Viajante: vacine-se contra febre amarela (ou emita o seu certificado de isenção)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Vacina contra febre amarela para viagem

Vacina contra febre amarela para viajantes

Entre 2017 e 2018, vários países da América do Sul, América Central e Caribe passaram a exigir certificado de vacinação contra febre amarela de brasileiros. Outros mais podem passar a exigir a qualquer momento.

Atualmente, para brasileiros, ter um certificado internacional de vacinação contra febre amarela é tão fundamental quanto ter um passaporte válido.

Atenção: dose fracionada NÃO dá direito a certificado

Em janeiro de 2018 o Ministério da Saúde deflagrou uma campanha de vacinação contra febre amarela nos estados de São Paulo e Rio usando doses fracionadas. Essas doses imunizam por até 8 anos, mas não são suficientes para emitir o certificado internacional de vacinação.

Se você vai se vacinar em São Paulo ou no Rio, para receber a dose-padrão vai precisar mostrar passagem comprada.

Caso você more em outro lugar, aproveite enquanto não fracionam (nem racionam) a dose no seu estado, vacine-se, emita o certificado internacional e tire essa preocupação da cabeça por todas as suas viagens.

Se possível, vacine-se mesmo sem viagem marcada

Você vai ver que as informações mudam a todo momento. E são desencontradas. A cia. aérea vai dizer uma coisa. O consulado vai dizer outra. A internet vai dizer umas 10 outras coisas. A Anvisa talvez seja vaga. É um inferno.

A lógica da exigência da vacina é a seguinte. Todo país situado em latitude tropical ou subtropical, que tenha área de floresta onde proliferem mosquitos transmissores, corre o risco de ver surgir um surto de febre amarela. Todos querem se defender disso. Como o Brasil viveu recentemente um surto de febre amarela entre o Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, o sinal de alerta acendeu em vários países tropicais.

Só entre 2017 e 2018, Panamá, Colômbia, República Dominicana e Cuba, entre os destinos mais importantes, passaram a exigir a vacina. No Caribe, Aruba, Curaçao, Bonaire, Bahamas, St. Maarten e Barbados passaram a pedir também. Na América do Sul, também Bolívia, Equador, Venezuela e Paraguai agora também exigem.

Dos destinos latino-americanos mais procurados pelos brasileiros, só México, Peru, Argentina, Uruguai e Chile não exigem a vacina. (Mas se houver mais um surto no Sudeste ou no Sul, essa lista vai diminuir.)

Além disso, boa parte dos países da África, da Ásia e da Oceania exige a certificação. Só mesmo Europa, Canadá e Estados Unidos nunca exigirão a vacina. (Se bem que, no caso dos Estados Unidos, 'nunca' pode ser uma palavra muito forte, já que a Flórida tem florestas subtropicais.)

Caso no seu estado não estejam exigindo a passagem internacional para vacinação com dose integral, aproveite. Quando a emergência chegar, vai ser mais difícil e mais trabalhoso obter tanto a vacina quanto o certificado.

Depois de 10 dias, a vacina vale por toda a vida

O maior problema de deixar para se vacinar na última hora é que, quando um país passa a exigir a vacina, a última hora não funciona. Só são aceitos certificados internacionais emitidos até pelo menos 10 dias antes do embarque.

Muitos brasileiros foram barrados ainda no check-in quando a Colômbia, Cuba e Panamá passaram a exigir a vacina, de uma hora para a outra.

Além disso, sempre fica a dúvida quanto à conexão. Normalmente, se você apenas faz conexão num país (Panamá ou Colômbia, por exemplo), sem sair do aeroporto, a cia. aérea não exige a vacina. Mas se você ligar para o consulado, vão dizer que você precisa. Informação preto no branco, garantida por alguma fonte oficial, você não vai encontrar em lugar nenhum.

Ou seja: vacine-se. Vacine-se já. Vacine-se sem viagem marcada. Viagens aparecerão, e com elas virão a necessidade da vacina -- ou pelo menos a necessidade de informação garantida sobre a necessidade ou não da vacina. Não queira estar nessa incerteza.

Caso você não possa se vacinar por questões de idade ou de condição de saúde, providencie o seu certificado de isenção. É simples (veja aqui).

A boa notícia é que aparentemente todos os países já concordam com a resolução da Organização Mundial de Saúde que dispensa novas doses da vacina. Até 2013 a recomendação era de renovar a vacina a cada 10 anos. Agora, toda vacina, mesmo a que já tenha 'vencido' no certificado, é considerada válida por toda a vida.

Que países exigem a vacina contra febre amarela?

Como essa lista só faz aumentar, a partir deste post o Viaje na Viagem deixa de publicar listas atualizadas de países que exigem ou não exigem a vacina.

A maneira mais garantida de ver a lista atualizada é consultar esta página do site da Anvisa.

Veja o tela a tela para consultar o site da Anvisa

Site Anvisa febre amarela

Ao acessar esta página do site da Anvisa, clique em "Verifique as orientações para o país de destino".

Febre amarela Anvisa lista

Quando carregar a página seguinte, clique no campo: País [Selecione]. Vai aparecer um menu de países em ordem alfabética.

Selecione o país desejado.

Vacina febre amarela República Dominicana

Ao selecionar um pais, a página seguinte carrega um quadro com as vacinas correspondentes. Preste atenção na última linha, onde está escrito "Recomendação ou Exigência". Se estiver escrito "Exigência", é porque você precisa se vacinar para poder viajar. Se estiver escrito "Recomendação", é porque dá para viajar sem a vacina.

No quadro da República Dominicana está escrito "Exigência". Ou seja, você precisa se vacinar e emitir o certificado para viajar.

Anvisa febre amarela Peru

Já o quadro do Peru informava, em 9 de abril de 2018, "Recomendação". Ou seja, não era necessário se vacinar.

Atenção: confirme a exigência/recomendação de vacinação pelo menos 10 dias antes de viajar

Meu certificado venceu, e agora?

Se você tirou seu certificado antes de 2015, está anotada a validade de 10 anos. A Organização Mundial de Saúde já orientou os países para que aceitem certificados 'vencidos', já que a validade agora é para a vida toda.

Mas se você não quer levar um lero com um agente de imigração em Barbados ou na Tailândia, vá até o posto certificador da Anvisa mais próximo e peça uma segunda via do certificado. Nele já constará a validade 'LIFE', para a vida inteira.

Onde me vacinar e fazer o certificado internacional?

  • Tome sua vacina num posto do SUS; você receberá seu certificado nacional
  • Com a vacina tomada, faça pré-cadastro para o certificado internacional no site da Anvisa (funciona melhor em Explorer)
  • Com o pré-cadastro feito, procure um Centro de Orientação ao Viajante da Anvisa (veja lista aqui) para emitir seu certificado internacional

Mostramos o passo a passo neste post.

Como emitir o certificado de isenção?

A vacina contra febre amarela não pode ser aplicada em:

  • Mulheres grávidas
  • Bebês com idade inferior a 6 meses
  • Maiores de 60 anos
  • Pessoas em tratamento com corticóides, quimioterapia ou radioterapia
  • Portadores do vírus HIV
  • Pessoas alérgicas a componentes da vacina

Caso você se enquadre num desses casos, nem é necessário ir à Anvisa.

Anvisa certificado isenção

Leia mais:

128 comentários

Maíra S.
Maíra S.PermalinkResponder

Olá! Estou indo para a África do Sul daqui três dias e me atentei que meu Certificado Internacional (ainda válido) menciona meu nome e meu passaporte anterior. Vocês sabem se eu devo levar o passaporte já vencido ou se tenho que emitir outro certificado? Temo não ter tempo hábil para isso.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maíra! No seu lugar, eu levaria.

Sandra
SandraPermalinkResponder

Já estive no SUS e para receber a vacina “inteira” (não a fracionada) eles pedem a passagem aérea. Assim só mesmo tendo viagem marcada né?!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sandra! Nesse caso, sim. Isso foi recente ou foi na época de grande procura? Pode ter mudado.

Raquel Pereira

Tirei meu Certificado pelo site da Anvisa tudo on-line, todos os países aceitam esse tipo?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Raquel! Se é internacional, aceitam.

Loyane
LoyanePermalinkResponder

Olá Boia!!! Acho que vale uma atualização do artigo: já é possível pedir e receber o certificado internacional de modo totalmente online, sem necessidade de ir ao posto da Anvisa. Tendo tomado a vacina, claro, é só acessar https://www.gov.br/pt-br/servicos/obter-o-certificado-internacional-de-vacinacao-e-profilaxia, preencher a solicitação e anexar os comprovantes. Leva alguns dias para enviarem o certificado, mas chega por e-mail mesmo, muito prático! Recebi o meu com pouco mais de uma semana.

Aproveitando, obrigada por tantas dicas valiosas!!! Viaje na Viagem é guia certo para todas as minhas viagens, não tem erro!!

Luana
LuanaPermalinkResponder

Seria legal atualizar o post. Agora não é mais necessário ir à Anvisa pra tirar o certificado, tudo é feito online.

Nisio Martins
Nisio MartinsPermalinkResponder

Parabéns pelo site, sempre com valiosas dicas e orientações. Completei 60 anos, por tanto posso tirar a Isenção. Dúvidas: Basta levar o Certificado para o Médico assinar? No formulário não vi local para informação de Passaporte, precisa? É necessário reconhecer a Firma do Médico ou algo que autentique, como o Carimbo legalização do Itamaraty? Abs

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Nisio! O certificado em inglês assinado pelo médico é suficiente.

Claudia Ogrizek

Tomei a vacina em abril 2018 enquanto visitava o Brasil. Moro nos EUA. Ganhei uma carteirinha branca simples.
Tem como trocar sem ir pro Brasil? Não devo ir tão cedo.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Claudia! Tente emitir o certificado internacional no site da Anvisa.

Cynnara Farias de Souza

Fui em setembro de 2019 p o Canadá,a teria 7hrs na cidade do panamá, tirei o certificado internacional de vacinação pela internet... chegando lá eles não autorizaram minha entrada, disseram que não estava sabendo, que tinha que ser a carteirinha convencional... que eu esperasse um médico chegar na imigração, passarão 2hrs e nada do médico chegar, era 9hrs da manhã, desisti de fazer o citytour... vou novamente viajar em março p colômbia, vou tirar o certificado tradicional na anvisa, não quero "quebrar a cara" novamente... fica o aviso, o online foi super prática, tomei a vacina, dei entrada com o pedido, depois de alguns dias recebi a autorização para imprimir ou guardar o certificado, mas de nada adiantou a praticidade, pois na cidade do panamá eu não consegui entrar... fica o alerta! smile

Fairus Duarte Nasralla

Minha mãe de 83 precisa fazer a carteira internacional, como eu faço, moro em Porto Alegre

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fairus! Ela tem direito à isenção. Por favor leia o texto.

ISABELLE CATHARINE MACHADO SAMPAIO MIGUEL

olá, eu acabei de fazer a Anac e passar. Já queria adiantar a vacina pra quando eu fosse fazer seleção para as companhias aéreas. Se eu for a algum posto explicando isso, ou até mostrando o diploma, eu consigo a dose padrão ?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Isabelle! Não sabemos como é a política da secretaria de saúde da sua cidade/estado. Talvez até estejam vacinando a todos com a dose integral. Passe num posto para saber a situação.

Mauro Otto
Mauro OttoPermalinkResponder

Descobrimos a gravidez da minha esposa depois de termos comprado passagens com a LATAM para a Africa do Sul. Ocorre que ao entrar em contato com eles (call center e case no site), me foi informado que o Atestado Médico de isenção da vacina NÃO É aceito pela companhia e que o embarque dela será barrado... Me custa crer que essa seja uma situação real, não passível de alguma excessão, afinal de contas isso não deve ser raro de acontecer (por conta de todas as situações além da gravidez mencionadas no post). Vi que no site da South African Airlines, é mencionado que o atestado é aceito para todos esses casos sem problema. Inclusive entrei em contato com o Consulado da Africa do Sul e me foi informado que essa situação é comum e que a entrada é permitida para esses casos. Não consigo entender o motivo do embarque não ser permitido pela LATAM... Vocês tem relato de alguma situação como essa?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mauro! Tente as mídias sociais da Latam, como o Facebook e sobretudo o Twitter. Pode acontecer do SAC estar mal informado.

Até hoje nunca recebemos relato de alguém que tenha sido barrado por não aceitarem o certificado de isenção.

Mauro Otto
Mauro OttoPermalinkResponder

Em primeiro lugar, muito obrigado pela sugestão!
Entrei em contato com a LATAM_BRA pelo Twitter e obtive (depois de aguardar por 2 dias, com bastante ansiedade) uma resposta satisfatória: o embarque será realizado, mediante o atestado de dispensa de vacinação em inglês (nada diferente do que eu já planejava/imaginava, baseado nesse excelente post de vocês).
Deixei como sugestão pra eles, a idéia de mencionar isso no site deles, como por exemplo faz a South African Airlines, evitando assim stress desnecessário.
Novamente, muito obrigado pela sugestão!
Um abraço e vida longa ao Viaje na Viagem!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mauro! Puxa, que bom! Obrigada pelo retorno!

A gente está meio acostumado com a incapacidade dos atendentes de SACs de empresas ligadas a viagem em responder perguntas fora do script.

Cinthia
CinthiaPermalinkResponder

Olá!
Já possível emitir o certificado internacional online após tomar a vacina.
Fiz o meu e deu certinho na viagem à África do Sul.

Neste link do governo:
https://sso.acesso.gov.br/login?client_id=acesso.gov.br

Victoria Maria de Mello

Fui vacinada em 2008,tenho o cartão da Anvisa e o certificado do Posto CM/S PINDARO DE CARVALHO RODRIGUES, que fica na Gavea RJ e compareci duas vezes e fui encaminhada para uma sala de atendimento e a médica que atendeu disse que não faria a declaração . Fui para a Anvisa hoje sexta-feira 10/01 , mas a referida sala estava vazia, tinha só um funcionário na porta dizendo que o atendimento agora é só as Terças e Quintas de 8 ao 12 . Realmente é difícil até para viajar com toda a documentação em dia. Vou voltar a Anvisa e tentar ser atendida.

Maria Julia Moreira da Silva

Não há uma incoerência quando se exige o certificado de isenção de vacina para maiores de 60 anos?
Afinal, ninguém entra no país sem apresentar passaporte ou carteira de identidade( caso dos países da América do Sul) e, nesses documentos constam a data de nascimento do portador.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Julia! No balcão do check-in da cia. aérea, com o seu vôo para sair dali a duas horas, ou na imigração de um país da Ásia (à frente de um agente de sotaque impossível de decifrar) você não terá muita chance ou tempo de argumentação. Baixe o certificado e peça para seu médico assinar.

Rodrigo Paulo da silva

Olá. Toda vez que eu tento solicitar aparece “serviço indisponível tente mais tarde.” O que eu faço quanto a isso?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! Se você tem pressa e o site não está funcionando, procure uma agência da Anvisa que faça certificados presencialmente.

Clauber Ostorero

Oi Bóia... tudo bem ? .... para Cancun é exigido o Certificado da Febre Amarela ?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Clauber! Não. Mas faça a vacina. Você precisa dela NO BRASIL. Tome a dose inteira e emita o certificado internacional. Ou, se não puder se vacinar, requeira já o seu certificado de isenção.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar