivis
VivisPermalinkResponder

Peraí!!! Deixa ver se entendi... o VNV continua? pois sem você aqui ficarei órfã!!!!! Foi ouvindo vc na BandNews que te conheci, que conheci o VNV e foi por aqui que aprendi a dar meus primeiros passos e planejar minha primeira viagem. Hoje planejo as minhas, as dos meu pais (acabei de fechar o roteiro deles de gramado todinho com base nas duas super dicas). o VNV é o primeiro blog

Ricardo Freire

Vivis, eu saí do Estadão justamente para ter mais tempo para o blog. Transcrevi o texto integral da coluna, ficava chato fazer propaganda do blog, por isso não fui tão explícito. Estamos preparando novidades por aqui.

Vivis
VivisPermalinkResponder

continuando, vcs são o primeiro blog que recomendo quando pedem uma dica. Falo logo: vc já procurou no VNV? lá sempre tem dica!!!
não suma!!!!

Estevam Pelo Mundo

Muito bom o texto! Lembro quando eu era criança e ir ao aeroporto era quase um EVENTO! Hehe sucesso na nova fase Ricardo!

Martinha Andersen

Esse texto trás ótimas lembranças de um tempo que infelizmente não volta mais.
Suce$$ão na nova jornada Comandante.. Estamos acompanhando e na torcida!
Bisous =)

Flavio Bitelman

Parabens Ricardo. Sucesso hoje e sempre

Fernanda Leite de Barros

Parabéns pelo seu texto, sempre de excelente qualidade,Ricardo. Lembro-me muito bem dessa época dos cartões postais e da falta de comunicação , tão estranha nos dias de hoje , mas que de uma certa forma enriqueciam nossas vivências turísticas . Cartão postal hoje só pra emoldurar e decorar a sala , como fiz com quatro detalhes do David de Michelângelo que comprei no L'Academia , em Firenze. Boa sorte e escreva muito pra gente.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Deliciosa e terna despedida para cumprir e levar a cabo um projeto novo e uma nova viagem....

Kamila
KamilaPermalinkResponder

Você escreve bem demais! Admiro muito !!!!!

Alberto G. Martins

Pra onde mando seu postal de boa viagem, ops, boa sorte?
Que continue a viajar e compartilhar conosco seus sempre excelentes textos. Bon voyage!

Nina
NinaPermalinkResponder

Acompanhei sua coluna semanalmente no Estadão, vamos sentir saudades!! Ainda bem que tem o VnV!!! Sucesso!! Abs

Edson
EdsonPermalinkResponder

Belo texto e ótimas lembranças (posta restante!!!). Ganhamos nós que somos fãs do VnV e vamos ter mais do seu tempo.
Boas novas viagens.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Aprendi com os anos a nāo sentir saudades.
Mas fico aqui ansiosa aguardando as novidades , que sempre são ótimas!

RABUGENTO
RABUGENTOPermalinkResponder

Não leio jornais há muitos anos.

Eu sentirei falta no dia que você não estiver mais no VNV.

Boa sorte!

Gabriel Britto

Já minha experiência com correspondência no exterior foi mais moderna: meus pais me enviaram UM DISQUETE com um vídeo deles dando oi e aquela coisa toda. =)

Boa sorte no tempo extra no VnV!

Ivete Reiko Kadouaki

Eu não preparo uma viagem sem consultar o VNV, pois tem dicas importantes e práticas. Sempre indico o blog para amigos iniciantes nessa aventura que é uma viagem e seus preparativos. É uma perda para o Estadão, desejo SUCESSO nessa nova fase!! Muitas viagens felizes na nossa vida...

Isabela
IsabelaPermalinkResponder

Texto maravilhoso como sempre Riq! Continue postando suas crônicas aqui no VnV!

JB
JBPermalinkResponder

Grande Riq, parabéns pelo período no Estadão, mas tenho certeza de que os leitores (novos e antigos) irão gostar muito das novidades no blog. Aguardo ansioso por elas!

Carlos Gouveia

Cada vez menos motivos para se ler o Estadão...

Val
ValPermalinkResponder

Apesar de estar sempre aqui, vou sentir saudades de te ler no papel!

aguardo as boas novas!

Elton Figueiredo

Que texto bom de ler! Esse ritual da família toda indo ao aeroporto ainda acompanha as primeiras viagens, que ainda são uma espécie de "novidade" pra alguns brasileiros...rs

Muito sucesso na nova fase, Ricardo. Sou muito fã do seu trabalho e tenho você como inspiração pro blog que eu criei.

Abraços!

Vladimir
VladimirPermalinkResponder

Sucesso sempre Comandante!!!
Manda Brasa!

Claudia Matoso

Riq e seus excelentes textos, como sempre!
Lembrei aqui de uma viagem dos meus irmãos, que chegaram no destino e não deram notícia (temos por regra, depois de se instalar no hotel, ligar pra mãe pra dizer que está viva, que o avião não caiu, que vc não foi assaltada ou morta no caminho entre o aeroporto e o hotel, etc. smile ). Para acalmar a mãe, tive que ligar para o hotel pra saber dos dois. Imagina o susto deles, lá do outro lado, recebendo uma ligação de casa! Já hoje, as notícias são dadas via FaceTime, inclusive, mostrando ao vivo as belezas de onde vc está!

Anna Francisca

Novidades por aqui? Aguardamos ansiosos.

Silvana Zioni
Silvana ZioniPermalinkResponder

Ricardo Freire e suas dicas infalíveis, v vai continuar sendo um excelente companheiro de viagem, em qualquer midia, e independente de midias que ainda acham que Aeroportos só podem ser frequentados por 'gente bonita'...

Carol Borges
Carol BorgesPermalinkResponder

Querido mestre (você não me conhece mas é assim que eu falo de você sempre que falo de viagens com qualquer pessoa),

Como boa viajante do século 21 (nasci em 1987, então comecei a viajar com mais frequência em 2011, já empregada e com internet acessível), fico feliz de saber que o Viaje na Viagem, que já é excelente, receberá ainda mais dedicação.

Graças a esse blog estou fazendo uma coisa impensável para alguém que ama planejar viagens: vou deixar meu namorado planejar uma viagem surpresa para nós, sem saber nem o destino! A condição? Seguir as dicas do Ricardo Freire. Desse jeito tenho certeza que estaremos bem orientados!

Obrigada por tudo!

Carol

elizabeth ramos pessoa

Despedidas e recepções em aeroportos eram sempre ocasiões felizes. Cartões postais mostravam as belezas dos locais e compartilhavam em poucas linhas, aventuras e alegrias. Felicidade para quem escrevia e para quem recebia.

Silvia Andrade

Amei cada linha, cada espaço e cada vírgula... Sobra a constatação de que o tempo passou... vivi o tempo da caravana familiar no aeroporto (me contaminei desde lá... adorava a ideia). Podia ter sido lançada na adolescência nos intercâmbios (conservadores, meus pais nunca pensaram nessa hipótese) e não aconteceu. Fui começar só quando comecei a trabalhar e nunca parei... viajar é vício... o melhor vício que conheço ...

FABIANA
FABIANAPermalinkResponder

Oba!!!! Teremos mais Riq para nós!!!! Lindo texto!

Marcia Maria Luisa Scandura

Mas estaremos sempre juntos aqui, certo, Ricardo?
Seu trabalho é único, completo, incansável.
Parabéns!!!

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Riq, lindo texto!
Ansiosa pela novidades aqui!

Camila
CamilaPermalinkResponder

Que delícia de texto, parabéns!!! Desejo a você ainda mais sucesso, e aguardo ansiosamente as novidades por aqui...rs. Grande abraço, Ric!

Rúbia Pascoal

Se o VNV já era ótimo, imagina agora!

Ricardo, muito sucesso em seus novos projetos! Fiquei feliz em saber que serão aqui... Seu blog é fantástico! Ansiosa pelas novidades e torcendo muito por você... Muito sucesso!

Esses dias pensei no quanto suas dicas têm sido valiosas e senti vontade de trazer uma lembrança da minha viagem para você. Aí pensei "como vou entregar?"... Então pensei que você podia promover encontros de viajantes. Seria demais! =)

Deoclécio Oliveira Franco

Fico triste pela sua saída do Estadão pois, como bom "sessentão", ainda prefiro leitura impressa no papel. Porém é animador saber que sua saída deva-se à intenção de aperfeiçoar ainda mais seu VnV, já por demais valioso para todos nós amantes de viagens.

André
AndréPermalinkResponder

Texto delicioso, como sempre! Caso algum dia eu me torne o que Tancredo quase foi, será obrigatório em todas as escolas primárias lerem seus textos!!

Riq, tenho sentido falta dos seus textos também na revista da Gol (ou eu que estou com déficit de atenção e não achei?Rs). Na Band News, espero que as colunas continuem. E por aqui também, lógico!

Ricardo Freire

André, da revista da Gol eu resolvi sair depois de um desentendimento com um novo editor. Mas de todo modo acabaria saindo agora pelo mesmo motivo da saída do Estadão -- falta de tempo e superposição de conteúdo...

Zé
PermalinkResponder

Boa sorte, Riq!
Bezitos ?

Karla Maria Corrêa

Adorei o texto, também me fez lembrar a minha primeira viagem a Europa, fiquei 30 dias e a família foi toda levar e buscar no aeroporto. Se é para aumentar ainda mais, se é que tem jeito, a qualidade do VNV, foi bom! Também aguardo as novidades, boa sorte sempre, não viajo sem passar por aqui.

Nety Castro
Nety CastroPermalinkResponder

As suas impressões e dicas dos lugares são as melhores. Sigo todas, não tem erro.
Desejo muito sucesso no seu novo projeto.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar