Rio de Janeiro: como se deslocar (por metrô, VLT, táxi, Uber, ônibus, barca... e carro)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Rio de Janeiro: como se deslocar - VLT

De todas as maneiras de se deslocar pelo Rio, o carro é a menos recomendável. Estacionar é super complicado, e o Waze pode mandar você passar por lugares inseguros. Carro no Rio é bom apenas se você se hospedar na Barra da Tijuca. Se você está hospedado na Zona Sul ou na região central, só alugue carro no dia em que for passear (ou pegar praia) na Barra da Tijuca/Zona Oeste ou em Niterói.

O combo metrô + VLT + táxi ou Uber resolve 95% dos seus deslocamentos na cidade com mais eficiência e segurança do que rodar de carro.

Já o sistema de ônibus, confuso, mal gerenciado e inseguro, deve ser usado em último caso. (Mas o BRT, entre Jardim Oceânico, Alvorada e Recreio, é uma opção a considerar.)

Para se deslocar pelo Rio com fluidez, usando transporte público sempre que for mais vantajoso, você precisa de um cartão RioCard. Veja como comprar seu cartão RioCard já na chegada à cidade.

Se preferir, clique para ir direto ao tópico desejado:

Transporte | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

Procurando informações de transporte para sair dos aeroportos, da rodoviária ou do porto? Clique para ir direto ao tópico:

Chegando | Pelo Galeão | Pelo Santos Dumont | Pela Rodoviária | Cruzeiro

  • RioCard (compre já na chegada)

rio de Janeiro: como se deslocar

O RioCard é o único cartão de transporte do Rio que funciona em todos os meios de transporte: metrô, ônibus (incluindo frescões), BRT, VLT, trem e barcas.

O cartão é indispensável, mas é cheio de pegadinhas. Vamos às duas pegadinhas que mais atrapalham os forasteiros:

Rio de Janeiro: como se deslocar - cartões RioCard e Metrô

  • Não confunda com o cartão do metrô! O metrô tem seu próprio cartão, que funciona apenas no metrô. Mas o RioCard (que pode ter escrito na frente "Bilhete Único"), funciona em todos os meios de transporte, inclusive no metrô. Por isso, o RioCard é o único cartão que você precisa comprar.

Rio de Janeiro: como se deslocar

  • O RioCard é difícil de encontrar; compre na chegada! O RioCard não é vendido em bancas, nem nas bilheterias do metrô. O RioCard só está à venda em máquinas específicas que você encontra em determinados acessos de algumas (poucas) estações de metrô, e também em todas as estações do BRT e do VLT. Tire essa preocupação da cabeça comprando o seu RioCard já ao desembarcar no Rio -- nos aeroportos ou na rodoviária.

Onde comprar seu RioCard ao desembarcar no Rio

No aeroporto do Galeão:
Galeão: onde comprar RioCard

  • Infelizmente não há mais guichê do BRT no saguão de desembarque. Você vai ter que ir até a estação do BRT: saia pela calçada e atravesse na faixa de segurança. Há uma máquina de autoatendimento que aceita dinheiro (mas não dá troco) e cartão de débito, e só vende um cartão por vez. Eventualmente (entre 8h e 20h) pode haver um funcionário para vender cartões, mas não conte com isso. A estação funciona 24 horas.

No aeroporto Santos Dumont:
Santos Dumont: onde comprar RioCard

  • Ao sair da área de esteiras para o saguão de desembarque, vire à esquerda. No fim do terminal de desembarque (antes da interligação com o terminal de embarque) haverá uma saída, com placas indicando para a estação do VLT. Ali, encostadas na parede da direita, você verá duas máquinas de RioCard. Essas máquinas do Santos Dumont não aceitam dinheiro, só cartão de débito. Como todas as máquinas do RioCard, você vai precisar comprar um cartão de cada vez.
  • Caso queira pagar com dinheiro, você pode usar a máquina da estação do VLT (que também aceita débito). Note, porém, que as máquinas do RioCard não devolvem troco. Você vai precisar carregar o RioCard com o valor integral que você inserir em dinheiro na máquina.

Na Rodoviária
Rodoviária: onde comprar RioCard

  • Siga a sinalização para a estação do VLT (você vai sair pelo portão de desembarque da rua Equador, atravessar a rua e seguir à esquerda pela calçada). Na estação do VLT você encontra uma máquina que aceita débito ou dinheiro. A máquina só vende um cartão por vez e não dá troco.

Em estações do metrô

Caso você esqueça de comprar seu RioCard no desembarque, ou precise fazer recarga durante sua estada, vai encontrar máquinas do RioCard nessas estações do metrô do Centro e da Zona Sul. Essas máquinas só processam um cartão por vez, aceitam débito e dinheiro, mas não dão troco.

  • Carioca
  • Largo do Machado
  • Botafogo
  • Cardeal Arcoverde
  • General Osório (acessos A e B)
  • Jardim de Alah
  • Antero de Quental
  • São Conrado
  • Jardim Oceânico

Quanto carregar no RioCard?

O cartão custa R$ 3, que você paga uma vez só (depois basta fazer recargas). Para saber quanto você vai gastar em transporte público, faça um roteiro dos seus passeios, some as tarifas e carregue o total já ao comprar o cartão, para evitar precisar fazer recarga.

Essas são as tarifas vigentes em setembro/2018:

  • Metrô: R$ 4,30
  • BRT: R$ 3,95
  • VLT: R$ 3,80
  • Ônibus: R$ 3,95
  • Barca: R$ 6,10

Existe integração entre ônibus + BRT e entre ônibus comum + VLT (você faz baldeação sem que o RioCard debite nova passagem). Não há integração entre o metrô e nenhum outro meio de transporte (ao fazer baldeação, o RioCard vai debitar uma nova passagem).

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

  • Metrô

Rio de Janeiro: como se deslocar - metrô

O metrô é o meio de transporte mais seguro do Rio de Janeiro. Ouso afirmar que o metrô carioca é mais seguro que o de Paris, Lisboa ou Santiago -- porque o Rio não tem quadrilhas de batedores de carteira como as que agem no exterior. Claro que você não deve se descuidar do bolso ou da bolsa, mas a chance de ter algo surrupiado no metrô do Rio é mínima.

Ao cruzar o Rio pelo subterrâneo, claro, você vai acabar perdendo o panorama. E pode sofrer com o excesso de lotação (sobretudo das 7h30 às 9h e das 17h às 19h30), e também com o grande intervalo entre trens (sobretudo nos fins de semana). Mas em compensação, vai cruzar o Rio com uma velocidade inimaginável na superfície. Da estação General Osório, em Ipanema, são 8 minutos até Botafogo e 18 minutos até a Cinelândia.

A rede de metrô

Mexa no mapa! Use o comando (+) para aproximar e ver detalhes que não aparecem. Use o comando (-) para afastar e ter um plano ainda mais geral.

O metrô do Rio é praticamente um corredor, com uma bifurcação entre a Zona Norte e o subúrbio. Há três linhas, que na prática se comportam como duas.

As linhas 1 e 4 são contíguas e foram unificadas. Desde março de 2017, não requerem mais transferência. São 25 estações entre a Tijuca (Uruguai) e o início da Barra (Jardim Oceânico), passando pelo Centro e Zona Sul. Uma viagem de ponta a ponta leva 48 minutos. O tempo de viagem entre a estação General Osório (Ipanema) à Cinelândia (Centro) é de 18 minutos. Esta é a linha mais usada pelos visitantes, por ligar as zonas hoteleiras da Zona Sul a várias atrações turísticas.

A linha 2 tem extensão variável conforme o dia da semana. De 2ª a 6ª circula por 26 estações, entre a Pavuna, no subúrbio, e Botafogo, na Zona Sul. Nesses dias, compartilha 10 estações com a linha 1, entre Central e Botafogo. No sábado, domingo e feriado, porém, a linha 2 serve apenas 16 estações, entre Pavuna e Estácio. O tempo de viagem entre Pavuna e Botafogo é de 57 minutos.

A transferência entre linhas é feita, de 2ª a 6ª, em qualquer uma das 10 estações compartilhadas entre linha 1 e linha 2 (entre Botafogo e Central). Sábado, domingo e feriado a transferência é feita apenas na estação Estácio.

Metrô: informações práticas

Metrô: horários

O metrô funciona de 2ª a sábado das 5h à meia-noite. Domingo e feriado, das 7h às 23h.

No carnaval, funciona 24 horas, de 6ª até as 23h de 3ª. No Réveillon também funciona a noite inteira, mas a partir das 19h é preciso ter um bilhete especial, comprado com antecedência.

Metrô: tarifa, cartões, bilheterias

  • Cada viagem custa R$ 4,30
  • As catracas aceitam dois cartões: o do MetrôRio e o RioCard
  • As bilheterias físicas só funcionam no acesso principal de cada estação, no horário comercial
  • Há máquinas de venda/recarga do cartão MetrôRio na maioria dos acessos. Desde outubro/2017, as máquinas do MetrôRio aceitam dinheiro, cartão de crédito e de débito
  • Só há máquinas de venda/recarga do cartão RioCard nos acessos principais das estações Carioca, Largo do Machado, Botafogo, Cardeal Arcoverde, General Osório, Jardim de alah, Antero de Quental, São Conrado e Jardim Oceânico. As máquinas do RioCard aceitam dinheiro ou cartão de débito

Metrô: integração

O metrô do Rio não oferece integração tarifária com nenhum outro transporte público. Ao seguir viagem de ônibus, VLT ou BRT você pagará uma segunda passagem integral. (Moradores registrados no sistema Bilhete Único têm abatimento na transferência entre metrô e BRT, mas esse benefício não se estende a turistas.)

Metrô: macetes & pegadinhas:

Rio de Janeiro: como se deslocar - metrô

  • Acerte a catraca: algumas catracas só aceitam o cartão MetrôRio, outras só aceitam o RioCard, outras aceitam os dois. (Sim, é uma confusão.) A informação está sinalizada na catraca ou numa placa

Rio de Janeiro: como se deslocar - metrô

  • Entre as estações Botafogo e Central, verifique se o trem é da linha desejada
  • Se você vem da Zona Sul pela linha 1+4 (direção Uruguai), entre 2ª e 6ª, e vai para alguma estação servida pela linha 2 (Maracanã, por exemplo), salte em Botafogo para fazer a transferência. Por ser ponto inicial da linha 2 (entre 2ª e 6ª), os trens estão vazios ao abrirem as portas
  • Nas rotas usadas pelos turistas, não há necessidade de trocar de plataforma ao fazer transferência de linhas. O trem da outra linha passará na mesma plataforma em que você saltou
  • Como o metrô não oferece integração, é possível usar o mesmo cartão (tanto RioCard quanto MetrôRio) para debitar a passagem de vários passageiros. A cada validação na catraca será cobrada uma passagem
  • Se você é friorenta/friorento, considere levar um agasalho leve. Os vagões mais novos são mega-refrigerados
  • Atenção, rapazes: entre 6h e 9h e entre 17h e 20h um dos vagões se torna exclusivo para mulheres. Está claramente sinalizado

Aonde ir de metrô

Rio de Janeiro: aonde ir de metrô

À diferença de São Paulo, o metrô do Rio é super útil para turistar.

O metrô deixa você na porta de atrações como o Teatro Municipal, Museu de Belas Artes e Biblioteca Nacional, o Teatro Rival BR, a Capela de São Francisco, o Maracanã, o Museu da República, a Quinta da Boa Vista, Museu Nacional & RioZoo, Lagoa Rodrigo de Freitas, Ilha da Gigóia.

O metrô conecta com as vans oficiais que levam do Largo do Machado ao Cristo Redentor.

O metrô deixa você perto da Confeitaria Colombo, da Marina da Glória, do Forte de Copacabana, do pôr do sol no Arpoador e do vôo duplo em São Conrado.

Combinado com o VLT, o metrô leva ao circuito de atrações do Boulevard Olímpico, à Praça XV (onde você pega a barca para Niterói), aos teatros da Praça Tiradentes e Real Gabinete Português de Leitura, ao MAM, à Rodoviária e ao aeroporto Santos Dumont.

Dá para ir à praia de metrô. A rede serve Copacabana, Ipanema e Leblon. E corta drasticamente o preço do táxi ou do Uber para as praias da Barra da Tijuca e Zona Oeste.

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

  • VLT

Rio de Janeiro: como se deslocar - VLT

O VLT (de 'veículo leve sobre trilhos') é o bonde moderno que trouxe conforto e segurança aos deslocamentos pelo Centro do Rio. De lambuja, ainda oferece uma saída civilizada tanto do aeroporto Santos Dumont quanto da Rodoviária.

Curiosidade: durante a construção e no início da operação, o VLT foi alvo de críticas e até de chacota. Era 'lento' (comparado com os ônibus malucos do Rio, é mesmo), ia causar acidentes e atropelamentos a rodo (até hoje só houve uma batida, durante a fase de ensaios) e ninguém ia pagar (o índice de evasão não chega a 10%). Hoje o VLT é o xodó dos meios de transporte do Rio.

A rede de VLT

Mexa no mapa! Use o comando (+) para aproximar e ver detalhes que não aparecem. Use o comando (-) para afastar e ter um plano ainda mais geral.

Por enquanto há duas linhas implantadas (o plano original inclui uma terceira).

A linha 1 vai do Aeroporto Santos Dumont à estação Praia Formosa, passando por avenida Rio Branco, Praça Mauá, Porto Maravilha e Rodoviária Novo Rio. O percurso do Santos Dumont à Rodoviária leva 29 minutos.

A linha 2 vai da Praça XV (estação das barcas) à estação Praia Formosa, passando por Praça Tiradentes, Central e Rodoviária Novo Rio. O percurso da Rodoviária à Praça XV leva 19 minutos.

A transferência entre linhas acontece entre as estações Sete de Setembro (linha 1) e Colombo (linha 2). As duas ficam nos arredores do cruzamento da av. Rio Branco com rua Sete de Setembro, mas não são fisicamente integradas: você vai caminhando de uma para outra. É preciso validar o seu cartão RioCard novamente no totem ao embarcar, mas não será cobrada uma nova viagem.

VLT: informações práticas

VLT: horários

O VLT funciona diariamente das 6h à meia-noite.

VLT: tarifa, cartões, bilheterias

  • Cada viagem custa R$ 3,80
  • O VLT só aceita o cartão RioCard

Rio: validando o cartão no VLT

  • Não há catraca: você precisa validar seu cartão num dos totens dentro do bonde, junto às portas
  • O uso do cartão RioCard no VLT é individual. Não é possível usar um mesmo cartão para mais de uma pessoa (o totem só debita uma segunda viagem depois de 1 hora da primeira validação)
  • Fiscais percorrem o bonde conferindo os cartões de todos os passageiros. Quem não tiver validado o seu cartão paga multa de R$ 170,00

Rio de Janeiro: como se deslocar - VLT

  • Não há bilheterias físicas. Apenas máquinas de venda/recarga do cartão RioCard em todas as estações. As máquinas aceitam dinheiro ou cartão de débito. As máquinas não dão troco

VLT: Integração

O VLT oferece integração com os ônibus municipais. Embarcando até duas horas depois da primeira validação, não é debitada uma segunda viagem.

VLT: macetes & pegadinhas:

  • Por ser muito usado por turistas, o VLT costuma ter filas nas máquinas de venda, sobretudo em estações como Cinelândia e Parada dos Museus. Mais um motivo para que você compre o seu RioCard ao chegar à cidade
  • Vindo de metrô da Zona Sul, a estação Cinelândia é mais perto do VLT do que a estação Carioca
  • A função débito das máquinas de venda nas estações está freqüentemente quebrada. Se for carregar crédito com dinheiro, lembre-se que a máquina não dá troco
  • A integração entre as linhas 1 e 2, nas estações Sete de Setembro e Colombo, não se dá na mesma estação. Você desembarca numa estação (Sete de Setembro ou Colombo) e vai a pé até a outra estação (Colombo ou Sete de Setembro) para pegar o bonde da outra linha. Será necessário validar novamente o RioCard, mas a continuação da viagem não será debitada

Aonde ir de VLT

Rio de Janeiro: aonde ir de VLT

O VLT tornou mais fácil e segura a visita à grande maioria das atrações do Centro do Rio. Vá ao Centro de metrô e prossiga de VLT.

Só no circuito do Boulevard Olímpico, o VLT leva ao Museu do Amanhã, AquaRio, mural Etnias, M.A.R., Mosteiro de São Bento, Pira Olímpica, CCBB, Casa França-Brasil , Centro Cultural dos Correios, Paço Imperial, Praça XV e Ilha Fiscal.

Fora do eixo Orla Conde-Praça Mauá-Porto Maravilha ainda dá para ir à Confeitaria Colombo, aos teatros da Praça Tiradentes e Real Gabinete Português de Leitura, ao MAM, à Rodoviária e ao aeroporto Santos Dumont.

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

  • Táxi

Rio de Janeiro: como se deslocar - táxi

Graças à chegada dos aplicativos de táxi (99, Easy) e de trânsito (Waze, Google Maps), e à concorrência com os Ubers da vida, os táxis do Rio hoje prestam um serviço muito superior do que há alguns anos.

Casos de trajetos mais longos do que o necessário e taxímetros adulterados -- problemas que existem em cidades turísticas do mundo inteiro, de Budapeste a Buenos Aires -- hoje são relativamente raros (e, pelo que tenho visto, mais relacionados ao ponto do aeroporto Santos Dumont).

De dia, na Zona Sul, é bem fácil pegar táxi na rua. Mas eu prefiro chamar pelo aplicativo, sempre.

Leia sobre Uber, Cabify & cia. no Rio aqui.

Táxi no Rio: aplicativos

Há três opções de aplicativos para chamar táxis convencionais.

O 99 atua no Rio com o 99Taxi (que oferece descontos de ) e Táxi Comum (vai pelo taxímetro). O valor informado ao pedir a corrida é apenas estimativo. O valor final da corrida vai depender do trajeto percorrido e do trânsito no momento.

O Easy também tem duas opções, ambas de táxis convencionais. O Easy Economy oferece 10% de desconto, e o EasyTaxi vai pelo taxímetro.

Implementado pela Prefeitura, o Taxi.Rio não cobra comissão dos motoristas e funciona como um leilão. O passageiro informa a faixa de desconto pretendida (de 10% a 40%) e espera um taxista aceitar a corrida. O valor da corrida só é conhecido ao fim do percurso. Por enquanto o pagamento pode ser feito somente em dinheiro, e o aplicativo está disponível apenas para Android.

Se todos os aplicativos oferecem desconto, por que escolher alguma opção sem desconto? Em momentos de alta procura, as opções com desconto podem desaparecer. Se você está com pressa, pode ser atendido mais rápido pedindo um táxi pelo taxímetro.

As tarifas foram reajustadas no fim de janeiro de 2018. Enquanto o taxímetro não for aferido, o aumento deve ser consultado na tabela afixada na janela traseira.

Táxi no Rio: preços

  • Bandeirada: R$ 5,50
  • Km rodado na bandeira 1: R$ 2,50 (2ª a sábado das 6h às 21h)
  • Km rodado na bandeira 2: R$ 3 (2ª a sábado das 21h às 6h; domingo e feriado o dia inteiro)
  • Adicional por bagagem: R$ 2,50 por volume, desde que seja manuseada pelo motorista
  • Hora parada: R$ 31,50

O site Tarifa de Táxi é uma boa referência para cálculo de corridas.

Táxi no Rio: macetes & pegadinhas

  • O costume local é que o passageiro viaje no banco de trás. O banco da frente normalmente só é ocupado quando viajam três passageiros
  • À noite, o luminoso 'Táxi' pode estar aceso mesmo com o táxi ocupado. Os táxis livres costumam acender à noite o letreiro 'Livre' posicionado à altura do pára-brisa
  • Nas avenidas com faixa de ônibus dedicada ao sistema BRS (como Ataulfo de Paiva em Ipanema e Nossa Senhora de Copacabana), os táxis pegam e deixam passageiros apenas na calçada da esquerda. Podem circular na faixa dos ônibus, quando tiverem passageiro, mas não podem parar do lado direito
  • É melhor esperar seu carro de aplicativo dentro do prédio, do restaurante ou da loja. Evite ficar de bobeira com o celular na mão na calçada
  • As tarifas foram reajustadas no fim de janeiro de 2018, e enquanto o taxímetro não for auferido, o taxista circula com uma tabela afixada na janela traseira

Aonde ir de táxi

Rio: aonde ir de táxi

O táxi é o melhor meio para chegar a pontos turísticos servidos apenas por ônibus, como Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Jardim Botânico e IMS.

Use o táxi para todos os seus deslocamentos noturnos, sobretudo na hora de voltar.

Nos dias úteis, durante o dia, o metrô é mais rápido do que o táxi para viagens entre a Zona Sul e o Centro.

Para baratear a ida às praias da Barra da Tijuca e Zona Oeste, você pode combinar metrô e bRT com táxi. Para ir à Praia do Pepê, vá de metrô até Jardim Oceânico e pegue o táxi lá. Para a praia da Reserva, vá de metrô até o Jardim Oceânico, siga de BRT até o terminal Alvorada e continue de táxi. Para as praias do Recreio & Pontal, Macumba, Prainha, Abricó ou Grumari, vá de metrô até o Jardim Oceânico, siga de BRT até o terminal Recreio e então pegue um táxi.

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

  • Uber & cia.

Rio de Janeiro: como se deslocar - Uber

Depois de um início conturbado de operações, o Uber e congêneres hoje têm atuação desimpedida no Rio. O Uber inclusive dispõe de área designada para embarque nos aeroportos Santos Dumont e Galeão e foi um dos patrocinadores oficiais do Carnaval da prefeitura. Só na Rodoviária é que dá problema: é preciso combinar um local de embarque longe do ponto de táxi.

A concorrência levou os táxis convencionais a oferecerem descontos (por meio dos aplicativos 99, Easy e Taxi.Rio), equilibrando a disputa de preço com os carros particulares. Vale sempre a pena comparar preços (existe um aplicativo que faz essas comparações: o Vah).

Uber & cia.: tipos e preços

Todos os aplicativos de carros particulares operam com tarifa dinâmica. Ou seja: em momentos de alta procura, as ctarifas sobem, e tendem a ficar mais caras do que se fossem feitas num táxi convencional, com taxímetro.

O Uber é o serviço que oferece a maior variedade de alternativas: dá para escolher entre o UberPool (trajetos compartilhados com outros passageiros), UberX (carros pequenos), Uber Select (carros médios) e Uber Black (carros grandes). O valor é informado quando você pede a corrida, e se você confirmar, não será alterado.

O Cabify atua no Rio apenas na versão Cabify Lite, com carros mais básicos. O valor é informado quando você pede a corrida, e se você confirmar, não será alterado.

O 99 tem o 99 Pop, que usa carros básicos. Assim como acontece com as opções de táxi convencional do aplicativo (99 e 99Taxi), o valor informado quando você pede a corrida é apenas uma estimativa. O valor final vai depender do trajeto percorrido e do trânsito no momento.

Uber & cia. no Rio: macetes & pegadinhas

  • Os motoristas de carros particulares costumam ter pouca experiência no trânsito da cidade. Peça que usem o Google Maps, que escolhe o itinerário mais rápido entre percursos convencionais, no lugar do Waze, que pode fazer vocês passarem por lugares perigosos
  • Se você está propenso a usar o Uber Select, compare com o preço do Uber Black. Pela minha experiência, a diferença de qualidade não só dos carros, mas principalmente dos motoristas, é bem maior do que a diferença de preço
  • É melhor esperar seu carro de aplicativo dentro do prédio, do restaurante ou da loja. Evite ficar de bobeira com o celular na mão na calçada

Aonde ir de Uber & cia.

Aonde ir de Uber: Vista Chinesa

Vou repetir aqui as mesmas indicações que fiz na seção dos táxis. Em momentos de baixa procura, os carros particulares de aplicativo costumam ter tarifas mais em conta (além de garantirem o valor informado ao pedir a corrida).

Vá de Uber & cia. a pontos turísticos servidos apenas por ônibus, como Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Jardim Botânico e IMS. A subida à Vista Chinesa deve ficar sensivelmente mais em conta de Uber do que de táxi (compare nos aplicativos antes de pedir).

Use Uber & cia. para todos os seus deslocamentos noturnos, sobretudo na hora de voltar.

Nos dias úteis, durante o dia, o metrô é mais rápido do que o Uber & cia. para viagens entre a Zona Sul e o Centro.

Para baratear a ida às praias da Barra da Tijuca e Zona Oeste, você pode combinar metrô e BRT com Uber. Para ir à Praia do Pepê, vá de metrô até Jardim Oceânico e chame o Uber lá. Para a praia da Reserva, vá de metrô até o Jardim Oceânico, siga de BRT até o terminal Alvorada e continue de Uber. Para as praias do Recreio & Pontal, Macumba, Prainha, Abricó ou Grumari, vá de metrô até o Jardim Oceânico, siga de BRT até o terminal Recreio e então chame o Uber.

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

  • Ônibus

Rio de Janeiro: como se deslocar - ônibus

Os ônibus no Rio oferecem duas vantagens com relação à sua alternativa, o metrô. A mais óbvia é que você não perde a vista da cidade nos seus deslocamentos. A outra é que, pelo menos na Zona Sul, os ônibus costumam circular menos cheios do que o metrô (meu palpite: porque são bem menos eficientes do que o metrô).

As desvantagens, porém, são muitas. O sistema é confuso até para os cariocas: uma (necessária) reestruturação de linhas, iniciada em 2015, foi interrompida no meio do caminho, e até hoje não foi totalmente absorvida pelos usuários. Precisando cumprir itinerários longuíssimos, os motoristas pisam fundo no acelerador sempre que podem, fazem curvas em alta velocidade e freiam bruscamente. (Os ônibus cariocas ou estão parados no engarrafamento, ou estão a 80 km/h.) Se estão atrasados, podem passar batido pelo ponto, sem parar para quem faz sinal. Os ônibus também são suscetíveis a assaltos -- coisa que absolutamente não acontece no metrô.

Nos últimos dois anos, o preço das passagens tem sido discutido judicialmente. Atualmente, as passagens custam R$ 3,95.

A rede de ônibus

A reestruturação das linhas, iniciada em 2015, tinha como objetivo 'curitibanizar' o sistema de ônibus carioca. No entanto, além de malfeita, a reforma foi mal recebida pela população, que não tem nenhuma simpatia pela idéia de transbordo em estações intermediárias. A racionalização acabou não sendo levada adiante, e está sendo revertida pela atual prefeitura.

O sistema se estrutura teoricamente sobre as linhas Troncais e Integradas, que unificaram linhas com percursos coincidentes. A maioria das linhas Troncais leva ao Centro. A maioria das linhas Integradas une a Barra da Tijuca e Zona Oeste a um terminal no shopping Rio Sul, de onde os passageiros podem seguir para o Centro em outras linhas.

Além delas, funciona uma miríade de linhas bairro-a-bairro, muitas delas ligando a Zona Norte à Zona Sul sem passar pelo Centro (via túneis Santa Bárbara ou Rebouças).

BRS: como funciona

Rio de Janeiro: como se deslocar - ônibus

Existem 18 vias na cidade operando com corredores BRS (Bus Rapid Service). Nesses corredores, exclusivos para ônibus e para táxis trafegando com passageiros, as paradas são numeradas. Alguns ônibus param apenas nas paradas BRS 1, outros nas paradas BRS 2, outros nas paradas BRS 3. O aplicativo Moovit informa em que ponto pára o ônibus que você precisa pegar.

Ônibus: informações práticas

Ônibus: horários

O sistema opera 24 horas, mas cada linha funciona nos seus próprios horários. O aplicativo Moovit informa sobre os itinerários disponíveis no horário em que você precisar se deslocar.

Ônibus: tarifa e modos de pagamento

  • Cada viagem custa R$ 3,95 (setembro/2018)
  • Você pode pagar em dinheiro ou com o cartão RioCard
  • Não há máquinas de venda ou recarga de RioCard nas paradas de ônibus

Ônibus: integração

Usando o cartão RioCard até duas horas e meia depois da primeira validação, você pode fazer integração gratuita entre um ônibus municipal e:

  • Outro ônibus municipal
  • VLT
  • BRT

Ônibus: macetes & pegadinhas:

  • Baixe o aplicativo Moovit, disponível para Android e IOS, para orientar suas viagens de ônibus. Além de indicar o itinerário, o aplicativo tem um GPS que ajuda a encontrar o ponto de embarque e saltar na parada certa
  • A entrada é pela frente do ônibus. Se você for pagar em dinheiro, pague para o motorista. (Foi aprovada uma lei determinando o retorno dos cobradores aos ônibus, mas as empresas ainda não se readaptaram)
  • Quando estiver no ponto de ônibus, não seja discreto para fazer sinal. Os motoristas não fazem questão de parar nos pontos em que não precisem desembarcar passageiros. Seja bem explícito quando quiser que um ônibus pare para você

Aonde ir de ônibus

Rio: aonde ir de ônibus

Prefira sempre metrô, VLT, táxi, Uber ou BRT. Use ônibus aonde os outros meios de transporte não levarem -- ou se o táxi/Uber não couber no seu bolso.

As principais atrações que não têm metrô, VLT ou BRT na porta -- e que, por isso, devem ser acessadas de ônibus -- são Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Jardim Botânico e IMS.

O ônibus também é indicado para quem não quer gastar os tubos para chegar a algumas praias afastadas da Zona Sul. O ônibus leva até as praias do Recreio & Pontal e Macumba. E deixa você a uma curta caminhada das praias da Joatinga, Reserva.

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

  • BRT

Rio: como se deslocar - BRT

O BRT (Bus Rapid Transit) é um corredor percorrido exclusivamente por ônibus articulados ou biarticulados, que funciona como um metrô de superfície.

No Rio, funciona bastante a contento entre a Barra da Tijuca e o Recreio, e também na ligação com o Parque Olímpico.

É a única opção de transporte público para sair do aeroporto do Galeão, mas não é conveniente para quem vai se hospedar na Zona Sul.

A rede de BRT

Mexa no mapa! Use o comando (+) para aproximar e ver detalhes que não aparecem. Use o comando (-) para afastar e ter um plano ainda mais geral.

Há três corredores em funcionamento: Transoeste (azul, no mapa), Transcarioca (vermelho) e Transolímpica (marrom). Um quarto corredor, Transbrasil (pela avenida Brasil) está em construção.

O corredor Transoeste (azul) liga a estação de metrô Jardim Oceânico, no início da Barra da Tijuca, aos terminais Alvorada (no final da Barra), Recreio, Santa Cruz e Campo Grande. O trecho do Jardim Oceânico ao Recreio funciona muito bem. Já entre Santa Cruz e Campo Grande há muitas estações vandalizadas e ameaça de interrupção do serviço.

O corredor Transcarioca (vermelho) liga o aeroporto do Galeão ao terminal Alvorada, na Barra da Tijuca, passando por importantes bairros do subúrbio, e pelo Parque Olímpico.

O corredor Transolímpica (marrom), construído para a Rio 2016, liga o Recreio a Deodoro, passando pelo Parque Olímpico. Futuramente estará conectado com o corredor Transbrasil, que vai ligar Deodoro ao Centro.

Dos terminais e estações mais importantes dos corredores operam linhas alimentadoras, que funcionam com integração.

Algumas linhas operam em dois corredores sem necessidade de transbordo, como as linhas Centro Olímpico-Jardim Oceânico e Madureira-Jardim Oceânico (que trafegam pelo Transcarioca e pelo Transoeste).

Há três tipos de ônibus:

  • expressos, que param só nas estações principais
  • semi-diretos, que param em estações selecionadas
  • paradores, que param em todas as estações

BRT: informações práticas

BRT: horários

O sistema funciona 24 horas. O horário de cada linha, no entanto, varia. O aplicativo Moovit informa sobre os itinerários disponíveis no horário em que você precisar se deslocar.

BRT: tarifa, cartão, bilheterias

  • Cada viagem custa R$ 3,95
  • Para passar na catraca você precisa de um RioCard
  • Há máquinas de venda/recarga do cartão RioCard em todas as estações de BRT. As máquinas aceitam dinheiro ou débito
  • As estações também têm bilheterias físicas, abertas em horário variável (consulte por estação aqui)

BRT: integração

O BRT oferece integração dentro do BRT e também com ônibus municipais.

Moradores cadastrados têm redução na tarifa na integração entre BRT e metrô, mas o benefício não é estendido a visitantes.

BRT: macetes & pegadinhas:

  • Verifique se a estação em que você vai saltar é servida por ônibus expressos ou só por paradores, para não pegar o ônibus errado
  • Os ônibus expressos e paradores têm locais de embarque diferentes na estação. Ao passar pela catraca, procure pela zona certa de embarque

Aonde ir de BRT

O BRT é a melhor alternativa para shows e eventos no Parque Olímpico. O corredor elimina o engarrafamento e a dor de cabeça de estacionar. (Em alguns eventos, como o Rock in Rio, a área é interditada para carros e o BRT se torna a única maneira de chegar.)

Entre as atrações turísticas mais convencionais, o BRT oferece acesso direto à Cidade das Artes (salte no terminal Alvorada e siga pela passarela subterrânea). A estação BarraShopping também é bem conveniente para quem vai ao New York City Center ou ao BarraShopping.

Use o BRT para encurtar a corrida de táxi ou Uber às praias da Zona Oeste. Salte no terminal Alvorada para seguir de táxi ou Uber à praia da Reserva. Já o terminal Recreio é o mais próximo das praias do Recreio & Pontal e Macumba, Prainha, Abricó e Grumari.

Se você está hospedado na Barra da Tijuca ou no Parque Olímpico, pode usar o BRT para ir e vir entre o seu hotel e o Galeão. Mas tenha em mente que vai pegar veículos lotados e que a viagem à estação Rio 2 ou Terminal Alvorada vai levar quase uma hora e meia (e pode requerer transbordo).

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

  • Barca

Rio de Janeiro: como se locomover - barcas

'Barca', hoje em dia, é quase uma força de expressão. Ainda há barcas na frota da concessionária da travessia Rio-Niterói, mas só são usadas muito eventualmente. As viagens hoje são feitas a bordo de modernos catamarãs com ar-condicionado.

A travessia é panorâmica, mas não substitui um passeio de barco pela Baía de Guanabara. É possível apreciar a vista (e ocasionalmente ver um avião decolando ou pousando no Santos Dumont), mas os novos catamarãs não permitem viajar no convés.

A rede de barcas

Há 4 linhas em operação, todas saindo da Praça XV: Praça Araribóia (Niterói), Charitas (Niterói), Ilha de Paquetá e Cocotá (Ilha do Governador).

A linha Praça XV-Praça Araribóia liga o centro antigo do Rio à região central de Niterói. A travessia é feita em 20 minutos.

A linha Praça XV-Charitas leva à estação de Charitas, um bairro litorâneo de Niterói. A travessia dura 20 minutos. É uma linha denominada 'seletiva' e só funciona de 2ª a 6ª (não opera sábado, domingo ou feriado).

A linha Praça XV-Ilha de Paquetá tem 12 horários por dia entre o centro do Rio e a pitoresca ilhota. A travessia leva 50 minutos nos horários servidos por catamarã (70 minutos se a travessia for feita por barca).

A linha Praça XV-Cocotá serve os moradores da Ilha do Governador. A travessia leva 55 minutos e é operada apenas de 2ª a 6ª (não funcoina sábado, domingo nem feriado).

Barcas: informações práticas

Barca: horários

Os catamarãs da linha Praça XV-Araribóia saem do Rio entre 6h e 23h30 (domingo até 23h), e de Niterói entre 5h e 23h30.

A linha Praça XV-Charitas (que só opera em dias úteis) tem catamarãs saindo do Rio entre 6h30 e 20h e saindo de Charitas entre 6h e 20h10.

A linha Praça XV-Paquetá tem saídas da Praça XV entre 5h30 e meia-noite nos dias úteis e 4h30 e meia-noite nos fins de semana e feriados. As saídas de Paquetá acontecem entre 5h30 e meia-noite nos dias úteis e entre 6h e 23h30 nos fins de semana e feriados.

Consulte todos os horários no site da CCR Barcas.

Barca: tarifas e modos de pagamento

  • A passagem nas linhas Araribóia, Cocotá e Paquetá custa R$ 6,10 por trecho (setembro/2018)
  • A linha Praça XV-Charitas (seletiva) custa R$ 16,90 por trecho (setembro/2018)
  • Você pode comprar a passagem na bilheteria, com dinheiro vivo, ou passar direto pela catraca com o cartão RioCard
  • Há máquinas de venda ou recarga de RioCard nas estações

Barcas: integração

As barcas só oferecem integração para portadores de Bilhete Único Intermunicipal, que requer cadastro e é exclusivo para moradores do Grande Rio que usem transporte intermunicipal.

Como chegar à Praça XV?

Vindo das zonas hoteleiras da Zona Sul, vá de metrô até a estação Cinelândia. Ali pegue o VLT direção Rodoviária. Desça na estação Sete de Setembro. Atravesse a avenida Rio Branco e vire na rua Sete de Setembro: ali você encontrará a estação Colombo da linha 2 do VLT. Suba num bonde na direção Praça XV (você vai precisar validar seu cartão, mas a passagem do segundo trecho não será cobrada, pois é de integração).

Também é possível descer na estação Carioca do metrô e ir caminhando até a estação Colombo do VLT, dispensando a baldeação entre as linhas do VLT (mas nessa opção há um pequeno risco de você ficar desorientado ao sair do metrô, se não conhecer o centro do Rio).

Se você estiver hospedado na Lapa, pegue a linha 2 do VLT na Praça Tiradentes (caminhe até o fim da rua do Lavradio, vire à direita), sentido Praça XV.

Aonde ir de barca

Rio: aonde ir de barca

Veja nosso roteiro de 1 dia em Niterói, combinando barca com táxi ou Uber. (Dica: se você for em dia de semana, dá para ir pela Praça Araribóia e voltar por Charitas.)

Se quiser ir às praias oceânicas de Niterói (Itaipu, Camboinhas ou Itacoatiara) sem alugar carro, o trajeto mais rápido/confortável é feito em dia de semana, combinando a barca a Charitas com táxi ou Uber.

Em breve, teremos também um post sobre como visitar Paquetá de barca.

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

  • Carro

Rio de Janeiro: como se deslocar - carro

Há vários motivos para evitar se deslocar de carro próprio ou alugado pelo Rio. O trânsito é complicado. Estacionar é muito difícil -- e caro -- do que em outras capitais (incluindo São Paulo). Blitze de lei seca acontecem todas as noites, e ocasionalmente durante o dia também. E estando de carro, você tende a não aproveitar os meios de transporte público que funcionam melhor que carro (são os casos do metrô e do VLT).

Quando vale a pena estar de carro no Rio?

  • Quando você vem com o seu próprio carro ao Rio, trazendo a família, poupando assim uma fortuna em passagens aéreas. (Mas se informe sobre diárias de estacionamento no seu hotel ou nas redondezas do apartamento que você está alugando)
  • Quando você se hospeda na Barra da tijuca. O carro é o melhor meio de transporte entre a Barra e a Zona Oeste, e o estacionamento na região é bem mais em conta do que na Zona Sul. (Quando for à Zona Sul e ao Centro, no entanto, combine metrô com táxi ou Uber)
  • Quando você tira o dia para passear pelas Barra da Tijuca e Zona Oeste ou Niterói (com ou sem praias)

Carro: macetes e pegadinhas

  • Prefira o Google Maps, que escolhe o mais rápido entre percursos convencionais, ao Waze, que no afã de descobrir o caminho menos engarrafado pode levar você por quebradas perigosas
  • Em várias áreas vigora o Rio Rotativo, estacionamento pago em avenidas e bolsões. As vagas são controladas por flanelinhas credenciados. A folha do talão custa R$ 2 e na maioria dos lugares dá direito a 2 horas de estacionamento. O horário pago vai de 7h às 19h (2ª a 6ª) e de 7h às 13h (sábado, domingo e feriado). Infelizmente o sistema sofre com muitas irregularidades. Flanelinhas adulteram o horário nas placas (pintando o horário até 23h), vendem talões falsos e em alguns lugares (como as praias da Zona Oeste) ignoram solenemente o preço
  • Não subestime a Lei Seca. No Rio ela é bastante séria, e surpreendentemente não-corrupta
  • Se for alugar carro para passear, alugue na véspera, no fim do dia. Se você deixar para pegar o carro no dia do passeio, pode perder preciosas horas de sol na locadora, que de manhã costuma ficar lotada de clientes que não tem sequer cadastro feito

Aonde ir de carro no Rio

Aonde ir de carro no Rio: Itacoatiara, Niterói

Se você não está motorizado, vale a pena alugar um carro para ir às praias pra lá da Barra: Reserva, Recreio & Pontal, Macumba, Prainha, Abricó e Grumari. Você pode combinar uma praia com a visita ao Sítio Burle Marx, e/ou aos restaurantes de Vargem Grande.

Outra região que vale a pena explorar de carro é Niterói, sobretudo se você incluir alguma praia oceânica (Itaipu, Camboinhas ou Itacoatiara).

Como se deslocar | RioCard | Metrô | VLT | Táxi | Uber | Ônibus | BRT | Barca | Carro

Leia mais:

Leia mais:

5 comentários

Bruna
BrunaPermalinkResponder

Sobre as máquinas de Riocard: tem uma no Shopping Nova América, na área de caixas eletrônicos do primeiro piso, do lado das Lojas Americanas. Pra quem estiver hospedado no Ibis do Nova América, é uma boa.

Francis
FrancisPermalinkResponder

Escreveram: "No sábado, domingo e feriado, porém, a linha 1 serve apenas 16 estações, entre Pavuna e Estácio". O certo é linha 2. E há também máquina RioCard na estação Sáenz Peña, na Tijuca, na linha 1.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada, Francis! Corrigida informação da linha 2. Mas a lista de máquinas foi feita pensando nas zonas turísticas, mesmo.

Orlando
OrlandoPermalinkResponder

De fato, locomover-se na cidade do Rio de Janeiro é uma tarefa ingrata, sobretudo se você mesmo for o condutor. O trânsito costuma ser caótico, principalmente porque os cariocas não são nada amistosos atrás do volante. São, eu diria, competitivos e até mal educados. Além do que, há uma infinidade de armadilhas criadas pelo péssimo gerenciamento da malha viária, que favorecem multas ou acidentes. Somem-se a isso a pressa e o calor, que deixam motoristas, pedrestes e ciclistas naturalmente tensos e susceptíveis a arriscar qualquer ação que abrevie o incômodo de estar ali. Por fim, vagas de estacionamento que não estiverem sob a guarda de um flanelinha trapaceiro, ah, serão uma raridade!

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Senti falta de explicações sobre os Trens da Supervia, que possuem 220km de extensão (mais que o metrô de Paris) e que são a melhor forma para se chegar nas Zonas Norte, Oeste e Baixada. Para se chegar no estádio do Engenhão ou na Batata de Marechal ainda são a melhor forma kkkkkkkk

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar