Enquete da semana: Europa no inverno

Hamburgo

Quando me pedem para destrinchar viagens à Europa no fim do ano e nas férias de janeiro, a minha reação inicial é tentar demover o perguntador. Me vêm à cabeça os dias curtos e gelados, às vezes molhados e ventosos, que desconvidam às caminhadas e deixam as fotos sombrias.

Claro que de vez em quando acontece aquele dia (ou, com sorte, aquela seqüência de dias) com céu claro e luz espetacular, em que as fotos saem mais bonitas do que nunca e você descobre o prazer de andar, andar, andar e não suar.

Mas na média acredito que não valha a pena torrar uma grana que nos faz falta para passar as férias brigando com as condições atmosféricas.

Mas se você só pode viajar no inverno europeu, bom, então sugiro que não monte um desses roteiros cheios de escalas e coisas para ver, ver e ver. O inverno é mais apropriado a experimentar.

Faça base numa cidade grande, aloje-se com conforto, e planeje seus dias em torno não de monumentos e vistas, mas de cultura e gastronomia. Fez um dia bonito? Ótimo, saia para para passear. Está chuviscando e ventando? Museu, cinema, exposição, visita ao mercado para fazer um piquenique no quarto. Alugar um apartamento é ideal: ao brincar de morador, você não sente o tempo passado em casa como perdido.

O inverno é uma época especialmente difícil para ir com dinheiro contado; ficar na rua o dia inteiro é muito mais tranqüilo no verão.

E você? Tem alguma experiência de férias no inverno europeu para contar?

E os nossos correspondentes europeus, o que dizem? O que podemos fazer para encarar a Europa no frio e aproveitar que os lugares não estão abarrotados de turistas?

Contem pra gente, pufavô…

Atenção: clique nas páginas anteriores da caixa de comentários para ter acesso a todos os relatos

531 comentários

Riq, tenho duas balanças ( dois dinamometros) mas uma está com as
meninas então não posso dizer com exatidão quanto pesa a balança,
mas creio que uma 15/20 gramas 🙂

Levo uma balança sim , e é tãaao pequeninha e tãaooo levinha que
dá até para colocar no bolso da camisa 😆
O nome dessa balança é DINAMOMETRO , comprei na 1,99 , é de plastico
e dá para pesar até 10 kilos .
Para pesar basta colocar os objetos numa sacola plastica qualquer e colocar a balança na alça 🙄
Tb levo ela para comprar malas e sacolas .
Vejam aqui uma fotinho de um profissional ( o meu é redondinho e
amarelo cheguei rsrsrsr )
http://www.funbec.com.br/bmMecanica.html

No ano 2005 sim que choveu no nordeste. Concretamente a noite do 1 de agosto chuviscou em Salvador. O 13 de agosto choveu muito em Sao Miguel dos Milagres e o 15 de agosto caiu agua o dia tudo desde Maceio ate Recife e, finalmente, o día 16 chuviscou ao meio dia em Olinda

Eduardo, eu sou suspeita, porque amo Paris nas 4 estações. Mas no começo deste ano passei 15 dias lá, em pleno inverno, e achei a cidade ainda mais encantadora do que tinha achado nas outras vezes – com direito a muitas destas dicas da Rita cumpridas 😉

Riq, esta eu posso falar pois o minha informação é recente. Fiquei 15 dias em Roma em janeiro/07 e foi muito bom. Choveu continuamente 1 dia somente e no restante alternavam-se períodos de melhoria, pequenos chuviscos e até alguns de sol com temperatura próxima de 18°C. Até blusa tive que tirar!! As fotos ficaram excepcionais e encontrei facilidade até pra ir ao Museu do Vaticano e na Capela Sistina também. É óbvio que não estava vazio mas o aproveitamento foi excelente. Eu coloquei basicamente em prática a tua idéia : fiquei todo o tempo em Roma já contando com alguns dias de tempo ruim o que permitiria visitar o máximo de igrejas/museus e o restante pra andar e andar. Só dei uma saída de um dia pra ir a Pompéia/Napoli. E o bom foi que deu pra repetir uma série de lugares : fui comer pizza no Bafetto 3 vezes, jantar na Enoteca Chianti duas, tirei n fotos do Coliseu das n vezes que passei na frente e entrei nele, assisti ao jogo Lazio e Milan e assim por diante.
Nâo quero ser politicamente incorreto mas acho que as nossas imprudências com a natureza estão facilitando essse comportamento do clima ! E nada melhor do que aproveitarmos !
E estou pensando seriamente em aproveitar janeiro próximo pra ir a Paris no mesmo esquema . Ainda mais agora com as dicas da Rita que já estão devidamente registradas.
E por último, eu já coloquei o VnV como link no meu blog e estou te avisando. Não tem problema, né ?

A pergunta é: e quanto pesa a balança?
:mrgreen:

E pra Dani da RyanAir: não sei se refresca alguma coisa, mas além dos 15 kg despacháveis você pode subir com 10 kg de bagagem de mão grátis.

Carmen, este ano tivemos um inverno bem chuvoso no Brasil. A chuva ficou mais tempo do que devia no Nordeste e até aqui no Sudeste, que costuma ter invernos secos, a gente sofreu com a chuva e com um frio que há muitos anos não se fazia tããão presente.

Acho que o culpado fui eu: nos dois últimos agostos eu estava percorrendo o Nordeste e não choveu nada acima da Bahia; este ano não saí de casa e, em represália, a estação das chuvas se prolongou…

🙄

Rita, mais um pouquinho e você vai acabar me convencendo a passar todos os invernos em Paris 😀

Das suas dicas, já tomei chá na mesquita e jantei no Régalade (era um dos “bistros modernes” indicados pelo Jeffrey Steingarten). E tô de olho no marché d’Aligre desde que li no Gridskipper.

* suspiro profundo *

Quando vcs dizem inverno conta novembro na Italia?
+ou- Roma/Toscana/Milao/Veneza.

Sem problemas o frio mas chuva atrapalha e muito, neh?