8 hotéis em Barbados

Colony Club, Barbados

A cena hoteleira em Barbados não é das mais estimulantes, não. Fora da categoria alto luxo, é difícil achar aquele hotelzinho esperto-charmoso-bem localizado. E a hotelariona americana, aquela que agrada a gregos, troianos e suas famílias em Aruba, Cancún ou Curaçao, por aqui praticamente não dá as caras. Tampouco há resortões cheios de infra tipo no Nordeste, Punta Cana ou Jamaica. Aqui vai uma pequena seleção baseada naquilo que me parece ser a melhor relação custo x localização x benefício.


Visualizar Barbados: hotéis em um mapa maior

Para esmerilhar: Sandy Lane (Costa Oeste)

Sandy Lane, BarbadosO hotel mais luxuoso da ilha é o Sandy Lane, na costa oeste, que faz o gênero chiques-e-famosos total. Foi lá que Tiger Woods se casou com a sua multitraída mulher. Deve ser o máximo, mas — se você me permite: caso eu tivesse US$ 1.000 para gastar por dia no quarto mais simples (tarifa baixa temporada), eu iria para um hotel mais exclusivo numa ilha mais besta (como o Parrot Cay, em Turks & Caicos). Foto tirada do site do hotel.

Luxo inteligente: Colony Club (Costa Oeste)

Colony Club, BarbadosDos hotéis categoria luxo oferecido em pacote pelas operadoras brasileiras, o pequeno Colony Club é o mais simpático. Fica num trecho muito bonito de praia e não é exageradamente besta. Os preços refletem isso: na baixa temporada, as diárias começam em US$ 250. Há planos de meia-pensão e pensão completa. A foto do alto do post é de lá e foi tirada por mim. Foto do quarto tirada do site do hotel.

Não tem erro: Hilton Barbados (Bridgetown)

Hilton Barbados

Hilton BarbadosSe você estiver na dúvida — ah, esse é muito longe; ah, esse é muito pequeno; ah, esse deve ser meio bagaceiro; ah, esse não tem estrutura –, vá para o Hilton. É o único hotelão americano da ilha, com as qualidades habituais e a falta de charme que você já aprendeu a relevar, desde que haja conforto. Pois bem: há não apenas conforto, como uma prainha nota 10 em frente. E você estará bem localizado para todas as andanças. Na baixa as tarifas começam em US$ 210 (ou US$ 255 com café). Foto do quarto tirada do site do hotel.

Melhor localização, pé na areia: Accra Beach Resort (Costa Sul)

Accra Beach Resort, BarbadosA região de Accra/Rockley Beach tem tudo: uma praia bem legal, um deck à beira-mar com alguns bares e restaurantes, tudo isso a menos de dez minutos de condução tanto de St. Lawrence Gap (a muvuca) quanto de Bridgetown (a capital). Tem uns dois hotéis que dão para a passarela, mas o único pé-na-areia de fato é o Accra Beach Resort. A decoração poderia ser mais bacana. Os preços na baixa começam em US$ 175. Foto tirada do site do hotel.

Melhor localização, ambientes bonitos: South Beach (Costa Sul)

South Beach, BarbadosAinda em Accra Beach, mas do outro lado da avenida, o South Beach Barbados é um flatzinho com decoração agradável e uma piscina de raia moderninha, que se estende por toda a lateral do prédio. Todos os apartamentos têm sacada e cozinha equipada. O wifi grátis. Agora na baixa as diárias começam em US$ 175. Foto tirada do site do hotel.

Melhor localização, preço imbatível: Southern Surf Apartments (Costa Sul)

Southern Surf Apartments, BarbadosSouthern Surf Apartments, Barbados

Exatamente em frente a Accra/Rockley Beach, com uma nesga da praia visível de alguns apartamentos, o Southern Surf Apartments é um flatzinho que vi muito bem recomendado no TripAdvisor, reservei e — aprovei. O pessoal da recepção é amabilíssimo e superprestativo. O wifi é grátis. Os equipamentos não são luxuosos (o ar condicionado, por exemplo, não é split), mas é tudo limpíssimo e bem mantido. O preço é sensacional: desde US$ 100 na baixa e US$ 140 na alta.

Localização OK, novinho, bom custo x benefício: Courtyard Bridgetown (Costa Sul)

Não está pé na areia, mas se você faz questão de acomodações modernas e não quer pagar caro por isso, o Courtyard Bridgetown é uma boa aposta. Fica entre o Hilton e a Boardwalk de Rockley, e está integrado a um centrinho comercial capitaneado por um Friday’s.

Ótima localização, resort BBB: Divi South Winds (Costa Sul)

Divi South Winds, BarbadosSe você não se importa em ficar num resortinho basicão, o Divi South Winds é a pedida: tem apartamentos com cozinha equipada e está estrategicamente posicionado entre as duas muvucas da costa sul. De dia você caminha para a esquerda e pega praia em Dover Beach, que é ótima e tem serviço. À noite você caminha para a direita e aproveita os bares e restaurantes da ruazinha do footing, St. Lawrence Gap. Na baixa temporada as diárias começam em inacreditáveis US$ 110. (Ei, mas não vá esperando um resortaço, que não é.) Foto tirada do site do hotel.

Leia mais:

117 comentários

Entendi, realmente se é um all incluse está explicado o custo mais elevado!
Na verdade nem pretendia pegar um sistema de all incluse, para poder ficar “livre” pra aproveitar todas as dicas de restaurantes e passeios.
Vou esperar chegar mais próximo da data então para refazer as pesquisas!
Muito obrigada

olá pessoal!!
Estou programando a minha viagem de Lua de Mel para Barbados para dezembro /12.
Eu gostei bastante da indicação do hotel Colony Club.
Porém para a data que eu quero (alta temporada) os valores estão bem altos, (diárias a partir de 1.500 reais) cotando direto com o site. Quero ficar em um hotel relativamente bonito, confortável, bem localizado..e como foi citado melhor custo x benefício me empolguei.. mas rapidamente me assustei com os valores.
Para essa época do ano fica tão caro assim mesmo? :S

    Olá, Bruna! Fim do ano realmente é mais caro. All inclusive de boa qualidade custa caro. O Colony Club fica barato quando comparado com o Sandy Lane. De toda maneira, está muito cedo para conseguir boas tarifas. As ofertas costumam aparecer 3 meses antes da data nas agências de reserva online.

Olá! Parabéns pelo site! Graças a ele escolhi meu hotel em Punta Cana (Iberostar) e tive férias maravilhosas!
Parodiando minha pergunta sobre Aruba (onde quero ir no começo de dezembro), pretendo ir com minha esposa e filhos (10 e 8 anos) passar o reveillon em Barbados, e eles não querem sair muito pela cidade, preferem um resort all-inclusive que tenha excelente infraestrutura (principalmente em termos de piscina), comida boa e praia boa em frente. Não vi comentários de hotéis all-inclusive em Barbados por aqui, e dentre tudo que li pela internet, estou na dúvida entre optar pelo Almond Beach Village, Turtle Beach ou Mango Bay. Gostaria de saber a opinião de vocês sobre qual all-inclusive é mais adequado em vista do que pretendo, ou seja, um hotel auto-suficiente para viajar com crianças, com a melhor qualidade possível, independente do preço. Obrigado.

    Olá, Marcio! Você está projetando sua experiência de Punta Cana em outros destinos. Isso não é bom.

    O que você encontra em Punta Cana:
    – mega-hotéis auto-suficientes com piscinas enormes e grande frente de praia
    – relação custo x benefício incrível

    As redes espanholas que inventaram esse sistema (nas Ilhas Canárias) estão presentes em Punta Cana, na Riviera Maia mexicana (abaixo de Cancún), em Cuba, na Jamaica.

    Essas redes não estão presentes nem em Aruba, nem em Barbados.

    Os hotéis all inclusive serão bem menos completos, não terão tanto espaço, nem frente de praia tão extensa.

    Se quer boa comida e conforto, escolha sempre na faixa de preço mais elevado.

    Mas novamente: o Ricardo Freire não recomenda Barbados para férias all inclusive. Barbados é para passear.

Mas e quanto ao transporte?

    Olá, Carlos! Este hotel fica numa área um pouco isolada. A zona urbana mais próxima é Oystins.

    Você pode pegar ônibus e vans na estrada ou tratar táxi no hotel. Se encarar mão inglesa, pode alugar um carro.

Boa tarde Henrique

Acho que temos um dever muito grande em repassar nossas experiências, pois adoramos usar as experiências dos outros para nosso benefício, mas depois muitos acabam virando as costas em ajudar os demais …..

Realmente as pessoas se arrumam bastante, apesar do gosto duvidoso nas roupas ….. tem muito salão de beleza mesmo, também, eles trabalham muito no cabelo, tanto homens quanto mulheres ….. é um povo realmente encantador …. acho que eles poderiam se preparar um pouquinho mais para o turismo, mas já estou com vontade de voltar….. rsrs

Vi o seu hotel, apenas de fora, mas a localização dele é excelente … e a praia dele ….. espetacular….. se você o indicar acho que é uma boa pedida ….

Abraços

Alexandre, se todos fossem como vc, minha viagem a Barbados teria sido mais facil. Todo mundo pergunta antes, mas depois são raros os que contam a experiencia. Concordo com quase todas suas opiniões. Valeu muito a pena conhecer a ilha, andei tambem bastante de transporte coletivo e a pé, tambem lamentei a falta de calçadas, a gente as vezes é obrigado a andar no meio da rua, e o transito não é lá aquela beleza…A comida é realmente muito cara, pelo menos no Gap. Quanto aos passeios, recomendo tambem o tour de van pela ilha, que fiz logo no primeiro dia, depois foi facil voltar aos lugares mais interessantes usando transporte coletivo ou, raramente, taxi. Fiquei num hotel meio velho mas com otima relação custo/beneficio: o Dover Beach Hotel, bem no fim do Gap, na praia,apartamento espaçoso e mais ou menos bem equipado, piscina limpa, perto de tudo. Achei bom o nivel de vida da população em geral, todo mundo tem emprego, todo mundo vai à escola, todo mundo se veste bem e se enfeita, vc reparou na quantidade de salões de beleza q existem em toda a parte?

Acabei de chegar de Barbados e gostaria de contribuir com algumas impressões (OPINIÕES PARTICULARES, DEIXO CLARO):

1- Transporte: fácil e barato. O custo tanto das vans como dos ônibus é de U$ 1,00 ou BD$ 2,00 (dólares barbadianos). As vans rodam direto de Bridgetown ao Oistins (lado ao sul de Bridgetown) a cada minuto e passam buzinando …. onde você levantar a mão eles param, não precisa ser em ponto de ônibus. Para as praias do lado leste (inclusive a Crane Beach) peguem a linha de ônibus “Castle”. Os taxis existem de monte, mas não são tão baratos, mas nada de assustador. Os taxis não possuem taxímetro e o preço é combinado no meio da rua mesmo …. negociem, eles abaixam o preço. A tabela do taxi do aeroporto às praias estão fixadas nas paredes do aeroporto. Cuidado para não serem explorados. Peguem os taxis chamados pelo próprio apoio do hotel, ficará mais barato, pois taxistas atravessam e vão direto a vocês e cobrarão mais caro.

2- Segurança: eu e minha esposa andamos muito de van, ônibus e a pé, inclusive a noite. Muito tranquilo e as pessoas são muito hospitaleiras, ajudam, dão informações, etc. Cuidado apenas com as calçadas que, em alguns momentos, não existem e temos que andar no meio fio. O transito é meio doido, mas basta um pedestre colocar o pé na rua para todos pararem, mesmo que não seja faixa de pedestre.

3- Onde ficar: o melhor lugar é ao sul de Bridgetown, é o melhor para ter acesso ao movimento noturno, às compras, às praias mais tranqüilas e aos restaurantes. Porém as praias não servem para o surf e a noite o local não é muito silencioso. Se quiser sossego melhor os resorts do lado oeste e para surfar melhor as praias do lado leste.

4- Comer: é tudo muito caro, inclusive para comprar no mercado e fazer no apartamento. Muito legal e vale a pena o Mercado de Peixe de Oistins e st Lawrence Gap, também conhecido como “The Gap”. Mas no Gap vá jantado pois senão vai gastar mais com um jantar do que com a passagem aérea até Barbados…..

5- Hotéis: Ficamos no Southern Surf na Rockley Beach (U$ 148,00 dia) …. o hotel é muuuito bem, o quarto é amplo e limpíssimo, as pessoas muito hospitaleiras e nos deixaram ficar no hotel até o horário do vôo de volta (21:00h). Assim, ainda no último dia curtimos a praia até o final do dia. Quem ficou no Coconut teve que deixar o hotel as 12:00h e acabaram ficando esperando no lobby do hotel. Destaque para a atendente Audra do nosso hotel, uma pessoa maravilhosa que nos ajudou muito. Nota 10 para esse hotel. Uns amigos ficaram no Pirates Inn (U$ 86,00 dia), que é bem mais barato, e gostaram muito …. mas tiveram que deixar o quarto às 14:00h.

6- Passeios: valem a pena catamarã para ver tartarugas, muito bom (U$ 90,00), Bathsheba Beach, e Harrison’s Cave (U$ 30,00 fora o deslocamento até lá). Não vale a pena: Submarino (muitos passam mal e perdem o passeio) e o Concorde (sem graça). Observação: são apenas opiniões particulares.

7- Praias: as melhores são ao sul de Bridgetown, pois tem águas calmas e são lindas, com destaque para Dover Beach (a melhor), Carlisle Bay (maravilhosa) e Rockley Beach (ou Accra Beach) muuito boa. A Crane Beach é muito famosa, porém o acesso é difícil e as águas revoltas … vale conhecer mas não é tudo isso não. As praias do lado leste não são boas para banho mas são boas para surfar. As praias do lado oeste são pequenas e quase fechadas pelos resorts, não valem a pena. Realmente o sul de Bridgetown é o melhor e mais democrático local.

8- Povo: os Barbadianos (ou Bajans) não entendem nada de português, espanhol ou portunhol. Se você se vira no inglês é tranquilo pois eles se esforçam muito para entendê-lo. Se você não se vira em inglês, sugestão: procure outra ilha. Exceto algumas pessoas o povo é alegre e acolhedor. É um povo sofrido e com grande desigualdade social, porém não vi pessoas pedindo esmolas. Buscam sempre uma oportunidade ajudá-los, para poder ganhar algum dinheiro, como alugar cadeiras de praia, serem guias ou algo do tipo. Quase 100% da população é alfabetizada.

Resumo da ópera: passeio muito legal, com praias lindas e povo acolhedor. Adorei.

Espero ter contribuído.

Ola Ricardo, alem das dicas que vc ja postou, quais os maiores cuidados que devemos ter em barbados? Nao falo bem ingles e a primeira viagem fora do brasil.

Abracos.

    Olá, Aladim! Aqui quem responde é A Bóia. Barbados é um lugar bastante tranqüilo. Apenas não deixe para jantar depois das 21h, porque muitas cozinhas dos restaurantes não aceitam pedidos depois deste horário.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.