Próxima parada, home office para viagem? | #PensamentoViaja

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Home office para viagem

Ricardo Freire fazendo home office na Praia do Espelho, 2000

A pandemia derrubou o tabu do trabalho à distância em muitíssimas empresas. A partir de agora, trabalhar de casa vai ser bem mais frequente.

Ao mesmo tempo, as viagens clássicas a negócios tendem a ser reduzidas -- afinal, todos estamos escolados em fazer reunião por Zoom, Meet, Team e cia. Pode ser o fim do 'bleisure', como são chamadas as viagens a trabalho combinadas com uma esticada de lazer no destino.

Em compensação, existe um outro tipo de viagem 'a trabalho' que passa a ser viável a partir de agora. Quem pode trabalhar de casa pode trabalhar de qualquer lugar, concorda? Resultado: você não vai precisar ser um desses 'nômades digitais' para, quando a oportunidade for boa, fazer uma viagem fora do seu período de férias.

E quando a oportunidade será boa? Vai depender do tipo de viagem, claro.

Casais com férias que não coincidem

Se vocês não viajam juntos porque dificilmente conseguem marcar férias na mesma época, podem viajar para um lugar onde quem não está de férias possa fazer home office algumas horas por dia.

Esticar feriados (e economizar na passagem)

Quer aproveitar um feriadão, mas as passagens para ir na véspera e voltar no último dia estão proibitivas? Vá antes, volte depois, pague mais barato, faça home office no hotel nos dias úteis.

Casamentos, shows, eventos

Muitas viagens malucas de fim de semana para ir a um casamento, um show ou um evento podem ficar menos corridas se você emendar antes e/ou depois com um pouquinho de home office no destino.

Viagens a grandes cidades

Apareceu uma promoção inacreditável para algum lugar que você ama (ou que está lá no alto da sua lista de desejos), mas falta muito para as férias? Se esse lugar for uma cidade grande, você pode programar uma semana de trabalho fora. Você aproveita os fins de semana, a noite e a vida cultural. Buenos Aires, hoje?

Praia sem muvuca

"Meu escritório é na praia" é um dos bordões do Instagram. Pode ser seu por alguns dias -- basta se hospedar pé na areia, com bom wifi. (Um conselho: não poste no instagram!)

O meu home office para viagem (2000)

Em 2000, eu tive a oportunidade de fazer home office enquanto viajava. Trabalhando para uma agência de publicidade (a Lew,Lara), ficava 10 dias por mês em São Paulo, no escritório, e 20 dias viajando. Nos dias da estrada, dividia o tempo entre os trabalhos da agência (trabalhava das 6 às 9 da manhã e das 6 às 9 da noite) e o meu outro interresse -- que não eram férias, mas o guia de praias que eu estava começando a apurar.

Comparado com a situação atual, as condições eram bastante adversas. Não havia wifi, a conexão da internet era discada (com DDD), transmitir imagens era impossível. Mas funcionava.

Hoje eu não preciso mais disso -- afinal, meu trabalho é viajar. Mas você não precisa virar um instagramer ou prestador de serviços freelancer para poder, de vez em quando, fazer home office onde você gostaria de passar férias.

Será que eu achei o primeiro legado positivo da pandemia?

Leia todos os textos da Quarentena VNV aqui.

1 comentário

Luciana Guilliod

Tenho sido quarentener, home officer, nômade digital (e buzzworder). O distanciamento social tem sido em temporadas em Itaipava, onde as casas são amplas e a natureza em torno é passeio e saúde mental, com baixa densidade demográfica. A partir de setembro, se a situação estiver mais controlada, tenho um plano parecido com o do Riq: pego o jipe e dirijo até o sul da Bahia - uma semana trabalhando em Vitória, outra em Trancoso...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar