Em Veneza, acordando no sossego do Dorsoduro

Meu hotel em Veneza, com vista para um canaletozinho

Bom. Dizer que estamos numa zona pouco turística de Veneza é o que costuma ser definido por pessoas que falam inglês melhor do que eu como um “understatement”. Na verdade estamos numa zona pouco gentística de Veneza — um cantinho esquecido do Dorsoduro que não parece estar no caminho de ninguém.

Mas temos vista para nosso próprio canaletozinho e para a igreja de San Niccolò dei Mendicoli, o que não deve ser pouca coisa. Só a localização meio fora de mão é que explica que essa vista, mais o charme do Hotel Tiziano (um prédio do século XV totalmente renovado por dentro) tenha custado meros 120 euros com café, uma pechincha para um 3 estrelas em Veneza.

Os temores de uma má localização, porém, se dissiparam assim que saímos para dar um rolê. A sete minutos e meio daqui está a parte mais animada do Dorsoduro, nas vielas que levam às estações San Basilio e Zattere do vaporetto, e sobretudo no Campo Santa Margherita — que da última vez que estive aqui, há 10 anos, gramei para descobrir, estando hospedado em San Marco.

Santa Margherita

Mais bacana até do que as áreas boêmias são os vestígios de vida de verdade que se encontram aqui e ali.

Dorsoduro

Um causo engraçado aconteceu na volta do jantar. Já estávamos na parte tranqüila (e nem tão iluminada assim) do sestiere quando uma família de cinco italianos passou pela gente e pediu informação. Antes mesmo de entender o que eles perguntaram a gente já foi dizendo que não era daqui (imagine, dar indicações em Veneza, tendo chegado seis horas antes).

Depois que passamos por eles, no entanto, entendi que eles estavam procurando justamente o hotel onde estamos, o Tiziano.

E daí eu falei que achava que era pro outro lado (eu não tinha feito exatamente aquele caminho na ida). Peguei o mapa, mostrei.

Eles ficaram ressabiados — era coincidência demais — e foram seguindo a gente à distância, como com medo do que poderíamos aprontar virando o próximo beco, sempre menos iluminado que o anterior.

No lugar deles, eu também teria medo 😯

No final, eles não podiam acreditar. Acho que perderam a chance de ganhar na loteria — encontrar, à noite, numa zona erma de Veneza, dois brasileiros que sabiam ensinar como chegar a um lugar ainda mais obscuro, é desperdiçar toda a sorte por um benefício muito pequeno 😀

Leia mais:

Todas de Veneza no Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email
Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire
Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

30 comentários

O roteiro que você está fazendo na Suiça e Itália é muito parecido com o que minha esposa e eu fizemos em agosto e setembro deste ano.
é ótimo rever cada detalhe delicioso que vivenciamos a tão pouco tempo atrás.
um abraço

Ola! nao sei onde postar, entao vou tentar por aqui. Perguntinha para o perguntodromo: alguem ja fez home exchange / home swap? Qual site usou? Como foi a experiencia?
Thanks trips!
Bjs
Renata

Olá
Iniciarei minha turnê italiana por Veneza em maio do próximo ano. É melhor ficar hospedado em Mestre ou em Veneza mesmo? Não é muito ruim carregar as malas no vaporetto e depois nas vielas? Estou com uma séria dúvida…..
Obrigada!

    Fabiana,
    Eu não desperdiçaria preciosos minutos ficando hospedado em Mestre. Além disso, Veneza tem um charme único à noite e vale a pena aproveitá-lo.
    Quanto a carregar as malas no vaporeto e nas vielas, não vejo muita diferença do que fazemos em metrôs de outras cidades.
    Mas se puder, aceite uma dica: leve uma mala menor só com o que realmente vai usar e deixe as grandes no locker da estação de trem. Vale muito a pena!
    Abraço,
    Jr.

    Ficar em Mestre é meio complicado devido ao transporte à noite, a menos que vc esteja de carro e possa cacifar taxi aquático tbem.

    Fabiana.
    Você pode ficar próximo da estação de trem, há vários hotéis nesta região e que dão para o Grande Canal.Ficando nesta área você terá a facilidade de pegar os vaporetos no Grande Canal para várias regiões de Veneza, e não terá que carregar as malas por uma distância muito grande.Nesta região há vários restaurantes e vc consegue ir andando e passeando até a Praça São Marco(uns 40 minutos de canais, pontes, vielas, história e magia de Veneza).Não deixe de andar e se perder pelos canais e pontes de Veneza, isto não tem preço. Boa viagem

Bella descoberta!!! Belíssima!!!! Os canais tem cheiro fétido? Este do Tiziano tem?

    Pelicano, cheiro ruim nos canais de Venezia em geral é resultado de água quente e parada demais que se acumula com algas em decomposição. Depende de clima, maré e ventos. Os problemas de esgoto que vazava foram resolvidos ainda na década de 1980.

    Legal, bom saber, Diogo Maynard que mora lá não faz comentários agradáveis sobre o cheiro, em Paraty ocorre o mesmo, depende da maré e do clima, para quem mora acaba pegando as fases aromáticas…rsrsrsrsr
    Brigado André, Val e Elis !!!

Riq, dá pra sair um mapinha como aquele “de ônibus pela Costa do Dendê”? Quero fazer esse tour da Itália igualzinho a vocês…
Amei Veneza! Itália é apaixonante!

Riq, golaço este hotel — e “vestígios de vida de verdade” define bem o que se pode esperar de Veneza… 😉

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.