Cocoa Island

Fotoblog: Cocoa Island (por Lu Gomes)

Cocoa Island

Lembra deste par de chinelos? O solado tem um relevo que deixa pegadas com o nome do hotel de onde vêm: Cocoa Island, nas ilhas Maldivas.

cocoa2

Quem esteve por lá e tirou essas fotos foi a Lúcia Gomes, que aproveitou o novo vôo da Emirates a Dubai, ali ao lado, para chegar ao paraíso.

Cocoa Island

Cocoa Island é uma ilhota minúscula, mesmo para os padrões maldívios. À diferença da maioria, não é redonda: é comprida, mais ou menos na forma de um oito (ou do símbolo de infinito).

Cocoa Island

Eu estou de olho nela desde a encarnação passada, quando tinha apenas oito cabaninhas e era administrada por alemães. Quando fui às Maldivas, em 96, não consegui me hospedar nela; estava lotada (ou reformando, não me lembro mais).

Cocoa Island

Hoje a ilha é controlada pelo grupo Como, de Christina Ong, uma hoteleira/spazeira de Cingapura que surgiu na cola de Adrian Zecha (leia-se Aman), mas que costuma fazer hotéis mais rústicos e intimistas que os Amanresorts.

Cocoa Island

O grande hit do grupo é Parrot Cay, uma ilha em Turks and Caicos que é o esconderijo caribenho dos que querem realmente fugir dos paparazzi.

Cocoa Island

Com apenas 33 bangalôs sobre palafitas — inspirados nos dhonis, os barquinhos dos pescadores maldívios –, Cocoa Island é o menorzinho dos hotéis superluxo das Maldivas. (O Conrad Rangali Island, antigo Hilton, tem 150.)

Cocoa Island

No meio da sua estada no paraíso, a Lúcia arranjou um tempinho para ir ao computador e mandar um email coletivo aos amigos. Dizia assim:

Aos queridos amigos, que de alguma forma me ajudaram, orientaram e torceram por esta viagem, tenho a informar que isso aqui é o paraíso!!! Todo ser humano que não tenha horror de mar deveria ter o direito de conhecer esse lugar antes de morrer. Se possível, nesta minúscula ilha paradisíaca, que, com certeza, torna esse lugar ainda melhor!!! Isto é a verdadeira definicao de felicidade que o dinheiro pode comprar (desde que você esteja de bem com você mesmo, é claro!).

Obrigado, Lúcia! As fotos ficaram djjjjjimais!

Cocoa Island

Atualização:

A Lúcia postou seus comentários na caixa; vale a pena transcrever para cá.

Fiquei toda prosa de ver as minhas fotos neste fotoblog!!! E, eu que adoro fotografia, confesso que fiquei toda boba com os elogios. Brigadim!!!

A escolha: Adoro o mar. Azul-calcinha então, nem se fala … talvez porque não temos aqui! Já tinha estado no Taiti há uns 25 anos. Amei, principalmente Bora Bora. Por isso preferi conhecer um outro lugar. Com essa cor,o Índico seria a melhor opção. Tinha então: Maurício, Seychelles e Maldivas. E não dava para ir às 2 últimas de uma mesma vez porque o aéreo não é direto. Depois de muita pesquisa, me pareceu que Seychelles (e em seguida Maurício) tem cidades com lugares para visitar, lojas, restaurantes, etc., etc. E Maldivas não tem nada – só areia (que em alguns resorts é sofrível) e mar. E ainda por cima, sujeita a desaparecer… Além disso, o desafio de aprender a não fazer nada .. e bem feito!!!

Por que Cocoa? Bem, primeiro porque o comandante sugeriu. E ele não sugere à toa! Na pesquisa, usei bastante o TripAdvisor para tentar formar uma massa crítica. E o único que não tinha nenhuma reclamação era justamente o Cocoa. Os únicos senões eram: tem muita comida de mar, não tem estrutura para crianças, a piscina não é nenhuma maravilha, os quartos mais antigos não têm TV de plasma. Pra mim, tá ótimo!

Além disso, você tem que escolher o que você quer da sua viagem: se você vai de casal ou de amigos, se quer ficar mais isolado ou se quer ver movimento, se quer só descansar e dar um tempo no stress ou se quer mergulhar, se prefere ter uma programação pré-fabricada ou se quer fazer o que quiser na hora que bem entender. Isso ajuda muito na decisão.

E foi lendo várias opiniões e vendo os sites dos resorts que escolhi ficar num lugar que parecia deserto, mesmo que estivesse lotado, onde eu não me preocupasse com água de espécie alguma: a água do banho não é salobra, a água de beber é mineral e à vontade e, finalmente, a água do mar, que é linda que só vendo, podendo entrar a qualquer hora que eu quisesse, e todos os chalés sobre a água. Ah, e tinha ainda a piscina de hidro massagem para o final do dia, pós pôr do sol. E, por fim, saber que a comida… tudo era muito fresco e muito bem cuidado! E o serviço – no problem, sempre!

E ainda tinha alguns mimos: o quarto, chic simples, as havaianas de design, os produtos — sabonete, shampoos e cremes bárbaros!!! E a lua cheia!!! Mas isso foi bom planejamento! Chega, né? Sorry gente, mas é que ainda estou lá, apesar de já estar aqui há mais de um mês. Bem, coloco-me à disposição de quem quiser para qualquer dúvida.

Bjs, Lu

Obrigadíssimo, Lu!

Transposto de um post originalmente publicado na fase Viaje Aqui deste blog, e já apagado. Pedimos desculpas pela impossibilidade de transcrever os comentários originais.

Leia mais:

1 comentário

Adorei ver o post por aqui de novo! Deu mta saudade ao reler e ver as fotos! Foi bom d+! Valeu, comandante!! Bjsssss

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.