Dono da AviancaTaca é o único candidato a comprar a TAP

TAP

Terminou sexta-feira passada o prazo de entrega ao governo português de propostas para a compra da TAP, que está em processo de privatização, assim como os aeroportos nacionais.

O único a apresentar uma proposta pela aérea portuguesa foi Germán Efromovich, que tem tripla cidadania (brasileira, colombiana e polonesa) e é o principal acionista do consórcio AviancaTaca, controlador de cias. aéreas colombianas, centro-americanas e peruanas (a Avianca brasileira, antiga OceanAir, que também pertence a Efromovich, não faz parte formalmente da holding).

Para preencher os requisitos para a compra, Efromovich precisou requerer cidadania polonesa, já que ,pelas regras da União Européia, um extra-comunitário não poderia possuir mais do que 49% de participação numa cia. aérea. É um caso parecido com o de David Neelman, que conseguiu fundar a Azul no Brasil por ter cidadania brasileira (nasceu em Pernambuco, quando seu pai era missionário), mas não pôde envolver sua outra cia. aérea, a americana JetBlue, formalmente na cia.

A oferta de Germán Efromovich ficou bastante abaixo do que as autoridades esperavam. Se aprovada a proposta, o empresário brasileiro vai levar a TAP por apenas 20 milhões de euros — mas com uma proposta de investimento de 300 milhões de euros na cia., cuja dívida ultrapassa 1 bilhão de euros (e é do que o governo português quer se livrar).

O valor oferecido foi bastante criticado pela oposição e pela imprensa. A decisão sobre aceitar ou não a proposta de Efromovich deve sair na reunião do Conselho de Ministros do dia 20 de dezembro.

No que os brasileiros seriam afetados se a TAP fosse para a órbita da AviancaTaca?

Em princípio seria um bom desfecho para o nós, já que continuaríamos como mercado prioritário para a empresa. A TAP foi a pioneira na descentralização dos vôos internacionais, com rotas diretas a Lisboa desde nove cidades brasileiras; é de nosso interesse que o próximo dono mantenha os destinos servidos.

No plano latino-americano, é bom para o mercado que o grupo LATAM, formado pela fusão entre Lan e TAM, tenha um concorrente à altura (apesar de não estar claro se seria juridicamente possível uma integração maior entre a TAP e a AviancaTaca, devido à regulamentação européia).

Finalmente, talvez não seja uma boa notícia para os clientes Fidelidade TAM. Mesmo com a permanência dessa nova TAP na Star Alliance, os clientes TAM poderiam perder o direito de acumular milhas e emitir passagens na nova companhia, já que a justiça chilena, ao aprovar a fusão entre Lan e TAM, proibiu qualquer sinergia com Taca e Avianca (é por isso que clientes TAM não pontuam nessas cias. — e de quebra nem na Copa –, mesmo pertencendo à Star Alliance). Nesse caso, será necessário ver como a justiça chilena interpretará a composição acionária dessa eventual TAP “colombiana”.

Respostas a partir do dia 20… (até lá, um bom perfil no Twitter a seguir é o @TAPnews, que não é oficial da cia.)

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


17 comentários

Alguém faz ideia de onde a Tam vai se enfiar de aliança? Se vai ficar na star pra sempre ou vai pra oneworld?

    Olá, Livia! Extraoficialmente parece que a cia. vai tentar adiar indefinidamente sua saída, já que sair da aliança envolve desembolso de fundos.

Viajei pela TAP há 3 meses partindo de Viracopos e só posso dizer que foi o pior vôo que ja fiz em décadas como viajante internacional. Cancelamento, péssimo atendimento em terra e de bordo , um profundo desrespeito para com os usuários. O atendimento de bordo do vôo proveniente de Lisboa foi o mais rude e ineficaz que já presenciei em 30 anos.Portanto ,a noticia da venda da companhia só me mostrou o que já parecia evidente:que havia algo de muito errado com a estrutura da companhia e uma profunda insatisfação dos funcionários,desde o check in até o atendimento de bordo.A boa noticia é que qualquer outra empresa que assumir a TAP não conseguirá fazer nada pior.

Uma amiga viajou recentemente para Bogotá pela Avianca e foi péssimo o atendimento a bordo. O café da manhã foi um copo d’agua…espero que não aconteça o mesmo com a TAP.

Ai, também tenho passagem comprada para maio a partir de POA. Falam que a ocupação neste voo(POA-LIS) tem sido boa. Espero que nao acabem com ele.

    Joyce, já utiizei o voo POA-LIS duas vezes e nas duas vezes (4 vezes, se contarmos ida e volta), os voos estavam lotados. Li faz pouco que a ocupação média desse voo está em volta dos 87%, senão mais.

    Viajo novamente no mesmo voo agora em fevereiro e retorno em março. E creio que deve estar igualmente lotado.

    Eu não acho a tripulação da TAP mau humorada. Pelo menos em todas as vezes que eu voei com eles, seja entre Brasil e Lisboa, seja em voos internos europeus, sempre fui bem atendida.

    Já fiz Brasil-Europa e vice-versa com eles umas 12 vezes. Sempre achei bom o atendimento!

    Breno e Cris

    Obrigada pelo comentário. Realmente, tinha ouvido boas e más críticas a respeito da TAP, mas vocês me deixaram tranquila. Valeu.

Precisamos é de outras empresas fazendo a rota Brasil/Portugal.

O monopólio da TAP faz com que tenhamos que muitas vezes(na maioria das viagens) aguentar o mau humor de seus tripulantes…

Laura,

Também tenho voo pela TAP para fevereiro/março, mas creio que não vai haver problema a curto prazo (ainda). Pelo menos é assim que eu quero acreditar, heheh..

Sobre a privatização, entendo que a TAP está no vermelho há anos, e que isso possa ter afugentado possíveis compradores, mas por outro lado, não entendo o desinteresse de outras companhias ou holdings em um mercado bem consolidado que a TAP tem no Brasil, especialmente tendo em vista a descentralização das rotas.

Espero que o próximo dono não tenha vontade de desmanchar isso! É muito interessante não precisar ir até Guarulhos ou GIG para fazer conexão para a Europa.

    Muitos passageiros evitam desembarcar em Viracopos porque ainda não está funcionando o freeshop.
    Diz a empresa concessionária do aeroporto que pretende que o Duty Free esteja funcionando até o final deste ano.

Uma pergunta para os mais especialistas do que eu (e pode ser bobeira, mas vai saber!): é possível que, a partir de agora, haja problema com voos já comprados? Pergunto porque voo TAP em fevereiro/março, e quero evitar perrengues, se possível.

    Como a cia. está sendo vendida em um processo normal, e nào um contexto de falência, os vôos devem continuar normalmente. Mas o novo dono pode fazer uma reestruturação drástica na malha área e cancelar vôos de/para sua cidade, e nesse caso deverá te realocar em outra cia.

Eu acreditava que a IAG (holding da British e Iberia) iria entrar na briga.

O problema da TAP sao os numeros, a empresa já há muitos anos está no vermelho e tem Patrimônio Líquido negativo, um negócio insustentável a longo prazo nas condições atuais. Precisa mesmo de um turn-around.

Eu havia entendido que a LaTam já deveria ter decidido a aliança (pela aprovação chilena as alternativas seriam OneWorld, Skyteam, ou ficar independente), não era isso? Alguma novidade?