Cidade do México

48h na Cidade do México: um roteiro prático (por Sylvia Lemos)

Cidade do México

Texto e fotos | Sylvia Lemos

Com vinte milhões de habitantes, uma enormidade de história e atrações, culinária festejada e turismo com preços que cabem no bolso, a Cidade do México é um lugar onde a gente sempre pode voltar e ver coisas novas.

Numa escala curta,ou num fim de semana, é possível fazer render os passeios de forma independente usando transporte local.

O roteiro para 48 horas é o resultado comprimido de uma estadia de seis dias, com o que considero ser o melhor da minha experiência. Mas é preciso planejar minuciosamente os deslocamentos, reduzindo ao máximo a perda de tempo nos congestionamentos entre um ponto e outro. Saia após as 9h30 e evite estar no transito após as 17h.

Nas segundas-feiras, as Pirâmides de Teotihuacán e o Museu Soumaya Plaza Carso são boas opções de passeio, pois a maioria das demais atrações estará fechada.

O fim de semana é ideal para realizar este roteiro, porque o trânsito estará mais fluido.

O que fazer num sábado na Cidade do México

Manhã

cidmex-azulejos

Vá direto ao Zócalo, com ponto de partida no Palácio do Governo (veja os painéis do Diego Rivera). Contorne a praça pela Catedral e siga pela peatonal Francisco Madero até a Casa dos Azulejos para um lanche ou café (suba o primeiro lance de escadas e aprecie o painel do Orozco). Caminhe mais uma quadra até o Palacio de Bellas Artes.

O centro histórico é riquíssimo em termos arquitetônicos e tem intensa vida local; é fácil passar um dia inteiro caminhando, visitando museus e igrejas, fazendo compras e testando os mercados, cafés e restaurantes. Veja o que é possível numa manhã e faça as suas escolhas.

Tarde

Museu Frida Kahlo

Dedique o começo da tarde ao Frida Kahlo Casa/Museu e ao Mercado Allende. Localizados em Coyoacán (o bairro boêmio ao sul da cidade), museu e o mercado estão a apenas duas quadras um do outro. a vibe de um bairro dos tempos antigos, repleto de pessoas que se deslocam do interior para vender seus produtos. A área de atrações é grande, e é fácil passar um dia explorando as ruas, bares, restaurantes, parques e museus.

Mercados Coyoacán e Roma

Escolha o melhor a fazer com o seu tempo e volte para a cidade, para conhecer o Mercado Roma, um mercado gourmet de vanguarda, que não tem absolutamente nada a ver com o misturado Mercado Allende em Coyoacán. Para almoçar, chegue antes das 17h; os restaurantes do primeiro andar ficam abertos até a meia-noite.

No finzinho da tarde e/ou à noite, circule pelo descolado bairro de Colonia Condesa (ruas Amsterdam, Michoacán e Parque México) e Colonia Roma (ruas Alvaro Obregón e Orizaba).

O que fazer num domingo na Cidade do México

Manhã:

Vá às Pirâmides de Teotihuacán (todas as coordenadas estão neste post).

Almoce no Contramar o mais cedo possível. Abre das 13h30 às 18h30 e é sempre lotado, muito lotado mesmo! Por isso, reserve.

Tarde

Museu de Antropologia

Depois do almoço, siga para o Museu de Antropologia que a meu ver é a mais fantástica de todas as atrações da cidade (para ir direto ao Calendário do Sol, siga reto até o fundo do prédio, sala 7, chamada Mexica).

Museu Soumaya

No fim da tarde, passeie pelo Bosque Chapultepec ou visite o Museu Soumaya Polanco que abre todos os dias do ano, com entrada gratuita. Quem busca um bom supermercado com produtos locais e alguns importados , o Selecto Chedraui fica logo em frente ao prédio do Soumaya na frente do Plaza Carso. O chique Centro Comercial Antara está bem próximo.

Noite

Caso ainda sobre energia, saiba que a febre mexicana ainda é assistir a uma luta livre. Para um programa mais gracioso, considere o cultuado Balett Folclórico, que é um espetáculo único.

Quanto tempo leva?

Centro Histórico: no mínimo 3 horas, partindo do Zócalo, caminhando pela Francisco Madero até o Palácio de Belas Artes com parada de 30 min para café.

Frida Kahlo e Mercado Allende: no minimo 2h30 para uma visita à casa e passagem rápida pelo mercado, onde vai encontrar fantasias infantis, artesanato, frutas e verduras, temperos, flores, doces e barracas simples de comida.

Pirâmides de Teotihuacán: no mínimo 2 horas no local; 3 horas é o tempo padrão.

Museu de Antropologia: no mínimo 2h30 para caminhar entre as salas do térreo. Considere mais uma hora para incluir algumas salas do primeiro andar.

Museu Soumaya: minimo 45 min para subir ao quinto andar (use o elevador), visitar as esculturas do sexto andar e descer quase direto, pela rampa até o térreo ;

O tempo médio gasto para deslocamentos num final de semana normal é:

Da Zona Rosa ao Zócalo (metrô Insurgentes a Juárez + táxi): 25 min (se fizer transbordo de linha no metrô, desça na estação Zócalo).

Do Palácio de Belas Artes à Casa Museu Frida Kahlo (metrô Bellas Artes + metrô Hidalgo até estação Coyoacán + Táxi): 50 min (se for ao Museu Mural Diego Rivera, pegue direto o metrô Hidalgo; na frente da estação Coyoacán tem um bom centro comercial e ponto de táxi).

Do Mercado Allende ao Mercado Roma (táxi + metrô Coyoacán até estação Hospital General + táxi): 50 min

Da Zona Rosa às Pirâmides (táxi pela auto-estrada): 60 min cada trecho

Do restaurante Contramar ao Museu de Arqueologia (táxi): 5 min

Do Museu de Arqueologia ao Museu Soumaya Plaza Carso (táxi): 5 min

Preços em agosto de 2014

Metrô e MetroBus (corredor de ônibus): 5 pesos

Táxi: municipal com taxímetro, 20 a 30 pesos as corridas curtas dentro da cidade; o radiotáxi de/para o aeroporto internacional, 200 pesos

Entradas nos museus: 57 pesos na maioria deles

Câmbio: em agosto de 2014, no terminal 1 do aeroporto, a melhor taxa foi de 12,80 pesos por dólar (a mesma que as melhores taxas de câmbio no centro histórico).

Por conta própria x tours organizados

É totalmente viável passear pelas atrações sem utilizar ônibus de turismo, se você for organizado e estudar o roteiro previamente. No caso de ser uma pessoa atraída por distrações ;-), é recomendável usar passeios organizados pra garantir a agenda.

Leia mais:

30 comentários

Mais um post pra favoritar, Sylvia Lemos !

Andrea, não como pimenta e não tive problemas, massas estão em quase todos os restaurantes.

Ânderson, com relação à saques em ATM’s, fiz sem problemas.

Ola Daniela. Pra entrar no Mexico, brasileiros não precisam de visto. Como vai fazer conexão nos EUA, tem que ter o visto americano(de turista, ou de transito)

Ola, estou comprando passagens para o mexico, mais estou com muitas dúvidas, pois nao estou com visto, vi aqui que tem um visto eletronico, como faço para esta retirando, viajarei pela delta com escala em Atlanta, nao sei o que fazer, por favor me ajudem, ser 19/11/2014 saindo do Rio de janeiro. Obrigada

    Não é mais necessário visto para o México.
    Ainda mais se você tem visto para os USA.

Adorei esse post. Eu tive poucos dias para passear pela cidade do México e fiz um roteiro bem parecido. Eu adoro essa cidade, o povo e a cultura <3

Oi, Sylvia, adorei seu post? O que vc achou da comida? Passou bem em relação à água? Tenho vários amigos que estiveram na Cidade do México e tiveram problemas por conta da comida apimentada e de água contaminada. Como foi com vc?

    Andrea, o Mexico é imenso e a diferença entre
    as regiões também. Por principio, só consumo
    água engarrafada, prá evitar perrengues.
    Sou alérgica a pimenta , e deixo isso sempre claro
    ao fazer um pedido.Na maioria das vezes dá certo.
    São tantas as opções de restaurantes, que não vais
    ter dificuldade. Na dúvida peça sempre baby-food 😉

Olá, parabéns pelo post. Hora bem oportuna para mim que estarei no México de 18/10 até 07/11

Gostaria de saber sobre a facilidade/possibilidade de trocar REAL x PESO MXN. Tem alguma informação que possa passar?
– Onde?
– Cotação?
– Sacar em Peso Mexicano (visa e master internacional do BB) nos terminais é vantajoso/possível?

Obrigado 🙂

    Ânderson, os únicos lugares em que considero
    a possibilidade de fazer cambio com reais, são
    nos paises que fazem fronteira com o Brasil.
    Tenha certeza de que nos demais a taxa será
    muito ruim. Leve dólares ou euros.

    Quanto as ATMs, estão em todos os lugares,
    mas não usei. Troquei dolares por pesos uma
    única vez, no terminal um do aeroporto.
    Acho uma chatice ficar pensando em fazer cambio
    durante a estadia numa cidade. Converto uma vez
    só e não penso mais, se podia ter sido melhor.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.