Amigo Gringo

Nova York sem micos, nas dicas do seu Amigo Gringo

Amigo Gringo

Com o dólar em viés de alta e os 6,38% de IOF, pagar mico em Nova York ficou muito caro para nós, brasileiros. Felizmente, nossos problemas acabaram: está no ar o canal Amigo Gringo, da Rede Snack.

O Amigo Gringo é ninguém mais, ninguém menos que o Seth Kugel, de quem eu falo aqui no Viaje na Viagem desde o mesozóico (2007!), quando linkei o roteiro de 36 horas em São Paulo que ele escreveu para o New York Times.

Pois bem: de 2007 pra cá muita coisa aconteceu na vida do Seth — ou 7, como ele gosta de ser chamado nessas latitudes. Primeiro, ele veio morar no Brasil, como correspondente de uma agência de notícias, e afiou ainda mais o seu português praticamente sem sotaque (ele hoje sabe até usar o futuro do subjuntivo quase naturalmente). Depois, tornou-se o Frugal Traveler, titular da seção mais lida do suplemento de viagem do New York Times, quando viajou intensamente por mais de quatro anos pra tudo quanto é lugar e aumentou sua exposição a outros modos e costumes.

Esse combo de qualidades e experiências faz do Seth o cara certo para nos poupar dos efeitos desagradáveis do choque cultural: ele conhece bem os dois lados, o brasileiro e o americano, e pode dar pra gente os conselhos que a gente daria a um gringo no Brasil (“Ei, não vai pra praia de Birkenstock e meia preta não, fera!”).

A série é divertida e investe no bordão Não seja um ~puta babaca~. No primeiro episódio, o Seth mostra como não ser um ~puta babaca~ no metrô. Eu já vi outro, ainda inédito, em que ele mostra como não ser um ~puta babaca~ na hora de escolher e pedir um bagel.

Vêm aí episódios polêmicos falando de gorjeta (assunto sensível nas relações internacionais, chama o Itamaraty!), reservas e horários, café, pizza, turistagem em geral.

Amigo Gringo

Eu estive no lançamento ontem (além do Amigo Gringo, a Rede Snack lançou também o canal LP Lab, da Luiza Possi) e deixei algumas sugestões de temas:

– Por que todas, todas, todas as lojas de Nova York tocam Bebel Gilberto o tempo todo?

– Por que ninguém, ninguém, ninguém me deixa facilitar o troco e ainda me enchem de mais moedinhas que eu não tenho como usar?

– E afinal, como se diz ~puta babaca~ em inglês, caso eu precise gastar?

Já sabe:

Amigo Gringo

:mrgreen:

19 comentários

Assisti e me inscrevi no canal.

O triste são os espíritos-de-porco, os doutrinadores virtuais, os guerreiros dos comentários do YouTube que estavam lá batendo ponto e discutindo a sério um vídeo claramente com propósito de dar uma visão bem-humorada do ponto de vista estrangeiro sobre nossos hábitos de turista.

Ao invés de não assistir ou de fazer um vídeo eles mesmo expondo porque dar gorjeta é “tão errado”, eles preferem ficar parasitando a fama alheia pra defender o direito sagrado que todo brasileiro tem de ser um “PUTA BABACA” no estrangeiro…

Melhor sugestão: “- Por que todas, todas, todas as lojas de Nova York tocam Bebel Gilberto o tempo todo?”

É por essas e outras que sou tua fã, Riq!

Eu vi o do Metrô e adorei.
Acho que muita coisa ali serve também pros puta babaca que usam o metrô paulistano, né não?

Já paguei tantos micos destes que perdi a conta.
E parece que quanto mais a gente circula, mais
babaca a gente fica

Amei !! Me identifiquei com a parte de dividir a conta em vários cartões kkkkk a garçonete nos olhou como se fôssemos ETs !!!!

Eu vi isso no twitter e adorei!
É muito bom ter uns toques de um “gringo” pra não pagar mico!
Vou me inscrever no canal! 😉

Adorei e vou favoritar.
Esta das moedinhas também nunca entendi.
Na última ida aos EUA já não tinha mais onde colocar moedas. Coitada da última pessoa que me vendeu algo… ficou com um saco de moedas como pagamento.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.