Enquete da semana: aluguel de apartamento

             chapon20.jpg

Quando planejava passar o Réveillon de 2001 em Paris, constatei que não dava mais para pagar o hotel onde costumava ficar no tempo da paridade dólar-real.

Foi aí que tomei coragem de alugar um apartamento. Fui à internet (que não era sombra do que é hoje) e, morrendo de medo, aluguei um apê pela rede mesmo. O esquema era complicado — na época eu precisei mandar dinheiro, por doleiro!, para uma conta em San Francisco — mas no final tudo transcorreu melhor do que eu imaginava.

Hoje morro de vontade de repetir o esquema; ainda hei de fazer uma viagem por várias cidades grandes, brincando de morar por um tempinho.

Da última vez em que fiz uma pesquisinha, para um texto lá do ViajeAqui, achei esses sites com boas recomendações.

Nova York: NYHabitat

Paris: RentParis

Veneza: Dimora Veneziana, Magica Venezia

Roma: Rental Rome

Barcelona: Rent in Barcelona, Chic and Basic

Amsterdã: Amsterdam Apartments

Londres: Go With It

Europa em geral: Homelidays

Buenos Aires: Apartments BA, BytArgentina

E você? Já alugou apê de temporada no exterior? Ou pelo menos já fez uma pesquisinha? Conte pra gente a sua experiência, pufavô….

138 comentários

Pra Patricia Simões lá em cima:

As férias são suas, mas acho que não vale a pena o trampo de ir pra um lugar difícil de chegar (os Lençóis Maranhenses) só pra constatar: é, vou ter que voltar de novo pra ver isso direito.

O Preguiças é bonito, o Delta é bonito, mas o que é mágico e único no pla-ne-ta são as lagoas no deserto de dunas.

Eu voaria de São Luís a Parnaíba ou Camocim (para ir a Jeri) e deixaria os Lençóis para outro no ano no período junho-setembro.

Ainda sobre NY,

Eu acho mais legal e já me hospedei no que eles chamam de “corporate residence” que é o parente do nosso flat, mas que é de fato um apartamento, pois é grande (mesmo os studios), não tem serviços e é todo mobiliado. A vantagem é que você escolhe o dia que quer chegar e sair, sem restrições. Como normalmente são alugados por empresas, eles todos cumprem os padrões mínimos definidos, então todos os aptos tem as mesmas coisas, dos jogos de copos de vinhos, champagne, à máquina de lavar/secar e o mesmo tipo de móvel pra colocar TV, etc, um sofá-cama na sala… Igualzinho, normalmente tudo “powered by Ikea”, mas que fica bem legal. Eles costumam colocar alguns itens para deixar com “ar de casa”, tipo livros de fotografias, plantas, quadros, fica com cara de apto seu mesmo… A única coisa engraçada é que vc sai de um e vai pra outro e é tudo igual, no maior esquema americano 🙂

Eu acho que vale muito mais a pena para quem quer um apto por até duas semanas, pois ficam super bem localizados, tudo vai funcionar super bem, vai ter faxineira (só pra dar um tapa) e os prédios costumam ser de ótimo padrão.

http://www.nyvacationapartments.com/

Até umas 3 semanas, eu acho que vale muito a pena. Mais que isso, pode ficar muito caro e talvez seja melhor caçar um sublet ou algo do gênero no http://www.subletinthecity.com/ ou no NYHabitat e Urbanliving.

Acho que tem a ver com a cidade, né, Gira? Em Nova YOrk o pessoal que não é rico mora MUITO MAL!!!! É por isso que a gente também baixa bastante o padrão de exigência hoteleira quando vai pra lá 🙁

Sobre NY,

Eu já visitei vários apartamentos com os corretores do NY Habitat. São sérios, mas acabei não fechando nada com eles.
Os aptos que eles mostram são apartamentos “de verdade”, gente que foi trabalhar por um tempo, estudar ou qualquer outra coisa fora da cidade e que precisa alugar o apto, então, às vezes, dá muito trabalho achar algo que vc goste porque há muita restrição. Aquele apto barato, com lugar legal, etc só pode ser alugado entre a data X e Y que é quando o cara vai ficar fora da cidade. Ou seja, pra quem quer achar um apto pra 1 ou 2 semanas fica mais difícil. Há várias ofertas apenas válidas para fim de semana… meio chato de procurar. Quanto menos restrições, vc vai notar que custa mais caro…
Outra coisa, o estado do apto e das coisas dentro variam muito. Tem gente que cuida bacana, tem gente que não, tem apto imundo, tem apto impecável, não achei facílimo, não.

O Urban Living site http://www.new-york-apartment.com/en/?sid=4134562f8ba86cf21957b9c24048b00b funciona igualzinho ao NY Habitat

Obrigado, Roberta! Obrigado, Mô! Eu tava precisando dessa informação pra rechear um texto.

Rebajas pós-natalinas, é? Em Bzaires? Deve dar pra sacolar 🙄

Então, eu cheguei lá ano passado na semana entre Natal e Ano Novo também.
Tinha uma tonelada de brasileiros, acho que mais até que argentinos, que tinham fugido para a praia.
O que ela falou é verdade. Conversei com várias pessoas por lá porque eu não sabia para aonde ir e estava sozinha. Todo mundo me mandava para Puerto Madero, ficar nos restaurantes por lá. E que tinha fogos.
Uma brasileira dona de um boteco onde fiz um lanche me disse que não era nada comparado com as festas que fazemos aqui, mas que era bacana.
Enfim, achei ótimo, apesar do calorão que fazia, dos “pontos turísticos” todos lotados, de estar impraticável andar em San Telmo. Ah, mas vc só quer saber do Reveillon mesmo, né? Então não adianta, porque eu fui assistir o show do Barenboim e a Sinfônica do Teatro Colon lá no Obelisco e voltei pro hotel. Ou seja, nada de festança.
PS: para quem adora uma liquidação, essa semana é um espetáculo consumista! 😀

Mari, na época do real 1×1 dólar, e com o franco fracote, conseguia ficar por uns 330 dólares. Não era barato, mas não soava tão absurdo. (Pense bem: 330 reais na Place des Vosges!) Hoje tá 450 euros…

O apê em questão também já tá caro demais. Na época custou 170 dólares, hoje tá 170 euros… (No auge da crise Estados Unidos x França, a guerra do camembert, “freedom fries”, quando os americanos não queriam ir à França de jeito nenhum, eu cheguei a ver esse apartamento cotado a 120 dólares!!!) Mas eles têm apartamentos menores, mais em conta que hotel.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.