Enquete da semana: pousadinhas em Noronha

noronha-americanocacimba450.jpg

Pessoal, vou atacar em breve aquele prometido dossiê de Noronha.

E adoraria saber mais sobre as pousadinhas fora do circuito vip.

Você já se hospedou numa pousada domiciliar em Noronha? Gostou ou não?

Lembra do nome? E da localização? (Era na Vila dos Remédios, na Floresta Velha ou na Vila do Trinta?)

Reservou direto ou foi com pacote?

Se foi com pacote, já sabia em que pousada ia ficar ou só foi informado ao chegar? Perdeu muito tempo ao chegar e ao sair (nos procedimentos de distribuição dos passageiros entre as pousadas) ou foi tranqüilo?

Suas experiências valem ouro…

noronha-pordosol450.jpg

144 comentários

Estive em Noronha em agosto/2001 e junho/2002. Na primeira vez fui com um pacote a partir de Natal (voando Trip). A pousada era domiciliar e meio precária, mas era mais ou menos o padrão Noronha. Não me lembro o nome da tal pousada, mas ficava na Vila do Trinta perto do mercado. O pouco conforto não fez a menor diferença, pois como disse a Michele você vai para lá para ficar em todo lugar, menos na pousada. Tive um problema com a Trip na volta para Natal; tomei um tombo descendo a escada do avião, devido a chuva forte que estava caindo, e bati a perna com muita força. A tripulação me deixou na mão e nem se preocupou se havia acontecido algo sério ou não. Ganhei um hematoma enorme que me acompanhou por uns 2 meses… Ainda bem que não quebrei nada !
Na 2ª vez fui com um pacote da FreeWay, com diversos passeios (caminhadas ecológicas) já inclusos, e escolhi ficar na Pousada da Jô, que na 1ª vez tinha me parecido “simpática”. Em 2002 grandes evoluções: várias pousadas já contavam com aquecimento solar, ar condicionado/ventilador.
A hospedagem na Jô foi normal: não faltou luz, nem água, está perto da Vila dos Remédios e não foi muito cara.
Também tinha começado a funcionar o serviço de transporte com microônibus com ar condicionado, muito novo e muito limpo, cobrindo praticamente toda a ilha com intervalos de aproximadamente 30 minutos.
O receptivo foi a Luck que, ao contrário do que aconteceu com o Fábio, me deixou na mão, ou melhor no pronto-socorro, quando precisei tomar 3 pontos no joelho, depois de me cortar numa pedra descendo a escada do Sancho. O tal guia queria que eu continuasse andando até a Cacimba do Padre, com um sangramento que não parava. A sorte é que no meu grupo tinha um médico veterinário que fez um curativo de emergência e disse para o guia que precisaria tomar uns pontos. Mais uma vez dei sorte, pois um médico (paulista da UNICAMP) havia chegado na ilha há apenas uma semana e antes disso o dentista atendia as emergências do pronto-socorro…
Nem o guia da Luck, ou qualquer outra pessoa do receptivo, ficou comigo e tive que retornar de táxi para a pousada. Ninguém da empresa ligou, ou passou na pousada para saber como eu estava, se precisava de algo. Ainda tive que brigar para trocarem uma caminhada de dia todo (que já estava paga) por outro passeio de barco, que era a única coisa que poderia fazer com o joelho daquele jeito.
Mesmo assim, Noronha continua sendo meu destino preferido no Brasil. O custo/benefício das pousadas nunca será o mesmo de outros destinos, todas são bastante caras pelo que oferecem, tanto que nem colocam preço nos sites. Mas as belezas naturais são a recompensa.

Não era o Hugo que estava doido atrás dessas dicas? Se bem que ele deve viajar em agosto.

Acho que dessa vez o especial mais que aguardado sobre Noronha sai!

Henrique,

Esse Olhar Digital é um programa legal, pena que o horário não ajuda.

Oi Riq,
nas 2 vezes que fui para Noronha fiquei na Mabuya, fechando antes de ir direto com a pousada. A relação custo-benefício é das melhores. Nào sei quantos aos quartos comuns, mas nos 2 chalés (que têm a mesma diária dos quartos) o conforto é garantido. Realmente não tem charme,mas tem cama tipo box e box no banheiro, um grande diferencial em Noronha, fora ar-condicionado, tv e água quente.
O pessoal da pousada é suuper solícito e fazem um café da manhã simples, mas muito fazendo várias coisas especiais pelos hóspedes, inclusive preparar café da manhà antecipado nos dias das saídas de mergulho.
Mergulhei com a Águas Claras na primeira vez e Atlantis na segunda, a estrutura da Atlantis é bem melhor, mas em termos de equipe a da Águas Claras é mais acessível e simpática.
Outra recomendação é realmente alugar um bugue (melhor ainda antes de ir e já pegá-lo no aeroporto), e aproveitar Noronha por si só.
Para terminar, para quem estréia na Ilha recomendo o Ilha Tour, incluido na maioria dos pacotes ou vendido separadamente, onde vc tem a chance de se situar na Ilha, conhecer os principais pontos e depois voltar para curtir o que mais gostou.
Quanto aos restaurantes, na primeira vez comi mal, mas segunda comi super bem, apesar de caro. Lagostas no Ekologikus (reservar com 1 dia de antecedência), buffet do Zé Maria (imperdível), massa na Morena e quando cansar dos peixes, uma picanha maravilhosa no Tartarugão.
Mas o mais especial é uma barraca de praia super pouco conhecida nos apresentada por um guia, na praia do Boldró, que é quase deserta mesmo em alta temporada. Além de caranguejos eles fazem um peixe com crosta de castanha de caju que povoa meus sonhos até hoje….

Oi Riq, na CVC não dá pra escolher não, mas pedindo com jeitinho dá pra sugerir alguma de sua preferência… Já utilizando algumas outras operadoras dá pra escolher sim.

A Estrela do Mar não é considerada domiciliar, então ela é sempre vendida separadamente. E a diferença é relativamente tão pequena que eu sempre a indico como referência: em média são R$40 por dia/por pessoa a mais (na CVC).

Abcs, Bruno 😉

oi riq
o anderson, meu produtor aqui no Olhar Digital (www.olhardigital.com.br), vai te procurar pra fazermos uma matéria sobre vc. e o blog, ok?

[]s!

H

Estive em Noronha em abril desse ano e em janeiro do ano passado.
Nas duas vezes fiquei em pousada domiciliar. Esse ano fiquei na pousada coina dos ventos e apesar dos elogios de muita gente não fiquei muito satisfeito com o atendimento de la não. Achei totalmente impessoal. Alem do que a vista da pousada nao é tao bonita quanto parece ser pelas fotos da net. Ano passado fiquei na pousada gaucha, mais simples que a colina dos ventos mas muito confortavel. Quartos limpos, frigobar, ar condicionado e chuveiro eletrico.
As duas estao na mesma faixa de preço ( mais ou menos R$250 o quarto duplo).

Quanto as operadoras de mergulho experimentei o serviço da aguas claras e da atlantis, gostei mais da atlantis, mas essa é uma posição totalmente pessoal e passivel de muita discussao. Ha muita gente que prefere a aguas claras…Os [reços sao similares também.
Nas duas vezes fui por conta própria, reservando a pousada por contato telefonico e pela internet.

Espero voltar em breve e aproveitar os comentarios desse tópico pra escolher a proxima pousada.
Abs
Diógenes

Minha visita a Noronha não vai ajudar a sua pesquisa. Foi antes de existirem pousadas chiques.

E, salvo engano, acho que a Esmeraldo era a única que havia.

Mas também não posso comentar, pois não fiquei lá. Eu fiquei acampado! Embaixo de um enorme cajueiro (eu acho que era um cajueiro), em frente a uma escola, em cujo muro, roedores pequenos e saltadores se jogavam para fugir de qualquer ameaça.

Ou seja… não posso ajudar em nada. Mas não pude deixar de comentar um post sobre “Fernando de Noronha”, ou, mais intimamente, Fernonha, como passamos a chamar, eu e meus companheiros de acampamento.

A lua estava maravilhosa, enorme e amarela. O mar, uma maravilha.

Comentário completamente Off Topic (peço mil desculpas):
Sylvia, você já usou o Venere? Em 100% confiável. No post de hoteis em NY o Rodrigo sugeriu um Confort Inn no Queens e eu estou muito propenso a ficar nele. Só que a discrepância de preço entre o Venere e o Site do Hotel tá me deixando cabreiro. Se puder, responde lá pra não tumultuar esse tópico, ok?

http://viajenaviagem.wordpress.com/2007/07/19/da-new-york-7-hoteis-ate-us-200/

Serve também para outros tripulantes que tenham já tenham usado esses sites de reservas.

Riq, estive em Noronha por duas vezes. Não me lembro o nome das pousadas em que fiquei. Nas duas vezes, fui por pacote. A primeira, em setembro de 2002, fiquei numa pousada muito simples. Me apaixonei por Noronha e falar das suas belezas é chover no molhado.
Mas o atendimento foi péssimo. Foi um festival de cara feia, grosseria e desprezo pelos turistas. Fiquei com a impressão de que aquele povo não gosta dos visitantes.
Voltei em março de 2004 e peguei uma pousada melhor. Não tive os problemas da primeira vez, mas a má impressão continuou. Nas duas vezes só fui saber lá onde eu ficaria e não consegui escapar das palestras na chegada.
Me parece que há um hotel na ilha. Estou pretendendo voltar agora em setembro e gostaria de saber se vale a pena me hospedar no dito cujo. Alguém conhece?
gd ab

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.