Cias. low-cost na Europa: modo de usar

boardingpass-vueling

O aparecimento das companhias aéreas de baixo custo revolucionou a aviação na Europa. Nomes como a irlandesa Ryanair e a britânica easyJet são, hoje, megacompanhias pan-européias, que operam inúmeras rotas fora de seus países de origem. Já a espanhola Vueling foi incorporada pela Iberia (com a qual mantém um compartilhamento de vôos), enquanto a Air Berlin é a primeira low-cost a virar membro de aliança (a oneworld).

O esquema funciona à perfeição para quem mora na Europa e faz viagens curtas. No entanto, para quem sai do Brasil com um itinerário picadinho, as low-cost nem sempre são a melhor solução.

Antes de fechar a passagem mais barata que conseguir e sair comprando vôos low-cost a torto e a direito, faça seu dever de casa:

Pesquise os preços

As pechinchas inacreditáveis de € 10 ou € 20 ainda existem, mas normalmente estão ao alcance de quem recebe os alertas de ofertas por email (é preciso cadastrar-se nos sites) e pode marcar viagens na base do impulso. Pela minha experiência, é difícil voar por menos de € 70. Pesquise as datas exatas no Skyscanner.net (metabuscador que traz todas as low-cost) e no Kayak.com (para descobrir se há companhias convencionais oferecendo tarifas promocionais na mesma rota).

Confira o aeroporto

Algumas low-cost – sobretudo a Ryanair – usam longínquos aeroportos secundários, aonde se chega apenas por ônibus especiais que nem sempre se encaixam direitinho com o seu horário de check-in. Informe-se sobre a distância e o transporte (todos os sites têm uma seção sobre como chegar) e veja se a economia compensa o acréscimo de tempo.


ilha-grande

Promoções sempre valem a pena?

Passagens aéreas: 10 perguntas e respostas para quem não quer cair em roubada

Pegue leve

Todas as low-cost cobrarão pelo despacho de bagagem, terão limites para bagagem de mão e cobrarão uma fortuna por quilo de excesso. Antes de comprar a passagem, confira no site as regras correntes (mudam o tempo todo, não vale a pena a gente transcrever aqui não, porque desatualiza sempre).

Conexão, não!

Nunca programe um vôo low-cost como conexão para seu vôo de chegada à Europa ou de volta ao Brasil. Como não há vínculos entre as duas companhias, se um vôo atrasar, você perde a passagem do vôo seguinte. Use um agente de viagem para montar a passagem intercontinental chegando à Europa por uma cidade e voltando ao Brasil por outra. (Ou então programe um pernoite na ida e outro na volta, para não dar chabu.)

Rentabilize sua passagem

As passagens intercontinentais costumam conter “gorduras” que podem viabilizar trechos intra-europeus por tarifas semelhantes às das low-cost – usando aeroportos principais, mantendo o seu limite de bagagem e com alguma assistência em caso de atraso. Examinando seu roteiro, um agente de viagem pode achar uma classe tarifária que permita desdobrar sua passagem em mais vôos. Peça um orçamento e compare com o que você pesquisar nas low-costs. Você pode ter uma boa surpresa.


thumb-andaluzia-ficha

Compare e escolha:

Qual o melhor meio de transporte na Europa: avião, trem ou carro?

Entenda bem

Não estou querendo dizer que as low-costs não valham a pena — muitas vezes, talvez até na maioria dos casos (sobretudo para quem estiver cadastrado nos sites ou resolver sua viagem com antecedência) a conta deve ficar menor. O meu pitaco é para que você não feche a passagem intercontinental antes de orçar quanto ficaria incluindo os trechos internos. Não esqueça de converter os preços das low-cost para dólar, que é a moeda das passagens intercontinentais. E finalmente, ao comparar os dois preços, procure levar em conta não só o número frio, mas também o custo x benefício (principalmente se os trechos intra-europeus incluírem cias. com limite de bagagem de 15 kg).

Leia mais:

411 comentários

As cias low cost sempre cobram uma taxa pelo pagamento com certão de crédito. O único modo de se livrar da taxa é usar Visa Electron. Com Visa Electron nem a Ryanair cobra tarifa extra.
A easyjet cobra uma taxa por cartões de crédito, mas é somente uma taxa por operação, ou seja, se você comprar 1, 2 ou 5 passagens na mesma opeação e com o mesmo cartão só vão te cobrar a tal taxa uma vez. Mas na Ryanair eles cobrar por pessoa, mesmo usando o mesmo cartão e dentro da mesma operação.

    E lembrando que Visa Electron emitido no Brasil não é aceito (conheço mais de 10 pessoas que tentaram e não conseguiram, se alguém conseguiu, me avisa 🙂 )

    Oláaa…
    Eu comprei no sábado 5 vôos pela Easy Jet pelo Visa Electron e até agora no meu extrato não houve o débito. Mesmo caso com um Vôo da Alitalia. E agora como proceder?

    Se alguém souber por favor me avisem.

    Obrigado

    Entre com os localizadores nos sites das cias. aéreas para ver se a reserva está confirmada. Se estiver, relaxe. Deve haver um “delay” no débito com Visa (o débito MasterCard costuma sair da conta na hora).

    Ola,
    Tive o mesmo problema que o Nei. Comprei 4 passagens do site de easyjet com o visa electron, a confirmação foi feita corretamente. Entro no site com o localizador e a reserva está feita, mas nao teve débito no meu cartao. A compra foi feita dia 12/11, e hoje é dia 16/11…
    Agora estou sem saber se será ou nao debitado…

    Nei,

    A sua compra foi debitado depois de algum tempo?

    Não se apoquente, Paula. O importante é a reserva estar confirmada. O débito um dia aparece. E se não aparecer… o importante é que a reserva continue confirmada.

    Ricardo Freire,

    Estou exatamente com o mesmo problema da Paula.
    Por favor explique melhor como devemos proceder…cancelar a reserva e efetuar nova pela funçao credito…ou aguardar mais tempo o debito ?

    obrigado

    Acredito que haja um descompasso no envio dos débitos pelo sistema do Visa.

    Não há nenhuma necessidade de cancelar a compra. O importante entrar no site da cia. aérea com o seu localizador e ter certeza de que a reserva está OK. O débito deverá vir. E se não vier, melhor para você…

    Pois é.. fico com medo do débito nunca vir e ter problemas no dia da viagem. Ja liguei na visa e nao sabem de nenhum problema, disseram que se o site dá a opção de visaelectron deveria ter funcionado.

    Na confirmação da reserva até veio escrito que o debito foi feito no cartao xxxx. Queria entrar em contato com a easyjet, mas no site deles nao tem nenhum meio de contato, nunca vi isso… heheh

    Obrigada pelas respostas

    Quando eu uso o meu Visa na função saque (que é igual a débito) na Europa, o débito só vem na conta do cartão de crédito, apesar de eu fazer o saque da conta corrente. Pode ser o mesmo sistema.

    Muito interessante essa discussao aqui. E muito me interessa pq em breve vou comprar passagens com a EasyJet. Vou aguardar a resposta do caso de vcs… E o visaelectron q vcs usaram foi emitido no Brasil? E funcionou?

    Pessoal,
    O meu também veio no cartao de crédito.
    Muito obrigada a todos pela ajuda!

Posso contar uma barbada que consegui pela Ryanair? Vou daqui de Madri só passar o dia em Valencia por 2 euros ida e volta, e num sábado!!! O voo sai de Madrid às 7 da manha e a volta sai de Valencia às 19:30. É perfeito pra passear numa cidade diferente, almoçar num lugar gostoso de frente pra praia e voltar à noite. Como diz o Riq, são promoções mais aproveitadas por quem recebe os emails com novas ofertas e pode comprar sem planejar. Mas é tudo de bom!

Olá, Ricardo!
Antes de mais nada, obrigado por todas as dicas e novidades que vc nos traz!
Essas de low cost na Europa serão muito bem vindas!
Mas, mudando um pouco de assunto, estou planejando fazer uma viagem no ano que vem pra conhecer a califórnia…
A idéia era conhecer LA, San Diego, San Francisco, além de uma esticada até Las Vegas….
Tem alguma dica sobre roteiro/trajeto (onde ficar, onde parar, o que conhecer, onde dormir) e quantos dias serão necessários? Pretendo alugar um carro.
Além disso, qual seria a melhor época: abril/maio ou setembro/outubro?
Já vi algumas dicas em outros posts sobre a califórnia, mas queria saber se existe alguma coisa um pouco mais específica…
Abraço!

Olá! Como viajante assídua, sou também visitante assídua do seu site! Gostaria de perguntar a todos aqui e também a você, que é expert no assunto turismo: já ouviu falar do Airbed & Breakfest nos Estados Unidos? http://www.abnb.com Estou procurando um apto p locar em NY por 10 dias e acabei encontrando atraves desse site – não 4o dividio, o entire apartment. Mas… estou ainda temerosa, já que o pagamento é feito integral antes mesmo de vc chegar lá, atraves de cartao ou paypal. Vocês conhecem? Já ouviram falar? Será mesmo seguro? Obrigada pela atenção e tomara que alguém possa me ajudar! Até e boa viagem a todos!

Oi Riq -eu entrei por aqui pq n~achei aonde -quero dicas p/ uma viagem usando milhas que vou fazer saindo SP -p/Paris dia 30/8 e voltando por Londres dia 12/9 -posso passsear uns dias em paria e Londres alias adoraria dica de hotel bom/barato/ bem loc em Saintgermain e em Londres mas queria dicas de roteiros curtos saindo dali. bjs e continuo leitora e fã Mira

É verdade…. as low cost são mesmo uma maravilha, mas para quem está pertinho delas e acompanha sempre as promoções e sobretudo, sabe exatamente o que está comprando.

Estes dias ví uma notícia inacreditável da Ryanair, que ela vai lançar tarifas especiais para quem quiser viajar em pé! Para quem não sabe, ela também pretende cobrar pelo uso do banheiro e excesso de peso do passageiro… Ela é mesmo a rainha da criatividade! kkkk Para quem quiser ler a matéria: http://www.almadeviajante.com/travelnews/003237.php

abraços! 🙂

    Olha, essa da cobrança para viajar de pé não é bem assim. O que eles querem tentar fazer é tipo um banquinho de bar em que vc fica com o corpo menos reclinado. Ou então algo como as cadeirinhas das aeromoças. Acho improvável que os órgãos reguladores aprovem

    Fato é que eles estão precisando voltar para a mídia e criar notícias. Essa do banheiro foi outra, embora seja mais factível. Cobrar por peso do passageiro (exigir que compre um segundo bilhete) é ilegal em alguns países, a União Europeia está decidindo o que fazer.

Eu usei a Ryanair na época que não era muito viciada em VnV e não sabia dessas diferenças de low-cost e convencional.
A passagem era 1 euro, quando vi na internet não acreditei, mais aí foi vindo taxa disso, daquilo e no final deu uns trinta e tantos euros…o preço ainda era bom…
Fiz minha mala pra viagem inteira pra 15 kg, um sufoco!
Quando cheguei no portão de embarque vi que tinha fila…e entrei…achei que o vôo iria adiantar…alguma coisa assim…não entendi que era porque não tinha lugar marcado…quando subi no avião fiquei olhando meu tíquete e procurando minha poltrona e não tinha nada…aí perguntei e tive que correr pra pegar meu lugar!
Mas deu tudo certo…

    Adorei a parte do “eu ainda não era muito viciada em VnV”
    :mrgreen:

Tive uma historia daquelas “que vale ser contatada”.
Na minha lua de mel, voltei de Amsterdam para Paris via trem, e faria em seguida o trecho Paris-Roma de Easyjet. Consegui um dos famosos voos de 0,01 euros, que saia de Beauvais. Como estava chegando de trem, optei por não pegar o ônibus até Beauvais e sim o trem.
Quando cheguei no trem, descobri que era um trem que pessoas utilizavam para voltar do trabalho, e eu e minha (recém) esposa fomos em pé (com mala). Ao chegar na estação de trem, descobri que naquele dia o ônibus da estação de trem até o aeroporto não funcionava, e eu teria que pegar um taxi. Esperando na porta do aeroporto, sem nenhuma proteção, pegamos uma chuva torrencial e ficamos encharcados. Para fechar a maravilha, na época não conhecia o limite de peso de 15 kilos da Ryanair e paguei “apenas” 200 euros de excesso de peso. Na fila para embarque, passamos um enorme aperto no empurra-empurra para conseguir os melhores lugares.
Resumindo: se não tomar cuidado, um voo low-cost pode ser o mais próximo da separação para um casal em lua de mel. 🙂
Graças a Deus chegamos bem em Roma, e tudo foi perfeito. E ainda estou muito bem casado. 😀

    Fantastico João 😎 A lua de mel começou com um teste de tolerancia pra vida real . Vida longa ao casal ! 😀

    Obrigado, Sylvia. 🙂

    detalhe que só descobri depois: existe um Voo low-cost Paris-Roma saindo de aeroporto de Orly.

Riq, teu texto esta perfeito!
E vale inclusive para quem mora na Europa, pois nem sempre a low cost se revela a melhor opcao.
Como o Andre Lot, eu tb jà cansei de pagar menos (ou pouca coisa a mais) em companhias convencionais,com a vantagem de aeroportos mais convenientes e carregando mais bagagem.

Fica aqui uma outra sub-dica. Às vezes, nas cias. aéreas tradicionais, há promoções frequentes só para trechos ida-e-volta. Isso ocorre frequentemente com KLM, Air France e Alitalia. Então, quando vc for comparar trechos intra-europeus (presumindo que nào deu para inclui-los na passagem intercontinental), dá uma verificada em combinações ida e volta ou mesmo multi-cidades, você poderá ter uma bela surpresa.

Eu andei pesquisando intensamente preços de low-cost para alguns trechos entre Holanda, Itália e França que fiz recentemente. Com alguma flexibilidade de aeroportos e antecedência de 20 dias, em nenhuma das 5 viagens que fiz entre maio e junho a diferença entre a tarifca total da low-cost (eu levava bagagem sempre e não estava disposto a abrir mão dela) e a menor tarifa promocional de companhias grandes nunca foi maior que € 50 euros.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.