Bistrôs Buenos Aires: uma deliciosa desculpa para voltar

Bistrôs Buenos Aires

Vibana que é vibana (viciado em Buenos Aires não-anônimo, © Mô Gribel) vive à espera de uma desculpa para voltar a Buenos Aires: uma promoção de passagens, uma liquidação de hotéis, um bairro novo que tenham posto no mapa.

Pois aqui vão 57 desculpas — os bares, restaurantes e bistrôs selecionados e belissimamente descritos/fotografados pelo chef carioca Alex Herzog, autor do ultra-bem-sucedido Bistrôs Paris.

O novo livro se chama Bistrôs Buenos Aires — é funciona não só como um guia de restaurantes, mas como um guia de pontos de apoio gastronômico para você se aventurar por Buenos Aires.

A edição portenha extrapola o tema bistrô (ou mesmo o subítulo, “onde comer bem, bacana e barato”) ao incluir restaurantões como a Cabaña Las Lilas. Você também pode sentir falta do seu restô favorito (onde diabos está o Social Paraíso? Não está), mas não importa. Alex descobriu bons lugares para você comer até na Boca. (Gostei sobretudo de algumas sugestões na Recoleta e no Palermo não-Viejo, que não conhecia.)

Há dois adendos de utilidade pública. Um revela o caminho das pedras para assistir tango não-turístico — Alex listou suas milongas favoritas, acrescentou lugares onde se apresentam tangueros da nova geração (como a Orquestra Típica Fernández Fierro, que estou louco para ver há tempos) e, dos shows, só incluiu o do Bar Sur. O segundo adendo traz a relação dos cafés notables, clássicos catalogados pelas autoridades portenhas.

Bistrôs Buenos Aires tem 244 páginas, fotos lindas (tiradas sem flash nem tripé nem produção nenhuma) e custa R$ 49,90 na Livraria Cultura (R$ 44,90 para quem créditos no programa Mais Cultura).

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire


19 comentários

Alex
Ayer, domingo 4 de diciembre de 2011, pasó por mi puesto de casitas de ceramica de la Feria de Plaza Francia(Recoleta) un cliente que había leido tu libro y que recordaba mi nombre por haberlo leido allí.
Fué una sorpresa enorme
Me habló muy bien del libro “bistros de Buenos Aires”y dijo que le fué de gran utilidad y placentera lectura
Me alegra que tu libro ya está rodando por las calles y sea del agrado de la gente
Un abrazo
Claudio Werner

As dicas aqui apresentadas e o livro do Herzog muito me ajudaram a conhecer maravilhoas casas gastronômicas. Fui agora em março e só não aumentei um pouco de peso, pois andei muuuuito.

Meu caro Ricardo, parabéns pelo seu site e obrigado pelos comentários!!! O Social Paraiso é sem dúvida um dos meus favoritos, que descobri por acaso, andando por Palermo. Como sempre vou incógnito aos restaurantes que estou pesquisando, tive muitas dificuldades em conversar com os proprietários e o chef do Social, que como não sabiam do que se tratava, acabaram não me recebendo, impedindo que eu tirasse fotos e que eu terminasse minha pesquisa, pedindo sempre que eu voltasse mais tarde. Mas o local é bacana, se come muitíssimo bem, e por um preço além de razoável. É um dos restaurantes favoritos da minha esposa. De novo, parabéns pelo site!!! Abs, Alex

Riq, posso abrir um parêntese-desabafo? Acabo de voltar do Colón e, em vez de assistir à ópera, deparei-me apenas com um diretor do Teatro pedindo desculpas, o público xingando e os músicos em greve. Ai, que triste!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.