Passaporte: deixar no hotel ou andar com ele? (E como proceder se você perder o seu)

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

Andar com passaporte

Texto | Hugo Medeiros

Devo andar com o meu passaporte ou posso deixar no hotel?

Um dos maiores medos de um viajante é perder o passaporte ou ter o documento furtado/roubado. Esse tipo de situação desencadeia dores de cabeça de proporções apocalípticas (um pouco exagerado, mas não muito), podendo colocar em risco toda a viagem.

Para tentar minimizar os riscos, uma medida muito sugerida consiste em deixar o passaporte original no hotel e levar consigo uma fotocópia. E eu mesmo fiz isso em diversas oportunidades.

Mas mesmo depois de algumas viagens, confesso que ainda tinha dúvidas se o meu procedimento estava correto, ou se teria problemas caso fosse abordado por um policial e não estivesse portando o passaporte.

Diante disso, para sanar as dúvidas, escrevemos para o consulado de alguns dos países mais visitados pelos brasileiros, e vamos compartilhar com vocês as respostas que obtive.

É importante destacar que cada país tem autonomia para tratar do assunto da forma como melhor entender. E mesmo assim, a autoridade policial, que estará em contato com você, é quem, naquele momento, tem a palavra final sobre o assunto. Por isso, nunca se esqueça de ser respeitoso e tentar atender às solicitações da melhor forma possível.

O que dizem as embaixadas

Das embaixadas que consultei, Japão, Espanha e Alemanha foram peremptórias: estrangeiros precisam portar o passaporte original o tempo todo. No Japão você pode ser multado se não portar o passaporte original.

A embaixada da França foi vaga, mas remeteu para um link onde é previsto o controle de documentos e permissão de permanência em lugares públicos.

A embaixada dos Estados Unidos informou que não existe uma regra para isso, e que você pode se locomover pelos Estados Unidos portando seus documentos da maneira que julgar mais apropriada. Caso seja abordado por alguma autoridade, você deverá proceder de acordo com o que lhe for pedido.

E agora, o que fazer?

No geral, a aceitação da fotocópia depende do entendimento da autoridade que abordar o turista. Mas nos parece extremamente improvável que um turista seja detido apenas por não ter apresentado o passaporte original.

Cabe a cada um avaliar o que é mais seguro, levar o passaporte consigo ou deixar guardado no hotel.

Um fator importante a ser considerado é o tipo de hotel em que se está hospedado. Isso porque locais mais simples, como hostels, tendem a oferecer mais riscos do que estabelecimentos de luxo, onde o fluxo de pessoas normalmente é limitado e controlado por câmeras.

Caso opte por sair à rua com o passaporte, lembre-se de guardar o documento num lugar seguro junto ao corpo, não deixando em bolsas e mochilas que podem ser esquecidas ou facilmente furtadas num momento de desatenção.

Particularmente, com base nas respostas dadas pelos consultados e considerando o meu receio quase patológico de ficar sem o passaporte, vou continuar deixando o original no hotel, guardado no cofre ou trancado dentro da mala, e levando comigo apenas uma fotocópia.

Ainda acho mais provável eu ser furtado/roubado na rua, ou esquecer o passaporte durante um passeio, do que acontecer algo no hotel.

No entanto, cada um deve adotar aquele procedimento que lhe for mais confortável.

Vou continuar deixando meu passaporte no hotel
(Ricardo Freire)

  • Achei sensacional esse trabalho do Hugo. Excelente advogado que é, ele foi à campo para confirmar se a clássica orientação de deixar o passaporte no hotel e andar com uma fotocópia -- que é a estratégia que recomendamos aqui no Viaje na Viagem -- tem respaldo legal.
  • Pelo jeito, não tem. Atentas à letra da lei, as embaixadas consultadas (com exceção da embaixada dos Estados Unidos) afirmaram que portar o passaporte original é indispensável. E agora?
  • Agora, cada um segue a sua paranóia. Se você tem paranóia de ser parado por um policial na rua sem motivo nenhum, ande com seu passaporte. Já a minha paranóia é igual à do Hugo: a de ser vítima de furto ou simplesmente perder meu passaporte de bobeira.
  • A paranóia do furto faz mais sentido. A probabilidade de um mão-leve deixar você sem passaporte na Espanha é exponencialmente maior do que a probabilidade de um carabinero espanhol parar você na rua por nenhum motivo. Os danos das duas situações são também desproporcionais: o mal-entendido de estar sem passaporte na rua pode ser resolvido em poucas horas, e você terá perdido apenas um dia de viagem. Já o furto ou extravio de um passaporte causa uma dor de cabeça de dias, que pode acabar com o seu planejamento de viagem.
  • Na minha opinião, para evitar um risco bastante remoto (ser parado por um policial sem ter feito nada ilícito) não vale a pena correr um risco muito mais provável (ser vítima das gangs de batedores de carteira que proliferam na Europa e América Latina).
  • A propósito, vale lembrar que existe um golpe na Europa (e também na América Latina) executado por meliantes que se dizem policiais à paisana, pedem para ver seu passaporte e... tchau, passaporte.
  • Evidentemente, se você for dirigir um carro vai precisar estar com o seu passaporte o tempo todo; ele é a identidade que dá lastro à sua carteira de motorista. Caso você seja parado por um policial, é bastante provável que ele queira ver também a PID (permissão internacional de dirigir), mesmo que a carteira internacional não tenha sido exigida pela sua locadora. (Nos Estados Unidos, porém, a PID não é nem reconhecida.)
  • À luz da pesquisa do Hugo, vou acrescentar mais uma situação em que portarei passaporte: nos passeios bate-volta, quando estarei longe demais do hotel para provar que sou turista em situação regular no país.
  • Eu faço viagens internacionais há 32 anos. Tive um passaporte furtado na Espanha 29 anos atrás. Há pelo menos 25 anos deixo meu passaporte sempre no cofre do hotel. Nunca tive problemas. Só precisei mostrar documentos para policiais quando estava ao volante.
  • Por isso, eu peço: não pergunte o que a gente faria no seu lugar. A minha opinião está neste box. Se você não concorda com ela, não precisa seguir. Eu juro que não fico chateado.

Perdi o meu passaporte. O que fazer?

Por mais desesperadora que seja a situação, o importante é manter a calma.

Antes de qualquer coisa, registre um Boletim de Ocorrência perante a autoridade policial do local. E neste momento uma fotocópia do passaporte ou uma foto no celular serão importantes, pois você precisará fornecer os dados do documento.

Em seguida acesse o Portal Consular (clique aqui), do Ministério das Relações Exteriores, e preencha o formulário solicitando o novo passaporte.

Imprima o recibo e leve ao Consulado onde o pedido será processado.

Lá você terá que pagar uma taxa, e o passaporte ficará pronto em alguns dias.

Outra opção é solicitar uma Autorização de Retorno ao Brasil (ARB), que é gratuita e emitida na hora. Com ela você pode embarcar no avião de volta ao nosso país.

O principal problema é que os eventuais vistos terão que ser solicitados novamente. Por isso, se você está na França, e de lá iria para os Estados Unidos, precisará procurar a embaixada americana e adotar as medidas necessárias para obtenção do visto em seu novo passaporte.

Obrigadíssimo, Hugo!

Leia mais:

131 comentários

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Eu também nunca ando com passaporte (vamos combinar, aquele caderninho é um saco de carregar, e depois de um dia inteiro de camelagem qualquer 10 g PESA). Sempre ando com outro documento - a carteira de motorista é plenamente aceita nos EUA e em vários outros lugares, até naqueles museus que você tem que deixar um documento depositado pra pegar uma audioguia ou coisa parecida. A única vez que fui parada foi na Espanha, dirigindo - e aí o problema era que eu tinha esquecido a documentação do veículo no hotel em Ávila em um bate-e-volte a Segóvia, e não a carteira de motorista, devidamente mostrada e aprovada.
Resumindo: sou da corrente do Riq e do Hugo, yey!

Mário Augusto

Eu também não ando com o passaporte, somente com a cópia. Mas tive que voltar ao hotel para pegar o documento quando uma casa de cambio solicitou o passaporte. Então se vai comprar moeda é bom levar o documento.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mário Augusto! Também costuma ser pedido em alguns países na compra de chip (simcard).

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Excelente matéria, Hugo, obrigada!
Só um pequeno detalhe: no Japão, os preços dos produtos aparecem sem imposto. Normalmente, em compras acima de 5000 iênes (cerca de US$ 50) nós recebemos isenção do imposto que é acrescido no caixa, na hora do pagamento. Porém, a isenção só será possível se você apresentar o passaporte.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Até hoje só fui parado uma única vez por um policial. Foi em Filadélfia no ano de 2008.

Mas ele não quis ver o passaporte. Ele só perguntou se íamos no Museu de Arte de Filadélfia, e nós respondemos que não (a grana estava curta).

Então ele, que era sócio do museu, nos deu dois ingressos gratuitos e disse que não podíamos ir embora da cidade sem conhecer esse lindo Museu.

Paula
PaulaPermalinkResponder

Adorei! Um policial de alma sensível smile

Andrea Raminelli

Seguindo a regra da minha paranoia, sempre deixo no hotel e nunca tive problemas. Já mostrei a minha identidade brasileira em vários países (EUA, Holanda), sem problema algum. Nunca fui parada aleatoriamente por autoridade policial na rua.

Pedro
PedroPermalinkResponder

Meto ele na doleira e pronto. Me dá vertigens quando coloco a mão lá e não o sinto de imediato. Em um bolso de mais fácil acesso deixo uma cópia para o caso de ser abordado na rua por alguma autoridade.

Daniela
DanielaPermalinkResponder

Ano passado parei para pedir informação a um policial na estação de trem de La Spezia (estava sozinha) e ele perguntou de onde eu era, se era da Bielorrússia (??), e depois pediu para ver meu passaporte. Quando viu que era brasileira, deu um grande sorriso, mas entrou na salinha dele, conferiu algo no computador e retornou com meu passaporte e a informação que eu havia pedido. Não sei o que teria acontecido se estivesse sem o passaporte ou só com a cópia, mas desde então prefiro não arriscar e carrego sempre o original comigo na doleira.

Larisse
LarissePermalinkResponder

Eu tiro um cópia do passaporte colorida, em tamanho reduzido e emplastifico. Ando com esta "carteirinha" por todos lugares e em geral sempre é aceita. Exceções: comprar bebida alcoólica em um jogo de basquete nos EUA e entrar em um cassino na França.
Tirando estes dois momentos isolados, minha carteirinha/ passaporte sempre foi bem aceita.

Larissa
LarissaPermalinkResponder

Eu também! Minha maior frustração de viagem foi não poder entrar no famoso Cassino MonteCarlo em Mônaco porque não estava com o passaporte! No outro dia tentei ir novamente, com o passaporte, mas choveu tanto que não consegui ir! sad
Realmente essa é uma dica e tanto: Em lugares onde só maiores de 18 podem entrar ou beber, sempre é bom ter o passaporte.

Philipp Muller

Certa vez esquecemos nossos passasportes na gaveta de um armario em um hotel no Mexico e somente notamos depois de viajarmos 300km. Voltamos na manha seguinte e felizmente estavam no mesmo local, desde entao o nivel de paranoia sempre foi alto e sempre deixamos no cofre (quando disponivel) ou bem cuidado quando precisamos, basicamente siguimos o que e' recomendado aqui.

Em certos locais nos EUA (Chicago por exemplo) carteira de motorista brasileira nao e' aceita, vi diversas vezes pessoas que obviamente tinham idade para entrarem em bares nao poderem por nao estarem com documentos validos, mas isto varia de estado para estado.

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Foi mencionado aqui, mas acho importante reforçar que escanear (ou fazer foto de boa qualidade) de passaporte e cartões, e deixar guardado no email, Dropbox, Google Drive, iCloud ou o que for, é uma providência extremamente útil em caso de furto ou perda. É uma recomendação que eu faço a todo viajante de primeira que me pergunta.

Bárbara
BárbaraPermalinkResponder

Eu tive o desprazer de perder o passaporte do meu marido em NYC na última noite que passávamos lá.
Foi uma das piores noites da minha vida. Na manhã seguinte corremos ao consulado e conseguimos a autorização de retorno e então pudemos registrar o BO e retornar.
Desde então, passaporte fica no cofre!

SergimPeninha
SergimPeninhaPermalinkResponder

Permita-me dar meu ponto de vista divergente: Em tempos de Trump e ISIS, de atentados e medidas de segurança redobradas, andar sem um documento oficial (mais difícil de ser contestado) é um risco desnecessário e até mesmo dar sopa pra muito azar. Já fui parado em metrô na França por membros da força nacional e me sentí aliviado em ter comigo o livrinho incômodo. Se você é multilíngue, safo de tantas viagens na bagagem talvez tenha mais capacidade de manobra. Faço tudo que disseram aqui, fotocopia, levo outro documento, mando pra nuvem, pego endereços e telefones das embaixadas brasileiras no local, mas não saio sem minha pequena bíblia.
Peninha

Norma Abelaira Paz Teixeira

Sempre fantásticos esclarecimentos. Este site é demais. Tenho uma dúvida: tem circulado na internet que os cofres dos hotéis podem ser abertos com facilidade por qq pessoa. Alguém sabe se realmente é verdade? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Norma! Apenas se hotel for relapso e não mudar a configuração-mestra. É um risco que existe, mas é mais bem baixo do que o risco de ser furtado na rua.

Eduardo Andrade

Faça o teste antes de copiar, testei o 000000 em um hotel best Western em Paris e abriu o cofre, risco por risco preferi a minha mala, mesmo conhecendo o truque da esfereográfica para abrir ziper.

Andrea marques

Meu marido anda com os nossos passaportes na doleira o tempo todo. Ele não confia nos cofres de hotéis. Nunca fomos pedidos pra mostrar os passaportes fora de situações comum como alugar um carro. Mas ele se sente mais seguro com o passaporte bem colado ao corpo, diz que até sente falta quando voltamos pro Brasil.

Marcie
MarciePermalinkResponder

Não ando com passaporte em nenhuma instância. Jamais. Faço parte do time dos paranoicos.
Via de regra, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, mesmo que você for parado pela polícia, você tem 24h para apresentar documentos.
E eu discordo do Philipp: aqui nos isteites eles aceitam a carteira de motorista brasileira como um primeiro documento, sim. Já aconteceu várias vezes com a Julie.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcie! Exatamente! A gente tende a raciocinar como cidadão de país autoritário, achando que se for pego sem passaporte vai sofrer um tratamento à la Expresso da Meia Noite em países da Europa ou nos Estados Unidos...

Paula
PaulaPermalinkResponder

Em 2012, fui impedida de beber uma cerveja num bar em Boston porque só tinha comigo a CNH brasileira e a cópia plastificada do passaporte... E o segurança do bar ainda me mandou nunca mais sair do hotel sem o passaporte.

Philipp Muller

Marcie, em NYC funciona sim, mas em Chicago, Boston e LA ja tive problemas, por isto que disse que depende de estado para estado wink

Inclusive em Chicago eramos instruidos pela universidade para carregarmos nossos passaportes e eu odiava fazer isto quando ia para festas/bares mas se nao fizesse ficava de fora...

Daniel Melo
Daniel MeloPermalinkResponder

Quase fui barrado na entrada de um show em Seattle por não estar portando o passaporte original, mas sim a cópia colorida. O gerente da casa deixou que eu entrasse porque, segundo ele: "claramente você é maior de 21 anos". Mas ele ressaltou para mim que o porte do passaporte original era mandatório no estado de Washington.
Na mesma viagem desci para Oregon e Califórnia e perante esta experiência anterior, não deixei de estar sempre com o original em mãos. Sugiro que, no caso dos EUA, avalie-se as leis de cada estado a se visitar.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Daniel! O seu RG bastaria em 99,9% dos lugares. Veja bem: você conseguiu entrar com a cópia...

Danilo Confessor

Depois de ler a matéria e os comentários, fiquei com uma dúvida. Acontece, nos EUA, de estarmos com dois passaportes, o válido e outro, com o visto. Nesse caso, acho que dá pra fazer um meio termo e andar com um dos dois. Qual vocês acham que seria mais importante pra circular pela cidade, o com o visto, ou o válido?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Danilo! Se existe um lugar onde você não precisa andar com passaporte, e isso foi explicado com todas as letras pela embaixada, é nos Estados Unidos. Use sua carteira de identidade brasileira na rua.

RABUGENTO
RABUGENTOPermalinkResponder

Cópias coloridas dos documentos deixo no cofre dos hotéis.

Passaporte no bolso fundo dianteiro da calça ou na "doleira".

NUNCA no bolso da camisa, mochila ou bolsa!

Carolina
CarolinaPermalinkResponder

As minhas viagens são sempre low cost, nunca tem cofre no hotel, sempre carreguei comigo. Sempre sempre sempre! Vira tão parte do corpo que quando volto para casa sinto falta da barriguinha!

Gabriel Britto

Uma sugestão para quem preferir deixar o passaporte no hotel (que é o meu caso, salvo em momentos muito específicos): além da carteira de identidade brasileira, carregue sempre um cartão do hotel.

Caso você seja parado, o cartão é um meio fácil para o policial verificar se você está hospedado lá mesmo e confirmar que você é turista. Isso funcionou comigo até no Irã, quando fui parado por um representante da polícia mais linha-dura do país que estava desconfiado de que eu havia feito fotos de um quartel deles. A tendência, portanto, é que funcione ainda melhor em lugares mais livres. wink

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Linda história!

Marcela Sousa
Marcela SousaPermalinkResponder

Compartilho do pavor universal de perder o passaporte... hahaha

Deixamos sempre no hotel, escondido dentro da mala. Confio mais do que no cofre. E sempre andamos com o nosso RG original, sempre apresentamos ele e a única vez que tivemos problema foi em Chicago em um restaurante. Pedimos um drink, o garçom pediu o documento pra saber a nossa idade (e claramente temos mais de 21... hahah) e ele não aceitou o RG. Ficamos sem o drink, mas foi só isso... Todas as outras vezes que apresentamos aceitaram. Inclusive pra fazer check in em hotel, uma vez nos EUA a recepcionista até mostrou pra gente que ela tem uma maquininha de UV onde ela coloca o RG e ele "brilha" nos dispositivos de segurança, mostrando que é um documento original.

Rogério
RogérioPermalinkResponder

Uma dúvida... Vcs dizem levar uma cópia e deixar o documento original no cofre. Mas é uma cópia simples, autenticada... Minha dúvida é se irão aceitar uma cópia caso uma autoridade te solicite. Quando viajei meu passaporte ficou o tempo todo grudado em mim.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rogério! No exterior a autenticação não faz nenhuma diferença.

Nati S.
Nati S.PermalinkResponder

Fiz intercâmbio em Barcelona em 2009-2008. Antes do meu documento de identidade espanhol chegar, eu andei durante uns 3 ou 4 meses com a cópia plastificada colorida do meu passaporte. Nunca tive nenhum problema. Inclusive fazia compras com meu VTM e os vendedores e caixas sempre pediam pra ver a identidade. O único lugar onde não me deixavam usar o cartão sem o documento original era no Carrefour! E felizmente não tive nenhuma oportunidade de mostrar identidade pra policial nenhum smile

E seguindo a mesma linha, quando viajo, nunca ando com o passaporte e sempre deixo no lugar onde estiver hospedada. Aliás, polemizando um pouco o tópico, haha, não uso doleira nunca. Acho um hábito meio antiquado (da época que se viajava com muito dinheiro ou travelers checks) que muita gente não questiona hoje em dia. Acho muito desconfortável fazer voo de 11hs com um retângulo duro na barriga. Sempre levo e levei o passaporte na minha bolsa e nunca (bate três vezes na madeira) tive problema algum.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Temos usado copia plastificada ( tamanho cartao d credito) frente e verso para usar na carteira. Dá tão certo que até fizemos compras em free shop com a cópia do passaporte smile

Deborah Reimer

Roubaram meu passaporte em.Berlim ano passado e em questão de duas horas estava com o passaporte novo nas mãos.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Deborah! Parabéns. Mas não ajude a passar a idéia que isso vai ser tão fácil em todos os lugares.

Jorge
JorgePermalinkResponder

Em 2010 fui parado por dois policiais de bicicleta em Londres, no bairro Notting Hill. Eu estava escolhendo lugares para fazer fotos, e eles acharam meu comportamento estranho. Perguntaram de onde eu era e pediram meu passaporte. Mostrei-lhes a cópia e expliquei que o original estava no hotel. Aceitaram bem, apenas me perguntaram em que hotel eu estava e pediram que mostrasse as fotos na câmera. Explicaram que aquela era uma região de assaltos e que, se continuasse a mover-me de forma errante pra tirar fotos, certamente seria parado por outros policiais.

SergimPeninha
SergimPeninhaPermalinkResponder

Vou aproveitar seu comentário para tocar num ponto importante para os que como eu são mais mortais que outros turistas. Você falou em ' conversar' com os policiais. Ok! Mas imagine um indigente em idiomas em situação de pressão tentando resolver a situação. Carregar o passaporte sem jeitinho, simples assim...

Guacyr Pereira Soares

Na Europa é onde existe o maior risco de furto e ou roubo documento, inclusive deixando no hotel, interessante portar o passaporte, pois no caso de compras tax free, tem que portar o passaporte no momento da compra, pois talvez não tenha tempo de voltar na loja para preecher o formulário de tax free, nos States, já usei o RG ou CNH, já bastou para me identificar como turista brasileiro!

SergimPeninha
SergimPeninhaPermalinkResponder

Faço duas cópias, uma deixo no hotel e a outra uso no dia a dia. O passaporte fica numa doleira separada que não uso nunca, só em caso de não aceitarem as cópias. Evita-se misturar, perder, esquecer e está sempre à mão.

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

A única vez que fui furtada no exterior foi no aeroporto de Frankfurt, indo pegar o vôo de volta ao Brasil. E então levaram a minha bolsa largada em cima do carrinho de bagagens, que tinha o passaporte dentro de um bolsinho. Lá se foi tudo, passagem de volta, passaporte, outros documentos. Snif, snif. Fomos pro posto de polícia do aeroporto, nos atenderam super bem e fizeram a ocorrência.
O problema era que era sábado, o vôo partia à noite, e a embaixada do Brasil, dã, só abria na segunda. Teríamos então que perder o vôo, ficar sabe-se lá onde, pra esperar segunda pra emitir um passaporte de emergência para voltar pro Brasil (e eu trabalhava na segunda). Oh, o mundo acabou.

Aí, eu lembrei que tinha na mala o passaporte anterior (por conta de visto) e o xerox do atual. O policial da Alemanha consultou o pessoal da alfândega, e eles me falaram que com aqueles documentos me autorizavam a deixar o país, já que eu estava indo para o Brasil mesmo. Com a ocorrência a companhia aérea Lufthansa emitiu uma passagem de emergência para eu embarcar. Aí o povo da Alemanha me avisou: que eles autorizavam eu sair da Alemanha, mas não garantiam que eu poderia entrar no Brasil sem documentação. Rá, esse povo não conhece o Brasil...

No final das contas embarcamos no nosso vôo mesmo só com o xerox do passaporte e a ocorrência (nem ligaram na saída) e chegamos no Brasil. Óbvio que na alfândega brasileira nem piscaram em me deixar entrar, né?

O mais divertido é que depois de tudo isso (e de eu cancelar o meu passaporte na PF por via das dúvidas), segunda de tarde me ligam da Alemanha dizendo que acharam a minha bolsa jogada dentro de uma lata de lixo do aeroporto, e dentro dela tudo meu, menos uns dinheiros (da República Tcheca, que nem valiam muita coisa na época). Acho que nem viram o passaporte no bolso interno da bolsa. Donde uma amiga voltava uns dias depois, pedi para ela pegar a minha bolsa pra mim, e chegou tudo direitinho, carteira, cartões, passagem aérea, e o passaporte verdinho - que se eu não tivesse cancelado, podia ter continuado a usar.
A minha paúra ainda é perder o passaporte, e não ser impedida de comprar bebidas alcoólicas (aliás, na Flórida fizemos tudo isso só com a carteira de motorista brasileira).

Ronaldo Giusti

Tem a paranóia... e tem o medo de mudar de paranóia!

Sempre levo os passaportes comigo (meu e da esposa), mas já tive vontade de passar a deixá-los no hotel e andar com uma cópia (e versões digitalizadas na nuvem), só que... poxa, nunca deu errado do outro jeito, vai que eu mudo e Murphy atua? #comofaz

Thalita Mello
Thalita MelloPermalinkResponder

Olá, achei bem oportuno o artigo! Eu, da minha parte, não levo passaporte comigo, tenho uma umas 3 cópias coloridas, ponho inclusive dentro daquela capa protetora de passaporte transparente e guardo o original no cofre. Este ano, estive na Torre do Tombo em Lisboa e não aceitaram a cópia, mas aceitaram minha carteira de identidade brasileira, sem problemas. Ficar sem passaporte é um pesadelo!!!!

Vilma Denise Batocchio Pinto

Sempre ando com a cópia mas em 2013, no Lago Di Como, um guarda nos parou, marido e eu, pediu os documentos do carro alugado, CNH e o passaporte. Entregamos as cópias e ele começou a nos repreender por não ser o documento original, explicamos que a orientação é andar com a cópia, evitando assim problemas com furtos. Ele foi até a viatura, telefonou não sei pra quem e eu juro que achei que ia passear de viatura até a delegacia mais próxima (um belo Land Rover diga-se de passagem), nada feito. Depois de algum tempo nos liberou e o passeio não aconteceu kkk

Adriana Santos

Olá, eu sempre ando com o meu passaporte na doleira e por dentro da roupa. Ou seja colada ao corpo.

Gustavo
GustavoPermalinkResponder

Sou paranóico, mas ao contrário. O passaporte é o único documento válido no exterior. Não tem muito segredo, é só colocar uma doleira debaixo da camisa/vestido e você não vai perde-lo. Eu agora coloco no bolso, mas cada um conhece a cabeça que tem. Eu sempre desenvolvo alguns automatismos de onde colocar as coisas e em que ordem. Nunca perdi nada. Mas já vi muito brasileiro barrado no baile pela falta do documento. E como já foi citado, com essa paranóia de terrorismo há cada vez mais controles. Isso vale pro Brasil também. Ano passado peguei um ônibus de Fortaleza pra uma praia nos arredores. Certo momento pára o ônibus e polícia manda descer todos homens e faz revista. Estar sem documento nessas horas não é agradável.

Elaine Vales
Elaine ValesPermalinkResponder

Passaportes meu e do maridão dentro do ziploc na minha doleira, sempre! Sou neurótica demais pra conseguir deixar no quarto do hotel. E no email e na nuvem, cópia do passaporte e do visto. Mas nos EUA todas as vezes que me solicitaram documentos, mostrei a CNH, que deixava mais fácil pra pegar, e beleza!

SUELY FERNANDES DE OLIVEIRA

A minha paranóia é fazer o check out do hotel e esquecer de pegar o que tem no cofre. Também não confio muito nele, sempre acho que alguém pode abri-lo. Então além do meu passaporte ficar na doleira colado no corpo, ainda tiro xerox, foto no celular, escaneio e mando para meu e-mail, nuvem e seguro firme na mão de Deus.

Maria Emilia Tolentino Carollo Blanco

No caso da autorização de viagem para voltar ao Brasil, tem que ser retorno imediato? Ou dá para ficar os dias estipulados no país?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Emilia! O documento é emitido quando você precisa voltar rápido. Se ficar no país o tempo suficiente para emitir um passaporte novo, ele será emitido.

Tânia
TâniaPermalinkResponder

Tive minha bolsa furtada dentro de um shopping, em Barcelona, na Espanha. E dentro da bolsa estavam os passaportes meu e do meu filho, além dos cartões de crédito. Fiquei desesperada porque viajaria para o Brasil dois dias depois e não sabia nem por onde começar a resolver a história. Nosso primeiro passo foi registrar a ocorrência no Atendimento ao Cliente do próprio shopping e depois partir para o hotel a fim de cancelar os cartões. Consulado seria somente no dia seguinte porque já era final de tarde. Felizmente, por volta das 22h, recebemos um email do Atendimento ao Cliente informando que tinham encontrado a bolsa. Parti imediatamente para lá e, para alívio, o problema foi resolvido. Ainda tinhamos algumas programações a cumprir na cidade, mas preferi no dia seguinte apenas relaxar em Barceloneta. Não desejo o sufoco que passei para ninguém.

Ricardo Antunes da Costa

Eu sempre carrego o meu comigo, na doleira. Um policial já me pediu o passaporte em um trêm na Bavária.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ricardo! Em viagens de trem sempre é necessário sim.

Marcia Zen
Marcia ZenPermalinkResponder

No Panamá, fui visitar o arquipélago de San Blás e fomos alertados pelo guia que seria necessário levar o passaporte e realmente fomos abordados, exigiram esse documento.

Danielle
DaniellePermalinkResponder

Basta levar o passaporte dentro do porta dolar embaixo da calça

Fernando Lincoln

Eu e minha esposa fomos abordados por um conferente de passagens em um trem de Coimbra a Lisboa, em 2016, que não aceitou a xerox do passaporte. Aos berros, disse que iríamos descer na próxima parada e entregues à polícia. Em meio aos nossos argumentos (sempre em tom respeitoso), dissemos que tínhamos documentos originais com foto, porém que só valiam no Brasil, como o RG e mesmo carteiras profissionais. O conferente então disse: "Ah, por que vocês não disseram isto antes?" "Porque você só fazia questão do passaporte original", retrucamos. "Isto serve", disse ele, que após conferir nosso RG ao melhor estilo "cara/crachá", foi embora deixando-nos seguir viagem em paz.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernando! Em viagens em geral, mesmo bate-voltas, vale a pena estar com passaporte original, sim -- no caso o que os fiscais querem saber não é se você está legal no país, mas se é realmente o dono do bilhete.

Manuela
ManuelaPermalinkResponder

Excelente postagem! Eu sempre ando com minha carteira de motorista brasileira e a cópia do passaporte. Morei nos EUA e tinha PID, mas na única vez que fui parada dirigindo, a policial solicitou a carteira de motorista brasileira mesmo. O único lugar que não quis aceitar minha carteira de motorista do Brasil foi em um barzinho em Boston (mas encontrei outro que deixou! lol). Morei um ano e andei pra todo canto nos EUA (DC, Virginia, Connecticut, California, Pensilvânia, Flórida, New York) só com a carteira de motorista brasileira de boas. Também já viajei para Espanha, Itália, Argentina e Uruguai e não tive problemas com o fato de não andar com passaporte.

Orlando
OrlandoPermalinkResponder

Sou policial a 29 anos, como policial temos vários meios de identificar uma pessoa, porém qualquer documento com foto serve, agora se vc é um estrangeiro e cometeu um crime em outro país, vc será encaminhado para Polícia competente da imigração e la sim será solicitado o documento internacional (passaporte).

Silvia Almeida

Tive a experiência de ser multd por excesso de velocidade no Marrocos, há duas semanas, pediram só a cnh e o passaporte.

Helen Queiroz
Helen QueirozPermalinkResponder

Pior coisa do mundo eh ter o passaporte roubado num fim de semana. Pois o consulado não abre em sábados e domingos por nada e vc se vê totalmente desamparado! Passei por isto em Barcelona (Espanha campeã de furtos, hein!) e quase enlouqueço! Fui roubada no sábado e tinha um vôo pra Lisboa no domingo. A sorte eh q eu havia levado (e deixava sempre no apartamento) um passaporte antigo que continha o visto americano. Fiz o B.O. e o pessoal do Apoio ao Turista ligou pra companhia aérea (TAP) perguntando se eles aceitavam este passaporte antigo. Foi a minha sorte. Mas em Lisboa, depois de 5 dias tranquilos, tive problemas pra voltar pro Brasil. Eu já havia me comunicado com o consulado brasileiro em Lisboa por telefone e eles garantiram q eu não precisaria de ARB pra voltar pro Brasil, já q era pela mesma companhia e ela já havia aceitado o passaporte antigo. O problema eh q 20 minutos antes do avião decolar, o pessoal da alfândega do aeroporto não me deixou passar, pois o passaporte já era furado (a PRF fura o antigo qdo vc faz um novo né). Foi desesperador. Me passavam de uma pessoa pra outra, de uma sala pra outra e ninguém resolvia nada. Falei do furto, falei q a TAP havia liberado usar o antigo, falei q o consulado me dispensou de fazer ARB e mesmo assim, eles insistiam em não me deixar passar. Até que alguém lá se compadeceu (eu ja tava quase chorando) e me liberou. Corri até o portão de embarque (acho q eu tava a 100km/h) e quando cheguei no Brasil só faltei beijar o chão q nem o papa!! Nunca mais saio com o passaporte!! Nunca!! Agora será sempre com cópia!! E quem quiser sair com ele, aconselho pelo menos a nao fazer isso aos sábados e domingos, rsrs..

Jessé Pires
Jessé PiresPermalinkResponder

Fomos parados na estação de trem em Estrasburgo, França. Estávamos só com as cópias do passaporte e o telefone do hotel. Ligaram para o hotel e confirmaram nossa estadia. Sem problemas algum. Nos desejaram uma boa estada na cidade.

Anderson
AndersonPermalinkResponder

Já fui parado no Panamá e quase fui preso por não estar com o passaporte. No final, teve até pedido de propina para que não fosse conduzido à delegacia em um camburão. Não paguei e não deu nada. Mas consegui, nesse meio tempo, que buscassem meu passaporte no hotel.
Na Grécia, um local me disse que era indispensável andar com o passaporte. Se a polícia cismasse que eu fosse Sírio, iria parar na delegacia. Nada de cópias.

Acho sempre melhor andar com o passaporte. É o que recomendo a todos. Mas, se a pessoa prefere correr o risco de ter de dar mil explicações à polícia, é uma opção. Eu prefiro correr o risco de perder o documento que de me enrolar com polícia gringa.

Thaissa Chagastelles

Passaporte no cofre do hotel desde que fui furtada em Sintra, Portugal. O consulado de Lisboa exigiu qualquer outro documento para fazer o passaporte e eu não tinha pois minha identidade tinha sido roubada junto. Minha irmã que estava no Brasil, saiu scaneando tudo o que eu tinha aqui (carteira de trabalho, título de eleitor). Tive que achar lugar para imprimir, tirar foto e sair correndo para consulado que só aceitava o pedido até as 11 da manhã. Além disso era mais caro o passaporte de emergência e a validade era menor. Mas precisava dele pois estava fazendo intercâmbio em Portugal e não podia ser apenas a autorização de retorno ao Brasil. Depois disso virei a paranóica do passaporte!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar