Bariloche sem neve: bonito de todo jeito

Vista do Cerro Campanario

Esta é a minha primeira vez em Bariloche. Nunca vim pra cá antes porque não tenho toda essa fascinação por neve, não (já basta a que tenho com praia). E de livre e espontânea vontade nunca viria  na muvucona máster das férias de inverno (OK, talvez um dia tenha que fazer isso pra registrar aqui no site).

De todo modo, há muito tempo tenho lido e ouvido que a região é linda o ano inteiro. E que depois que a neve derrete (ou antes que ela volte) fica mais gostoso curtir a região. Aproveitei esse finzinho de verão patagônico para fazer o tira-teima.

Vista de um ponto panorâmico da av. Bustillo

Chegamos sexta à noite, num vôo bem caro da Aerolíneas (260 dólares desde El Calafate, 1h20 de duração). A sexta-feira tinha tido temperaturas altas (chegou a 22 graus), mas no sábado um vento gelado derrubou a sensação térmica para uns 8, 10 graus. (Minhas Havaianas continuam virgens na mala.)

Só aluguei carro a partir do domingo, então no sábado, ainda sem rodas próprias, resolvi fazer meu segundo city-tour de panoramas da viagem pra ver como era. Nos encaixamos numa saída para o Circuito Chico (chico de “pequeno”;), que em três horas percorre a costeira oeste da cidade e leva a três mirantes belíssimos — um deles, o Cerro Campanario, aonde se chega de teleférico.

Subindo para o mirante do Cerro CampanarioO teleférico do Cerro CampanarioO café do cerro Campanario

Nosso guia fez questão de dizer que o mirante lá do Campanario foi eleito pela National Geographic como um dos 17 com as vistas mais bonitas do mundo. Parece uma coisa meio Jericoacoara no Washington Post, mas uma vez lá em cima, não tive como contra-argumentar.

A vista do Campanario, bis

A segunda parada é num mirante à beira da estrada, de onde percebemos perfeitamente por que o hotel Llao Llao está na melhor localização possível nas cercanias barilocheanas.

O Llao Llao (diga: jao jao)

De lá partimos para rodar pela península onde está o Llao Llao e ir até Puerto Pañuelo, de onde saem os passeios lacustres (incluindo o cruce de lagos). Ali se avista o Llao Llao de outro ângulo, mas é só.

O Llao Llao, de outro ângulo

O que tem pra fazer em Bariloche nesta época?

Bem… sem neve, as montanhas ao redor servem basicamente para trekking (tô fora). Os passeios pelo lago — incluindo pesca esportiva — continuam valendo (mais até do que no inverno). Num esporádico dia quente, dá pra tomar sol (entrar n’água, só no altíssimo verão, e olhe lá).

Mas o grande atrativo de Bariloche sem esqui está na região em torno, onde lagos, montanhas e bosques se combinam de maneira a criar um cartão postal instantâneo não importa para onde você olhe.

Dá pra fazer esses passeios em tours e voltar para dormir todos os dias em Bariloche, mas o mais bacana é pegar um carro, sair por aí e dormir em hoteizinhos charmosos fora da cidade.

É isso que estamos fazendo desde domingo. Voltamos na quinta a Bariloche só para continuar viagem ao Chile na sexta. Fiquem logados…

Leia mais:

425 comentários

Galera,

Tava olhando algumas empresas pacotes p/ Barriloche..tipo a Agaxtur… mas to c/ dúvidas se eu for em junho (provavelmente no inicio pq eh mais barato) se eu vou ver neve… alguém poderia me ajudar…?

    Para ter certeza de ver neve, vá do fim de julho ao início de setembro.

Riq, quantos dias são necessários para conhecer Bariloche e dar uma passeada nos arredores? Pretendo ir agora em julho ou agosto. Você acha interessante alugar carro por toda estadia? E além do Carlos V e do Design Suites, você teria alguma outra sugestão de hotel?

Estive em Bariloche no final de julho em 1991, lua de mel…Fomos de trem a partir de Bs As, em cabine, carro restaurante, etc.Chegamos sem neve, mas 1 dia depois caiu uma nevasca que há 2 decadas não caia!Poucos brasileiros e muitos argentinos para a abertura dos jogos de inverno, descida do cerro catedral a noite com tochas de fogo, lindo!Devido ao tempo, não subia nem descia avião, nem saia onibus, mas o trem … funcionava, mesmo o encanamento estando congelado!Resultado briga a tapas para uma passagem de trem, sorte que havíamos comprado ida e volta!Valeu a viagem!

Olá Riq.
No finalzinho de junho desse ano vou passar 9 dias em Bariloche.
Eu quero muito ver neve! Não conheço ainda e não vejo a hora de conhecer!!!
Você acha que mesmo com neve vale a pena fazer esse circuito que você fez? Acho que na alta temporada é melhor já ir com os hotéis fechados, certo?
Vai que não conseguimos um!
Tô ansiosa por mais dicas!!!

    Se você quer ter garantia de neve e pode ir fora de temporada, vá em agosto.

Eu gosto alugar carro e pesquisar B&B ou hoteis pequenhos e charmosos, ou rústicos enquanto vou pela rota. Adoro olhar o paisagem durante os vaigens em carro. É uma aventura “on the road”!
Gostei do lugar e adorei as fotos!!!!!!!!!!!!!!!

Dizem que pela cidade Gramado/Canela são muito mais bonitas e arrumadinhas que Bailoche, o diferencial da cidade argentina é a paisagem dos arredores e a neve no inverno.

    Egzéctli. Nesse quesito, ponto pra Gramado, que soube continuar bonitinha também no perímetro urbano.

A crise pegou a Argentina de jeito, em 2004 o Panamericano era um hotel bem legal. Um programa que eu fiz qdo estive aí (não, você não vai querer fazer) foi um rafting no Rio Manso. Acho que foi a paisagem natural mais linda que vi na vida (acho que rivaliza c/ Noronha, embora em estilos completamente diferentes; não consigo me decidir). Não fiz nadinha de esforço, mas a viagem é cansativa, são 180km numa excelente estrada, já na fronteira com o Chile, vendo Torres del Paine a cada curva (Ai, que saudade…)Estava quente e o banho de rio era uma delícia.

Rosa.
Depois de visitar Bariloche no inverno e tb no verão, voltei em fevereiro de 2008 e realmente achei-a muito descuidada (a cidade). Diferente das vezes anteriores em que lá estive.
Taysa.
Você vai ter que voltar. Creio que estava cansada (pelo Simpósio), e não deu sorte na comida. Volte,com tempo suficiente para fazer os passeios, respirar com muita calma, Curtir a vista do “Cerro Campanario”, subir nas gôndolas do “Cerro Catedral” e sentir o frio lá em cima (mesmo no verão).

Abusadamente lindas, assim são as paisagens no Verão. Não esqueça o Cerro Tronador e excelente continuação de viagem. Abraços!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.