Carla2 no hotel Zank, em Salvador

Já fui a Salvador três vezes depois da inauguração, mas passei tão corrido que não consegui visitar o hotel Zank, o primeiro pequeno hotel de luxo a abrir fora do Pelourinho desde o legendário Enseada das Lajes, que fechou no início da década de 90. Meus olheiros já tinham me garantido que o lugar era esplêndido. Quando a Carla Tolosa, a nossa Carla2, disse que ia visitar o hotel durante a sua viagem à Bahia, eu pedi um relatozinho exclusivo para o blog. Aí vai:

foto: divulgação

O que é que a Bahia tem? Aproveitei minha estada em Salvador para ir conhecer o Zank Boutique Hotel. É lindo!

Lindo, lindo, lindo.

Já falei que achei lindo? Como? Ah, sim, objetividade…

O hotel possui dois prédios: o da frente, o casarão, é uma antiga residência construída entre o fim do séc XIX e início do séc XX. O pé-direito alto, as portas e janelas imponentes nos fazem lembrar o Brasil que não vivemos. Contíguo ao casarão, o prédio novo foi construído com o fim específico de ser hotel. É agradável ver como o moderno e o antigo se deram tão bem, um ressaltando a beleza do outro. Harmonia total.

foto: divulgação

No casarão ficam a recepção e o restaurante no piso inferior, e três apartamentos no piso superior. Os três são lindos. Aquele charme de casa de fazenda do século XIX com decoração moderna, confortável, aconchegante. Cada apartamento do hotel tem um tema. Os três apartamentos do casarão são: o Colonial, com uma réplica de um gradil de Cachoeira, o Barroco, inspirado em Catarina Paraguassu e sua estada na corte francesa, e o Modernista, o maior dos três, com uma cama em homenagem a Joaquim Tenreiro (precursor dos móveis modernistas no Brasil), e o melhor banheiro de todos.

foto: Carla Tolosa

Dos 17 apartamentos do prédio novo (visitei quase todos), meu preferido foi o de decoração tropicalista. Todos os apartamentos do prédio novo têm vista para o mar, mas acho que a mais bonita é a do apartamento reservado às noites de núpcias. Cada apartamento tem personalidade própria. Pudera, não existem 2 peças iguais no hotel (com exceção do frigobar, recheado de delícias).

Tem wi-fi em todos os apartamentos, mas você nem precisa se preocupar em levar seu computador. O hotel oferece um para você, no bar, num cantinho bem aconchegante.

Tudo no Zank é caprichado – o mobiliário, as plantas, a iluminação. Não experimentei o restaurante, mas o cardápio do dia dos namorados estava de dar água na boca – nhammm!!

A localização também é ótima, no Rio Vermelho, pertinho da orla. A partir da praia tem uma boa subida para o hotel, compensadíssima pela vista lá de cima. Se der muita preguiça de descer até a praia, dá para ficar como um marajá na piscina.

zank-piscina

Os especialistas em Carnaval que me corrijam, mas acho que a localização deve ser excelente para quem vai atrás do trio elétrico, mas faz questão de sossego na hora do descanso.

foto: Carla Tolosa

Meu pitaco: a localização pro Carnaval é ótima, sim. Dá pra ir de táxi até a Vitória por dentro, pela Fé-dé-ração, até a Vitória, de onde se pode descer a pé a Ladeira da Barra (para fazer o circuito da praia) ou caminhar ao Campo Grande (para o circuito do centro).

50 comentários

Assino embaixo para tudo que foi dito sobre o Zank. Na minha última viagem de férias a Salvador tive a oportunidade de conhecer as donas (2 irmãs simpaticísimas, que fizeram tudo ali com esmero e quase que com as próprias mãos) e de fazer um tour guiado por alguns quartos (todos que vi são de um bom gosto invejável), com direito a cervejinha de fim de tarde no jardim que é agradabilíssimo. O preço é mais do que justificado – espero um dia poder ficar hospedada lá… Também dizer que além das guloseimas no frigobar tem produtos Natura no banheiro, sandálias havaianas brancas novinhas em folha esperando no armário e mais alguns miminhos espalhados pelo quarto – observações bem femininas 🙂

José Portela: no Don Papito, em Piatã, as lambretas tb são ótimas. Mas meu lugar preferido para comer lambretas ( cozidas com azeite doce e cebola ) é no Koisa Nossa – antigo bar dos Internacionais, na Mouraria, atrás do quartel. O Lambreta.com, ao lado do Koisa Nossa tb é ótimo. São lugares simples, tipo boteco.
Riq: o carnaval já está chegando ao Rio Vermelho. Alguns pequenos blocos já desfilam lá, em dias alternativos. Esse ano saí na quinta no “Paro ano sai milhó”, lá ( entre a varanda do Jequitibá e o Largo de Santana ).

E o preço? No site do hotel não achei.

    R$ 590. Não sei se ligando direto ou via agente de viagem dá para conseguir menor.

    É um preço compatível com o tamanho e a proposta do hotel.

    Mais ou menos na mesma região, um pequeno hotel charmoso e em conta é o Catarina Paraguaçu, onde é possível conseguir diárias em torno de R$ 200. http://www.hotelcatharinaparaguacu.com.br/index_pt.html

    Riq! Mais ou menos na mesma região e mega-estratégico pra quem é viciado em acarajé, é bom lembrar! O Catharina Paraguaçu é um charme e está a 100m da Dinha do Acarajé e a uns 300m da Cira… nham…

    Estivemos no Catarina Paraguaçu, agora em Setembro. Não gostei. Nos colocaram num quarto pequenissimo e com uma enorme escada para chegar até ele. Pedimos para trocar e, apesar do hotel estar vazio, não o fizeram. Além disso muito barulho nas ruas e somente ao ameaçarmos sair do hotel nos deram um quarto maior mas, a escada tivemos que enfrentar novamente.Café da manhã fraco.

Estive no Zank há um mês atrás, e o relato está corretíssimo
Faz muito tempo não fico em um hotel onde tudo foi excelente
Parabéns!

A localização do hotel tem outro ponto forte, é muito perto do restaurante Lambreta Grill (dá pra ir até a pé, pois deve ficar a uns 200m), onde são servidas as espertíssimas lambretas (o molusco primo da ostra, não a motoneta) grelhadas com molhos deliciosos que, na cidade, só conheço por lá mesmo (alguém sabe de outro?). Recomendo o local e ainda mais os sabores poivre, páprica, tomate seco e à moda da casa. Mas todos os outros são igualmente maravilhosos. Uma vez lá, sugiro pedir mais de uma opção mista, que vem com 4 sabores variados.

    Adoro o Lambreta Grill, também sempre indico.

    (Tem uma filial em Aracaju, na Passarela do Caranguejo)

Acho que cada um tem um estilo de ambientação de quarto para viagens e este do Zank é o meu. Parabéns pelo post Carla2, pelos fotos e textos 😉

Já que falou sobre hotel – vou pedir licença, Carla e Riq – para perguntar se alguém por aqui já se hospedou no hotel Punta Trouville Suítes, em Montevideu – Uruguai.

Alerto apenas para dizer que há duas opções de hotéis desta mesma rede, o Apart Hotel e o Suítes Hotel – busco insformações sobre o segundo.

———————————————————
O detalhamento da minha dúvida está lá no Idas e Vindas da Carla.
http://www.idasevindas.com.br/2008/11/22/entre-um-passeio-e-outro/#comment-5067
———————————————————

Valeu 😉

    Obrigada, Murilo! 🙂

    Você vai para o Uruguai, é? Aguardo dicas e impressões – tenho uma certa curiosidade, mas nunca fui, e tenho pouquíssimas referências sobre o país vizinho…

O Zank fica perto de onde moro (vizinha do J Amado – quando vivo, claro!) e cheguei à conclusão que tu estás bem de pernas, rapaz! Andar para a Ondina no Carnaval, tudo bem, não chega a comprometer a performance carnavalesca. Andar via Federação (Av Cardeal da Silva – subindo), descer a praça Lord Crochane (?), subir a Fazenda Garcia (via Leovigildo Filgueiras, onde gloriosamente nasci, estreando nesta vida) e estás no Campo Grande – morto! Como nos meus “enta” já caminhei muuito para o Bonfim e váaarios carnavais, este caminho é um pouco puxado, pode ser feito de táxi. NO mais o hotel é muito bem localizado, em um local tranquilo, vista ótima, e cuidado ao circular porque aqui no Red River só o mar está para peixe. ABS (não ganhei o livro das 100 Praias, sniff…)

    Sandríssima, claro que o trajeto até a Vitória é de carro! Eu só menciono “descer a pé a ladeira da Barra” e “caminhar até o Campo Grande” porque da Vitória o talvez o carro não passe… mas para ficar mais claro, já incluí o “de táxi”.

OI Ricardo,
sou uma super fã sua e entro aqui no blog todos os dias!
Estou planejando uma viagem para Itália em julho e graças as suas dicas já está quase tudo reservado e organizado. Ficou faltando uma sugestão de hotel nos arredores de Siena (ou outro lugar da Toscana) e uma dica de uma hospedagem em um castelo, próximo a essa região também. Pretendemos ficar três noites de carro visitando Siena, Arezzo, Cortona, Pienza, Montepulciano…. e eu adoraria ficar hospedada em um castelo… mas como não dá para ficar as três noites $$$$$$ optamos por ficar os outros dois dias em um hotel bacaninha. Você teria sugestões?
Obrigada
Rafaela

Aê, Carla…lindo relatório! E pelo jeito um passeio muito bonito também, não? Que bom que você aproveitou bastante sua viagem.

    Obrigada Marcie!!! O passeio foi ótimo! Fiquei me perguntando porque demorei tanto para voltar para essa cidade tão bacana!