Uruguai prorroga desconto de IVA para turistas até 30 de abril de 2018

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Feriadões 2017: Uruguai

Aleluia! Pela primeira vez desde 2012, quando entrou em vigor o programa de isenção e devolução de IVA para turistas, o Uruguai anunciou a renovação dos benefícios com alguma antecedência. Previstas para vigorar até 30 de outubro de 2017, as vantagens foram prorrogadas até 30 de abril de 2018.

Que vantagens são essas?

  • Devolução de 18,5% de IVA em restaurantes

Basta pagar com cartão de crédito ou débito. A devolução é feita na hora com cartões Visa e estornada na fatura mensal nos cartões MasterCard. A economia compensa com muita folga o IOF de 6,38%. Vai por mim.

E o problema com a MasterCard?

  • Na última renovação dos benefícios uruguaios, um bug no sistema da MasterCard fez com que o IVA de pagamentos em restaurantes não fosse estornado em gastos entre o fim de abril e o início de maio. Os clientes MasterCard ficaram desassistidos pela bandeira por quase quatro meses -- nenhum dos bancos emissores associados, nem mesmo a central de atendimento da MasterCard, sabia dar alguma explicação, nem sequer parecia entender a reclamação dos clientes. Quatro meses depois do problema, porém, os clientes foram ressarcidos do IVA cobrado indevidamente. O Viaje na Viagem entende que a MasterCard deve uma explicação -- e um bônus de anuidade -- a todos os prejudicados.
  • Isenção de IVA nos hotéis

As diárias hoteleiras em nome de hóspedes com passaporte ou carteira de identidade estrangeira, que provem estar no país há menos de 60 dias, são cobradas sem IVA. Podem ser pagas por qualquer meio: pesos uruguaios, cartões ou moeda estrangeira (caso o hotel aceite).

Nos sites de reserva, como o Booking, o valor da diária aparece sempre sem o IVA. O IVA só será cobrado no check-out de quem não provar que é estrangeiro e está a menos de 60 dias no Uruguai (o carimbo no passaporte, ou então a papeleta de entrada para quem viaja com RG, são a prova).

  • Locadoras: devolução de 18,5% de IVA

Ao alugar carro no Uruguai, pagando no país, também há devolução de 18,5% do IVA no cartão de crédito (na hora para quem usa Visa, na fatura para quem usa MasterCard).

O benefício teoricamente valeria também para cartão pré-pago, só que locadoras não aceitam pré-pago.

Evite fazer pré-pagamento de locação de carro em sites internacionais. Nesses casos, o seu IVA não será devolvido, pois o pagamento foi feito no exterior.

Nos restaurantes e locadoras, o desconto NÃO vale para dinheiro vivo

    Todos os dias aparece alguém para perguntar: "E se eu pagar com dinheiro, não tenho direito ao desconto?". Não. Em restaurantes e locadoras, você pagar com dinheiro, não tem direito ao desconto. Só nos hotéis você pode pagar em dinheiro e obter a isenção de IVA.
  • Lojas tax-free: devolução de IVA

Compras realizadas em lojas identificadas com o selo Tax-Free proporcionam a devolução -- desde que você saia da loja com o formulário devidamente preenchido e carimbado.

Para conseguir a devolução, chegue com antecedência ao aeroporto (ou ao terminal do Buquebus, se você for à Argentina) e passe no guichê tax-free antes do check-in: o fiscal vai conferir a nota e a mercadoria. (Saindo do Uruguai por terra, passe no posto da fronteira com a mercadoria e a nota.)

  • Aluguel de temporada: devolução de 10,5%

Estrangeiros residentes fora do Uruguai que aluguem apartamentos de temporada têm direito a 10,5% de devolução do valor total do aluguel. A devolução só acontece quando o pagamento é feito por cartão internacional e processado por uma maquininha cadastrada. Como a maioria dos negócios nesse mercado é feita em dinheiro vivo e meio que por baixo do pano, é a medida que traz menos impacto ao visitante.

Leia mais:

8 comentários

Írio Ferreira

E um incentivo para que os turistas viagem pra estas regiões específicas que dão este desconto.
Uma sabedoria muito grande , estes tipos de incentivo.

Gilton Domingues Bonneau

Estou indo para o Uruguai em 3 de novembro.
Solicitei uma reserva numa Vinícola e, eles encaminharam uma fatura para pagamento antecipado.
Pergunta:
Se eu pagar com cartão aqui o IVA será devolvido?
Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gilton? Você vai se hospedar numa vinícola? Não há IVA pré-incluído em nenhuma hospedagem. Somente no check-out há o acréscimo de IVA caso você não prove que é estrangeiro e está a menos de 60 dias no Uruguai.

Antônio Soares

Olá Bóia. Comprei passagens do Seacat (Buenos Aires - Colônia) aqui mesmo no Brasil (para dezembro). Será que existe devolução de IVA nesse tipo de compra?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Antônio! Onde você leu no texto que há desconto para passagens? Por que você imagina que não daríamos essa informação?

Alles blau
Alles blauPermalinkResponder

Estou em Rivera, já fiz compra com cartão de crédito bandeira mastercard em dois shopping, Barão e Sineriz.
Então pelo q entendi, não terei isenção de IVA, pois não peguei nenhum formulário, fui informado no shopping Barão de Rivera q nesses tipos de shopping não há incidência de IVA, pois é exclusivo pra turista, cidadão uruguaio e proibido comprar, tem q apresentar carteira de identidade brasileira.
Tb não vi vantagem de usar cartão de crédito, a taxa do cartão pra conversão de dólar pra real, foi de 3'34% e lembrando do limite de Usd300,00 por pessoa ao retornar ao Brasil, estou de carro.
Hoje digo pra montevideo.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alles! Rivera é uma cidade de fronteira e você comprou num "free shop". Em Montevidéu não existem free shops. Para obter devolução do IVA em compras feitas em Montevidéu, Punta ou Colonia, é preciso que essa compra seja feita numa loja com o selo TAX FREE. Você deve sair com uma fatura de exportação e apresentar a fatura no posto da fronteira para ser reembolsado.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar