Belém: city-tour no tucupi

Mercado Ver-o-Peso, Belém  do Pará

Você sabe que se tornou dependente químico de internet quando chega a uma cidade que nunca visitou e cogita não sair do quarto só porque a conexão wireless do hotel é espetacular e você quer tirar o atraso de dois dias offline.

Aconteceu comigo outro dia em Belém, durante uma escala não-programada. No fundo, talvez eu quisesse ficar no hotel para não estragar minhas expectativas: Belém ocupava o topo da minha lista de lacunas imperdoáveis, e eu sabia que uma tarde seria muito pouco para dar conta da cidade.

Forte do Presépio, Belém

A mesma internet que me prendia ao computador, contudo, acabou por me levar à rua. “Já chegaste?”, perguntou o Lafayette, leitor das antigas do meu blog, e a quem eu ainda não conhecia pessoalmente. “Daqui a cinco minutos passo aí pra te apanhar”.

Mercado Ver-o-Peso, Belém do Pará

Como todo mercado que se preza, às duas da tarde a parte de peixes do Ver-o-Peso não estava mais funcionando. Mas ainda havia alguns feirantes e quase todas as barraquinhas de perfumes e poções amazônicas. Estavam lá a andiroba, a priprioca e todo um mundo de substâncias que ainda não passaram no vestibular para produtos da Natura.

Belém: açaí à moda paraense

“Já almoçaste?” Passando pela ala das botequinhos de açaí, aquilo não era uma pergunta: era um desafio. Sim, um açaizinho não ia mal. “Mas aqui não tem essa de granola nem banana, viste?”. E mandei ver à moda local: com um pouco de açúcar, farinha grossa de mandioca e… peixe frito. Quem precisa de Tailândia quando o Pará está logo ali?

Catedral de BelémBelémBelém

Mesmo precisando voltar ao hotel para trabalhar, o Lafa não deu o city-tour por completo antes de me mostrar todos os espaços públicos que foram restaurados e transformados de forma espetacular nos últimos anos. Todo mundo já ouviu falar da Estação das Docas, o Puerto Madero belenense, mas há muitos outros exemplos – de um hangar que virou centro de convenções a uma penitenciária que se tornou pólo joalheiro.

Belém: Estação das Docas

Quase todos os projetos têm o dedo de Paulo Chaves, um arquiteto que é assim um Jaime Lerner paraense, e realizou as obras com um padrão de qualidade que dificilmente se vê em espaços públicos brasileiros.

À noite, traçando um pato ao tucupi (de novo: olha só, Tailândia!) com o Lafa mais a sua doce Aluísia, eu fiquei pensando como seria fantástico ter um Paulo Chaves para transformar alguns espaços de São Paulo.

Senhores candidatos: alguém se habilita a importar o homem?

Originalmente publicado em outubro de 2008. Trazida de volta a pedido do Fabio H.

Belém do Pará

Leia mais:

27 comentários

Muito boa a matéria! conheci a estação das docas e outros pontos turísticos em 2005. Matei saudades! Valeu!

Boa tarde,

Tem algum post – procurei e não achei – sobre hotéis de Belém recomendados pelos leitores? Obrigada,
Anna Francisca

    Anna Francisca, estive em Belém no início de julho de 2012 por uma semana. Fiquei hospedada no Radisson Hotel, Av. Comandante Bras de Aguiar, 321, Nazare, Belém. Foi uma excelente escolha. A localização é ótima e o hotel muito bom. O bairro é residencial e de fácil acesso a muitas atrações turísticas a pé. Veja opiniões recentes no Tripadvisor.

    Olá, Anna! Ainda não temos este post.

    O Ricardo Freire me soprou o seguinte, numa pergunta em outro post: o Radisson, mais central, e o Golden Tulip , mais perto do foco de vida noturna do Umbuzeiro, são os melhores hotéis da cidade.

    Para economizar, escolha entre o Tulip Inn Nazaré, o Tulip Inn Batista Campos e o Soft Inn (um intermediário entre o Ibis e Ibis Budget).

    O Hilton está envelhecido. O Comandante não visitou o Crowne Plaza.

gostei dessa ecopousada Miriti, mas, sinceramente, estou tendo dificuldade em achar uma pousada bacana em Belem. alguma sugestão? obrigada

    Olá, Dodó! Belém é uma metrópole, não é uma cidade que tenha muitas pousadas. Tente a Pousada Portas da Amazônia.

    Embora não seja pousada, recomendo o Hotel Grão Pará, em frente ao Theatro da Paz. Tudo novinho em folha, muito limpo, quartos agradáveis e preço bom. Daqui é tudo próximo, a pé, de onibus ou de taxi.

Oi Joice, sou de Belém é posso te garantir que a localização do hotel é otima, pois o centro historico de Belém é grande, e realmente tem uma parte mais afastada que não é movimentada onde tem assaltos, mas não é o caso da localizaçao do hotel, eu ficaria lá com certeza, o hotel é novo e como tem esse complexo turistico em volta tem bastante policiamento.
Na mesma rua estreita vc vai encontrar “A Portinha” onde vende muitos Quitutes…Hum…
Hiii…Agora que vi Hj ja é dia 20 e vc ja deve está em Belem…Rsss
Depois conte para a gente onde você se hospedou, ok?

Rick adorei o post…principalmente você enfatizando a fala do Lafayete…Chegaste? Viste? Vou te apanhar!! Rssss

“Quem vai a Pará, Parou… Tomou açai Ficou!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.