Inhotim

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Não há época ruim para ir ao Inhotim.

Mas é bom saber que chove mais entre novembro e fevereiro -- algo entre 200 e 300 mm por mês. As chuvas de verão -- trombas d'água no fim da tarde -- são responsáveis por boa parte desse volume. Março e outubro são meses intermediários, com chuvas entre 100 e 200 mm. Em qualquer um desses meses, leve capa de chuva e uma bolsa impermeável para guardar sua câmera.

Os meses mais secos são os do meio do ano, entre maio e setembro, quando praticamente não chove. Nesses meses faz frio de manhã e vai esquentando ao longo do dia, embaixo do sol. Nesses meses, a mochilinha será necessária para guardar o agasalho que você usará no começo do dia e vai querer tirar mais para o fim da manhã.

Se você pode escolher sua(s) data(s), talvez tão ou mais importante do que a época do ano seja o dia da semana. Os melhores dias para ir ao Inhotim são terça e quinta, quando há menos visitantes (e de quebra o ingresso é mais barato). Sexta também é bom (mas o preço é de fim de semana). Sábado, domingo e feriado, e também na quarta (quando a entrada é gratuita), a densidade demográfica no parque aumenta bastante.

Em feriadões, prepare-se para encontrar o parque supercheio (e chegue cedo, porque o excesso de lotação pode fechar o parque).

Uma ótima estratégia de viagem para combinar o Inhotim com Belo Horizonte e as cidades históricas é a seguinte:

- Passe o fim de semana em Belo Horizonte: os hotéis estão mais em conta no fim de semana, todos os museus funcionam, o trânsito estará fluido. Deixe para alugar carro ao sair da cidade, na segunda.

- Durma na 2ª e na 3ª em Ouro Preto: graças à estudantada, a cidade não morre durante a semana (na 2ª os museus estarão fechados, mas a Mina da Passagem em Mariana estará aberta)

- Na 4ª vá direto ao Inhotim (são duas horas de viagem desde Ouro Preto) e deixe as malas no guarda-volumes para não perder tempo com check-in de hotel. Faça uma segunda visita na 5ª.

- 6ª de manhã, siga a Tiradentes (200 km pela Fernão Dias, seguindo depois por São Tiago). Volte domingo a Belo Horizonte (280 km até Confins).

6 comentários

Moisés
MoisésPermalinkResponder

Estou pensando em fazer parte deste roteiro agora em janeiro/15, mas me preocupa um pouco a observação "graças à estudantada, Ouro Preto não morre durante a semana". Será que em janeiro há risco da cidade estar muito sem vida?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Moisés! Não sabemos, infelizmente nunca estivemos lá em janeiro.

Anderson
AndersonPermalinkResponder

Não há estudantes em janeiro, mas a cidade segue funcionando e em movimento, pois os moradores usam o centro histórico, onde estão vários dos serviços públicos e negócios. Além disso, neste mês o número de turistas sobe. Em fevereiro, os estudantes voltam. No passado, era possível se divertir com os "bixos" (calouros) pagando trotes pelas ruas. Hoje em dia, não sei se os trotes estão de pé.

margarida toledo

Inhotin, belo horizonte, e ouro preto e TIRADENTES, vaLE A pena em julho?
muito frio?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Margarida! Só à noite.

Gilson Alves
Gilson AlvesPermalinkResponder

Apenas acrescentando as informações:
1. Neste ano de 2017, com relação às chuvas, pode vir tranquilo no mês de novembro. O inidice de precipitações aqui na região está bem abaixo do normal. Moro em BH e chuva aqui está bem escasso.

2. Se as opções de hospedagem lá por perto de Inhotim estiverem cheias ou muito caras, pegue um hotel aqui na região da Pampulha. Tem vários novos hotéis lançados para a copa de 2014 com taxas de ocupação bem baixas, principalmente no final de semana. E da Pampulha você está bem próximo da saída para a BR262, que vai para Inhotim.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar