24 horas em Zurique: o roteiro completo do Bruno Vilaça

Zurique

Bruno Vilaça

Acho a Suíça um dos países mais injustiçados da Europa. Poucos turistas compreendem o potencial desse pequeno belo país. A charmosa Zurique muitas vezes é relegada a um simples ponto de conexão ou pit-stop rápido. Vá lá, se já está por aqui, separe pelo menos um dia para conhecer a cidade, o que é feito muito rapidamente com uma gostosa caminhada.

Seu dia deve começar na Confiserie Sprüngli (Bahnhofstrasse, 21): no térreo uma impressionante loja de doces e chocolates e no mezanino a mais famosa confeitaria de Zurique desde 1836. Tudo lindo, pomposo e com qualidade excepcional. Seu famoso macaron (luxemburgerli) é uma lembrança e tanto! Ignore a ranzinzice das garçonetes (que devem estar por ali desde a inauguração) e curta o momento.

Aproveite que você está no coração fashion de Zurique e caminhe por toda a Bahnhofstrasse, a avenida mais chique da cidade, que vai da estação central (Hauptbahnhof) até o lago.

Limmatquai, Zurique

Chegando ao píer aproveite a vista para belas fotos e cruze a ponte Quaibrücke até a região de Limmatquai, com lojas mais descoladas e hotéis-butique.

Continue margeando os canais, retornando em direção à estação, que chegou a hora de conhecer as igrejas da região: Fraumunster Kirche, St Peter Kirche e Grossmünster (a catedral).

Para um típico almoço suíço a pedida é o Restaurante Zeughauskeller (Bahnhofstrasse, 21). A batata rösti, que acompanha a maioria dos pratos, é de comer de joelhos.

Para relaxar depois do almoço suba às ladeiras em direção à Lindenhof, uma romântica praça no alto de uma colina. Sente e aprecie. Inspire e expire.

ZuriqueZuriqueZurique

Hora de programas culturais? O museu Kunsthaus (Heimplatz, 1) e o centro cultural dadaísta  Cabaret Voltaire (Spriegelgasse, 1) são boas pedidas.

O sol está se pondo e faça como os locais: pegue o bonde até o parque Zürichhorn e veja o belo espetáculo do sol à beira do lago.

Vamos cair na night? Temos duas opções: rumar para Zürich West e curtir as diversas opções da região de Turbinenplatz. Ou ficar no centro e escolher o pub que mais lhe agrade bem no entorno da estação central.

Pronto, já dá pra ‘ticar’ (com propriedade) mais uma bela cidade no seu mapa de viagens!

Onde ficar

. O Hotel Helmhaus (Schifflaende 30) e o Altstadt (Kirchgasse 4) na região de Limmatquai oferecem bom custo benefício.

. Para luxo a pedida é o Hotel Schweizerhof (Bahnhofplatz 7) bem em frente à estação central ou o Widder (Rennweg 7) no meio do burburinho.

. A cidade é cara, não adianta reclamar. Mas se é para economizar na hospedagem, fuja para um hotel fora do centro e use e abuse do ótimo metrô de Zurich: Ibis City West (Schiffbaustrasse 11), Mercure Stoller (Badenerstrasse 357) e Courtyard Nord (Max-Bill-Platz 19).

Leia mais:

21 comentários

Passei 3 dias em Zurique em 2009 e simplesmente amei cada cantinho da cidade. Concordo que a Suíça é dos países mais lindos que já vi – Interlaken, por exemplo, tem paisagens que não saem da minha cabeça. Acho que talvez a Suíça não seja exatamente subestimada, mas sim sua moeda é frequentemente superestimada. É caro viajar pela Suíça, concordo; mas com jeitinho dá pra aproveitar as coisas mais legais de lá sem ir à falência.

Putz, eu que sou fã de carteirinha do Bruno, adorei o relato. E também adorei Zurique que conheci em um lindo dia de verão há séculos atrás (e também nunca entendi porque a cidade é tão deprezada turisticamente). Demais Bruno!

    Devo aproveitar e sugerir para quem vai a Europa que cote o preço da passagem pela Swiss. Quase sempre é um preço bacana e quem sabe dá pra desdobrar e passas 24h em Zurique? Além do mais, gostei muito do voo de Swiss.

Uma sugestão é pegar os barcos no lago. Há tanto os turisticos, como os de linha, que se pega com o cartão de transportes. O museu nacional, ao lado da estação, também vale a visita.

Para quem tem Diners, o aeroporto tem sala, pequena, mas honesta.

E, para quem quiser ficar mais um pouco recomendo o passeio no Bernina Express,e a Ciadde de Inerlaken. É o paraiso para quem curte viagens de trem, e neste caso, vale a pena comprar o passe nacional, que é bem mais em conta que o europass.

Zurique é muito legal… Visitei a cidade 2 x quando morei na Alemanha.. Sou suspeito em falar, mas eu acho a Suiça um dos países mais bonitos do mundo..
O que marcou mesmo foi a quantidade de bicicletas que vi pela cidade (parecia amsterdan). Além disso foi lá que comi o Pretzel mais caro da minha vida 7.5 francos.. Com o Real valorizado hoje a história é diferente.. Mas naquela época doeu..
As fotos do Posts não mostram mas o azul/verde do rio/lago Limmat cortando a cidade é impressionante..

Ótimo relato

    Para ajudar, não só o real está valorizado como o franco está desvalorizado em relação ao euro e dólar. Acho que a Suíça nunca estave tão barata. Para certas coisas, já está mais barata que as cidades caras da Itália.

Parabéns pelo ótimo post sobre Zurique. Que ótimo saber que o Switzerland Tourism conta com mais um “embaixador” da Suíça!
Abs, Gisele

Demais. Que lugar lindo.
Tenho uma amiga brasileira que mora em Zurique. Ela comenta que além de ser bom para morar tem a Universidade de Zurique que é ótima para estudar. Excelentes programas de MBA.

Parabéns pela viagem Bruno.

🙂

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.