Bate-e-volta: de Paris a Reims, na Champagne 1

Bate-e-volta: de Paris a Reims, na Champagne

veuveclicq450.jpg

Eis aqui um passeio bate-volta interessantérrimo, que vem a calhar a todo mundo que pede passeios nos arredores de Paris que não sejam Versalhes (onde todo mundo vai na primeira viagem), Disneyland Paris (que vale a pena para quem vai com criança), Mont St.-Michel ou Vale do Loire (over-puxados para um dia só, e de logística complicada).

Estou falando de Reims (diga: “Rãs”), capital da região da (e do) Champagne, primeira estação importante na nova linha do TGV, a apenas 45 minutos de viagem.

(A outra “capital” da Champagne, Épernay — sede da Moët & Chandon — está na linha antiga, a 1h20min. de viagem.)

A passagem “cheia” (sem restrições) custa 30 euros em cada perna; mas comprada com antecedência site da SNCF pode sair até por 15 euros por trecho. Os trens operam da Gare de l’Est. Para ir, os melhores horários são 7h57 e 8h57. Para voltar, 17h15 ou 20h15.

Reims

A cidade foi desfigurada pela 2a. Guerra, mas conseguiu conservar seus dois tesouros mais valiosos: a Catedral de Notre-Dame, onde 25 reis franceses foram coroados, e o vizinho Palácio do Tau, onde aconteciam as festas de coroação.

Mas a atração principal da cidade são as caves de algumas das marcas mais famosas de champagne. Muitas delas estão concentradas ao sul do centro histórico, e são vizinhas umas das outras — como você pode ver nesse mapa aqui.

Veuve Clicquot

As visitas guiadas, que duram entre uma hora e meia e duas horas, partem sempre que chegam pessoas suficientes para compor um grupo. Na Veuve Cliquot elas acontecem de 2a. a sábado das 10h às 18h (de novembro a março, de 2a. a 6a.). Na Pommery as visitas são diárias, das 10h às 18h. Na Piper-Heidseick, todos os dias das 9h30 às 11h45 e das 14h às 18h, de março a dezembro. E na Taittinger, das 9h30 às 13h e das 14h às 17h30, todos os dias, inclusive feriados (de 15 de novembro a 15 de março, de 2a. a 6a., salvo feriados). Todas as visitas terminam com degustação; o número de taças e o conteúdo delas vai depender do tipo de ingresso que você comprar.

Querendo comer uma coisinha entre uma visita e outra (hic!), volte ao centro da cidade e visite uma outra instituição de Reims: o Café du Palais, em frente ao Palácio de Justiça, que serve comida de bistrô a preços camaradas.

Leia mais:

153 comentários

Carlaaaaaaaaaaaaa tá muito frio aí?
estarei por aí no sábado se o avião sair. 🙂
boa viagem e arrasa, gata!

Oi, pessoal! Totalmente off-topic, eu vim só deixar um beijo a todos, diretamente de Cuzco, morta de cansada, depois de um dia inteirinho em Machu Picchu… De novo, obrigada a todos pelas dicas, a viagem está sendo maravilhosa, em grande parte pela ajuda de todos! Estamos dando uma sorte danada com o tempo, céu azul e sol todos os dias – ah, e 30 cm de neve em La Paz… 2a.f. estou de volta com mil novidades!!! 😀

Oi gente, fiquei interessada nesse roteiro. Uma dúvida quanto às visitas… qual a variação de preço entre os ingressos para degustação, alguém sabe?….

Vou pra lá em Dezembro e já estou reservando um dia para Reims!

Não entendo muito desse roteiro, mas a Madame Viuva Clicquot e o Don Perignon podiam me visitar mais vezes. 8)

A região de Champagne com certeza vale uma visita e concordo com você Mari, as caves da Mumm foram as minhas preferidas, tanto pelo tour – que é uma aula super interessante sobre o champagne, quanto pela bebida em se – magnífica.

Riq, eu fiz esse bate-e-volta e foi uma delícia! Sempre recomendo! A cidade é encantadora, cheia de ruínas e ruelas charmosas para vc se perder. Reims tem a carinha mesmo da região de Champagne. Só faltou falar de uma das cavas: a da Mumm, marca oficial dos prêmios de Fórmula 1. A cava é lindíssima e a visita bastante interessante (a gente aprende direitinho como guardar em casa também 😆 ).
Outro bate-e-volta delicioso desde Paris eu acho que é a cidade de Troyes, também há menos de 1 hora desde a capital francesa e por preço semelhante para o trajeto. Esse eu experimentei no final de fevereiro deste ano. Tá certo que muita gente vai pra lá atrás dos grandes outlets dos grandes nomes franceses (Chanel, Dior etc) e também da Puma, Adidas, Nike, Levi’s… mas a cidade tem uma atmosfera sedutora, com muitas ruelas medievais, de chão de pedras. Sem falar na tradição que a cidade tem nos macarrons, espalhados em pastisseries em tudo quanto é canto. Um dia perfeito!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.