De carro na Califórnia, parte 2: de Monterey a Carmel

17-Mile Drive

O Aquário de Monterey (falei nele na parte 1) marca o início do filé da viagem costeira pela Califórnia. Filé, não: medalhão de bife de Kobe. Nos próximos 60 km você vai passar por dois tipos radicalmente diferentes de beleza à beira-mar: a beleza produzida pela mão do homem (aproveitando já um belo cenário) e a beleza selvagem da natureza. Cada uma provoca um uau diferente.

A beleza cenografada está neste primeiro trecho que percorremos no final do primeiro dia da viagem.

De Monterey a Carmel pela 17-Mile Drive

Saindo do Aquário, mande seu GPS levar você à 17-Mile Drive. Você vai dar num portão do condomínio de Pebble Beach, onde o tiozinho da guarita vai cobrar US$ 9,50 (a tarifa é por carro, não por pessoa) e te dar um mapinha.

17-Mile Drive

Quase tudo aqui é de mentirinha, a começar pelo nome. A estradinha não tem 17 milhas, e sim 9. Tipo assim menos de 15 km. A paisagem é fabulosa: campos de golfe que parecem ter brotado naturalmente, enfeitados por tapetes de florzinhas cor-de-rosa e lilás e uma ou outra árvore vergada (dessas que costumam dar expediente como o cartão-postal de Aruba). As mansões se contentam em ficar ao longe.

17-Mile Drive

17-Mile Drive

17-Mile Drive

É tudo tão arrumadinho e harmônico que você chega a desconfiar que até as pedras que emergem do mar junto ao costão também foram colocadas lá pelo pessoal do escritório de paisagismo. Meu Deus, quanto é que será que esses pássaros pagam de condomínio?

17-Mile Drive

17-Mile Drive

17-Mile Drive

Saindo do condomínio pelo Carmel Gate, você já dá dentro de Carmel-by-the-Sea.

Carmel-by-the-Sea

E ali, apesar da gente continuar no tema gente-fina-na-praia, o estilo muda totalmente. Carmel é toda petititiquinha, com casas aparentemente despojadas, construídas em escala humana. A praia é linda (preciso investigar se a areia branca é nativa ou se veio voando do Caribe).

Carmel-by-the-Sea

Carmel-by-the-Sea

Aproveitamos a última luz do dia para percorrer a Scenic Drive, a beira-mar carmelense (carmelita? carmeliana? camarleira? carmélica?). Se tivéssemos uns dois dois por lá, certamente caminharíamos por tudo.

Carmel-by-the-Sea

O centrinho fica duas quadras acima da praia e se resume a uns dez quarteirões. É incrível a quantidade de galerias. Tem até uma galeria do Rodrigue, artista da Louisiana que romerobritteia um cachorro azul.

Carmel-by-the-Sea

Você sabe que está em Carmel quando… o relógio de rua tem esta marca:

Carmel-by-the-Sea

… e os “artistas de rua” trabalham assim:

Carmel-by-the-Sea

Hospedar-se em Carmel não é barato. Os hotéis mais em conta, no fim de semana, começam para lá dos 20o dólares. É possível ficar bem mais baratinho em Monterey (a 10 minutos pela freeway, sem precisar pegar a 17-Mile Drive); a Maryanne do Hotel California Blog indica o Mariposa Inn (veja outros comentários de leitores da Maryanne aqui).

Resolvi, porém, fazer a coisa toda com estilo, e fiquei no Pine Inn (farei uma resenha em seguida). Queria ter ficado no Cypress Inn, da Doris Day (que seria o equivalente carmelino do Hotel Coxixo da Maria della Costa em Paralty!!!!),  mas não tinha mais vaga.

À noite rodamos pelo centrinho, adorável, e jantamos na cantina Luca, indicação tanto da Maryanne quanto do New York Times (reservei, para variar, no OpenTable). Meu spaghetti tinto de lula com frutos do mar estava impecável.

Cantinetta Luca, Carmel-by-the-Sea

Parcial Monterey-Carmel: 15 km

Total do primeiro dia desde San Francisco: 213 km

No dia seguinte a gente faria a segunda  metade do filé — ou do medalhão de Kobe: de Carmel a Big Sur. Volto já.

Leia mais:

Passagens mais baratas para San Francisco no nosso parceiro Kayak

Passagens mais baratas para Los Angeles no nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel em San Francisco no Booking

Encontre seu hotel em Los Angeles no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Alugue carro em San Francisco na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Alugue carro em Los Angeles na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões Califórnia com a Viator

47 comentários

Tripudia, Riq! Não basta fazer essa viagem linda, precisa falar (e mostrar!) esses detalhes?
Mas não há de ser nada, sou devota de Nossa Senhora das Milhas!

Tô refazendo a minha viagem de setembro de 2010 na tua viagem. Também jantei no Luca por dica do Hotel California, blog que conheci por dica do teu blog. A janta estava ótima. Carmel é uma delícia, Monterey também e ainda tem muita paisagem linda pela frente na big sur…seguirei teus passos.

Fiz essa viagem há 1 mês (LA – Vegas – Death Valley – SF – LA). Não tive a mesma sorte de pegar dias ensolarados, rs. Mesmo assim achei esse lugar maravilhoso!

O Big Sur já abriu?

Os pássaros devem pagam uma fortuna. Não convém nem perguntar quanto aquele que usufrui sozinho daquela rocha-condomínio paga. Não é de bom tom.

Eu me apaixonei completamente por essa região da California! Carmel é lindinha demais, eu queria ter ficado mais dias, pra poder fotografar mais com dias melhores. E eu estou impressionada com sua capacidade de produzir posts… o meu post do Big Sur está no forno há seculos e se bobear o seu sai primeiro que o meu.. 😉
Amando refazer a viagem com você. 🙂

Estive semana passada em Carmel/Monterey, realmente a praia de Pebble Beach é fantástica, região maravilhosa, alguma coisa bem próxima do paraíso, para pouquíssimos moradores, é verdade. Carmel é bem bonitinha, vale uma noite!

Riq, além dessa viagem estar deliciosa, tá deixando vc inspiradíssimo…o Estadão hj tá muito bom e divertido!

Fiz esta viagem em dezembro de 2005. Começou em SF e terminou em Las Vegas, com todas as paradas (e leões marinhos) que tínhamos direito pelo caminho. Recomendo MUITO! (E, ate hoje, digo: se eu sumir, me procurem em Monterey!)

Muito legal. Voce esta fazendo a viagem que eu quis fazer em 2007, e não fiz porque o meu sogro adoeceu.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.