Chip local no exterior: qual você já comprou?

Mapa no Smartphone

Me rendi. Até semana passada, eu achava que não valia a pena passar numa lojinha de celular no exterior para comprar um chip (atenção: em estrangeirês se diz “simcard”) local.

Eu achava que o wifi do hotel e de restaurantes e dos Starbucks da vida já davam toda a conexão de que podia precisar. E que por isso não valia o perrengue de se entender com planos pré-pagos nas lojinhas do exterior. (Tanto que, no meu viajão de três meses ano passado pela Europa, usei só o wifi, sem trocar o chip.)

Mas eis que, desta vez, motivado por este post do Fred Marvila no Sundaycooks, resolvi perder meia hora com um vendedor de loja de celular. Estava em Glasgow, onde mora a minha irmã, e resolvi levar a mana a tiracolo para me ajudar se fosse necessário.

Não precisou. Em 10 minutinhos eu comprei um chip, digo, simcard “pay and go” da O2 (que, pasmem, é da Telefónica). O simcard me custou singelas 10 libras (26 reais) e me deu direito a 10 libras em ligações e SMS e a — caiam pra trás — um mês de conexão 24 horas à internet.

Não vou mais conseguir viajar sem esse conforto. Ter um smartphone com conexão à internet em qualquer lugar, como bem descreveu o Fred, deixa você muito mais esperto. Dá pra checar qualquer informação a qualquer momento (menos dentro do metrô, onde o sinal não pega), ligar pelo Skype ou pelo Viber sempre que precisar, além de usar mapas para saber se está na direção certa. 10 minutos de vendedor e 10 libras a menos no bolso para ter esse conforto por 30 dias? Valeria a pena pagar isso por dia!

No post do Fred tem uma lista de simcards com acesso à web disponíveis em diversos países, além de recomendações de leitores.

E você? Andou comprando simcard no exterior ultimamente? Onde? Pagou quanto? Funcionou legal? Conta pra gente!

Leia também:

Como usar a internet 3G no exterior, no Sundaycooks

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


513 comentários

E aquele mini simcard que serve para Ipad, também pode ser pré-pago? Dá pra comprar já na loja da apple em NY? Obrigada pessoal!

    Olá, Jackeline! Não é na loja da apple que você compra, mas em lojas de operadoras (T-Mobile, por exemplo).

Na Italia comprei um Simcard da TIm para fazer ligações locais e para o Brasil a 0,15 Euro. O melhor é que nesse plano pré-pago a internet é ilimitada ao custo de 2,00 euro por semana debitado diretamente nos seus créditos.

Oi gente,
legal as digas,
mas gostaria de saber na Argentina, uso o meu claro ou tim pre-pgo ou compro um Sim Card por la?

    Olá, Virginia! Vamos ver se alguém fala da Argentina. Até onde sabíamos, era difícil comprar pré-pago por lá, mas as coisas podem ter mudado. Há lojas de celulares por todo lado; se ninguém comentar aqui, dê uma passadinha e pergunte.

Passei 70 dias em Munique, e outras cidades
alemãs.
Comprei um SIMCARD da ORTEL,
por €15, que me dava €7,50 de credito para
ligações locais ou internacionais. Para o Brasil
o custo era de €0,09/min. Por €9,90, debitado
nos próprios créditos do celular, assinava uma
“flat rate” mensal que me dava direito a 500min.
pars o exterior, inclusive Brasil!
Outra assinatura
de €7,90 me dava 200MB de acesso livre à
internet por um mês. A cada recarga mínima de
€15 recuperava mais €7,50 de credito por mes!
É por isso que no Brasil só tenho celular pré-
pago!…

Em dezembro/2010 comprei um chip da Orange na Espanha, acho que custou 15 Euros e dava direito a 15 Euros de ligações. Não tenho smartphone então não usei para conexões, só para chamadas.
Funcionou legal, e achei o custo das ligações um absurdo de baratas. Cheguei a fazer uma ligação rápida para o Brasil, alguma coisa na própria Espanha e ainda sobrou crédito.

Depois, em julho/11 usei na Itália o restinho de créditos que tinha sobrado! Tudo de bom.

Enquanto isso, os gringos que se aventuram aqui sofrem…imagina na copa!

    Oi, Val,

    permita-me discordar de você. Por aqui, a TIM oferece o Infinity Pré, plano pré-pago que dá direito a internet por 50 centavos por dia. É um plano excelente para quem está de passagem e não quer firmar contrato.

    Abs

Na Cidade do Cabo (África do Sul) eu comprei um chip com plano de dados da Vodafone para utilizar a internet no celular durante os 6 dias em que fiquei lá. Há uma loja da operadora logo na saída do desembarque do aeroporto.

O chip custou 20 rands (aprox. R$5,00). Os planos de dados tinham os seguintes preços: 8 MB = 9,25 rands (R$2,30); 30 MB = 28 rands (R$7,00); 110 MB = 88 rands (R$22,00). Também tinha outros planos maiores, que eu nem cheguei a ver.

Durante os 6 dias comprei primeiro um plan de 110 MB e depois tive que comprar mais 30 MB. Foi muito útil para buscar endereços, ver mapas, GPS, Skype, emails e redes sociais!

abraço,
Diego
http://www.meusroteirosdeviagem.com

Eu tenho uma carteirinha, comprada numa daquelas incursões a papelarias em Tokyo, que abriga os 4 chips que tenho: França, Italia, Brasil e Inglaterra. É como American Express: não saio de casa sem eles! 😉

Em tempo: a SFR agora tem um plano europeu, também, para uso de telefone, mas não para a internet – daí a razão de eu ter os outros chips, tá? 😆

Na França usei o Club Bouygues. Foi a única que habilitou o simcard imediatamente. Na Orange pediram 48 horas e na SFR se recusaram a fazer, alegando que internet 3G só existia para pós-pagos. O curioso é que mesmo o Club Bouygues não tem internet ilimitada. Se não me engano, com cerca de 20 euros, comprei 200 MB, o que era pouco para o período. O problema é que não dá para renovar. Acabou, acabou. Só comprando outro chip. Acho que a França precisa comer algum feijão com arroz no que se refere a telefonia.
Na Austrália, comprei, por 20 dólares, internet ilimitada pela Vodafone.
Em Portugal, também comprei pela Vodafone: 600MB por cerca de 16 euros. Para uma semana foi mais que suficiente para navegar. Precisei comprar mais créditos para ligações e aí veio o problema: os créditos só foram habilitados quando estava a caminho do aeroporto, ou seja, 72 horas depois de tê-los comprado,
Nos EUA, em Miami, disseram, na TMobile, que não existia 3G pré-paga.