Bourgogne pra Silvia R.

Place Darcy, Dijon

A Sílvia Reis, com razão, achou falta de material sobre a Bourgogne no site. Ela está indo agora no final de março e vai fazer uma viagem de carro por 10 dias pelo nordeste da França, passando também por Champagne e Alsácia.

Vou pedir ajuda aos trips, porque nunca estive por lá nem estudei a região o suficiente.

Mas não vou deixar de dar meus pitacos. Silvia, vai ser difícil encaixar tudo o que você vai descobrir sobre a Bourgogne nos três dias que você vai ficar na região. Para a viagem dar certo, você vai ter que selecionar o que absolutamente lhe encantar mais, levando em conta que um dia de turista raramente tem mais do que doze horas e que existem deslocamentos e refeições a serem feitos durante esse tempo.

Você pode montar base em Dijon ou em Beaune (a capital dos vinhos, a 45 km de Dijon), ou em qualquer vilarejo da Côte d’Or, que é como se chama o département que é o filé mignon da região.

Aí vão algumas fontes de pesquisa para você se inspirar:

Site oficial da Bourgogne

Site oficial de Dijon

Site oficial de Beaune

Bourgogne no New York Times

Dijon no New York Times

Beaune no New York Times

Quem já esteve na Bourgogne? Pode ajudar a destrinchar essa viagem pra Silvia? O que você faria se tivesse três ou quatro dias na região?

Merci!

Foto da Place Darcy de Dijon gentilmente surrupiada daqui.

Leia também:

Tim, tim: bate-volta de Paris à Champagne em TGV

O viajão da Lu: Baviera, Alsácia, Rota Romântica e Berlim

Isabel O. pela França: Dordogne, Bretagne, Normandia e Vale do Loire

76 comentários

Fizemos o trajeto na Borgonha ha uns 5 anos. Cruzamos de Genebra para a Franca e dormimos em uma cidade pequena chamada Vonnas em um hotel muito bom de um chef chamado Georges Blanc. Depois fomos a Cluny que e uma abadia muito interessante e dormimos em Vezelay em um hotel que era um castelo. No dia seguinte fomos a Beaune ficamos em um hotel na cidade antiga murada. Por ultimo fomos a Dijon que foi a cidade que menos gostamos e ficamos no Hotel Chapeau Rouge nada demais. A regiao e muito bonita vale a pena. Ha sempre alguma parada interessante geralmente em relacao a alguma abadia ou monumento religioso e em relacao a vinicultura. Aproveite

Luisa, obrigado pelas indicações ( tanto aqui como lá no Arquivo).
Vou passar este tour da mostarda, mas dá pra encarar a lojinha, já que vamos ficar em Beaune.
Pode deixar que a Abadia de Fontenay está no nosso roteiro.
Abs.

    Edu, não deixe de visitar também o Chateau du Clos de Vougeot entre Dijon e Beaune. Gosto tbm da cave Patriarche para degustações no centro de Beaune, e claro o Hôtel Dieu! Um restaurante que gosto muito lá é o Auberge du Cheval Noir, a comida e os vinhos são ótimos. Eu moro em Dijon, se precisar de mais dicas é só perguntar. Vc não pretende vir aqui?

    Olá Ana, estarei indo para Dijon em fevereiro e estou apovarada com o frio. Estarei passando 4 noites por lá e depois seguirei para Luxemburgo e Brugges, depois partiremo para 7 noites em Paris.
    Queria algumas dicas da região da Borgonha tendo Dijon como base e sua opinião sobre este roteiro.
    Agradeço a ajuda.

    Oi Ana, você ainda mora em Dijon?
    Faz frio no início de maio na Borgonha? Vou ficar 3 noites em Dijon e 4 em Beaune com 2 amigas.
    Gostaria de dicas.
    Beijinhos,
    Isabel

Oi Edu,
Vc jà sabe que estive na Bourgogne no final de abril/11 e jà coloquei algumas coisas sobre a regiao là no meu blog.
Pertinho de Saulieu nao deixe de visitar a Abadia de Fontenay, o lugar è lindo!
Em Beaune tem uma Moutarderie historica que abre para visitas (La Moutarderie Fallot). Particularmente nao gostei do passeio: è um tour guiado todo em frances, mas eles dao uns fones de ouvido com explicaçoes em ingles. Depois de toda a teoria sobre como mostardas sao produzidas, vc entra numa sala com os ingredientes para fazer sua mostarda. Se vc for com crianças pode ser interessante, pois elas se divertiam com as misturas, mas eu nao achei muita graça em ficar vendo os filhos dos outros brincarem enquanto esperava a degustaçao do final do tour. Na minha opiniao, sò vale a pena se vc for um apaixonado por mostarda ou tiver crianças ou nao tiver mais nada pra fazer. Caso vc se interesse, reserve com antecedencia, pois na hora nao tinha mais lugar disponivel (quando eu fui, reservei com 2 dias de antecedencia).
E nao deixe de experimentar o prato tipico da regiao: escargot de Bourgogne. Sao maravilhosos!

Olá, turma e Bóia. Estou pesquisando sobre as regiões da Borgonha e da Champanhe.
Iremos pra lá em novembro. Chegaremos em Paris e pegamos o carro pra ficar 5 noites na Borgonha (3 em Beaune e 2 em Saulieu) e 2 em Reims. além de outras 4 na cidade homônima.
O que eu quero? Que, por favor, atualizem as informações e nos passem dicas tanto nos lugares, como nos trajetos. Já programei uma tarde em Troyes e uma em Chablis.
Grato a todos.

Será que janeiro é uma época muito ruim para ir à Borgonha? Será que as vínicolas abrem??
Obrigada,
Juliana

Ei k! Estou indo pra paris, depois de Londres. De lá vou prA Lyon de carro ,passando por toda a borgonhA! Quanto tempo de pAris beaune? De carro? QuAl cidade indispensável ate Lyon pra conhecer? Bjs! Ah!!! A viGem e na primeira quinzena outubro!

    Vcs conhecem Bourg en Bresse?O que é melhor,conhecer Dijon ou Besançon?Pretendemos chegar em Besançon de trem e alugar um carro
    para conhecer 2 ou 3 cidadezinhas e depois irmos até Avignon.Alguma outra sugestão mais ao sul?Obrigada.

Oi Katarine,
Estou indo para Amsterdã e delá irei de trem até Paris. Gostaria de ir conhecendo pequenas cidades. Após a Bélgica pensei na região de Champagne e Alsacia. Vc poderia me mandar mais dicas? Obrigada!

Ah, Silvia, também esqueci de dizer: nessa mesma viagem, também fomos depois para Champagne (ficamos 3 dias, hospedados em Reims e visitamos Epernay) e, antes, fomos para a Alsácia (onde ficamos 5 dias), nas cidades de Strasbourg, Ribeauvillé (linda e bucólica) e Colmar. Se quiser dicas desses lugares também, é só dizer. São lugares maravilhoso também!!!

Silvia e Riq,
Eu e meu marido fomos para a Borgonha em setembro do ano passado e simplesmente adoramos! Ficamos 5 dias por lá e escolhemos duas bases, sempre levando em consideração a rota do vinho: a cidade de Beaune (se pronuncia com o “o” das palavras “corvo” e “avô”, ou seja, “Bône”) e Puligny Montrachet. Somos amantes do vinho francês e foi o máximo poder tomar vinhos preciosos a preços bem mais camaradas dos que encontramos aqui no Brasil.. Em Beaune, ficamos hospedados no maravilhoso Chateau de Challanges( http://www.chateaudechallanges.com ),um hotel do charme que fica a uns cinco minutos de carro do centro de Beaune e que gostamos tanto que resolvemos estender a nossa estadia por mais dois dias. Em Puligny Montrachet, ficamos na maravilhosa Maison de Olivier Leflaive ( http://www.olivier-leflaive.com ), que, por ser também produtor de vinho, oferece um atelier muito interessante, de um dia, com explicações sobre vinho e vinhedos, finalizando com um delicioso almoço acompanhado de uma super degustação de 12 vinhos da casa + jantar (à noite os vinhos não estão incluídos). Nossa, foi maravilhoso!! A sorte é que íamos dormir uma noite lá, pois dá para ficar facilmente embriagado, com tanta degustação. Se você gostar de andar de bicicleta, vale a dica da rota do vinho. Alugamos duas bicicletas no hotel que estávamos e pegamos a super organizada e charmosa “Véloroute” (rota da bicicleta) que passa por dentro dos vinhedos.Visitamos 4 cidades, em apenas 8 km (só ida). É simplesmente lindo e você ainda pode parar para fazer um piquenique ou visitar alguns dos chateaux e vinhedos. Nós visitamos o Chateau de Meursault ( http://www.meursault.com/meursault/fr/index.htm ), onde fizemos degustação gratuita e saímos abarrotados de garrafas de vinhos para levar depois para o hotel (detalhe: de bicicleta!).
Se você quiser mais dicas, fica aqui o meu e-mail: [email protected]. Posso te dar detalhes de preços e endereços na internet. Prepare-se, pois é uma viagem inesquecível!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.