Como escolher sua pousada em Los Roques

Pousada Natura Viva, Los Roques

Estive duas vezes em Los Roques. A primeira foi em 2003 — quando os únicos brazucas que já tinham ouvido falar no arquipélago eram mergulhadores. (Foi quando tirei a foto da bóia que veio a ser o símbolo da nossa seita.) A segunda vez foi em junho deste ano.

Em termos de ocupação da ilha, não senti grandes mudanças, não. A cidadezinha de Gran Roque não cresceu (até porque não tem pra onde crescer). As construções continuam baixas (o solo não agüentaria prédios) e o visual permanece o mesmo.

O sistema das pousadas — como já vinha sendo atestado por todos os que comentavam sobre o lugar — continua aquele que conheci em 2003. A maioria das pousadas inclui na diária o café da manhã, o jantar e um traslado por dia, de lancha rápida, a uma ilhota próxima (Francisquí, Madrizquí ou Crasquí), com um almoço-piquenique acondicionado numa geladeirinha (e serviço de montagem e desmontagem de guarda-sol).

Uma coisa, porém, mudou: a ilha já tem eletricidade suficiente para que as pousadas ofereçam ar condicionado e banho quente. Isso já faz bastante diferença.

–> Não é barato

Para ir a Los Roques você tem que entrar naquele pique de Noronha. Precisa saber que vai pagar caro por acomodações simples. Com a alta do dólar, Los Roques vai parecer até mais caro do que Noronha. Mas leve em conta que as diárias são quase-all-inclusive; seus únicos gastos extras serão com bebidas e eventuais passeios fora das ilhas próximas (recomendo muito Cayo de Agua).

Em termos de infra-estrutura, eu diria que Noronha, a partir do pelotão intermediário, oferece mais conforto e mais espaço do que as pousadas intermediárias (e mesmo as tops) de Los Roques. E nenhuma pousada em Los Roques, nem mesmo a mais cara, sequer chega perto do luxo das pousadas top de Noronha. Em compensação, as pousadas de Los Roques são, no geral, bem mais charmosinhas — certamente por causa da “colonização” italiana (foram os italianos que descobriram o lugar para o turismo internacional). Outro detalhe pró-Los Roques: a comida também é melhor do que em Noronha.

–> Três categorias

As pousadas em Los Roques podem ser classificadas em três níveis. As hiperbasiquinhas são em conta (tipo 100 dólares o casal) e só oferecem café da manhã. Só vá nessas imbuído de espírito mochileiro. Você vai ter que contratar todos os passeios à parte e levar Cheetos para as ilhotas.

A categoria intermediária é de pousadas que cobram em torno de 230 dólares a diária por casal com pensão completa e um traslado diário a uma ilhota. Essas vão oferecer acomodações básicas mas com algum charme e boa comida.

A categoria top cobra em torno de 400 dólares a diária por casal com pensão completa e um traslado diário a uma ilhota. Os quartos tendem a ser mais espaçosos e bem decorados, e as refeições serão superiores.

Vale cacifar as mais caras? Se você pode, vale. Mas se a diferença de preço entre as intermediárias e as top inviabilizar a sua viagem, então fique numa intermediária sem receio (mas tendo como parâmetro uma pousada básica em Morro de São Paulo, não uma pousada de luxo em Jericoacoara).

–> Minha experiência

Em 2003 fiquei na La Cigala, que na época tinha quartos espartanos. Mas achei a pousada simpática e a comida ótima. Não consegui visitar a pousada desta vez, mas dando uma espiada por fora achei que estava mais bonita. O feedback dos leitores é bom.

Agora em 2011 fui de carona com o Renato Carone da Turnet, que estava terminando de montar sua (interessantíssima) operação de Los Roques.

A estada foi dividida entre duas pousadas, a Acquamarina (uma “intermediária”) e a Natura Viva (uma “top”).

Pousada Acquamarina, Los Roques

Acquamarina, Los RoquesAcquamarina, Los RoquesPousada Acquamarina, Los Roques

Achei as áeras sociais da Acquamarina mais bacanas do que o meu quarto, que era um pouco acanhado e lembrava pousadas simples do Nordeste. Mas é a relativa simplicidade das instalações que permite que a pousada cobre menos do que as do nível superior. Uma vantagem da Acquamarina é que o proprietário é também dono da ChapiAir, a mais ponta-firme das cias. aéreas que fazem a ligação  entre o arquipélago e o continente. Já fica tudo em casa.

Natura Viva, Los roques

Vista da Natura Viva

Natura Viva, Los RoquesNatura Viva, Los Roques

Maior pousada da ilha, a Natura Viva foi construída (naquele 2003 em que estive lá), e não adaptada a partir de casas existentes. É confortável, mas um tiquinho desalmada. A vista do seu terraço, no entanto, é um arraso.

Pousada Acuarela, Los Roques

Pousada Acuarela, Los Roques

Pousada Acuarela, Los RoquesPousada Acuarela, Los Roques

Consegui visitar apenas uma única outra pousada (o tempo era curto, e foi dedicado a fazer todos os passeios). Pois esta pousada eu cacifaria sem pestanejar: a Acuarela. Não chega a ser luxuosa, mas tem charme de sobra. O dono é pintor e expõe seus quadros nas paredes. O chef é excelente.

–> Em resumo

– Não recomendo ficar nas pousadas mais econômicas (até 100 dólares por casal, só com café); o barato pode sair caro

– Se você vai numa intermediária (230 dólares por casal, pensão completa com passeio), tenha em mente que o charme será maior do que o conforto, sobretudo do quarto;

– Caso você possa cacifar uma pousada top (400 dóalres por casal, pensão completa com passeio), tente um lugar nas pousadas de autor, como a Acuarela, a Piano y Papaya ou a Malibu.

Leia também:

Pousadas em Los Roques: os relatos dos leitores

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email
Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire
Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

44 comentários

Gostaria de uma ajuda, se possível. Estou indo a Los Roques do dia 24 a 30 de junho e fechei com a Pousada Acquamarine. No entanto, somente agora eu vi que os comentários no Triadvisor sobre ela estão péssimos. Já paguei uma parte. Alguem esteve recentemente nesta Pousada? Vale a pena eu tentar trocar de pousada? Desde ja agradeço a quem puder me ajudar.

Vou para Los Roques em julho e estava decidida pela Posada Movida, baseada principalmente nos relatos do Trip Advisor (nenhum negativo dentre mais de 100). Além disso, troquei alguns emails com o dono e este foi muito solícito. Entretanto, no período que pretendo ir, não há mais vagas no interior da Movida, mas sim em um local que pertence a ela, inclui todos os serviços prestados por esta pousada e se chama TRAMONTO HOUSE . Estou muito receosa em fechar. Segundo o dono não há diferença, mas como não achei nenhum relato, estou com receio. Alguém poderia me ajudar com informações sobre esta pousada? Muito obrigada!!!

    Olá, Flavia! Não temos relatos sobre esta pousada, mas se o dono da outra pessoalmente te garante, não há porque não dar crédito de confiança.

Também me sinto na obrigação de dividir a minha experiência sobre LR com o site. Voltei de lá há pouco. A respeito de hospedagem sinceramente não achei que o sistema de pensão completa valesse a pena. Todo dia a surpresa da janta que vc não escolheu não foi uma experiência tão bacana assim. Comer arroz gelado na praia tb é dispensável. E a missão de arrumar sua cava para o dia seguinte não me pareceu tão difícil assim. Depois do por do sol não tem nada pra fazer. Mercado, depósito de bebidas e gelo, padaria, tudo fica muito próximo. Vc não gastaria mais que meia hora do final do dia pra agilizar “tudo” isso. A pousada empresta a cava e ainda poderia ter a opção de poder escolher o que tá afim de comer. Realmente são poucos os restaurantes na ilha, mas dá pra se virar numa boa. Vc ainda pode jantar em uma das pousadas, é só fazer a reserva com antecedência. E outra, a composição do valor da pensão completa inclui: hospedagem, café da manhã, cava pro almoço, janta e passeio pra ilha mais próxima. Esse passeio custa $40 bolívares. Se vc escolhe ir pra uma ilha distante o preço do passeio é $160. Só que vc já pagou pelo passeio mais próximo e vai perder os $40 de qq forma. A pousada não vai te reembolsar e se ela fechar o passeio distante pra vc, tb não irá descontar esse valor (com exceção da Sol y Luna que é única que desconta os $40 e é recriminada pelas outras pousadas). $40 bolívares são U$$5,00, vc vai dizer q é muito pouco para se preocupar. Concordo, mas um casal em dez dias, estamos falando de U$$100 jogados fora. Na próxima vez, irei no esquema de agilizar por conta própria.

Acabo de voltar de Los Roques e fiquei na Natura Viva. Top,top,top.
Localizacao excelente, staff muito simpatica e eficiente, quartos otimos e comida muito boa, apesar que eu achei um pouco repetitiva. Era pescado todos os dias como prato principal, mas um dia nos pedimos ao chef para fazer frango e fomos prontamente atendidos.

O restaurante fica no terraco agradabilissimo.

A Aquarela, pelo que me disseram na pousada Natura Viva, e do mesmo dono.

O unico ponto negativo (mas nao tanto se for pensar bem) era que a wi-fi nao esta funcionando.
No entanto, para aqueles que nao conseguem ou nao podem ficar sem conexao do mundo, eles permitem usar a net da Aquarela.

Se voltar pra Los Roques, com certeza ficarei la novamente. Sem duvidas.
Vale todo e cada bolivar pago.

Como devo minha viagem a Los Roques a este site, me sinto no dever de relatar minhas experiências para que outros possam preparar sua viagem. Aliás, só se fala em Ricardo Freire por lá. Voltamos de Los Roques ontem. Fechamos o pacote com a Vectra Turismo e deu tudo certo. Eles tem várias opções de pousadas. A recepção no aeroporto de Caracas (um simpático gordinho chamado Johnny)nos tranquilizou quanto aos problemas que todos conhecem, em especial o câmbio, que fizemos no aeroporto por 7,5 (trocamos só 200 dólares), enquanto em Gran Roque se faz por 8 (trocamos só mais 100 para pagar um livro de fotos, pois muitos lugares aceitam o dólar no câmbio “bom”). Vi algumas pessoas aqui no VnV falando em até 10, mas não achei isso por lá, não. A noite no excelente hotel Marriott Playa Grande foi importante para recarregarmos as baterias na cama muito confortável. No dia seguinte, voamos de Aerotuy, avião velho de 48 lugares, com atraso de uma hora (saiu às 7h). Acho que o limite de bagagem pela Aerotuy é um pouco maior pois viajamos com malas de 11 e 13 kg e não tivemos problema. Ficamos na Pousada Guaripete, com todas as refeições incluídas (exceto cervejas nos passeios e o aluguel de máscara e snorkel). Ela é perfeita para quem gosta de receber uma atenção especial (principalmente para agendamento e “montagem” dos passeios. Percebi que brasileiros de outras pousadas vinham falar com a Fabi, da Guaripete, para agendar seus passeios). Também é perfeita para quem gosta da boa comida. Curioso é que ao chegar no lugar e ver aquela cozinha, não levei muita fé, mas admito que comi espetacularmente bem. Não me deu a menor vontade de sair para outras pousadas. Até porque dos 7 quartos, 6 eram ocupados por brasileiros, então o bate papo nos mesões onde eram servidos os jantares eram agradáveis. Ah, e tem água quente no chuveiro. Quem gosta mais de silêncio e roupas de cama e banho impecáveis pode sentir-se um pouco incomodado por lá. Mas, no cômputo geral, valeu muito a pena. Ficamos 4 noites. Como chegamos muito cedo e voltamos para Caracas às 17h, deu para desfrutar de 5 dias. Conhecemos Francisquí (muito boa, com sua piscina natural para snorkel que nos deu o prazer de ver até uma barracuda!); Carenero (a praia mais bonita e um ótimo snorkel tb) e Sarqui (onde nadamos com uma tartaruga); Cayo D´Agua (o azul mais bonito) e Espenqui (a praia das estrelas do mar); Boca de Cote (sem praia, vc mergulha da lancha, é o segundo melhor snorkel), Palafitos (o barraco mais bem localizado do mundo) e Crasqui; e, por fim, por obra da Fabi, da Guaripete, no último dia fizemos Boca de Medio (o melhor snorkel disparado, arraias, barracudas, peixes grandes, corais sensacionais, mas que, não sei o motivo, não costuma figurar entre os passeios oferecidos. Valeu, Fabi!) e Madrizqui, a praia da Bóia, que (foi mal, Bóia) é a mais “normalzinha” da ilha. Enfim, um paraíso. As dicas gerais foram importantes: muito repelente, protetor, snorkel de blusa para evitar queimar demais – e muito protetor na parte de trás das pernas. Passear por Gran Roque foi uma experiência que me agradou demais, porque é um vilarejo colorido e com uma mistura de locais, turistas, crianças e cachorros muito curiosa de se observar. Acrescentaria uma dica: achei melhor ver o pôr do sol de um bar ao lado da igreja, tomando um mojito, do que do Farol, para onde vale a pena a subidinha para ter boas fotos. É isso aí! Recomendo demais!

Olá.. Moro em boa vista RR.,planeio ir p los roques na Páscoa? Sera s eh mto arriscado ir sem reservas? Esse feriado costuma estar cheia a ilha??

    Olá, Gabrielle! A gente sempre recomenda viajar com reservas para que não se perca tempo precioso de viagem zanzando atrás de hotel 😉 Hoje em dia existe informação suficiente na Internet para que você se certifique de estar fazendo uma boa escolha sem precisar bater de porta em porta. 😉

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.