Com o meu cordial bonne nuit

Teatro L'Astral, Montreal

Depois de dois dias visitando o Zé-JET, a Débora e os Jetsons lá em Burlington, em Vermont (foi minha primeira vez na Escandinávia!), pegamos um bumba da Itapemi…, digo, da Greyhound e em pouco mais de duas horas chegamos a Montreal.

Skyline de Montreal à beira do rio St.-Laurent


O ônibus saiu uma hora atrasado e ainda ficou retido por meia hora além do previsto na fronteira, devido a problemas de documentação de um passageiro (que não pôde seguir viagem). Quando desembarcamos na rodoviária de Montreal já eram mais de sete da noite. Mas ainda deu tempo de reservar um restaurante pelo Open Table (a T! Brasserie, que fica ao pé do Museu de Arte Contemporânea). Comi uma saucisse de Montréal, que vem a ser uma lingüiça de galinha d’angola, com mostarda forte e gratin dauphinois.

Museu de Arte Contemporânea de Montreal

T! Brasserie, Montreal

Saucisse de Montréal

Vamos ficar aqui pelo leste do Canadá pelos próximos dez dias. Se quiser deixar suas dicas de Montreal, esta é a melhor hora 😀

Região do Museu de Arte Contemporânea, Montreal

Merci!

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire


40 comentários

Riq, passei a lua de mel no Canadá (tudo bem q foi no século passado). Adorei. Como disse a Karen a igreja de notre dame por dentro é bem bonita, vale a visita, a região do porto tb é legal e a rue crescent é onde ficam muitos restaurantes transados. Se vai dar um giro pela costa leste do Canadá não perca Quebec, charmosíssima!!

Riq, vá no Garde Manger, no Vieux Montreal. É um restaurante meio lounge super bacaninha. Não me lembro a rua e não tem placa na porta, então pergunte no hotel (e peça pra reservar pq é bem pequeno). Em Quebec Ville gostei de experimentar a Assiette de Degustation Quebecoise no ‘Aux Anciens Canadiens’, quase em frente ao Frontenac.

Oi, Riq! Que legal saber que voce está em Montreal, eu fiz intercambio nessa cidade há alguns anos atrás, tenho um carinho gigante por ela. Na minha opinião, passe um bom tempo circulando pela região conhecida como Vieux-Montréal, a arquitetura é linda. A Notre Dame de Montreal tem um interior lindíssimo, vale a visita. O antigo porto também é bem bacana, tem uma rua com uns restaurantes legais, fica super animado a noite, não sei se voce pegará o Cirque de Soleil montado lá nessa época, eu não dei essa sorte. De lá siga para o Parque Jean Drapeau, passeie bastante e visite a Biosphere. Em termos de exposição não é nada tão incrivel assim mas a arquitetura diferente do museu vale a pena. E a vista de dentro da Biosphere, dos ultimos pavimentos, para o parque e o circuito da F1 é linda. Se não me engano é no primeiro domingo do mes que a entrada nos museus é gratuita, tem uns onibus que circulam entre eles de graça tambem. Ainda no parque, aos domingos acontece uma festa chamada Piquinique Eletronico, sempre na parte da tarde. É uma “rave” ao ar livre, bem pitoresco rsrsrs. Nos domingos também tem um outro evento bem famoso por lá, o Tumtum Montreal, é um batuque que rola no Parc Mont-Royal, na parte baixa do parque.
Uma outra região legal da cidade é a Rue Saint Deni, tem varios bares e uma creperia muito muito boa, chamada Julliete et Chocolat.
Alias, me deu uma saudade do crepe com sirop d’erable deles, prova acho que voce vai gostar!

    Uma curiosidade minha… o circuito de F1 da Ile Notre-Dame é “aberto” ao publico (é de “rua”)? Ou seja, dá para passar de carro por ele, no caminho por Cassino de Montreal?(obviamente, quando não tiver corrida…)

    Milton, não sei te afirmar com certeza mas, pelo que me lembro do local, não vi nada impeditivo não. Eu só visitei a ilha onde fica o circuito no fim de semana da corrida, nesse era impossível passar por ele de carro rsrsrsrsrs.

    Milton, exceto quando está tendo alguma corrida, o circuito Gilles Villeneuve é aberto ao público. Metade da faixa é para uso de carros (velocidade máxima de 30 km/h) e a outra metade para bicicletas e patins.

    Mas ele não é um circuito de rua. É um circuito aberto. De carro, você só entra e sai dele por um lugar. De bicicleta tem um pouco mais de opções.

    Inclusive, no meio do circuito fica a principal praia de Montreal, que é paga e só funciona alguns (poucos) meses por ano – acho que de junho a agosto.

Em Montreal, sugiro o Wienstein & Gavino’s, restaurante bem transado e animado na Crescent Street, centro de Montreal, com boa vida noturna. O restaurante tem umas massas bem legais, e ótima carta de vinhos, e o o lugar é jovem e descolado. Recomendo muito!
Boa estada no Canadá!

A Boulevard Saint Laurent, ao norte da Shrebrooke Ave. até a proximidade do Plateau Mont Royal (bairro) tem ótimos bares, lojinhas diferentes e restaurantes alternativos (principalmente já no Plateau). Já a Boulevard Saint Denis, ao notre da Sherbrooke é mais sofisticada e é ótima para e ter uma refeição ao ar livre, se o tempo ajudar. Bem vindo ao Canadá!

Q legal, Riq! Tenho muita vontade de conhecer essa parte do Canadá! Aproveite e nos conte tudo!

Adoro Montreal. Adoro a arquitetura, ficar andando na Vieux Montreal e me achando em 1900, ir no Mont Royal de dia pra olhar a cidade e de noite pra acampar, passear nos shoppings subterrâneos, entrar nas igrejas antigas, andar no porto e ver uns barcos estranhos, ir no jardim botãnico que sempre tem exposições legais.

Taí um camarada q eu queria conhecer: o Zé Jet !

Riq, bom Canadá e continuação de viagem pra vcs ! Ficarei de olho nos próximos posts, esse roteiro me interessa !

Beijao

    Somos 02, Dani G.. Eu sempre penso na Grande Família quando eles são mencionados por aqui: família unida e muito animada!!!

    Igualmente, meninas! Seria um prazer conhecê-las pessoalmente também! Bjs :mrgreen: