Enquete: incluir café da manhã ou não, eis a questão

Murray's Bagels, Nova York

Essa semana, uma leitora que vai a Nova York perguntou o que achávamos do hotel que ela havia escolhido para ficar, no Queens. Razão da escolha: nas pesquisas que fez, encontrou poucos hotéis por lá que oferecessem café da manhã, e esse era um deles.

Por desconhecer a geografia de Nova York, e a quantidade de delis e lanchonetes a poucos metros de distância de qualquer hotel bem localizado, nossa tripulante quase caiu numa roubada. Mas consigo entender o raciocínio que ela fez. Primeiro, porque não sou ninguém sem café da manhã – o mau humor vai crescendo proporcionalmente ao tempo que passo sem pão e uma xícara de café bem forte. Segundo, porque parte da graça de se hospedar em um hotel é justamente o café da manhã de hotel, com ovo mexido, frutas madurinhas e dois sabores de bolo.

(Não sei quanto a vocês, mas eu já viajo pensando naquele ovo mexido que só os hotéis sabem fazer.)

Ou seja: se não conhecesse bem as características do lugar onde iria me hospedar, muito provavelmente acabaria optando por diárias que incluíssem café da manhã, mesmo sendo pago à parte.

Nem todo hotel, porém, conta com buffets tão variados, ou a nosso gosto. Vai dos hábitos alimentares de cada lugar, e da categoria do hotel também. Como saber, então, onde vale a pena pagar o café da manhã por fora, ou em que lugares o café do hotel é plenamente dispensável?

Aí é a vez de vocês, caríssimos leitores! :mrgreen: Contem pra gente suas experiências com o café da manhã mundo afora. O Comandante já contribuiu:

Estados Unidos – só costuma estar incluído em redes básicas-funcionais, como Holiday Inn Express, Hampton Inn, Hilton Garden Inn. Se não estiver incluído, o melhor é fuçar uma delicatessen nas redondezas do hotel, comprando salada de fruta, bagel e/ou muffin, café. Sentar pra tomar café em restaurante é roubada: pra montar um café à brasileira tem que pedir muitos pratos e a conta fica caríssima. Em Nova York, um hotel que inclui café ótimo é o Washington Square.

França – normalmente não está incluído (mas a rede Ibis Styles, antigo All Seasons, inclui). O buffet nos hotéis de duas e três estrelas custa entre 8 e 12 euros, é pequeno, mas sempre oferece baguete, croissant, salada de fruta (em calda), iogurte, frios e müsli. Tomar um café au lait com uma tartine (baguete com manteiga e geléia) num café sai um pouco mais barato, mas não é de longe tão variado.

Alemanha – é o melhor café da manhã do mundo, e normalmente está incluído. A variedade de pães (muitos integrais!) e frios é sensacional, mesmo nos menores hotéis. Pro gosto brasileiro, só falta papaia – mas sempre tem banana.

Argentina – está incluído e normalmente é bem fraquinho, com frutas em calda e iogurte de baunilha (xogúr de bainixa).

Caribe – quando não está incluído na diária (nos hotéis não-all-inclusive, normalmente não está), custa entre 18 e 20 dólares. Os buffets são bastante variados e valem a pena, se você aproveitar o café farto para fazer apenas um lanche na hora do almoço. A alternativa para os mãos-fechadas é aproveitar que os apartamentos costumam ter cafeteira, e comprar bolinhos, frutas e queijo no supermercado.

Queremos saber: você costuma preferir hotéis que ofereçam café da manhã? Em que cidades dispensou o buffet e decidiu tomar café na rua? Em que hotéis pagar pelo café da manhã foi um bom negócio?

Aos comentários!

Leia também:

Quanto vou gastar em alimentação?

Comer e beber nos Estados Unidos: 10 pegadinhas

Paris: 5 ruas gastronômicas imperdíveis

Menu do dia: micos em restaurantes

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


106 comentários

Nem olho essa possibilidade quando reservo um hotel. Apesar do meu dia começar apenas após o café, não me importo em procurar um local próximo do hotel e me sentir parte da paisagem local.

Em Istambul, mesmo em hotéis simples, o cm é maravilhoso.
Em Lisboa se não tiver cm, não me importo.
As padarias são maravilhosas!

Nos EUA, acho mais importante que o café incluso, que tenha frigobar no quarto, pois assim pode-se comprar frutas, sucos, iogurtes etc nas delis e fazer um belo cafe da manhã, ao seu gosto, no quarto. Já na Europa, onde a cultura de cafeterias de rua é enorme, é muito mais gostoso sair pra tomar café na rua.

    Mas tem um problema importantíssimo a ser considerado: cada vez mais hoteis usam sistemas automáticos com sensores que ativam a cobrança se vc tirar um item do fribogar para fazer espaço para suas próprias compras, por exemplo. Claro que depois eles podem descontar, mas dependendo do hotel é um saco, vc tem de pedir pra recepção ir lá, se for algo como uma lata de refrigerante podem alegar q vc a deixou fora do frigobar etc.

Sou do time que prefere hotéis com cm, ainda que bem simples. No Rio nunca consegui experimentar um cm decente… os que conheço são muito fracos, os
pães murchos e bolos solados. Acho que a hotelaria do Rio precisa melhorar muito nesse quesito, já que é bem cara.

Em destinos mais exóticos ou onde acho que comer na rua pode ser difícil, prefiro café incluso. Às vezes a comodidade também conta.
Agora em destinos como nos EUA, prefiro poder tomar café cada dia em um lugar. Por conta disso descobri lugares interessantes em San Francisco para começar bem o dia.

Vou para Paris agora em Maio/2013 e vou ficar em um Ibis Styles com café da manhã.Mas na verdade só reservei esse hotel porque na época da reserva (janeiro/2013) ficava bem mais barato a diária dele do que a do Ibis “comum” na mesma região. Apesar de achar o café de hotel uma delícia, eu prefiro tomar o café em algum lugar da cidade, como em um roteiro gastronômico. Então, só pego hotel com café se já estiver incluso ou se o preço for muito atraente. Tive a mesma experiência quando fui para a Espanha e não me arrependi de tomar o café apreciando a paisagem da mesa de algum lugarzinho charmoso (e fica mais barato do que contratar o café do hotel).

Café da manhã no Chile é melhor do que na Argentina. Esperem uma coisa entre o café dos resorts brasileiros e as medialunas com suco concentrado de Buenos Aires. Pelo menos no hotel onde fiquei, o Crowne Plaza, foi bem variado e caprichado.

Hum… café da manhã maravilhoso, me lembro da Pousada do Alcino em Lençóis – Chapada Diamantina – BA. Viagem ótima e café da manhã idem.
Já em outras viagens, o café da manhã não influencia tanto na escolha do hotel. Claro que meu dia não começa se não tiver algo no estômago.
Uma ótima dica são os mercados públicos, onde se encontra uma infinidade de opções de frutas.

Eu também não sou ninguém sem o café da manhã. Não precisa ter muita coisa, desde que sentada em um ambiente limpo e iluminado. Procuro sempre hotéis que ofereçam café da manha, mesmo que simples e/ou pagos à parte. Para mim, sair do hotel já com o café da manhã tomado não tem preço. Uso cafés e padarias de rua para uma das outras refeiçoes do dia – almoço ou jantar rápido.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.