desconto hotéis Argentina - Dazzler Recoleta

Argentina: isenção de 21% de IVA em hotéis para pagamento no cartão já está valendo

desconto hotéis Argentina - Dazzler Recoleta

Até que enfim: anunciada em setembro de 2016, a isenção do IVA (imposto de valor agregado, o equivalente ao nosso ICMS) nas diárias de hotel na Argentina pagas por visitantes estrangeiros (com cartão de crédito, cartão de débito ou por meio de agência de viagem) foi regulamentada no fim do ano e já está valendo desde esta segunda-feira, 2 de janeiro de 2017.

O IVA que incide sobre diárias de hotel é de 21% e continuará adicionado a todas as diárias. Pagando com cartão de crédito, débito ou pré-pago internacional, porém, o hóspede estrangeiro fica isento do imposto. Mas precisa provar que está na Argentina há menos de 60 dias.

O desconto vale apenas para diária e café da manhã em hotéis; apartamentos de temporada estão fora da medida. Despesas extras em hotéis — como almoço, jantar, massagens ou consumo do frigobar — continuam pagando IVA de 21% e devem ser faturadas separadamente.


Devolução de IVA em hotéis Argentina
Hotéis bacanas para todos os bolsos

A isenção de IVA em hotéis de outros países

Com essa medida, a Argentina entra na onda de outros países da América do Sul que já isentam os visitantes estrangeiros do pagamento do imposto sobre hospedagem. (O Brasil passa a ser o único país do Cone Sul que não dá essa moleza para os visitantes estrangeiros.) Cada país, porém, tem seus próprios procedimentos. Veja as diferenças:

Uruguai

No Uruguai, visitantes estrangeiros são isentos dos 20% de IVA em hotéis. O valor não é sequer acrescentado à conta. O pagamento pode ser feito em qualquer meio: pesos, cartão internacional ou moeda estrangeira (caso o hotel aceite).

Já nos casos de restaurantes e locadoras de carros, o IVA é acrescentado à conta mas devolvido automaticamente quando o pagamento é feito com cartão internacional.

Chile

No Chile o turista tem direito à isenção dos 19% de IVA em despesas de hospedagem — desde que tenha entrado no Chile há menos de 60 dias e pague em dólar vivo ou cartão internacional.

A ‘prova’ de que você está no Chile há menos de 60 dias é o papelzinho da imigração, que será xerocado pela recepção do hotel. Na hora do check-out, vá com tempo sobrando, porque o funcionário vai ter que preencher uma ‘factura de exportación’ (se for pegar o avião de manhã cedo, feche a conta na véspera).

Peru

O Peru também isenta turistas do IVA de 18% em hotéis. O pagamento pode ser feito por qualquer meio, mas você precisa provar que está há menos de 60 dias no Peru.

Assim como acontece no Chile, a recepção vai xerocar a sua tarjeta (papelzinho) de entrada no país.


Primeira viagem ao Peru: trem Vistadome PeruRail
Roteiro passo a passo

E você? Já conseguiu sua devolução?

Você que está na Argentina e vai pagar hotel com cartão de crédito: conta pra gente se a devolução funcionou direito? Obrigado!

Leia mais:


Rojo Tango

148 comentários

Estive em Buenos aires de 5 a 9 de janeiro, fiz a reserva pelo booking e paguei pelo site mesmo, que cobrou os 21%.
Enviei um email para o booking questionando a nova regra do país e se eles irão devolver o valor referente, mas ainda não me responderam.

Estou com reservas para 5 dias em janeiro de 2017 em Bariloche, feitas pelo Booking. Essa reserva foi feita em em outubro 2016 e entrou integralmente na minha fatura do cartão de novembro de 2016. No valor cobrado foi incluido 21% de imposto.
Entrei em contato com o Booking nessa semana e também com o hotel, perguntando se poderiam me devolver o valor relativo ao imposto, já que as diárias ainda não foram utilizadas.
O hotel respondeu que o imposto já foi pago ao governo, no momento da reserva!!!!!!
Todavia, ao consultar o site do Booking hoje, constatei que, caso eu resolva cancelar a reserva, não teria que pagar pela parte do imposto, pagaria apenas pelas diárias( reserva não reembolsável).
Fiquei com a sensação de que estão mentindo, pois se o imposto fosse pago no momento da reserva( o que por si só já seria estranho), eu não poderia cancelar a reserva sem pagar integralmente por ela.

Comprei o hotel para BA via DECOLAR, que tem um péssimo atendimento pós-venda. Desde cedo tento contatá-los sem sucesso. Qdo, finalmente, um atendente pegou a chamada disse q não sabia de nada. Agora no aeroporto de Azeiza, nenhum funcionário sabe informar também. Resultado, vou embarcar sem saber se teria direito ao IVA.

    Cristina, depois me responde como foi? Estou pensando em reservar um hotel pelo Decolar e também estou em dúvida se haverá isenção de IVA se a compra for feita desse jeito.

    Em contato direto com os hotéis, eles deixam claro que só dão a isenção se o pagamento for em cartão de crédito ou transferência bancária internacional. Estou com medo de o decolar utilizar outra forma para pagá-los e, ao chegar lá, ter que pagar o imposto.

Pessoal, fiquei hospedada em Bariloche de 02 a 05 de janeiro de 2017. Na saída, dia 05, questionei sobre a isenção do IVA para estrangeiros e a recepcionista disse que não sabia de nada, não sabiam como ia funcionar. Enfim, paguei as diárias com imposto. Hoje, 06 de janeiro, fiz check out em outro hotel, em Villa de la Angostura, me deram a isenção do IVA e ainda escreveram na nota fiscal o número do decreto. Comentei que em Bariloche haviam negado a isenção, as moças me olharam, se olharam e ficaram quietas, como se eu tivesse sido enganada…

Enfim, ainda está meio complicada essa isenção por aqui e acredito que os hotéis estejam se aproveitando desse momento de transição para embolsar o IVA. Estranho que o hotel que fiquei em Bariloche não soubesse de nada, uma medida dessa, que afeta todo o setor hoteleiro do país, que foi instituída em setembro/2016 (embora só agora regulamentada)… vou reclamar, mas fica o alerta pra quem estiver vindo pra Argentina nesse começo de 2017.

Estou em BsAs no Urban Suites Recoleta. Cheguei ontem. Fiz a reserva pelo Booking. Ao chegar, no checkin, pediram um cartao como garantia. Embora tivessem me dito que era apenas para garantia, ja passaram o valor total com IVA. Nao me deram sequer a opcao de pagar em dinheiro. Quando questionado sobre o desconto do IVA, o recepcionista disse que nao sabia de nada. Fico com a impressao de que o hotel incorporou o IVA a tarifa, pois a fatura nao especifica o valor do IVA, apenas diz: IVA incluido.

Essa notícia é excelente! Será que se no momento do check-out falarmos da lei eles já não atendem? Espero que sim.

Estive em Buenos Aires em agosto. Na prática, o hotel já não me cobrou (sonegou) o IVA se eu pagasse o hotel em dinheiro. Fez o mesmo preço do booking, sem acréscimo de IVA. Era uma prática comum, não foi a primeira vez. Desconto “en efectivo”.

Estamos hospedados no Sheraton em Mendoza e acabamos de nos informar que ainda estão cobrando os 21%. De acordo com o recepcionista, o desconto ainda não está valendo.

    Aconteceu a mesma coisa comigo em Mendoza na semana passada. O recepcionista disse que não estava valendo :/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.