Enquete: companheiros de viagem 1

Enquete: companheiros de viagem

Rio Preguiças

| G.R.E.S. Unidos Pelo Mico |

A viagem ideal é aquela que leva ao destino dos sonhos, na melhor época, com dinheiro o suficiente para não passar aperto ou vontade. Certo? Bom… quase. Pois até a mais paradisíaca das ilhas pode se tornar um inferno se, como companhia de viagem, temos um daqueles tipos mala sem alça que passa todo o tempo reclamando do vento em Aruba, da falta de resorts em Los Roques ou da ausência de vida noturna em Bora Bora.

Companhias de viagem podem pintar por escolha ou por mil e uma circunstâncias: o seu namorado; a sua família; aquele colega de trabalho que tirou férias no mesmo período e perguntou se você tinha planos… ou alguém que você tenha conhecido aqui pelo VnV. :mrgreen: (Já deu uma olhadinha na página Solo do site? Virou um Classificadão de gente em busca de companhia para viajar.) Mas, mesmo entre pessoas que tenham muita intimidade ou gostos em comum, há coisas que só uma semaninha de convívio intenso em um lugar desconhecido são capazes de revelar.

(Tenho cá pra mim que firmar qualquer compromisso antes de uma viagem é uma decisão de altíssimo risco. Espera pintar um feriado, chama pra passar uns dias na praia ou na serra, e depois avalia se o romance deve ir pra frente. Palavra.)

Viagens são o maior teste de afinidade pelo qual uma amizade ou um relacionamento podem passar. Exemplo: você decide viajar com um grande amigo. Apenas lá você descobre que ele acorda no maior pique, viaja para conhecer cada um dos cartões postais e curte bater perna até escurecer, e depois descansar. Você é do tipo que perde o café da manhã todos os dias, e gosta de visitar as atrações com calma, para poder ter energia para badalar à noite. Muitas vezes, hábitos que não têm importância nenhuma no dia-a-dia viram questões cruciais quando se está viajando.

Por isso eu acho que podemos roubar uma boa idéia das turmas de excursão: pelo menos um dia livre, ou uma tarde livre, em que cada um faça o que bem entende. Se você quiser ir às compras, e ele quiser ir a mais um museu, taí: às 17h vocês se encontram de volta no hotel, sem ter passado por nenhuma escolha difícil em que alguém sairia insatisfeito.

Queremos saber: alguma vez, alguma companhia mal escolhida fez da sua viagem um desastre? E quem são os seus melhores companheiros de viagem? Aos comentários!

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


104 comentários

Nunca tive grandes problemas com companhias de viagem, mas alguns atritos e divergências de gostos que não imaginava antes aconteceram. Tenho uma amiga de que gosto muito, mas como companhia de viagem é uma verdadeira “mala”. Viaja com pouco dinheiro e depois fica contando as moedas durante o tempo todo. Taxi, comida, passeios… a falta de dinheiro é sempre motivo para ela ser a pessoa “do contra” em tudo o que os outros colegas querem fazer. Resultado: paramos de convidá-la para viajar comigo. Outra amiga com quem já viajei era muito fresca com relação a comida, quase não comeu a viagem inteira porque nenhum restaurante tinha a comida caseira do jeitinho que ela gostava. Isso é muito chato, porque perdíamos muito tempo tentando achar um lugar onde a criatura quisesse comer. Esta companhia também foi uma vez só e nunca mais.
Minhas melhores companhias de viagem são minhas irmãs e duas grandes amigas. Super tranquilas, não ficam de picuinha reclamando de ter que pagar um taxi no final do dia quando estamos exaustas de tanto caminhar, comem onde dá para comer (porque em viagem tem horas que não dá pra ficar escolhendo) e, principalmente, não querem viajar só pra ficar comprando e comprando e comprando. Isso realmente é muito chato, ninguém aguenta esse perfil de companheiro de viagem. Tem muitas coisas legais para fazer numa viagem que não incluem comprar coisas.
ps.: eu também já reclamei do vento de Aruba! hehehe… mas na boa. Nem por isso o vento estragou a minha viagem ou eu estraguei a viagem dos outros.

    Gente pão duro, que conta centavos e migalhas, são péssimas companheiras de viagem. Socorro! Tenho uma amiga assim. Viajamos juntas para a serra um final de semana; eu queria sair para um barzinho, ouvir uma boa música, arejar a cabeça, mas acabamos comendo num lugar que vendia espetinho, pois era o mais barato (depois de sanduíches e etc). Nada contra, só que eu estava precisando espairecer, queria beber um vinho, e tinha algo bem diferente em mente. Falei para comprarmos uma garrafa e bebermos no hotel, mas claro que ela não concordou (por causa do preço do vinho). Ela também é chata pra comer, sem-pre reclama de alguma coisa que não veio boa, mas ao mesmo tempo adora junk food, e eu detesto. Olha, é muito ruim viajar com alguém assim, e foi só um final de semana. Isso de pegar um táxi no final de um dia cansativo, depois de caminhar muito, eu também acho normal, mas no caso dessa amiga ela certamente iria reclamar. Temos uma outra viagem de 2 dias em mente, e estou repensando se devo ir ou não. É um lugar que eu quero muito conhecer, e por ser simples e rústico, talvez não vá fazer tanta diferença na hora das decisões, mas não sei.

    Jussara, é péssimo mesmo! Vi isso na prática. E olha que eu não sou de esbanjar dinheiro, mas o básico do conforto a gente quer numa viagem, não é mesmo? Se a pessoa pode pagar uma passagem aérea cara para um determinado lugar, porque chegando lá ela não pode gastar um tiquinho com taxi? Prefere pegar ônibus para o hotel carregando tudo na maior dificuldade para não gastar… Não entendo isso. rs. Teve uma ocasião em que eu estava em Floripa com alguns amigos e fomos passar o dia em Guarda do Embaú. Enrolamos na areia, onde não vendia nada de comida, e no final meus amigos não quiseram almoçar por lá achando caro as opções de restaurante. Pensei: beleza. Chegando em Floripa comemos, pois lá o que não falta é opção. Mas chegando em Floripa a maioria decidiu fazer uma macarronada em casa que levou umas duas horas pra ficar pronta! Já era noite quando finalmente comi. Quase tive uma hipoglicemia aquele dia! Passei tanta fome por picuinha dos outros que nunca mais deixei isso acontecer. Aprendi que se o amigo com quem vc planeja viajar esboça estar num período financeiro difícil, é melhor não leva-lo na viagem porque fatalmente ele vai querer fazer economia em tudo. Sobre sua amiga, se vc já teve uma experiência negativa antes, acho melhor pensar bem antes de fazerem uma nova viagem. Ainda mais que é para um lugar que vc tem vontade de ir… ela pode estragar a sua viagem.

    É verdade, Mara, também não sou de esbanjar nem gosto de luxo, mas é como você disse: um mínimo de conforto é esperado. Também não entendo quem economiza com transporte na chegada/saída para passar perrengue carregando mala em transporte público (claro que cada caso é um caso, mas estou falando no geral, quando se pode pagar). Conheço gente assim, e é o mesmo tipo que também economiza com alimentação para gastar com compras! (o que não é meu perfil).
    Eu detesto ficar muitas horas sem comer, passo mal, e isso de fazer macarronada para não pagar “caro” em restaurante, é o que eu chamo de muxibagem. rs
    Já estou repensando mesmo a viagem com a minha amiga, até porque tive uma amostra nada animadora. É engraçado como a pessoa é uma na convivência normal, mas se transforma durante a viagem. É como a Mariana disse no post: “Viagens são o maior teste de afinidade pelo qual uma amizade ou um relacionamento podem passar.”

Meu marido é o meu companheiro de viagem ideal. Temos rigorosamente os mesmos hábitos e gostos. E sei que outras pessoas teriam dificuldade de se adaptarem ao nosso esquema. Longas e longas caminhadas pelas cidades, mesmo nos dias mais frios. E sempre escolhemos alguns pontos a visitar em detrimento de outros (sabemos que não dá para fazer tudo em uma semana…). Nessa hora, sempre chegamos a um acordo antes e nunca discutimos na hora.

Meu marido também é minha companhia perfeita!Concordo com a opinião que viagem com grupo muito grande é estressante. Uma vez fiz uma viagem com 8 pessoas da família e foi dificil, tudo demorava, tudo tinha que esperar.Viagem agora no máximo em quatro pessoas.

    verdade, quando fiz intercambio fizemos um viagem com 11(!!!) pessoas! Ainda bem que foi só um final de semana. Ninguém conseguiu aproveitar nada, era muita enrolação. Depois dessa, nunca mais, no máximo 1 ou 2 pessoas.

Viagem para o exterior com amigos ou familiares nunca mais! Tudo vira uma grande assembléia com direito a voto: Vamos almoçar ou só fazer um lanche? Vamos visitar o museu x ou o museu y? Vamos fazer compras ou visitar atrações turísticas? Se para ajudar os companheiros de viagem ainda não dominarem qualquer idioma auxiliar, a coisa piora, pois você vira 100% intérprete até para eles comprarem uma bala, embora tenha certeza de que eles fossem capazes de fazê-lo se estivessem sozinhos. No meu caso, se não bastasse, os companheiros eram ótimos conosco, porém brigavam muito entre si! Viagens que demandem muito tempo, investimento ou que sejam muito desejadas só eu e o meu maridão, minha companhia perfeita!

TEmos um casal amigo, 30 anos mais velho, que se mostraram excelentes companheiros de viagem. Já fomos várias vezes para praia em fins de semana e uma vez ao exterior. A proxima viagem já está no planejamento.

Em agosto ultimo viajei com um grupo de amigos, um deles se mostrou bastante folgado, justamente o que eu tinha mais afinidade. Aconteceu até um afastamento depois dessa viagem. Viagem com amigos define a amizade.

Não cheguei a ter problemas, como a CarlaZ disse, as coisas vão se encaixando, mas já cortei duas amigas muito queridas como companhias para viagens. Nesse caso são estilos muito diferentes que indo só em duas não daria certo. Elas são ta turma do compre-compre-compre e eu dos museus! Uma vez no Rio elas ficaram nem 2h na areia pq queriam ir no shopping.. ainda bem que eu tinha companhia pra ficar na praia 🙂

Atualmente só tenho viajado com meu marido (ou sozinha) e sem dúvida é meu melhor companheiro de viagens e acho até que não arrisco viagens em grupo ou com as amigas porque gosto do jeito que tá.

Mas eu tenho um trauma sim. Numa viagem grande, com as amigas, as coisas foram se ajeitando, quem gostava de dormir até mais tarde encontrava depois, quem cansava ia pro hotel, quem queria sair sozinha ia, tudo certo. O grande problema era voar. Uma das minhas amigas fez os mesmos voos que eu e reclamava de tudo! Que era longo (?), os funcionários eram burros, o aeroporto não sei o que, que a comida era ruim, que o entretenimento era ruim, o avião era velho…tudo tudo! prometi voar sem ninguém do meu lado pra sempre! Mas quebrei né, felizmente com meu marido não tenho esse problema. É companheirão de voos de 15h e de escalas longuíssimas.

    Nossa, se tem uma coisa que me irrita são pessoas que reclamam dos voos e de todo o processo envolvido: espera nos aeroportos, o voo propriamente dito, a comida do avião… Eu já vou preparada pra tudo isso, acho que faz parte da viagem, e me programo para não me estressar com esse tipo de coisa.

Minha noiva é a minha companhia perfeita… Somos dois loucos que saem cedo, batem perna o dia inteiro como se não houvesse amanhã… E adoramos!

Em compensação temos um casal de amigos que adoramos, fazemos vários programas juntos qdo estamos na nossa cidade mas um final de semana em SP mostrou que pra viajar não vai dar! Não chegou a estragar o fim de semana mas uma viagem mais longa ia gerar algum atrito.

Tenho marcada uma viagem de estudos à França com os colegas de curso. Todos nos damos muito bem mas eu tenho certeza que uma ou outra tarde precisa ser livre pra amizade resistir aos 15 dias!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.