Comissão Brasil-EUA estuda fim do visto. Agora vai?

Jornal da BóiaDeu nos portais agora à tarde: a secretária americana de Segurança Interna Janet Napolitano e os ministros brasileiros Antonio Patriota, do Itamaraty, e Guido Mantega, da Fazenda, concordaram em criar um grupo de trabalho visando (ops) a enquadrar o Brasil no rol de países dispensados de visto de entrada aos Estados Unidos — o que ocasionaria também o fim da exigência de visto de entrada para americanos no Brasil.

Eu costumo consumir essas informações com grande ceticismo. Mas eu já tinha sido cético na época do discurso de Obama na Disney — e depois daquilo o consulado americano rapidinho implementou um jeito de conceder mais vistos com maior velocidade — então já não duvido taaanto mais assim não.

De todo modo, mesmo antes do visto cair, não vejo porque o Brasil não faz a reciprocidade das medidas positivas implementadas recentemente por outros países.

Um programa para agilizar a concessão de vistos a americanos, por exemplo, está caindo de maduro. (Por exemplo: fiquei sabendo que americanos só podem requerer visto no consulado brasileiro com a passagem comprada; o consulado americano não exige isso por aqui.)

E quando o Brasil vai estender a possibilidade de visto eletrônico aos mexicanos, da mesma forma que eles têm oferecido já há dois anos aos brasileiros?

Leia também:

Por que o Brasil não deveria esperar os Estados Unidos para mexer no visto

Quando o Brasil vai ser um Bric do turismo?

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


28 comentários

e quando será que essa parceria vai ser posta em prática? to querendo viajar ano que vem, preciso ir em outro estados pra pegar o visto no consulado, mais se n for demorar, eu nem vou, já espero botarem em prática!

Eu gosto do “milhares de brasileiros iriam morar lá ilegalmente” – acho graça, quando na verdade, os brasileiros não formam nem a 20a. maior colônia de imigrantes dos EUA e mesmo em áreas como a de Miami, os brasileiros não chegam a 1% da população do condado…
Soma-se a isso que até em jornais de lá eles noticiam o fenômeno do “desaparecimento dos brasileiros”.
Muitos estão voltando pq a situação do Brasil melhorou um pouco e lá os empregos estão escassos e a verdade é que americano não gosta mesmo de imigrante ilegal e trata mal mesmo…
Enfim, o governo americano não é bobo. Não iam sequer estudar ou perder o tempo deles para abertura de visto se não tivessem certeza do que estão fazendo…

Que venha a abertura de visto, pq a gente quer visitar os EUA, passear em seus parques e cidade, comprar os tubos lá e VOLTAR PRA CASA.

Se essa proposta se tornar realidade, no furuto teremos passagens promocionais para Orlando por R$8.000, e agente da imigração americana fazendo treinamento em Bajaras.

Ironias à parte, creio o ainda nâo temos maturidade para isso. Seria interessante adotar um modelo como o canadense, que nâo é necessário o comparecimento pessoal no consulado.

Realmente acho muuuuito difícil. O EUA estão em crise. Mas a nova onda agora é a de brasileiros querendo ir para a Flórida, para trabalhar para o turista brasileiro que vai lá a rodos. Com turisto, gastronomia, serviços em gerais. Quem trabalha pra brasileiros em Miami e região não viu a crise de 2008. A entrevista que o consulado faz aqui é justamente pra tentar identificar, e só liberar, pessoas que não tenham esse perfil. Por que será que em geral eles tão tanta importancia pra imposto de renda, limite de cartão de crédito, trabalho fixo? É o oposto de quem quer ir pra lá pra ficar como clandestino. Geralmente a pessoa não tem nada aqui. Nem bens, nem trabalho. Inclusive ouso dizer que a taxa de aprovação é tão alta atualmente justamente porque essas pessoas que querem ir pra lá pra ficar sabem que nem adianta tentar obter o visto porque não serão aprovadas, por não preencherem os requisitos. Só a nova classe média, classe média alta e classes mais altas conseguem o visto.

Eu também sempre fui cética qto a isto e continuo sendo.
Já falaram tanto que agora sou que nem São Tomé só acredito vendo!
E o Canadá também, poderia ser mais divulgado por aqui, mas ao invés disto eles diminuíram a frequencia de vôo…
Mas a reciprocidade seria sim bem vinda.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.