Óleo nas praias do Nordeste: atualização de 13 de outubro

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

óleo nas praias do Nordeste: Jericoacoara está livre

Jeri: por enquanto, sem óleo

Óleo nas praias do Nordeste: situação 13 de outubro de 2019

Destaques de 12 e 13 de outubro

- Novas manchas de óleo atingem Barra de Santo Antônio, em Alagoas
- Praia do Forte e Guarajuba entram em processo de limpeza
- Situação se mantém estável em Salvador, sem novas notícias
- Bahia pode decretar estado de calamidade para facilitar socorro a localidades atingidas

A mancha de óleo no Nordeste continua se deslocando na direção sul. No dia 11, sexta-feira, chegou a Salvador, onde foram identificados pequenos pontos de óleo na areia de seis praias da cidade.

48 horas depois da chegada do óleo, não há novas praias atingidas na cidade. Foram retirados apenas 30 kg de óleo das praias com vestígios. Não se verifica em Salvador o que aconteceu em dois pontos d4 Praia do Forte.

Praia do Forte, que tinha sido classificada pelo Ibama na categoria mais grave, "manchas", entrou em processo de limpeza, juntamente com a vizinha Guarajuba.

Todas as praias são atingidas igualmente?

Assim como acontece com a trajetória de furacões no Caribe, a mancha de óleo no mar tem causado estragos desiguais por onde passa, porque não é sempre que vem dar na praia -- e quando chega à areia, a intensidade dessa chegada varia.

Algumas praias sofrem com grandes manchas de óleo, enquanto outras apresentam apenas vestígios esparsos. Outras ainda conseguem ser inteiramente poupadas.

Pouquíssimas praias foram interditadas pelas autoridades -- e quando ocorreu, foi por pouco tempo, como aconteceu com a Praia do Futuro em Fortaleza. A prefeitura de Salvador é a que está agindo de maneira mais preventiva, não recomendando (sem no entanto interditar) o banho em 6 praias da cidade: Flamengo, Itapuã, Piatã, Jardim de Alah, Jardim dos Namorados e Buracão.

Até agora, apenas Sergipe decretou estado de emergência por causa do óleo. Espera-se que nesta segunda-feira dia 14 a Bahia decrete estado de calamidade para facilitar o socorro aos locais atingidos.

A imprensa local dos estados só tem dado destaque na chegada, e normalmente nos casos mais graves. Depois de uns dias o assunto deixa de ser acompanhado, o que é um indicador de normalidade.

(A imprensa baiana é a primeira imprensa regional que está acompanhando a trajetória da mancha milímetro a milímetro.)

Falta de notícias, em princípio, é boa notícia. Se a água estivesse suja, a internet estaria cheia de reclamações de turistas, apareceriam muito mais fotos, passeios seriam suspensos. Nada disso vem acontecendo.

Há casos pontuais de proibição de pesca ou extração de ostras de mangue, nos pontos em que grandes manchas chegaram à praia. Mas não nenhum lugar decretou proibição de consumo de pescados.

Eu não duvido do desastre ecológico que os ambientalistas estão anunciando. Mas os danos, gravíssimos, ao meio ambiente, parecem não afetar a balneabilidade da imensa maioria das praias. A ver.

Veja:

O que diz o Ibama

É possível acompanhar pelo site do Ibama a situação do óleo nas praias do Nordeste.

O PDF com a lista e o mapa das praias atualizada em 13 de outubro está neste link.

Para encontrar alguma informação, no entanto é preciso usar o zoom.

A lista de praias é difícil de consultar, porque não está organizada nem em ordem geográfica, nem alfabética, mas em ordem cronológica das primeiras vistorias. Num mesmo local pode haver uma nova coluna, onde vai constar a data da vistoria mais recente.

As praias estão classificadas em quatro categorias:

  • Sem vestígios de óleo (bolinha verde)
  • Com vestígios esparsos de óleo (bolinha cinza)
  • Com manchas de óleo (bolinha preta)
  • Em limpeza (bolinha amarela)

Infelizmente nem todas as praias mais conhecidas estão listadas. Lugares como Maragogi, São Miguel dos Milagres, São Miguel do Gostoso e Canoa Quebrada estão fora da lista, não aparecem nem como "sem vestígios".

As novidades

O relatório do fim da tarde do dia 11 de outubro traz uma péssima notícia: a situação piorou em Praia do Forte. A praia agora faz parte das praias com manchas de óleo, a categoria mais afetada.

A boa novidade dos últimos relatórios é o registro de bolinha verde (sem óleo) para as praias de Porto de Galinhas e Carneiros, em Pernambuco (apesar de Tamandaré, vizinha a Carneiros, ter vestígios de óleo).

As grandes manchas

Segundo o relatório do Ibama, o trecho mais prejudicado vai do extremo sul de Alagoas (Piaçabuçu) ao extremo norte da Bahia (Conde), onde foram detectadas grandes manchas de óleo na areia.

O litoral de Sergipe é o que tem mais pontos de óleo.

Praias com manchas de óleo

Estas praias figuraram na categoria 'Oleada' do relatório do Ibama em algum momento entre 30 de agosto e 5 de outubro de 2019

Alagoas
Barra de Santo Antônio
Coruripe
Gunga
Lagoa do Pau
Piaçabuçu

Bahia
Baixio
Conde
Jandaíra

Sergipe
Estância

Os vestígios esparsos

A categoria seguinte, de vestígios esparsos de óleo, traz praias onde há pequenos pontos de óleo bruto espalhados pela areia (que logo viram piche). Esse óleo não chega a tingir a areia de preto: são pintinhas que passam por pedras, folhas ou sujeira.

Mesmo que esses vestígios não cheguem a agredir visualmente, é difícil escapar de pisar num deles e sair com o pé carimbado. E para tirar, dá um trabalhão.

Nesta categoria, Alagoas apresenta vestígios de norte a sul (com exceção da região de Maragogi e São Miguel dos Milagres, que estranhamente -- dada a fartura de informações do resto do estado -- não está informada em nenhuma categoria).

Os pontos de piche também foram registrados em partes diversas do Ceará, em todo o sul do Rio Grande do Norte e em Pernambuco praticamente todo. A Paraíba tem focos de pixe em algumas praias da costa de Conde, ao sul de João Pessoa.

Praias com vestígios de óleo

Estas praias figuraram na categoria 'Vestígios/Esparsos' do relatório do Ibama em algum momento entre 30 de agosto e 5 de outubro de 2019

Alagoas
Barra de Santo Antônio
Barra de São Miguel
Carro Quebrado
Gunga
Ipioca (Maceió)
Japaratinga
Pajuçara (Maceió)
Paripueira
Ponta Verde (Maceió)
Praia do Francês

Bahia
Arembepe
Guarajuba
Imbassaí
Mangue Seco
Porto Sauípe

Ceará
Fortim
Lagoinha
Morro Branco
Paracuru
Prainha
Taíba

Maranhão
Ilha do Livramento (Alcântara)
Travosa (litoral de Santo Amaro)

Paraíba
Praia do Amor (Conde)
Gramame (Conde)
Tambaba (Conde)

Pernambuco
Boa Viagem (Recife)
Paiva (Recife)
Tamandaré

Piauí
Luís Correia

Rio Grande do Norte
Alagamar (Natal)
Baía Formosa
Búzios (Natal)
Genipabu
Maracajaú
Pirangi do Norte e do Sul (Natal)
Praia do Amor (Pipa)
Sagi
Redinha
Sibaúma (Pipa)
Tibau do Sul
Via Costeira (Natal)

Praias sem vestígio de óleo

Como nem todas as praias mais conhecidas estão citadas, não dá par para intuir que basta não estar nas listas de praias com óleo para uma praia estar livre de óleo.

Entre as praias que o relatório do Ibama afirma não terem óleo (até o momento), o estado que se sai melhor é a Paraíba, com praias limpas em quase toda a extensão (exceto um trechinho em Conde).

O Rio Grande do Norte, que apresentou pixe nas praias do sul, está livre de óleo em muitas praias do norte. Natal se enquadra nas duas categorias: tem praias sem óleo e outras com. A praia central de Pipa também parece estar livre de óleo (apesar de praias vizinhas, como a Praia do Amor e a Praia das Minas, apresentarem vestígios).

Jericoacoara está sem óleo (a medição foi feita na praia Malhada). Depois de anunciada como "com manchas de óleo", a Praia da Lama, em Cajueiro da Praia (perto de Barra Grande do Piauí), teve sua situação revertida para "não observado" (sem óleo), devido a limpeza natural.

Praias livres de óleo

Estas praias figuraram na categoria 'Não observado' do relatório do Ibama em algum momento entre 30 de agosto e 5 de outubro de 2019

Ceará
Malhada (Jericoacoara)

Maranhão
Av. Litorânea (São Luís)
Canto do Atins

Paraíba
Barra de Mamanguape
Cabo Branco (João Pessoa)
Camboinha e Poço (Cabedelo)
Praia Bela (Pitimbu)
Tambaú (João Pessoa)

Pernambuco
Carneiros
Porto de Galinhas
São José da Coroa Grande

Piauí
Praia da Lama (Cajueiro da Praia)
Praia do Arrombado (Luís Correia)
Praia do Coqueiro (Luís Correia)

Rio Grande do Norte
Barra do Cunhaú
Cotovelo (Natal)
Jacumã
Muriú
Perobas
Ponta Negra (Natal)
Praia de Pipa
Rio do Fogo/Zumbi
Rio Punaú
Touros

Sergipe
Pacatuba

Praias em operação de limpeza

Ibama e Petrobrás estão engajados numa operação de limpeza das praias afetadas. De acordo com a nota do Ibama, integrantes das comunidades estão sendo contratados e treinados para limpar todas as praias. As operações de limpeza dependem da conclusão do treinamento.

Esperemos que essa categoria cresça nos próximos dias...

Praias em limpeza

Estas praias figuraram na categoria 'Em limpeza' do relatório do Ibama em algum momento entre 30 de agosto e 5 de outubro de 2019

Bahia
Guarajuba
Praia do Forte
Sítio do Conde

Ceará
Sabiaguaba (Fortaleza)

Rio Grande do Norte
Camurupim (Natal)
Pirambúzios (Natal)

Sergipe
Abaís
Atalaia (Aracaju)
Barra dos Coqueiros (Aracaju)
Mosqueiro (Aracaju)

O que dizem os moradores e viajantes?

Precisamos do seu relato!

Esteve em alguma praia com óleo recentemente? Em caso afirmativo, por favor procure responder a essas perguntas:

  • Havia óleo na água ou estava só na areia?
  • Era visível de longe ou só de muito perto? A praia toda estava tinha piche, ou só alguns trechos?
  • A praia chegou a ser interditada?
  • Você e outros banhistas continuaram freqüentando a praia, mesmo com piche?

Alguns depoimentos que já recebemos (clique nos nomes dos leitores para carregar os comentários):

Aracaju (SE)

A Maria Tereza foi à praia do Mosqueiro no dia 9 de outubro e constatou alguns trechos salpicados com óleo, mas a água estava limpa.

Barra de São Miguel (AL)

A Maria Leonora entrou no mar dia 10 de outubro e saiu com bolinhas pretas de óleo grudadas no corpo.

Boa Viagem (Recife, PE)

A Rosaria está freqüentando Boa Viagem diariamentee desde 4 de outubro e relata vida normal.

Flecheiras (CE)

O Adolfo esteve na última semana de setembro e encontrou gotas de óleo na areia, que acabavam grudando no pé.

Japaratinga (AL)

A A Gisele está desde o dia 11 de outubro hospedada em Japaratinga e até agora só encontrou uma gotinha de óleo que grudou no pé.

Jericoacoara (CE)

O Anderson esteve em Jeri em 25 e 26 de setembro e encontrou muitas manchas de óleo na região da Pedra Furada (que não é a praia central de Jeri).

Maceió (AL)

A Mariana está fazendo passeios de praia em Maceió e entre os dias 6 e 9 de outubro foi à Praia do Francês, ao Gunga e às Dunas de Marapé. Só encontrou piche em Marapé (não dava para ver na areia, só descobriu depois de ter pisado).

Maragogi (AL)

A Letícia ligou para o Salinas de Maragogi em 9 de outubro e foi informada de que não há óleo na praia.

A Gisele esteve na praia do Burgalhau em 12 de outubro e não viu vestígios de óleo.

Pipa (RN)

A Mit participou de mutirão de limpeza das praias do Amor e das Minas em setembro e manda link da página de Facebook de um grupo de ativismo ambiental, com postagem de 1º de outubro.

O Luiz Fernando está em Pipa no dia 13 de outubro e relata que na praia da Baía dos Golfinhos (15 minutos a pé do centro na direção de Tibau) não há quase nada de óleo -- mas justamente por não ser perceptível, uma ou outra pelotinha de piche acaba grudando no pé.

Porto de Galinhas (PE)

A Greice esteve em Porto entre 2 e 4 de outubro e não encontrou óleo.

Praia do Forte (BA)

A Marcia estava em Praia do Forte no dia 8 de outubro, quando o óleo chegou, e as crianças precisaram ser retiradas da praia porque estavam se sujando.

Praia dos Carneiros (PE)

A Greice esteve em Carneiros entre 5 e 10 de outubro e não viu óleo na praia.

A Luzia passou o mês de setembro entre Tamandaré e Carneiros, encontrou bastante óleo no começo do mês, mas 10 dias depois, desapareceu.

São Miguel dos Milagres (AL)

O Rodolfo tem amigos que moram lá e dizem que não há óleo na areia.

Obrigado!

Leia mais:

146 comentários

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Estou indo p Jericoacoara dia 23/11, qual é a real situaçao lá?
E as praias de Fortaleza? irei 17/11, alguem pode informar quais estão livres de oleo?

Jéssica
JéssicaPermalinkResponder

Boa tarde galera, tenho viagem marcada para Natal e Tibau do sul no Rio Grande do Norte entre os dias 11/11 a 20/11, alguém sabe me informar se as praias de Maracajaú, Perobas, Genipabu e as praias da região de Pipa foram muito afetadas? Se sim será que já estão sendo limpas?

Mit
MitPermalinkResponder

Em Pipa a limpeza está sendo feita por voluntários (moradores e turistas). Eu estava de férias e participei. O relato no facebook de 01/10/2019 do projeto que está atuando na limpeza é que a prefeitura de lá nem recolher estava recolhendo os sacos de lixo com o que eles estão chamando de "piche" coletado a mais de 15 dias.

https://www.facebook.com/triboambiental/posts/2722285401129275

Roberto
RobertoPermalinkResponder

Nessa hora, todo cuidado é pouco, a indústria do turismo tende a abafar a gravidade do problema para amenizar seu prejuízo. O petróleo cru pode afetar a digestão dos animais e o desenvolvimento de algas, essenciais para a cadeia alimentar dessas espécies. Logo, o consumo de peixes e frutos do mar pode não ser recomendável em algumas áreas mais afetadas. Além disso, há possíveis riscos para a saúde humana pois uma substância perigosa encontrada no petróleo cru é o benzeno. Essa substância pode ocasionar a diminuição dos glóbulos brancos em humanos. Com isso, as pessoas ficam mais susceptíveis a infecções. Talvez seja mais apropriado deixar as férias no litoral nordestino para outra ocasião.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roberto! Não seria mais inteligente esperar a análise dos especialistas especificamente sobre a balneabilidade? Você acha que a vida nas cidades litorâneas do Nordeste vai ser inviável? Você pode afirmar que todas as praias serão afetadas por igual? O catastrofismo e o sensacionalismo podem ser tão danosos quanto a leniência.

THULIO LORENTZ TRIVELLI

bom dia,
Parabéns A Bóia. Bom senso não faz mal a ninguém. Muita calma nesta hora. Abç.

Régis
RégisPermalinkResponder

Começou a histeria.....

lorenzo
lorenzoPermalinkResponder

catastrofismo so serve para nao saber os fatos reais...e a verdade e' que por enquanto nas cidades do nord este da para viajar e escolher , caso seja necessario, praias sem vestijo de petroleo como Ponta negra em Natal e muitas varias outras , veja relatorio IBAMA. Vale ressaltar que e sempre util pressionar as autoridades para termos liompeza nas praias afetadas...afinal das contas passar ferias descontraidas e direito de todos ...nao e.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Boa noite pessoal, como estão praias de Aracajú e Salvador?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristina! Sergipe apresenta manchas de óleo, Salvador ainda não. O óleo chegou já ao norte da Bahia, até Itacimirim.

TEREZINHA DE JESUS HERNANDES RODRIGUES

Estamos com viagem marcada para Japaratinga em 25 /10,como estão essas praias ?

Danielle
DaniellePermalinkResponder

Olá!! Tenho viagem marcada na última semana de novembro para a praia de Lages, Alagoas. Gostaria de saber notícias dessa região e arredores...São Miguel dos Milagres. Muito triste essa situação toda...absurdo!

Gabriel
GabrielPermalinkResponder

Olá amigos, alguém sabe da situação em Maragogi? Tenho planejamento pra Fevereiro!

Maria Tereza
Maria TerezaPermalinkResponder

Resumindo superficialmente:estou em Aracaju. Hoje fui à Praia do Mosqueiro: areia com alguns trechos salpicados de óleo, mas muito pouco. Água do mar limpa, normal.

PRISCILA SANTOS VELOSO

Olá amigos, quanta tristeza diante do ocorrido, Maria Tereza ainda está em Aracaju-Se? Como anda tudo por aí? E a Orla do Atalaia?

Neide Aparecida do Carmo

Maria Tereza vou pra Aracaju em Dezembro, poderia deixar mais relatos sobre as praias e alimentação? Obrigada.

Cibele
CibelePermalinkResponder

Em 18/10 estarei indo para Recife - Boa viagem, Porto de Galinhas e posteriormente Maragogi.

Como está a situação nessas praias?

Bianca
BiancaPermalinkResponder

Noticias de Pajuçara?

marco
marcoPermalinkResponder

Como o post diz, tem-se poucas informações sobre maragogi e sao miguel dos milagres. Estou indo domingo para maragogi no domingo(13/10), e sao miguel na quarta(16/10). Alguem foi recentemente e tem relatos?

Rodolfo
RodolfoPermalinkResponder

São Miguel dos milagres sem óleo segundo amigos que moram lá .

Heloisa Martins

Estou indo para Barra de São Miguel sábado. Alguém sabe me dizer como estão as praias ?? E os peixes estão contaminados ??

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Heloísa! Nos poucos lugares do Nordeste onde foram observadas grandes manchas de óleo, a pesca e extração de ostras foi suspensa. Mas na grande maioria das praias a vida segue normal. Se existisse a catástrofe ambiental que muitos pintam, isso seria manchete nos jornais locais. Não é.

Lucas
LucasPermalinkResponder

O brasileiro é engraçado: o post está indicando como acessar informações atualizadas diretamente no órgão oficial e PEDINDO RELATOS DOS LEITORES que estiveram nas praias do nordeste para ajudar outras pessoas que estejam viajando.

O que as pessoas fazem? Não leem o texto, não acessam o site indicado e muito menos procuram nos comentários informações sobre os locais para onde pretendem viajar.

Pelo contrário: enchem o espaço com as mesmas perguntas sobre um destino específico...aí o espaço que era pra ser destinado a divulgar informações de leitores sobre o assunto, está entupido de perguntas. E quem entra para procurar a informação tem que ler todos os comentários inúteis de quem ficou com preguiça de ler.

Mais mastigado do que estava no posto do Ricardo é impossível!

Osni
OsniPermalinkResponder

Muito bem observado!

Régis
RégisPermalinkResponder

E o pior: querem saber sobre a situação de uma praia específica daqui a trinta dias!!! Nem a Nasa poderia responder sobre isso!
Calma, gente, as praias estão sendo limpas e as quantidades que estão sendo detectadas nem são tão representativas.

Rosaria Rangel

Estou em Recife - Boa Viagem, desde 4/10, tenho ido diariamente à Praia e comido frutos do mar, a água permanece a mesma, clara e límpida, sem sinais de óleo. No sábado voltei para o hotel com duas pequenas manchas de óleo nos pés, que saíram facilmente no banho. Desde domingo não aconteceu mais nada. Tudo normal.

Lilian
LilianPermalinkResponder

Boa tarde! Estou cm viagem marcada para Fortaleza dia 17/10, alguém sabe me dizer como está de fato a situação por lá?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lilian! A prefeitura já realizou a limpeza de todas as praias.

https://tribunadoceara.com.br/noticias/ceara/prefeitura-ja-retirou-todo-o-oleo-das-praias-em-fortaleza/amp/

Mit
MitPermalinkResponder

Estive em Pipa-RN no início de setembro/19. Participei do mutirão de limpeza da praia.
E parece que está ficando cada vez pior por lá.

Vejam na página da Tribo Bahia Ambiêntal no Facebook.
Marquei o VnV nos comentários da página deles.

Fui na praia do Amor, na praia perto do Chapadão, praia central tinha quantidade considerada do que as pessoas locais estão chamando de "piche".

Vestígios esparsos estão sendo tirados com pás por voluntários e se estendem por mais de um mês essa ação.

Mit
MitPermalinkResponder

Estou agregando o link da limpeza do as pessoas em  Pipa estão chamando de "piche" feita por voluntários.

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2738797759478039&id=2197475863610234

Ricardo Freire

Mit, muito legal você ter participado do mutirão de limpeza. Maravilha. Que todos os turistas fossem como você!

Mas me aproveitando de você, gostaria que você me contasse outras coisas.

Como esse piche impactou na sua estada? Deu para entrar na água? Você se sujou muito? Deu nojo ficar na praia? Alguma praia foi interditada durante a sua estada? Tinha gente na praia? As pessoas estavam incomodadas, não estavam nem aí ou tinha os dois tipos?

Chegava mais óleo todo dia? Por que você diz que "está cada vez pior"? Na timeline do Facebook da Tribo Ambiental o pico do problema parece estar no começo de setembro. De um tempo pra cá as fotos são sempre dos resíduos coletados e de escavação para retirar piche que entrou debaixo da areia. A única foto realmente chocante dessa última leva é uma pedra manchada de óleo na Praia do Amor.

Baseado na sua experiência, você acha que está inviável viajar a Pipa neste momento?

ALEXANDRA CRISTINA LUPPI GUEDES

Pessoal no site G1 tem uma lista de praias, atualizadas até ontem. Bjos e fiquem em paz, quem tem viagem marcada tem que pensar que vai dar tudo certo. Tem muitas outras coisas além das praias para fazer!!! Eu sei que é triste e decepcionante, mas o sofrimento não ajuda em nada e só vamos saber se estivermos lá, o resto é especulação.
https://g1.globo.com/natureza/noticia/2019/10/08/lista-de-praias-atingidas-pelas-manchas-de-oleo-no-nordeste.ghtml

Mônica Bittencourt

Minha prima vai pra Porto Seguro na sexta. Ela mora fora do país e já comprou passagem. Alguém sabe como está lá e em Arraial Da Ajuda? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mônica! O óleo ainda está no norte da Bahia. Pode ser que chegue ao sul, mas não dá para saber. E se chegar, nada garante que atinja todas as praias com a mesma intensidade. O problema é quando chegam grandes manchas de óleo, o que tem acontecido com muito poucas praias.

Francisca Busch

Como estão as demais praia de Sergipe, principalmente as mais procuradas. Alguém me fale, por favor, se dar para curtir as férias tão esperadas, por gentileza, porque vamos com uma criança de 6 anos e que temos aproveitar e não termos problemas com a saúde ou alergias, porque s nossa pequena é bem alérgico. Viajamos agora dia 15/10. Nos informem, por favor como está aí.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Francisca! A situação em Sergipe é a mais complicada. Mas as principais praias estão sendo limpas. Torça para que não chegue mais óleo.

Grigorio
GrigorioPermalinkResponder

No RN praticamente todas as praias estão com óleo.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Grigorio! Esse tipo de informação genérica infelizmente não ajuda. Quais foram as praias em que você esteve e você constatou óleo? Como isso impactou a sua experiência na praia? Sobre quais praias você discorda do relatório do Ibama?

mauricio
mauricioPermalinkResponder

estamos de viagem marcada para 22/10 a 30/10 para natal, pelo que li epesquisei a limpeza esta sendo feita com sucessoe as prais do RN estão cada vez mais limpas, alguém poderia me confirmar essas condições, no aguardo e desde ja agradeço

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mauricio! Se chegar nova leva de óleo, isso será notícia. Falta de notícia é ótima notícia. A vida segue normal na imensa maioria das praias.

Nath
NathPermalinkResponder

Olá pessoal, sabem me dizer como esta a situação das praias de maragogi? Praia do patacho?? Logo vjajaremos de viagem pra la é gostaria mto de ter notícias, obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Nath! Falta de notícias é uma boa notícia. Se a situação estivesse como nas praias em que efetivamente chegaram grandes manchas de areia, já teríamos tido notícias de cancelamento de passeios às galés e reclamações de viajantes na internet.

José Cavalcante

Estou indo para Paripueira dia 12 de Outubro 2019. Ou Sonho verde.
Estão Própria Pra Banho.?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, José!

Veja o relatório de balneabilidade do IMA, as praias estão liberadas:
http://www.ima.al.gov.br/wp-content/uploads/2019/10/REAB.39-2019.pdf

Rodrigo
RodrigoPermalinkResponder

Sei que é meio especulação, mas alguém ai sabe se essa macha vai chegar em porto seguro ? Estou vendo muita reportagem em descobrir quem é o culpado, mas não em conter essa mancha de óleo para não atingir mais praias..

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! É provável que chegue, e se chegar, o mais provável é que não afete as praias de maneira significativa. Com exceção dos casos mais graves, que são bem poucos, a balneabilidade e o uso das praias está normal. O problema é mais ambiental do que de uso das praias.

Maria leonora
Maria leonoraPermalinkResponder

estive em barra de sao Miguel AL ontem e após as 11 h da manhã estamos.no.mar e saímos com.muitas.bolinhas preta de pelo pelo corpo. algumas manchas até maiores que.bolinhas pelo.cutuvelos..

ANGÉLICA SAMANTA ABILA

Mais notícias sobre a situação, quem vai pra Alagoas, segue o link falando sobre a balneabilidade. https://diariodopoder.com.br/abih-diz-que-praias-de-maceio-e-alagoas-nao-tem-oleo-e-estao-proprias-para-banho/
Vão com cuidado, pois é reportagem do grupo hoteleiro do estado e contradiz um pouco o que alguns turistas relataram aqui (Barra de São Miguel, por exemplo).
Acompanho o instagram de alguns lugares de Alagoas, como o próprio Lopana, o Mar e Cia de Paripueira, o Canal Bora de Turismo, entre outros, mas aparentemente, está com vida normal.

Luiz Fernando
Luiz FernandoPermalinkResponder

No dia 11/10/19, liguei no Salinas de Maceió, me informaram que a praia de Jatiuca não tem vestígios de óleo, nem no mar e nem na areia, está tudo normal por lá?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luiz Fernando! Você quer dizer Ipioca? O Salinas não fica na Jatiúca, fica em Ipioca.

Paulo Secundo
Paulo SecundoPermalinkResponder

Aluguei uma casa de temporada em Praia do Forte para epoca e 23 a 28 de outubro e agora estou indeciso se mantenho a reserva ou não. O dono da casa quer me cobrar multa de 40% se eu decidir desistir, o que já é um prejuizo consideravel. Ele me disse que acredita que daqui até o dia 23 a praia ja deve estar limpa novamente. Devo acreditar? Se alguem puder me aconselhar, agradeço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Paulo! A contaminação se deu em dois pontos da praia, e pelo jeito foi na área dos condomínios. O mutirão de limpeza já começou. A imprensa da Bahia está acompanhando os acontecimentos.

Se não houver nova chegada de óleo, a limpeza deve estar feita até a sua chegada, sim. O problema é se chegar mais óleo.

Paulo Secundo
Paulo SecundoPermalinkResponder

Obrigado, Boia. Ainda assim estou receoso com a reportagem que fala de uma mancha de 21km² nas águas e que pode atingir o litoral baiano. Acho que decidir manter a viagem é arriscar a sorte mesmo. Uma pena todo esse transtorno.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Paulo!

A notícia mais recente diz que a tal nova mancha de 21 km² vista do satélite não era de óleo, mas de chuva.

https://www.metro1.com.br/noticias/bahia/81457,ibama-nega-que-mancha-de-21-km2-se-aproxime-a-costa-da-bahia

(Este é o problema do alarmismo.)

Rômulo
RômuloPermalinkResponder

Acompanho esse site há anos e o considero excelente; porém, nunca me pronunciei. Como cidadão que fez reserva para a Praia do Forte para o início de novembro (04 dias, não tive como reservar mais dias), que queria algum contato com a natureza (sou mergulhador amador), gostaria de dizer que esse incidente, acidente ou ato de terrorismo (cada um com suas teorias,), acaba com qualquer disposição de fazer essa viagem. Penso que o turismo em mar não é só ir à praia, interagir com os locais ou ir a baladas (que eu não vou): é apreciar que há uma parte da natureza do país (do mundo) está viva ainda. Daqui a semanas, meses, o que vai sobressair serão os danos (recifes são muito frágeis); quem for otimista, ficará feliz em verificar o que a natureza os supera: um turismo algo mórbido.Enfim, estou disposto a cancelar e ter meu prejuízo com o reembolso (ou a falta dele; fiz reservas sem reembolso); todos perdemos com esse acontecimento.

Ricardo Freire

Rômulo, entendo seu ponto de vista e concordo totalmente que, dados o seu destino -- um dos mais afetados dentre todos -- e o seu objetivo -- mergulhar em corais --, a falta de vontade de manter a viagem é mais do que justificada.

Mas veja: para a enorme maioria das pessoas (eu incluído), tempo firme, visual bonito e praia limpa é o que basta para fazer férias de praia bem-sucedidas -- e não há nada de mórbido nisso.

O que estamos tentando descobrir é justamente que praias estarão limpas a tempo de serem aproveitadas com segurança por quem tenha marcado ou tenha planos de passar férias no Nordeste. Não dá para tomar o todo pelos lugares mais atingidos.

Fuligem de vulcão, gripe H1N1, zika, febre amarela -- já lidamos com outras situações de emergência turística, e em todas tentamos ajudar as pessoas a resolver a situação com bom-senso.

Silvia
SilviaPermalinkResponder

Tem muito óleo na areias das praias de Aracaju porém as mídias sociais do governo libera para o banho. Não tem muito sentido isso.

Cassia Barros
Cassia BarrosPermalinkResponder

Estou com viagem marcada para a península da Maraú, (dia 26 de outubro) gostaria de saber se óleo já chegou naquela região. Soube que já chegou em Boipeba que é muito próximo de lá. Estou pensando em cancelar as reservas que fiz.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cassia! Pode ser que chegue, mas até agora não há nenhuma notícia oficial de que tenha passado de Salvador. Não há nenhuma menção a Boipeba ou Maraú. A imprensa baiana está acompanhando de perto.

Mit
MitPermalinkResponder

Desculpe responder só agora, Riq. Não vi o comentário.
Bom, na praia do Amor quando eu fui os turistas pareciam não saber o que estava acontecendo. Um amigo meu tem uma escola de surf lá. Ele saiu bem sujo da água. Ele ficou bem incomodado, mas os alunos nem deram muita bola. Mas acho que quando eu estava lá o óleo tinha acabado de chegar. Isso foi dia 9 de setembro/19.
Quando nós estávamos fazendo a limpeza na praia do centro várias pessoas passavam e perguntavam o que estávamos fazendo. Mostravam o pé sujo e nos agradeciam por limpar a praia, mas não pareciam que iam deixar de curtir a praia. Eu particularmente não tive coragem de entrar na água nem na praia do Amor e nem ao longo do caminho até a Bahia dos golfinhos, que parecia livre de óleo. Só lá tive coragem.
As escavações para tirar o óleo começaram porque eles viam a mancha surficial e quando foram tirar descobriram que ela tinha penetrado profundamente na areia.
Vou avisar para o pessoal para atualizar a página com fotos mais amplas.
Eles apenas se reuniam para tirar lixo da praia. Quando o óleo chegou intensificaram o trabalho e priorizaram o óleo.

Mit
MitPermalinkResponder

Completando. Sim chegava óleo todo dia.

A praia do Amor era a mais atingida com várias borras e por toda a areia. Nas outras era um rastro de pequenas manchas. As pessoas descobriam que era óleo quando pisavam.
Eu mesma a primeira vez que cheguei na praia do Amor sujei todo meu pé sem perceber.
Custei a tirar usando óleo de cozinha. Só sabão não tira da pele.

Depois como eu estava focada na limpeza para mim estava tudo um horror a impressão que eu tinha era que aquilo nunca ia ser completamente limpo apenas com os voluntários. Até ver as fotos de praias bem piores.

Mit
MitPermalinkResponder

Desculpe a desorganização das idéias e os comentários fragmentados.

Infelizmente eu não tenho vídeos atuais, mandei uma mensagem para a Tribo Bahia Ambiental pedindo se eles não fariam as fotos da praia para postar.

Esse filme não é meu. Foi postado no dia 10/09/19. No final vocês podem perceber a tal pedra que dá o nome à Pipa. Podem observar também as pegadas bem próximas ao óleo. Foi isso que aconteceu comigo. Não olhar por onde anda.

https://www.instagram.com/p/B2OiVYKputF/?igshid=1msugttpzqorx

E o óleo parece estar mais aparente e fresco do que na parte da praia do Amor em que eu sujei meus pés no dia 09/09/19 no final da tarde.

Conversei com pessoas que moraram lá muitas delas nem estavam cientes e uns 3 pescadores disseram com naturalidade que de vez em quando o "piche" aparece.

Como a pouco mais de uma semana atrás teve aquele vazamento de óleo na refinaria Abreu e Lima, no complexo portuário de Suape, no Grande Recife.
Eu fiquei duvidosa sobre as informações e já imaginei aquilo grudando nos golfinhos e tartarugas isso já me tirou o sossego.

A notícia do mutirão da limpeza chegou através do dono do apartamento onde eu estava hospedada e foi assim que conheci a Tribo Bahia Ambiental. 

Riq, pode perguntar o que quiser. Sou muito grata ao VnV. É o mínimo que posso fazer.
Você é meu guru das viagens.

Eu só sinto muito não estar munida de câmera e celular decente nessa viagem para ter registrado e poder relatar melhor.

Ricardo Freire

Obrigado, Mit!

Giselle
GisellePermalinkResponder

Cheguei sexta em Alagoas, estou hospedada em Japaratinga, mas estou indo em praias de Maragoggi, São miguel vou hoje, quero subir p a praia docarneiro...
Ontem na praia de Burgalhau não tinha nada de manchas ou vestígios de óleo.
Andamos um bom pedaço da praia e ficamos bastante tempo no mar e nd.
Já em japaratinga, no dia 11 fizemos uma caminhada na praia e meu tinha uma gota de algo estranho.. grudado, mas era bem pouco msm.
Essa semana conto sobre Antunes, São Miguel e Carneiros...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada, Giselle!

anapaula@telco.com.br

Olá Paulo,

Dia 11/10 saiu uma nota do Procon informando que os turistas com pacotes para o Nordeste podem cancelá-lo sem multa.

https://www.terra.com.br/noticias/ciencia/sustentabilidade/turista-com-pacote-para-o-nordeste-pode-cancela-lo-sem-multa-diz-procon,8534983cb9ceb4fb1be79da651bed6aa40bulhix.html

As pousadas, hotéis são obrigados a fazer a devolução integral do valor sem multa.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Paula! Tem uma pegadinha aí: os lugares afetados são relativamente poucos, a grande maioria dos seriamente atingidos está em processo de limpeza.

anapaula@telco.com.br

Bom dia,
Estou buscando notícias atualizadas sobre a região de Itacemirim, Imbassaí e Praia do Forte...alguma dessas praias está limpa, é possível entrar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Paula! A praia do Lord em Praia do Forte foi bastante atingida, como está dito no texto. A praia está em processo de limpeza.

Em Imbassaí e Itacimirim foram registrados pontos de óleo, de maneira moderada, como também está no texto.

A imprensa baiana está acompanhando o desenrolar dos acontecimentos. Estamos atualizando diariamente. Estamos reservando este espaço prioritariamente para depoimentos de leitores que tenham estado nas praias para dar seus depoimentos.

Fazer perguntas que estão respondidas no texto atrapalha quem busca depoimentos de leitores.

Flávia
FláviaPermalinkResponder

Olá, alguém sabe me dizer como está a situação na Costa do Sauípe?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Flavia! Como está no texto, foram registrados vestígios em Porto Sauípe. Mas o trecho não sofreu como a Praia do Forte. A falta de novas notícias é uma boa notícia, significa que não foi grave.

Alethéa
AlethéaPermalinkResponder

Estive em Natal e Pipa na semana entre 07 e 14 de Setembro. Em Natal só vi manchas em Cumurupirim, na areia, mas havia relatos de guias de turistas que ficaram manchados no mar. Em Pipa tinha na praia Central em menor quantidade, mas muita na praia do Amor. Os moradores estavam fazendo limpeza todas as manhãs para tentar evitar atrapalhar o turismo. Em Pipa nós nos manchamos ao pisar na areia e no mar também. Ao caminhar entre a Praia do Amor e a Praia Central havia pedaços difíceis de desviar das manchas na areia, na parte entre as pedras. Muito triste.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar