839 comentários

Ricardo, Bom Dia.
Posts como este são sempre úteis, ainda mais em tempos de câmbio ruim e IOF alto.
Compartilho algumas informações e experiências que tive recentemente.
Segundo apurei, o Itaú cobra uma tarifa de R$ 9,00 por saque no exterior e usa o dólar turismo para suas conversões. Aguardo resposta do Santander…
Embora seja fã dos cartões pré-pagos, ao voltar de uma viagem pela Oceania tive uma desagradável surpresa. Como eu só tinha cartões em USD e Euro, e não existem cartões em dólar australiano e/ou neo-zelandês, resolvi usar os que tinha. Fazendo as contas de gastos na volta, vi que TODAS as minhas compras e saques estavam com um adicional de “apenas” 5,5%. Questionei a operadora e eles me informaram que quando você faz um gasto no débito ou saque em moeda diversa daquela constante no cartão, existe esta “sobre taxa”. De fato, está em contrato!!!
Assim, para países onde o cartão não é na moeda local, os pré-pagos não são vantagem. Isto vale tanto para os CashPassport quanto Cartões da AmericanExpress.
Algumas experiências a respeito: http://www.cumbicao.com.br/2011/08/dinheiro-no-exterior.html
Na próxima viagem pretendo fazer um mix de tudo (menos crédito) e ver no que dá.
Abraço.

    Diogo,

    acabei de olha a tabela do Itaú e tem lá a informação:
    Saque direto de conta corrente: R$9,00 por operação, limite de R$1000 por dia.
    Saque do cartão de crédito: R$20,00 por operação, limitados a USD500 por fatura.
    Saque VTM: USD2,50 por operação.
    Todos os saques estão sujeitos a cobrança de uso da rede de caixas eletrônicos e *abre grifo* esse valor geralmente não é informado no caixa *fecha grifo*.
    Acabei de carregar o VTM, paguei R$2,54 por euro (a cotação que vi no jornal de manhã, achei boa!) e mais 0,38% de IOF.
    Me parece (parece!) que valeu a pena… rs

    Sarah, você fez bom negócio mesmo!
    Acho que a melhor saída é acompanhar o câmbio e ir comprando aos poucos.

Já tive tambem recusa de cartão VTM nos Estados Unidos, por ele não conter nosso nome inscrito nele.
Tive que usar o cartão de credito mesmo, com o nome inscrito confirmado por documento de identidade .

É um caso isolado, mas acho que vale deixar aqui registrado o caso de um restaurante em NY que passou a recusar os cartões pré-pagos. http://abrindoobico.com/2012/06/cartoes-pre-pagos-pre-ocupam-restaurantes/

    Marcie,
    O pior é que em alguns países, especialmente na Europa, muitos estabelecimentos estão cobrando dos turistas um percentual a mais sobre as operações no crédito para cobrir a despesa deles junto às operadoras locais.
    Isto é lastimável.

Também uso a mesma estratégia e tem dado certo.
Um pouco em papel, como última opção, e principalmente cartão de débito. Chego no aeroporto e já faço um saque no máximo permitido e depois tento usar o máximo possível o pagamento no débito, já que para compras não há tarifa, enquanto para saques normalmente pagamos aqui e lá.
Em NY já consegui efetuar saques de 1000 dólares de uma vez só, mas realmente o cartão de débito é mais restrito, sendo que ao chegarmos ao limite ele bloqueia, e como o limite varia de acordo com o banco e tipo de conta, sempre tenho o cartão de crédito para isso.

Quanto ao problema da compra no débito aparecer no crédito, simples de resolver. Basta guardar os comprovantes e no retorno reclamar no banco. Aconteceu comigo no México e EUA e, como queria usar o débito para escapar do IOF, exigi o estorno da diferença. Agora todos os meus cartões são separados e não há mais como acontecer isso.

Como já foi comentado, a Caixa não possui cartão de débito internacional e alguns bancos não o oferecem a todos, como o itaú. Além disso, devido ao baixo limite do débito e risco de um cartão não funcionar, perder, etc, mantenho conta corrente em outros bancos apenas para movimentar durante a viagem. Acaba que pra mim funciona como um cartão pré pago, no qual fico sujeito a variação cambial, mas que não perco na volta se não gastar o dinheiro.

    Além de tudo, devemos ter cuidado também com algumas empresas e estabelecimentos estrangeiros que oferecem cobrança em reais.
    Recentemente fiz uma reserva no Hoteis.com, para pagamento em reais, e como a empresa está em Dallas, se não me engano, houve uma incompatibilidade com o cartão. Resultado, uma cobrança que deveria ser de 1707 reais, foi cobrada como 1707 dólares. Como nem o Hoteis.com nem o BB assumiam que havia um erro de sua parte, a solução foi cancelar a reserva.

    Igor,

    Bom alerta.
    Isto vale não só com relação ao Hoteis.com como também Decolar e Booking.
    Ao comprar nestes sites, lembre-se de adicionar o IOF de 6,38% nas compras no crédito!

    Bem, vou contar o que me aconteceu. No final de maio fui para europa e nos três(Franca, Inglaterra e Holanda) passei débito em todas as vezes com cartão santander martercard. Quando o caixa te pede para por o cartão sempre aparecem duas opções: débito e credito. Selecionei sempre débito. Quando cheguei todas as compras foram passadas no crédito.
    Acabei de ligar pro Santander e me deram desculpas esfarrapadas: o problema é da máquina, o problema é do estabelecimento… e de quem fica o ônus?? Aleguei que eram compras em estabelecimentos diferentes, em países diferentes, com moedas diferentes e era impossível ocorrer tamanha coincidência e que me encontrava sentindo enganado.
    Pois bem, abriram contestação pedindo que eu enviasse os comprovantes – que nem todos eu tinha – e que em 5 dias úteis iriam me dar uma posição.
    Levando em consideração que o débito é muito menos custoso acho que vale a pena brigar pela diferença do cambio e do iof!
    Agora que é uma cachorrada deles é sim!!
    No Banco do Brasil não tive problemas com o débito na américa do sul.

    Este estorno do banco, quanto ao débito aparecer como crédito, que vc citou, foi no BB?

Em maio estive na Europa e levei:

300 euros em dinheiro (emergência)
300 num VTM (plano B)
Cartoes de credito e debito Itau (plano A)

Por um motivo ou outro USEI TODOS.

Tentei realizar saque usando a funcao debito do Itau e não consegui. Embora minha gerente tivesse dito anteriormente que estava tudo ok percebi que não estava.
Usei a reserva e o VTM enquanto o Itau resolvia a situação.

Tive que fazer uma recarga de 400 euros no VTM. Ocorre que a corretora mandou um email pedindo para eu confirmar a operação (aqui não entendi nada pois não havia motivo para confirmar coisa alguma). Como Ru não estava checando o email não soube disso e o valor só foi creditado depois de 4 dias (um fim de sana no meio).

A sorte nesse meio tempo é que o Itau regularizou o saque.
Então acho que vale a pena diversificar mesmo perdendo um pouco no cambio.
Eu precisei usar todas as opções.

Ricardo, esse problema de tentar usar o cartão na função débito e passar automaticamente no crédito, eu resolvi pedindo um cartão apenas de débito ao banco. O que acontece é que em alguns lugares cartões de debito internacionais não são aceitos e então o sistema identifica que o cartão é múltiplo e manda ver no crédito. Se você tiver só débito, não tem como ser enganado. Na Califórnia, saquei de 1000 em 1000 dólares, pois o débito não passava em lugar nenhum. Já em Vegas e no Hawaii o débito era aceito normalmente.
Seus posts continuam fantásticos. Parabéns!

Há alguns anos, uso a fórmula: saque direto em c/c, cartão de crédito que reduzi, em função do aumento do IOF, e para Europa já levo um pouco em papel moeda. Também levo um pouco de dólares.

Qual é o cartão que te dá 2 milhas por dólar?

    Muito provavelmente, ou é o Credicard Exclusive Platinum ou o Smiles Platinum.

    Olá, Dani! Existem inúmeros cartões no mercado que dão 1,5 milha, 2 e até 3 milhas por dólar gasto. Normalmente são cartões ouro e platina.

    O Visa Infinite e o Mastercard Black do BB dão 2 pontos por dólar e mais uma bonificação por despesas acima de determinado valor da fatura.

Eu pensei em fazer um VTM para uma viagem que vou fazer para a Europa em agosto, mas acabei desistindo porque a cotação é extremamente desfavorável (como trabalho em banco consigo pegar moeda com uma cotação R$ 0,02 a mais que a do Banco Central.

Fora que se tem um problema muito grande, por exemplo no meu caso, que vou passar pela República Tcheca e Noruega aonde não se adotou o Euro, as taxas de conversão para um cartão pré-pago de Euro são as seguintes (fora as despesas de saque):

Visa Travel Money: 4,9%
Mastercard Cash Passport: 5,5%
Amex Global Travel: 3%

No meu caso a estratégia será levar dinheiro e fazer saques em moeda local. E no último caso, usar Cartão de Crédito.

No caso de viagem para os EUA, eu creio que os Travel Cheques ainda são uma boa opção. Viajei para lá ano passado e só level TC e foram bem aceitos em restaurantes e espetáculos, fora que a cotação deles costuma ser melhor que a papel moeda e se tem a segurança contra perda e roubo.

    Bruno:
    Em Praga tive uma pequena dificuldade para fazer saques em coroas tchecas. No saguão de desmbarque do aeroporto há vários caixas automáticos. Depois de tentar em dois ou tres sem sucesso, consegui num caixa do banco KB. Já instalado, repeti a experiência no centro. O caixa de um determinado banco (acho que foi UniCredit, ou algo assim) não aceitou. Procurei uma agência do KB e consegui fazer o saque sem problemas. Meu cartão é Santander Visa.

Ricardo, acho interessante colocar a observação que NÃO É POSSÍVEL usar cartões da Caixa na função débito ou saque internacional. Quem trabalha com a Caixa, precisa usar outros métodos ou conseguir cartão de outro banco.

    Meu banco é a CEF e sei disso (já insisti várias vezes). Essa é uma opção que não existe para mim. Me recuso a fazer outra conta em outro banco.

    Faça uma conta do tipo serviços essenciais. Todos os bancos tem essa modalidade de conta (mas ninguém divulga). Você não paga taxa alguma e pode usá-la para fazer saques em viagens internacionais. 😉

    Eu me dei bem. Apesar de conta na caixa, fiz uma conta universitaria no santander com cartao de credito internacional. Ficou perfeito… 4 reais de manutenção por mes.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.