Charada da 6a.: muralhas

charada19junho

Será que eu visitei essa cidade? Se visitei, foi no tempo das câmeras analógicas. Precisei surrupiar esta foto na internet.

Trata-se de um lugar que floresceu na Idade Média. O forte é do século XII.

Se você estiver pensando em viajar até este país, eu lhe diria que esta escala é incancelável.

Mata a charada e ganha a posse temporária do Troféu da Bóia quem disser o nome da cidade. (Ganha menção honrosa quem der chutes interessantes.)

Resposta:

Igor
Igor

E o vencedor apareceu rapidinho: o Igor, o quarto a responder, leva o Troféu da Bóia. Por quatro minutos ele impediu uma nova vitória do Guilherme Lopes :mrgreen:   Sim, a resposta certa é Jaisalmer, uma cidade inverossímel do Rajastão, perto da fronteira entre a Índia e o Paquistão. Suas muralhas escondem vielas apertadas povoadas por casinhas simples — mas pontuadas aqui e ali por havelis, palacetes de fachas intrincadíssimas. Chega-se de ônibus, vindo de Jodhpur (6 horas) ou Jaipur (12 horas) — ou ainda no trem noturno de Jodhpur. Passei uma noite dentro das muralhas no início de 93, e é a lembrança mais impactante que tenho daquela viagem à Índia. Bem — mas além do vencedor, é preciso agora distribuir também as menções honrosas aos melhores chutes. Vou começar pelos chutes que me fizeram aprender coisas: a Virginia, que arriscou Appolonia-Arsuf, em Israel (ruínas de uma cidade murada de que eu nunca tinha ouvido falar), e o Vicente Frare, que mencinou Bam, no Irã. Entre os chutes bandalhos, eu me rendo ao JB, que disse que essa era a Rocinha depois do muro do Eduardo Paes, e ao, que aos poucos está conseguindo pôr Rometta no mapa   :mrgreen:    Parabéns a todos!

40 comentários

Riq, vc não vai acreditar! Essa imagem da charada acabou de passar na novela das 9! Igualzinha mesmo!

Ola!!
Gostaria de umas dicas para ir ao caribe.
Quero ir pra miami e ir pro caribe também, não quero fazer cruzeiro, gostaria de ficar só em um lugar. Gosto de hoteis all inclusive, estava olhando Punta Cana, mas me falaram que o lugar só tem os hoteis e mais nada, o que você acha? Tens outras dicas??

Francine

    Nunca fui a Punta Cana. Acho que quando se diz que “só há hotéis e mais nada” (acho que eu mesmo já repeti isso aqui) o que se quer dizer é o lugar é um pólo hoteleiro criado; não existe nada muito autêntico por perto. Mas certamente deve haver muitas atividades. No quesito all-inclusive, a República Dominicana é a maior especialista. A partir de julho há pacotes com vôo charter saindo direto do Brasil. É bom lembrar que de julho a novembro pode haver furacões. A possibilidade é pequena mas existe.

    Outros lugares do Caribe com sistema all-inclusive disseminado são Jamaica, Riviera Maia no México e Varadero em Cuba.

    Lembre-se de que a lógica do all-inclusive funciona num lugar onde você não quer passar o dia fora do hotel fazendo passeios não-inclusive…

    Fran, já fui à República Dominicana quatro vezes. Em três delas fiquei hospedada mais de uma semana em Punta Cana, além de passar um tempo na capital. Adorei o Club Med. A decoração é super bonitinha e o hotel foi todo remodelado há pouco tempo. O hotel Riu’s também é interessante.Para quem gosta de dançar, em todos os hotéis tem aulas de salsa e merengue duas vezes ao dia. À noite, como todos os funcionários sabem dançar, é muito animado e ninguém fica parado. Outra opção na República Dominicana é o Resort Casa de Campo. É um reduto de milionários. Além da infra-estrutura do hotel que é maravilhosa, tem o campo de golfe e a área onde ficam as casas de veraneio com supermercado, marina, delicatessen,…Quem gosta de rodar por perto e sair do hotel pode eventualmente ir à Santo Domingo, a capital do país, que é uma cidade velha, sem muitos atrativos, mas tem bons restaurantes, uma história forte de ditadura do tempo de Trujillo. muito ambar e charutos maravilhosos. Tem também um vilarejo mexicano entre Punta Cana e Santo Domingo com excelentes restautantes e uma vista deslumbrante. É como se fôsse uma cidadezinha mexicana. Muito simpática. A República Dominicana é um lugar muito legal. Eu iria novamente. O mar é de um azul lindo e cristalino. Mas, já vivenciei um furacão lá em agosto. Escolhe bem a época do ano para ir até lá.
    Boa viagem.
    Claudia

Charada resolvida! Vencedor proclamado!

Parabéns, Igor!

    Consegui voltar aqui só agora e com muito orgulho vejo que, pela primeira vez, tenho a honra de ser o vencedor!

Falando em BSB:
Flagrante de sabedoria na porta do banheiro da rodoviária de CURITIBA:
“Puxe a descarga c/ força. Há um longo caminho daqui até o congresso.” Kibeloco.com.br

Lena, ninguém explica mesmo essa concepção de Brasilia (e olha que a turma ainda está vivinha da silva). Eu adoro, mas vejo os muitos defeitos para uma cidade que ainda vai chegar a meio século, não está nem na flor da idade, está no broto da idade. Quando vier por aqui, fique no centro, visite a periferia, só de dia e com todo cuidado, ou melhor não visite: Estrutural, Itapoã, Varjão; e muitas outras áreas de risco. É sério, infelizmente, muito sério. As cidades satélites do inicio da construção são bacanas, sem tantos riscos. Tem muitos condomínios próximo as cidades satélites bem organizados e seguros. Aqui no centro os cuidados são os mesmos de qualquer cidade grande, não tem pra onde correr, não. As distâncias parecem grandes, mas é tudo bem rápido de percorrer é diferente realmente.

Quero agradecer as sugestões do Promenade Palladium, no Leblon. Muito bom custo-benefício. Vale a pena aproveitar a promoção cultural, com tarifa a 250,50 por casal.