Charada da 6a.: nadou, nadou, morreu na praia

charada4set

Não, este cemitério aí da foto não fica no México. Quem me mandou foi um leitoro, ou uma leitora, e achei que cabia como uma luva durante esta expedição à terra onde o Día de los Muertos é como que um carnaval.

A gente não faz o tour do cemitério da Recoleta (e não bebe nos cafés do entorno)? A gente não separa uma tarde para ir ao Père Lachaise, em Paris? Pois bem. Que eu saiba, tirando este leitoro, ou esta leitora, ninguém perde um dia de praia para visitar este cemitério aí da foto.

Mas bem que deveria, não? Assim que ele, ou ela, me disser exatamente onde fica, eu vou lá conferir pessoalmente.

Enquanto isso, palpites na caixa de comentários, pufavô. Ao contrário da charadinha fora de hora de quarta (sorry, Jotabê), esta aqui vale, sim, a posse do Troféu da Bóia :mrgreen:

Resposta:

Breno K.
Douglas

Hehe, nem sempre o Google tá certo! Apesar da maioria — o Breno K., a Martinha, a Mô,  o Geraldo, a Marília, a Dri, a Paula Bicudo, a Carol Wieser — ter chutado o Cemitério das Pedras Compridas, em Icaraí de Amontada (CE), quem acertou foi o Douglas, que chutou na mosca: Canoa Quebrada. A foto foi enviada pelo Dionísio, que flagrou essas cruzes na areia em 2002. Não sabemos se continua assim. Parabéns ao Douglas, e considerem-se os de Icaraizinho honradamente mencionados. Gabe Brito (“essas pessoas não foram enterradas, foram areiadas”), Bruno Vilaça (“não foi aí que enterraram o Michael Jackson?”) e Alessandro Ayres (“isso é que é pousada pé-na-areia”) também contribuíram para o nosso divertimento das sextas-feiras e merecem suas M.H. Obrigado a todos os participantes e sexta que vem tem mais!

65 comentários

Aqui em Aracaju os cemitérios à beira mar não nos causam espanto, embora agora estejam interditados pela Prefeitura. Após a construção da Rodovia SE100, eles fiaram um pouco afastado da praia, as ainda é possível ver além das cercas pequenas cruzes. Pouca gente sabe que somos o único lugar na América do Sul onde há um cemitério dedicado a vítimas da II Guerra Mundial, o Cemitério dos Náufragos. Onde foram enterrados os corpos das vítimas dos torpedeamentos dos submarinos alemães que vieram a dar na costa sergipana. Hoje as vítimas dos naufrágios estão no cemitério monumento, enquanto que o cemitério antigo até recentemente continuava a ser usado pela população tradicional

Este aí nnao tenho ideia, mas existe um cemitério interessante, onde só se chega de barco (cortejo fúnebre inclusive), na Ilha de Superagui, no Paraná.

Cês não viram nada. Não fotografei, mas juro que já passei uma manhã de carnaval na praia de Boiçucanga em que guarda-vidas ficavam espantando os urubus atraídos pelo cadáver de um homem trazido por pescadores até a areia. Ficou lá horas, com a urubuzada babando em volta. Este episódio, junto com um afogamento a 30 metros da praia, em Cambury, anos depois, me convenceu de que carnaval é em casa. Ouvindo Tom Jobim. E cemitério à beira mar é o de Saint Tropez, comendo pain aux resains. Nada a ver o comentário, né?

    Uia, acho que tem tudo a ver. No que depender da minha nutricionista, pã o rezã só na próxima encarnação 😎

complementando… acho que deve ser caro uma cova nesse lugar! Com ou sem vista para o mar??????

huhauhauhau

Praia das Pedras Compridas, Icaraí, litoral de Amontada, no Ceará… gooogleada total!! e too late.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.