Como estimar gastos de viagem? 1

Como estimar gastos de viagem?

Dólar e euro

Uma das dúvidas que mais aparecem nas caixas de comentários não tem resposta exata: “quanto dinheiro eu vou gastar em tal cidade?”. Não responder não é má vontade nossa, acredite. É que a gente não tem como conhecer os hábitos de cada leitor. Tem gente que viaja e se esbalda nas compras, e tem gente com horror a outlet. Tem quem almoce sanduíche de pé, e quem prefira sentar à mesa em todas as refeições. Tem quem visite todos os museus, e quem não entre em nenhum. Tem quem adore atrações tipo museu de cera e aquário; tem quem que se contente em avistar os monumentos. Tem quem ache que o city-tour hop-on hop-off no ônibus de dois andares é obrigatório, tem quem sequer cogite essa possibilidade. Tem quem ande de ônibus, quem ande a pé, quem ande de táxi. As variáveis são infinitas.

Isso quer dizer que a única pessoa que pode fazer o orçamento da sua viagem é, realmente, você.

Mas como saber quanto você vai gastar em um lugar onde nunca foi? Bem, normalmente já saímos do Brasil com passagens e hospedagem pagas ou reservadas. O que resta saber é quanto vai ser gasto em alimentação, atrações e transporte.

O Riq avalia que 50 a 75 dólares por pessoa por dia, por pessoa (na Europa, 45 a 70 euros por dia, por pessoa) são suficientes para se alimentar dignamente. Quando você extrapola o limite num dia, naturalmente compensa no outro. Da barrinha de cereal ao jantar sentado de 3 pratos, sempre haverá uma alternativa que cabe no seu bolso (ou na sua capacidade de endividamento no cartão de crédito).

Veja as dicas do Comandante para controlar os gastos em alimentação:

Veja como calcular cada item:

Restaurantes

Eu tenho um truque: procuro por sites de restaurantes do lugar e vejo alguns cardápios na internet. Isso é bom para ter uma idéia mais aproximada de custos, e também para programar um ou outro jantar especial na viagem.

Atrações

Para as atrações eu faço a mesma coisa: já sabendo mais ou menos os museus, passeios e shows que vou incluir no roteiro, procuro pelos sites e vejo, em média, quanto custam; verifico também os passes de museus ou atrações para ver se vale a pena.

Transportes

Pesquiso sobre passes e tarifas de transporte público, e sobre as alternativas de locomoção do aeroporto para a cidade. Simulo corridas de táxi usando o World Taximeter ou sites similares.

Como até hoje não passei aperto, acho que esse esquema funciona. E, para qualquer comprinha inesperada, sempre tem o cartão de crédito.

Mas queremos saber é de você: como você organiza o seu orçamento de viagem? Tem algum truque para estimar quanto vai gastar? Já passou algum aperto, ou voltou com dinheiro sobrando? Aos comentários!

Leia mais:

Passagens mais baratas no Kayak

Encontre seu hotel no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Mondial Assistance

Aluguel de carro na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões com a Viator

242 comentários

Ensinei minhas filhas a viajar , dividindo o total
de dindin pelo numero de dias e colocando cada
dia num envelope. O que sobrava de um dia, acrescentava
no outro.
Aprenderam rápido, vendo os colegas gastarem
td no primeiro dia e n?o terem dinheiro nem pra
comer nos outros dias.
Mantenho este raciocinio no cc, vtm, o q for.
Quanto a previs?o de gastos, tenho um histórico
q se mantem ao longo das décadas 😉

Bom, tenho duas dicas:
1) para cada viagem tento fazer uma planilha. Quanto mais cara a estimativa da viagem, mais detalhes coloco na planilha. Organizo um pre-roteiro e me baseio nele para gastos de transporte, ingressos ou detalhes necessários. Depois mando o excel somar as despesas de passagens, diárias, ingressos, e uma media de 100 dólares por casal/dia de alimentação.

2) uma dica que acho importante é o equilíbrio do $$ em cash e no travelcard. Sempre é melhor sobrar din din na mão do que no cartão!

[]’s

Márcel

Tenho como base 100, dólares ou euros, dependendo do destino. Esse valor é por dia, para alimentação, atrações e transporte, excluído hotel. Caso haja uma atração mais cara, como um show, separo desde já o valor correspondente. Tento equilibrar dias classe “C” com dias “luxo”, assim vou administrando esses 100zinhos/dia. Gosto de ter uma margem de segurança, logo se vou passar 10 dias, levo $1300 a $1500. O cartão de crédito é usado só em casos de emergência. Uma bolsa linda é uma emergência, ou não é mulherada? Tenho uma superstição: todo dinheiro que sobra de uma viagem, jamais deverá ser usado em outra! Por isso, gasto tudo no FreeShop, inclusive a devolução do TaxFree. Uma das minhas maiores motivações para trabalhar é ter de juntar dinheiro para as próximas férias. Retorno zerada, muitas vezes com o dinheiro do taxi até minha casa, devidamente contado na carteira!
Coleciono gatos, minha casa pode ser descrita como uma volta ao mundo em 180 gatos! Levo sempre algum valor para adquirir mais um. Na minha última viagem a Minas Gerais, não encontrei nenhum miau pra chamar de meu, então gastei o dinheiro reservado para este fim comprando um anel de pedras mineiras!

    Candida, adorei a sua supersticao!! e, claro uma bolsa linda sempre é uma emergência..Na Turquia me programei pra comprar um casaco de couro de carneiro e nao me arrependi. Tenho ate pena de usar de tao lindo. Moro no Rio, mas ele é ideal pra um friozinho básico e ainda é dupla face. Mas foi caaaaro…

    Oi Marcia, q bom q vc comprou o casaco, pois qdo eu fui a Turquia, fizemos visitas àquelas fabricas de confecção de couro, eu vi um casado dupla face, feito apenas com um couro, fino, leve….fiquei tentada…eles baixaram o preço e acabei não levando….me arrependi e nunca mais encontrei aquele tipo de trabalho em couro!
    Então aprendi,em viagem o q eu gostar muito, for muito diferente, ou o q não vou mais encontrar: – Melhor comprar!!!

    kiss

    Que pena, Tina…comprei justamente numa destas fabricas. Eles baixaram bem o preço mesmo. Mas eu já fui determinada a comprar se gostasse muuuuito. Por aqui não tem nem parecido, o material de lá é único!!! Agora você já sabe: gostou, compre, pronto!!
    Bjo

Eu uso como base 100 dólares ou euros, por dia, para alimentação, transporte e atrações. Caso o hotel ainda não esteja pago, separo o dindin já que hotel não entra nessa conta diária. Tem dias que gasto mais e tem dias que gasto menos. Caso os destinos possuam uma atração “mais cara”, separo dinheiro pra isso. Normalmente, se almoço bem, janto um lanche, se almoço um lanche, janto em restaurante. Se meu hotel tem daqueles cafés da manhã fartos, pulo o almoço! Deixo o cartão de crédito para as emergências. Pra mim, uma bolsa nova e linda é uma emergência! Nunca consegui voltar de uma viagem, principalmente ao exterior, com dinheiro sobrando. Gasto tudo que sobra no FreeShop! Inclusive a devolução do Taxfree.
Coleciono gatos e na minha última viagem à Europa, que foi ano passado, já sabia o preço de um felino em porcelada espanhola LLADRO, então levei dinheiro para comprá-lo.
Nunca passei aperreios, vou tentando equilibrar dias espartanos, dias classe média e dias luxo! Um dia luxo equivale a uma semana classe “D”! O importante, pra mim que não tenho tanto dinheiro assim disponível, é poder me proporcionar alguns mimos durante as férias. E isso só é possível se ao longo dos dias eu fizer um pouquinho de economia. Embora minha prioridade seja sempre os passeios, as atrações, os museus e o que mais a cidade ofertar nesse aspecto. Depois vem a alimentação e as compras.

mariana, gastei uma tarde todinha levantando os lugares que queríamos visitar em cada lugar do nosso roteiro de lua de mel, daí pesquisei valores de entradas, mais quanto custavam os bilhetes diários de transporte público em cada cidade – multipliquei o valor pelo número de dias que ficaria, claro. Incluí mais 30 euros por pessoa por dia para alimentação e 10 para souvenirs. Parece pouco, mas comemos sempre em restaurante, com pouquíssimas exceções (comida de rua só por opção, não por necessidade rs), não abrindo mão de praticamente nada (ok, do passeio de gôndola abrimos mão, achamos uma extorsão hahaha).
No final das contas: voltamos com bastante dinheiro, mesmo fazendo a festa dos perfumes e maquiagens no freeshop. Acho que seja pq talvez seja quase impossível de visitar tudo o que se planeja, então esse dinheiro acaba podendo ser utilizado em outras coisas. E outra, também não sou nenhuma fanática por compras, então passei incólume por lojas de grife. Só comprei o que sabia que era um supernegócio ou porque me apaixonei e não existiria aqui no Brasil. Deixamos todos os eletrônicos de lado, por exemplo. Ah, também achei a Alemnha superbarata em termos de comida, então isso pode ter ajudado muito (fomos para a Itália e para a Alemanha).
Enfim, achei que o “guia” que fiz ajudou muito. Recomendo!
Bjs

Olá pessoal do viaje na viagem, ótimo blog. Indispensável pra quem está planejando uma viagem!

Bom, estou pesquisando uma viagem de carro para o Uruguai, como moro em Florianopolis a distancia não é tão grande. Essa viagem seria para o próximo verão e gostaria de saber se vocês tem dicas a respeito de viagens feitas exclusivamente de carro. Sobre o Uruguai já li o que vocês postaram, muito bom.

Grato,
Rafael

    Olá, Rafael! Infelizmente não temos. Para esse tipo de viagem, nós recomendamos buscar um fórum especializado. 🙂

    é um belo passeio. já fui a floripa de carro e a montevidéu, saindo de porto alegre. se der tempo, sugiro um pernoite na costa doce (lagoa dos patos) em arambaré ou são lourenço do sul). viaje sem pressa. pare em pelotas e rio grande e nas anteriormente citadas, em camaquã. não faça da viagem de carro um mero meio de transporte(seria melhor ir de avião). leve NO MÍNIMO dois dias inteiros para chegar. no uruguai, tem as puntas todas, não só a del este. dê uma paradinha na punta del diablo. no caminho tem também uma cidade de artistas, vale uma visita, é um museu a céu aberto.
    bom passeio

    Rafael,

    Já fizemos uma viagem de Paraíba do Sul – RJ. para Montevidéu. Foram 3 carros: 3 casais e 1 Família com 2 crianças. E foi tudo bem. No nosso caso, fizemos 2 paradas na ida. Uma em Joinville e outra no Chuí. Em seguida já chegamos no Uruguay. Posso te responder outras questões, mas a principal é planejar bem o Hotel onde ficará no CHUÍ, porque lá é muito ruim e só conseguimos vagas num péssimo hotel, em razão de não haver vagas nos demais. Mas, acredito que de onde vc mora é bem perto para ir de carro. Att. Leandro/Fabiana

    Se não conseguir em Chuí-RS, tente atravessando a fronteira, na primeira praia, La Coronilla, tem alguns hotéis, todos antiquados, mas foi a minha salvação também.

Eu tenho um sistema bem simples para controlar os gastos de minhas viagens. Para eu e minha mulher calculo U$100 por dia e o mais importante faço um diário de gastos qdo chego a noite no hotel, então vou controlando. Se num dia gasto 80 sei que no dia seguinte posso gastar 120, por exemplo. E sempre deu certo tanto nos USA quanto na Europa. Obs. Estes u$100 são fora as atrações tipo museus etc, é só transporte e alimentação. As compras já estão incluídas no cartão pré pago. Desta forma eu consigo saber, antes de embarcar, o custo total da viagem.

    Edivaldo,

    Eu uso o mesmo método. Funciona que é uma beleza.

    Tbm uso o mesmo método com algumas adaptações. Mas a dica de concentrar os gastos em compras num cartão pré pago é de ouro!

    Também “tô” com o Edivaldo. Dá super certo. Nunca passei perrengue em viagem calculando desta forma.

    Idem Edivaldo. Eu acho que este método de quota diária é o mais eficaz. Quando ainda estou planejando a viagem tenho em mente US$ 150 e EUR$ 120 de hospedagem (EUA e EUR) e gasto diário de US$ 120 e EUR$ 100. Isso para gastos básicos sendo refeição no almoço e lanche no jantar. Se for uma refeição no jantar este orçamento é insuficiente, claro.

Sempre volto com um pouquinho (pq à medida que vou vendo que está sobrando, vou fazendo umas comprinhas aqui e acolá).
Também consulto os restaurantes, festas, atrações, etc. antes e calculo quanto levar. EUA e Europa sempre acabam saindo entre 120-130 USD e EUR por dia.
Então fica mais ou menos assim: 125 * quantidade de dias + total da hospedagem + valor de alguma compra extra que queira fazer, como uma bolsa boa. No fim, sempre arredondo para mais.

Ótima dica!
Já fiz duas viagens para o exterior, uma de uma semana apenas e a outra de um mês e meio e fiz a mesma coisa nas duas.
Fiz muito do que você falou sobre pesquisar preços de restaurantes e atrações.
Como eu não ligo muito para comer bem enquanto estou viajando e sim explorar o local e visitar todas as atrações possíveis, optava por um gastar um pouco mais no almoço e comer coisas que me sustentasse durante o dia e comer besteira na janta pois era mais barato.
Algo que fazia muito também era tentar equilibrar o quanto eu gastava todos os dias, quando gastava mais do que pretendia em um dia, economizava no outro, justamente para não ficar faltando depois.

Assim, não passei por nenhum aperto e nem voltei com dinheiro sobrando.
Como você disse: Cada um deve se organizar de acordo com suas prioridades na viagem.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.