África do Sul: queremos suas dicas 1

África do Sul: queremos suas dicas

Bo Kaap

| Bo Kaap, bairro malaio da Cidade do Cabo |

Estamos preparando mais um superpost que supercompila superdicas dos nossos superleitores (supervocê!). Quando ficar pronto, vai seguir a linha dos que já fizemos para Atacama, Inhotim, Orlando, Miami, Foz do Iguaçu, Gramado, Las Vegas, Costa Amalfitana, Campos do Jordão e Panamá.

Já supertemos muitas dicas, deixadas por vocês em posts anteriores sobre o destino. Mas nessa fase final, sempre vale a pena fazer mais uma rodada de contribuições, ahn, espontâneas 😀

Deixe sua dica! Vale destino, roteiro, safári, vinícola, bate-volta, macete, pegadinha, roubada… Dicas de permanência (quantos dias em cada lugar?), época (o mês em que você viajou foi legal para as atividades que você planejou?), transporte (vale a pena alugar carro?), passeios (dá para se encaixar na boa depois de chegar?) e hospedagem (em que hotéis você ficou? Recomendaria? Passou em frente de algum que deu vontade de ficar?) são especialmente bem-vindas.

A supercompilação dessas superdicas acaba dando um supertrabalhão — mas é o tipo de trabalho que a gente adora ter aqui no Viaje na Viagem.

Podemos contar com você? A caixa de comentários é toda ouvidos! Obrigadíssimo!

Leia mais:

44 comentários

Sabia que tinha esquecido coisas!! rs

– experimente a sobremesa malva pudding e o chá de Rooibos;

– curta o visual das praias de Clifton e Camps Bay (aquelas montanhas são maravilhosas!), mas no verão não ponha o pé na água se não quiser congelar!

– a Boulders Beach no caminho para o Cabo da Boa Esperança é fofa demais cheia de pinguins.

Agora sim acabei.

Acabei de voltar de lá, já postei o primeiro post geral (http://taindopraonde.blogspot.com.br/2014/03/curiosidades-primeiras-impressoes-africa-do-sul.html) e estou planejando agora 32 (!!!!) posts sobre a África do Sul. Está tudo bem fresquinho, mas bem difícil resumir em um comentário.

– em Cape Town, não deixe de comer no Market on the Wharf, mercado de comidas gourmets no V&A Waterfront, com sorvetes artesanais, chocolates, azeites, sucos naturais, bubble tea, samosas, sanduíches, tudo uma maravilha! Mas infelizmente o horário é péssimo (fecha às 18h), então só dá para um lanchinho ou almoço.

– O melhor restaurante que fomos em Cape Town foi o “Baía”, no Victoria Wharf Shopping Centre de frente com uma vista ótima do Waterfront;

– O Springbok Experience me surpreendeu! Não sabia nada de rugby e nunca nem vi um jogo, mas fui mesmo assim e aprendi bastante com esse museu super interativo. Fica no Waterfront da Cidade do Cabo;

– Venta DEMAIS na Cidade do Cabo, fiquei uma semana por lá e quase não consegui subir a Table Mountain porque com vento o bondinho para de funcionar. Só consegui na última tarde;

– gostei do tour na Robben Island, emocionante ver uma das prisões do Mandela;

– gostei também do pequenininho museu District Six – para entender melhor o tipo de coisa que acontecia na época do apartheid;

– a comida e principalmente o vinho são ridiculamente baratos;

– eu não entendo de vinhos, mas estava com um grupo que entende bastante. A vinícola Springfield perto da cidade de Robertson (na Rota 62) foi uma ótima surpresa porque ninguém conhecia e gostaram bastante (e é muuuuuito barata);

– outro destaque das vinícolas foi a Hamilton Russell (mais perto da Cidade do Cabo). Foram mais de 10 vinícolas na viagem e essas 2 foram os destaques.

– Oudtshoorn é uma cidade super fofa na Rota 62. Não deixe de visitar a Cango Cave e uma fazenda de avestruz. Um restaurante bárbaro na região é o restaurante da reserva “Buffelsdrift”, que é mais arrumadinho e continua barato;

– Experimente o prato típico “bobotie”, gostei muito! Já o “biltong” não gostei não;

– Experimente também carnes de kudu, springbok e outros animais típicos. Eles vendem patê de zebra em qualquer lojinha de souvenir (e de outros animais tb), mas não tivemos coragem de comprar o de zebra;

– o Waterfront de Knysna tb é bonitinho – vale a pena fazer uma passeio de barco na cidade;

– fiz 5 safáris em 3 dias, ideal para dar tempo de ver todos os bichos. Se vc fizer menos safáris, corre o risco de não ver algum.

– não beba líquidos umas 2 horas antes do safári porque o carro balança bastante e dá vontade de ir ao banheiro. O único banheiro costuma ser o matinho, mas e o medo de um bicho aparecer? (claro que isso varia de reserva para reserva)

– mesmo no verão sul-africano,fazer safári costuma ser beeem frio porque venta muito. Leve roupas quentes.

– Recomendo o Shamwari Game Reserve (perto de Port Elizabeth) – foi lá que fiquei alguns dias e fiz meus safáris. Como os lodges são pequenos, acabam tendo mais funcionários do que hóspedes e é aquela mordomia (e comilança);

– se gostar de ler, leve livros para ler entre um safári e outro porque acaba não tendo muitas opções do que fazer, além de comer e dormir! Um baralho também é bom;

Ufa, acho que terminei!

Ótimo resumo Rê! Sem esquecer do jantar incrivel no Africa Cafe e do chá da tarde no Mount Nelson Hotel em Cape Town.

Também tem o District Six Museum 🙂

E Stellenbosch com suas vinícolas lindas.

Nossa, não sei nem por onde começar! 😀

Mas vou tentar não repetir o que já falaram por aqui.

Minha sugestão de roteiro para quem vai para a África do Sul pela primeira vez sempre é: 3 dias no Kruger + 5 dias de Cidade do Cabo + 5 dias viajando pela Garden Route – sobram os 2 dias de trânsito na ida e na volta para caber em férias de 15 dias.

Se tiver o mês todo ou mais, a África do Sul tem estradas maravilhosas, vale fazer uma viagenzona de carro ou estender para Victoria Falls (no Zimbabue). Lugares fora do eixo Kruger-Cape Town-Joburg: Camps Bay para praia e surfe; Jeffreys Bay para surfe/praia mais badalados (e a vizinha Port Elizabeth); Santa Lucia para praia calma e santuário de hipopotámos; Blyde River Canyon, perto do Kruger, para hiking e trekking.

Kruger Park:
http://www.nhatinha.com/blog/tag/kruger-park/

Super indico o Siyabona Africa, um lodge dentro do parque, simples mais confortável e com preço justo.

Johanesburgo:
http://www.nhatinha.com/blog/tag/johanesburgo/

Não vale ficar muitos dias pois perde em comparação. Mas, estando lá, Lion Park e Museu do Apartheid são imperdíveis.

Para almoço e jantar, o Moyo – restaurante de comidas típicas – mas o do Zoolake Park, que é lindo e muito mais legal do que o do shopping.

Cape Town:
http://www.nhatinha.com/blog/tag/cape-town/

Dá, sim, para se virar sem carro, mas acho que é a pior alternativa possível. Você fica SUPER preso a passeios turísticos prontos numa cidade em que tudo é muito bem sinalizado, muito bem organizado e muito receptiva aos turistas. Dirigir em Cape Town e seus arredores é uma das principais atrações de lá – para mim 🙂

Ah, eu também ficaria pela África do Sul para marinheiros de 1a viagem. Os países vizinhos quase todos valem férias só deles. Menos Suazilândia e Lesotho, que são praticamente anexos e micros – e lindos!!

Ufa, empolguei 🙂

Oh, yeah, já fui algumas vezes, recomendo muito e pretendo voltar ainda muitas outras vezes 😀

Tem os posts gerais sobre o destino (passeios, hotéis, curiosidades etc) aqui
http://www.maricampos.com/tag/africa-do-sul/

Roteiro de carro pelo país aqui
http://www.maricampos.com/tag/de-carro-pela-africa/

Safáris (inclusive fora do Kruger) aqui
http://www.maricampos.com/tag/safaris/

Agência bem boa para tour privativos no Cabo e arredores aqui
http://www.maricampos.com/wow-cape-town-tours-uma-boa-pra-quem-busca-um-tour-privativo/

Como é chegar na Cidade do Cabo… e navio! aqui
http://www.maricampos.com/chegar-em-cape-town-de-navio-e-assim/

E o que fazer na conexão em Joanesburgo aqui
http://www.maricampos.com/conexao-em-joanesburgo-o-que-fazer/

Entre outras cositas más 😛

Já tinha ido em 2010, na Copa do Mundo, e voltei em julho de 2011 com meus irmãos. Nosso roteiro foi o seguinte:
– 4 dias completos na Cidade do Cabo – dia 1: Cape Point/Cabo da Boa Esperança, dia 2: Robben Island pela manhã, Table Mountain à tarde, dia 3: mergulho com tubarões em Gansbaai, dia 4: city-tour no ônibus de 2 andares.
– 1 dia em Joanesburgo: Soweto Bicycle Tour pela manhã, Lion Park à tarde.
– 7 dias em um safári saindo de JNB, para o Delta do Okavango e Chobe National Park (em Botsuana) e Victoria Falls (Zimbábue), pela Nomad Tours.

O que eu teria mudado: O city-tour na Cidade do Cabo no primeiro dia, e mais um dia em Joanesburgo – veria então o Museu do Apartheid (imperdível, mas não abre na segunda-feira, o dia que passamos na cidade) no mesmo dia do tour de Soweto, e veria as Sterkfontein Caves/Cradle of Humankind no mesmo dia do Lion Park.

Das outras cidades que visitei em 2010, Durban é agradabilíssima, com clima quente e uma praia urbana gostosa mesmo no inverno, e Jeffrey’s Bay (a 70km de Port Elizabeth) é um balneário tranquilo e com um astral de documentário de surfe 🙂

    Na Cidade do Cabo, dá pra viver sem carro. Ficamos em um albergue no bairro Gardens, perto do centro e com táxi barato até o Waterfront. Contratamos os passeios de Cape Point e do mergulho com tubarões no próprio albergue, com transporte incluído.

    Em Joanesburgo, carro é *essencial*. Não há transporte público amigável/seguro, e os táxis são caríssimos.

Sugiro uma pequena parte dedicada a “o que fazer em um dia em JNB”. O voo da SA entre GRU e PEK, por exemplo, dá praticamente um dia inteiro para o sujeito na cidade. Vale dar uma volta até o sono bater forte.

Quando fui, contratei uma agência para me levar para o Lion Park, que é praticamente um zoológico um pouco mais aberto. Foi interessante. Dá para fazer carinhos nos leõezinhos, passar de carro entre os leõezões, fotografar suricatos naquelas poses engraçadas e aquela coisa toda. Também dá para almoçar lá, se for o caso. A agência deveria me levar para o aeroporto na volta, mas pedi para me deixarem no Sandton City, o maior shopping da África. Comprei o que precisava comprar para o resto da viagem, almocei e peguei o trem de volta para o aeroporto. Tudo muito fácil e simples. Cheguei no aeroporto podre de sono e ainda consegui entrar numa sala vip para dormir um pouco e tomar um banho, antes de embarcar em outro voo de 15 horas.

Links úteis:
– A agência do day tour: Pretvan Tour – http://www.pretvan.co.za/ Fui atendido pelo dono, Danie (sem L mesmo), um senhor gentilíssimo e atencioso. Recomendo.
– O Lion Park: http://www.lion-park.com/
– Blog onde peguei a maioria das dicas: Meus Roteiros de Viagem – http://www.meusroteirosdeviagem.com/categoria/joanesburgo

Boa sorte! =D

Minha dicas em Cape Town:

– escalar a Montanha da Mesa. A trilha é bem bacana e o percurso mais longo pode ser feito em 1h30min. O visual na subida é espetacular.
– jantar em um dos restaurantes de Camps Bay. Há várias opções e todas são muito boas. Peça sempre o peixe local, o kingklip. Muito bom. É bom que se diga que os preços das refeições na África do Sul são super atraentes comparados aos do Brasil.
– visita ao Wellness Center, uma loja de produtos orgânicos e naturais na Kloof Street no charmoso bairro de Gardens. Muito legal. Esse bairro, aliás, é cheio que lojinhas bacanas e restaurantes legais.
– passeio ao Cabo da Boa Esperança. Tem um percurso que se chama Chapman’s Peak Drive que é simplesmente deslumbrante. O visual até Cape Point é o máximo.
– visita a Boulder’s Beach. Na volta do passeio ao Cabo da Boa Esperança, essa é uma parada obrigatório pra ver os pinguins. Muito bacana!
– é fundamental alugar um carro em Cape Town pra se aproveitar bem a cidade. Mas o ideal é reservar com antecedência, caso contrário pode ser que você não encontre o carro que gostaria de alugar nas lojas das locadoras no Aeroporto de Cape Town. A procura é sempre muito grande.

Boa viagem!

Minhas dicas são:

– Se possível, faça 2 dias de safári no Kruger Park (ou 2 períodos, manhã e tarde). Quando eu fui não consegui ver nenhum felino e um dia a mais aumenta as chances de conseguir ver todos os “Big 5”

– Para subir a Table Mountain, o melhor é que o tempo esteja bom, mas, mesmo que tenha nuvens por ali, não deixe de subir. Quando eu fui estava nubladaço e, chegando lá em cima, as nuvens foram saindo e a vista incrível apareceu.

Viajar pra África do Sul foi maravilhoso. Fui em outubro (peguei frio e chuva em Cape Town, mas nada que tenha atrapalhado), fiquei 18 dias rodando pelo país em 16 cidades, e já sonho com a próxima vez, para fazer o que não deu tempo e repetir Kruger!!!
Meu roteiro completo com tempo de permanência pode ser visto em http://pequenograndemundo.com/2013/10/13/africa-do-sul/. Lá dou dicas gerais tb e há links para posts sobre a South African Air Lines, sobre como vale muito a pena alugar carro na Garden Route e na Panorama Route, mas não na Wine Route, e aos poucos estou completando os posts de cada cidade/região que fala sobre os passeios, hotéis e restaurantes.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.