Caindo a ficha: Santiago

Santiago do Chile

Precisei de doze dias, espalhados em três visitas, para que finalmente caísse a ficha de Santiago do Chile para mim.

Isso só aconteceu quando eu 1) deixei de procurar Buenos Aires em Santiago e 2) parei com a minha implicância com a parte moderna da cidade.

Mi Santiago querido

A síndrome da comparação com Buenos Aires, que já prejudica bastante nossas visitas a Montevidéu, pode nos fazer passar batidos pelas qualidades de Santiago.

Não se deve perder tempo procurando a arquitetura clássica de Buenos Aires, a sensualidade do tango, os preços indecentes de baratos. Santiago é uma cidade com arquitetura prática, moldada por terremotos, e urbanismo avançado. O chileno é tímido e ordeiro, sem os arroubos extravagantes do argentino. A economia é tocada com responsabilidade há décadas, e por isso a moeda não está subvalorizada. Santiago (o Chile!) não é um lugar que viva do seu passado — e é por isso que ignorar a parte moderna da cidade, como eu fiz das duas primeiras vezes em que lá estive, é um erro amador. Assim como a Recoleta é a expressão da prosperidade argentina da primeira metade do século passado, Las Condes e seu entorno reflete o extraordinário progresso das últimas décadas.

O que é que Santiago tem?

Para o visitante, a primeira qualidade de Santiago tem a ver com logística. Santiago é uma base perfeita para inúmeras viagens curtas, cada uma com um sabor diferente: a colorida cidade portuária de Valparaíso (praticamente a antítese da comportada capital), a elegante Viña del Mar (que está com a visita prejudicada enquanto os palacetes interditados depois do terremoto sejam reabertos), as vinícolas do Vale de Casablanca, as estações de montanha.

Com sorte, você vai pegar um dia em que lá pelo fim da manhã a névoa ao longe se disperse e de repente acenda as cordilheiras que circundam a cidade. Ver os Andes nevados como pano de fundo do skyline não tem preço.

Armado de boas informações, você come muitíssimo bem em Santiago. A qualidade dos ingredientes — frutos do mar, legumes e frutas, carnes também — é espetacular. E os preços, se não são risíveis como os argentinos, são muito razoáveis para quem se aventura por restaurantes da mesma categoria em São Paulo ou Rio.

E finalmente: quando você parar de procurar o antigo, o típico ou o extravagante, você vai se dar conta do que faz Santiago ser realmente incrível: a civilização. Como pode existir uma metrópole tão limpa, organizada, ordeira, em latitudes sul-americanas? Ver com os nossos próprios olhos que isso é possível já vale a viagem.

(Parênteses: na primeira das três viagens recentes, tuitei, todo trabalhado no sarcasmo, que Santiago era a maior Curitiba do planeta. Nessa terceira passada, cristalizei a minha impressão inicial. Só que desta vez isso se transformou em elogio sincero.)

Pronto. Agora que já expliquei Santiago a mim mesmo, posso tocar os posts que faltam: onde se hospedar e onde se divertir. Güentem mais um pouquinho.

Leia mais:

189 comentários

Olá gente, tudo bem? Vou para santiago, agora em novembro/2012, gostaria de maiores detalhes sobre o tempo. Consigo esquiar, neste período? E a temperatura é muito calor, em média qtos graus?
Abraços e Obrigada.

    Olá, Martha! Nesta página você encontra temperatura e chuvas mês a mês:
    http//www.viajenaviagem.com/americas/santiago-ricardo-freire/santiago-links-e-posts

Olá Ricardo,

Tudo bem?
Veja se você me ajuda um pouquinho… estou perdida… rsrs.
Vou para Santiago dia 27.04 com retorno 01.05, você acha que fico só por lá mesmo e um passeio no Concha y Toro, ou da pra esticar um bate/volta Valparaiso e Vinã?
Obrigada, parabéns pelo site.

    Olá, Laura! Aqui quem responde é A Bóia. Dá para pensar num passeio aos arredores, sim. Escolha um dos dois.

Pessoal,
dicas de um chileno para conhecer um pouco mais de Santiago; creio que algumas dá para se fazer!!

Esta vez he querido recopilar las cosas que no se pueden perder o hacer para cuando visiten Santiago.
La lista es un poco extensa, pero estoy seguro que mas de alguna se me debe olvidar. Espero que la disfruten.

Caminar por el Parque Forestal.
Caminar por el sendero de Chile.
Carretiar en Bellavista.
Comerse un Choco-Panda.
Comerse un completo en los locales del Portal Fernandez Concha.
Comerse un mariscal en el Mercado Central.
Comerse un pernil en el Hoyo.
Comerse un sandwich en marraqueta en El Liguria
Comerse un súper churrasco en El Guatón del parque Baquedano.
Comerse una parrillada en Los Buenos Muchachos.
Comerse una tortilla de rescoldo en Cajón del Maipo.
Comerte unas sopaipillas de algún carrito en la Alameda.
Comprar ropa vintage en la calle Bandera.
Comprar un Indio Pícaro en la feria artesanal de Santa Lucia.
Cruzar La Moneda.
Darse una siesta en el Parque de las Esculturas.
Entrar a la Biblioteca Nacional.
Entrar a la Catedral de Santiago.
Entrar a la Estación Mapocho.
Entrar a la iglesia de San Francisco.
Entrar al Rápido, comer al algo y salir rápido.
Escuchar el cañonazo de las 12 en cerro Santa Lucía.
Escuchar la orquesta los carabineros en la Plaza de Armas.
Hacer el tour de noche por el Cementerio General.
Hacer un asado en el Parque Intercomunal.
Ir a Fantasilandia y subirse al Pulpo.
Ir a la Chascona (casa de Pablo Neruda).
Ir a la Piscina Tupahue.
Ir a la Vega Central.
Ir a las fondas del parque O’Higgins.
Ir a las termas del Cajón del Maipo.
Ir al museo de Arte Precolombino en la Casa Colorada.
Ir al Persa Bio-Bio.
Ir al Pueblito de los Dominicos.
Ir de compras a Patronato.
Ir el domingo al Museo de Bellas Artes.
Jugar ajedrez en la Plaza de Armas.
Juntarse con alguien en Plaza Italia.
Pasar una noche en hotel Valdivia.
Si es verano, refrescarse en la Fuente Alemana.
Subir a Farellones o la Parva.
Subir el cerro San Cristobal en teleferico.
Subir en bicicleta el Cerro San Cristobal (mejor es la bajada).
Tomarse un terremoto en la Piojera.
Tomarse una cerveza con whisky en el HBH.
Tomarse una chelas en El Galindo.
Tomarte un mote con huesillo en la Quinta Normal.
Un completo en el Dominó.
Un helado el domingo por la mañana en el Emporio la Rosa.
Un paseo en micro por la Alameda (si se suben los payasos mejor aún).
Un paseo por la Plaza Brasil.
Un paseo por las calles del barrio París con Londres.
Un paseo por las librerias de libros usados de la calle San diego.
Una foto en el mural de la estación de metro de la Universidad de Chile.
Una vuelta por el Paseo Ahumada.
Ver un show callejero de la Plaza de Armas.
Visitar el Museo de la Memoria y los Derechos Humanos.
Visitar los jardines del ex-Congreso Nacional.
Visitar el El MIM y recostarse en la cama de clavos.

Olá Bóia,

no texto, vcs falam que os preços de bons restaurantes em Santiago são razoáveis para restaurantes semelhantes no RJ e em Sampa… O que seria, mais ou menos, este razoável? Para um casal, p.e… Há como dar algum exemplo? Vi matérias de vários restaurantes no blog do Eduluz (dcpv)… Imagino lugares daquele padrão.

Obrigado, pois em julho estarei lá, graças ao apoio de vcs!

Olá bóia e companheiros do viaje na viagem !

Por favor,gostaria de fazer uma reserva no restaurante do hotel W em Santiago para o natal,mas não sei como,pois todos os sites disponíveis só fazem reservas para o hotel e não para os restaurantes.

Agradeço antecipadamente á atenção.

Carlos Fonseca

Olá, Bóia.

Irei no primeiro semestre de 2012 a Santiago.

Neste ano estive em Buenos Aires. Adorei, principalmente pelas informações colhidas no “Viaje na Viagem”, assim como pela facilidade de mapas bairro a bairro encontrados na net.

Ao contrário, não vejo com facilidade na net mapas específicos sobre os bairros santiaguinos, para uma melhor colalização.

Por favor, dê-me um dica de como faço para estudar melhor com mapas a capital chilena, para uma maior facilidade de locomoção.

Agradeço por sua presteza em todas as informações pedidas.

Beijos.

Ricardo,

Estarei em Santiago do dia 17/01/12(terça-feira) à dia 22/01/12 (domingo). Em qual dia você acha mais interessante conhecer Valparaíso? Quarta, quinta, sexta ou sábado? Pretendo fazer o bate volta como você sugeriu até Vina Del Mar. Quanto tempo você acha que é suficiente ficar em Valparaíso? O percurso que devo fazer é de ônibus até Valparaíso, metrô de lá para Vina e depois ônibus de volta de Vina para Santiago?

Abs

Quero agradecer a todo o pessoal que contribuiu com suas opiniões, dicas e roteiros… Montei todo o roteiro de Mendoza, Colonia del Sacramento e Santiago com as dicas de vocês!!! Muito obrigada!! A viagem foi fantástica e inesquecível!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.