Com o meu cordial boa tarde, do Lubéron

Lauris, no Lubéron

Hoje nos mudamos para nossa segunda base na Provence — agora, no filé da região, o Lubéron.

A chuva que castiga o sudoeste da França resolveu dar uma trégua, e hoje o dia foi superbonito (os sites de meteorologia previam chuviscos intermitentes). Amanhã a previsão é de sol; quinta, tempo fechado; sexta, parcialmente nublado.

Pensei que ia ser muito redundante fazer Toscana e Provence na mesma viagem; mas, pelo contrário, vai dar pra fazer um belo quadro comparativo do que esperar (e não esperar) em cada uma delas.

À tout à l’heure les amis!

A rede AccorHotels.com apoia essa temporada do VnV na Europa.

Os carros desta viagem são alugados com todos os seguros pela Mobility Cars.

O Mondial Travel é a assistência viagem oficial do #viajenaviagem no projeto Europa de carro.

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email
Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire
Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem


21 comentários

Olá!! Gostaria de sua opinião sobre onde seria a melhor base pra conhecer a região de luberon… Avignon…??? Muito obrigada!!

    Olá, Juliana! O Ricardo Freire recomenda ficar em algum dos vilarejos: Gordes, Roussillon, Bonnieux, Ménerbes ou Lourmarin.

ai ai que saudades do Le Cadran Solaire…, o BB pertinho de St. Remy de provance maravilhooooso, que ficamos. O Luberon é td de bom! 🙂

O Provence e em específico, o Luberon são mágicos!!!
Uma dica especial que experimentamos da Maria Lina foi jantar no Le Vieux Bistrot no vilarejo de Cabrieres d’Avignon, pertinho de Gordes e a refeição é também mágica, garanto!!!
Yumi Yumi!
Bon Voyage, mon amis!
bisous,
Adri.

Como diz minha mãe lembrando da nossa viagem para Provence ano passado, ao ver as fotos da Toscana com meu marido esse ano, lembra…mas também acho que são diferentes. O vinho inclusive hehe

Adri Lima, a Catedral d’Images acabou há um tempinho. Estive na região na 1ª quinzena de outubro e vi e fotografei de longe a face da montanha onde ela ficava.

    Puxa, Maria das Graças, que chato! Foi um programa dos mais emocionantes – uma antiga mina de bauxita com paredes enoooormes onde eram projetadas imagens variadas de obras de arte, tudo ao som de música clássica … uma super experiência sensorial. Quando eu fui, a expo era de Van Gogh… de dar nó na garganta de lindo! Obrigada por me atualizar!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.