Enquanto isso, em Playa del Carmen…

Esta é a sua Playa?

Minha primeira vez em Playa del Carmen (“Playa”, para los íntimos) foi em 2002, a caminho de Cuba. Aproveitei que tinha milhas Smiles sobrando e que havia o vôo direto da Varig a Cancún, e fiz uma escala por ali. Nunca tinha pensado em ir a Cancún, mas o Nick insistiu para que parássemos por uns dias, porque eu tinha que ter uma opinião própria sobre Cancún. (Lembre-se de que naquela época eu era publicitário e não tinha blog nem nada; colaborava com a Vip, era só um hobby.)

Ao pesquisar Cancún, deparei com esse lugar de que ninguém falava no Brasil. Playa del Carmen? Que raio de praia é essa? Fucei aqui, fucei acolá, e algo me disse que era um lugar que valia pena conferir. Resolvi dividir a estada meio a meio entre Cancún e Playa.

Minha intuição não tinha se enganado. Playa era um lugar adorável. Tinha uma praia mais gostosa do que Cancún (a mesma cor, só que menos agitada, mais piscininha) e quilômetros de areias desertas na direção norte. E o centrinho, se por um lado era bem feioso nas imediações do píer de embarque do ferry para Cozumel, ficava uma gracinha a umas 10 quadras dali, quando ficava com cara de Búzios. O lugar tinha até uns hoteizinhos-butique bacanas!  Resultado: Playa entrou direto para o meu top de recomendações do Caribe.

Mamita's Beach Club, Playa del Carmen

Voltei a Playa em 2006 e levei um susto: o lugar tinha crescido bastante. Ainda continuava recomendável e, na minha opinião, muito mais bacana do que Cancún; os tais quilômetros de areias desertas na direção norte, porém, tinham sumido, e dado lugar a clubes de praia, hotéis e condomínios.

Fiz questão de passar uma noite por lá, nesta viagem de agosto pela Riviera. Encontrei Playa um pouquinho melhor do que da última vez. A bolha imobiliária lhe fez bem — algumas construçõezinhas insalubres mas bem-localizadas foram substituídas por edifícios baixos de bom padrão, o que deu um “up” para a beira-mar do centrinho.

Quinta Avenida, Playa del Carmen

A vida noturna também me pareceu ainda mais desenvolvida. O finzinho da rua 12 virou um antro de bares e discos. E a megaboate Coco Bongo, originária de Cancún e famosa pelos seus shows superproduzidos, abriu uma filial em Playa.

No fim das contas, Playa é o lugar mais versátil da Riviera. Pode ser curtida tanto como uma micro-Cancún construída em escala humana (tradução: percorrível a pé) quanto como uma mega-Geribá (com uma Rua das Pedras anexa).

Durante o dia você escolhe entre os dois grandes clubes de praia, o Mamitas ou o Kool by Playa Tukan. No começo da noite tem o footing na Quinta Avenida, a rua das lojinhas e restaurantes. Os metidos dão uma passadinha nos bares dos hotéis-design Deseo ou Básico (ambos na Quinta Avenida), e os notívagos se dirigem depois para o final da rua 12 e escolhem o que lhes parecer mais animado.

A hospedagem mais bacana é a do Mosquito Beach, o único hotel-butique pé-na-areia. Na Quinta Avenida ficam os outros três: o pioneiro Mosquito Blue (que agora, um tanto atrasado, ganhou ares starkianos) o charmoso Deseo e o esquisito Básico. Quer economizar com estilo? Tente o Playa Palms, um apart-hotel pé na areia, com cozinha equipada.

Há dois hotelões à beira da praia, e perto da zona dos beach clubs: o Porto Real e o suntuoso Royal Playa del Carmen.

Playa também é bem melhor do que Cancún para quem quer ir por conta própria e se hospedar baratinho. Desta vez eu fiquei num hotel basiquinho porém com bons equipamentos (ar split, wireless grátis), o Barrio Latino (paguei 60 dólares na baixa). Outras opções em conta na cidade são o Lunata, Nina e o Cohiba (este, só para quem quiser aproveitar a noite, que fica ao lado).

O azul é bebê porque o branco é talco

Playa está a 50 km do aeroporto de Cancún e a 70 km da zona hoteleira. Os parques X-Caret e X-plor ficam a menos de 3 km. Tulum está a 70 km.

Leia também:

Para entender Cancún, Playa del Carmen e Riviera Maia

Vai por mim: Tulum

Todas de Playa del Carmen no Viaje na Viagem

678 comentários

Boa noite Boia. Apareceu uma passagem em promocao para miami e cancun e acabamos comprando sem se dar conta que estará no auge da spring break. Iremos na segunda quinzena de março/2019. Passaremos 10 dias entre Playa del carmen e Cozumel. Será que existe uma forma de driblar as baladas e a multidão?

Fui para Playa del Carmem passar l Réveillon e me hospedei no Barrio latino, pois tinha visto boas recomendações aqui. Mas não gostei, pelo menos não pelo preço que paguei, média de 600 reais a diária, sei que foi alta temporada, mas o hotel (na verdade uma pousadinha) é bem simples, quarto pequeno, banheiro com água fria e chuveiro super fraco, mal dava pra lavar o cabelo, cortina menor que a janela, permitindo que qlquer pessoa que passasse por fora nos visse dentro do quarto. E ainda tivemos que carregar malas pra subir uma escada até o quarto, apesar dos funcionários terem ajudado. De ponto positivo a localização, os funcionários prestativos e educados. O café da manhã era simples, mas ok. Não voltaria.

Ricardo, sempre antes de planejar uma viagem, venho aqui pra pegar dicas. É minha referência número 1! Passei 10 dias em Playa del Carmen (não fiquei em Cancun por conta das dicas daqui: mais perto dos passeios, mais charme, footing pela 5a Avenida, vida do lado de fora do hotel etc). Fiquei tão triste na hora de ir embora. Estou apaixonada por Playa. Fui em agosto/2017. Cheguei no dia em que a tormenta Franklin chegou ao continente. Havia água de chuva dentro do aeroporto, a 5a avenida estava alagada e o mar com sargaço. Mas logo a chuva cessou e a água abaixou. No dia seguinte o sol apareceu pelo restante dos dias. A prefeitura/hoteis reuniram um “exército” pra retirar o sargaço e ficou tudo limpo logo. Fui no momento certo, pois depois os furacões arrasaram o Caribe.

Pra contribuir com os viajantes: fiquei no Hotel Vista Caribe (entre a 5a Avenida e a praia). Próximo de tudo: terminal de ferry boat pra Cozumel, rodoviária da ADO, casas de câmbio, lojas de conveniência. O hotel tem quartos com varanda, sala e cozinha com pia, microondas e frigobar. A piscina é grande e muito limpa. Tem uma pracinha interna com um paisagismo gracinha. Oferecem toalhas de praia sem custo. Os funcionários são muito educados. Uma excelente relação custo-benefício! Não foi mais que R$200 a diária (pacote hotel + passagens montados por conta própria no Decolar).

Fizemos vários deslocamentos usando transporte público. Usamos os ônibus da ADO (empresa de ônibus de viagem muito boa e organizada) pra ir e voltar ao Aeroporto, aos parques Xcaret e Xel-Ha (a ADO vende os ingressos para os parques no próprio terminal rodoviário e o transporte é grátis) e para ir a Cancun. Em Cancun, usamos o ônibus comum para ir para a zona hoteleira e conhecer a Playa Delfines e o shopping La Isla. Tudo muito fácil. Me comuniquei em portunhol e os mexicanos ligados ao turismo entendem relativamente bem o português.

Peguei muitas dicas de transporte aqui everythingplayadelcarmen.com e o trajeto dos onibus comuns de Cancun aqui cancun.rutadirecta.com.

Pra economizar com bebidas e comidinhas pra praia e lanches, fomos ao Walmart. Em Playa tem Zara, H&M, Mac, Forever 21, McDonald’s;s e muitas outras lojas e restaurantes bacanérrimos! E vc faz tudo isso de short e chinelo sem que ninguém te trate diferente. Um clima cool e relax sensacional!

Para Chichen Itza e Tulum, fomos com a Easy Tours, intermediada pela Sayvin, saiu bem mais barato do q comprando diretamente com a Easy. E engraçado, nos stands da Easy na 5a Avenida é mais caro do que via face/site da empresa.

Se alguém quiser me perguntar algo, pode falar.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.