Enquete: incluir café da manhã ou não, eis a questão 1

Enquete: incluir café da manhã ou não, eis a questão

Murray's Bagels, Nova York

Essa semana, uma leitora que vai a Nova York perguntou o que achávamos do hotel que ela havia escolhido para ficar, no Queens. Razão da escolha: nas pesquisas que fez, encontrou poucos hotéis por lá que oferecessem café da manhã, e esse era um deles.

Por desconhecer a geografia de Nova York, e a quantidade de delis e lanchonetes a poucos metros de distância de qualquer hotel bem localizado, nossa tripulante quase caiu numa roubada. Mas consigo entender o raciocínio que ela fez. Primeiro, porque não sou ninguém sem café da manhã – o mau humor vai crescendo proporcionalmente ao tempo que passo sem pão e uma xícara de café bem forte. Segundo, porque parte da graça de se hospedar em um hotel é justamente o café da manhã de hotel, com ovo mexido, frutas madurinhas e dois sabores de bolo.

(Não sei quanto a vocês, mas eu já viajo pensando naquele ovo mexido que só os hotéis sabem fazer.)

Ou seja: se não conhecesse bem as características do lugar onde iria me hospedar, muito provavelmente acabaria optando por diárias que incluíssem café da manhã, mesmo sendo pago à parte.

Nem todo hotel, porém, conta com buffets tão variados, ou a nosso gosto. Vai dos hábitos alimentares de cada lugar, e da categoria do hotel também. Como saber, então, onde vale a pena pagar o café da manhã por fora, ou em que lugares o café do hotel é plenamente dispensável?

Aí é a vez de vocês, caríssimos leitores! :mrgreen: Contem pra gente suas experiências com o café da manhã mundo afora. O Comandante já contribuiu:

Estados Unidos – só costuma estar incluído em redes básicas-funcionais, como Holiday Inn Express, Hampton Inn, Hilton Garden Inn. Se não estiver incluído, o melhor é fuçar uma delicatessen nas redondezas do hotel, comprando salada de fruta, bagel e/ou muffin, café. Sentar pra tomar café em restaurante é roubada: pra montar um café à brasileira tem que pedir muitos pratos e a conta fica caríssima. Em Nova York, um hotel que inclui café ótimo é o Washington Square.

França – normalmente não está incluído (mas a rede Ibis Styles, antigo All Seasons, inclui). O buffet nos hotéis de duas e três estrelas custa entre 8 e 12 euros, é pequeno, mas sempre oferece baguete, croissant, salada de fruta (em calda), iogurte, frios e müsli. Tomar um café au lait com uma tartine (baguete com manteiga e geléia) num café sai um pouco mais barato, mas não é de longe tão variado.

Alemanha – é o melhor café da manhã do mundo, e normalmente está incluído. A variedade de pães (muitos integrais!) e frios é sensacional, mesmo nos menores hotéis. Pro gosto brasileiro, só falta papaia – mas sempre tem banana.

Argentina – está incluído e normalmente é bem fraquinho, com frutas em calda e iogurte de baunilha (xogúr de bainixa).

Caribe – quando não está incluído na diária (nos hotéis não-all-inclusive, normalmente não está), custa entre 18 e 20 dólares. Os buffets são bastante variados e valem a pena, se você aproveitar o café farto para fazer apenas um lanche na hora do almoço. A alternativa para os mãos-fechadas é aproveitar que os apartamentos costumam ter cafeteira, e comprar bolinhos, frutas e queijo no supermercado.

Queremos saber: você costuma preferir hotéis que ofereçam café da manhã? Em que cidades dispensou o buffet e decidiu tomar café na rua? Em que hotéis pagar pelo café da manhã foi um bom negócio?

Aos comentários!

Leia também:

Quanto vou gastar em alimentação?

Comer e beber nos Estados Unidos: 10 pegadinhas

Paris: 5 ruas gastronômicas imperdíveis

Menu do dia: micos em restaurantes

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


106 comentários

Não costumo escolher hospedagem pelo café da manhã. Hoje em dia, pelo menos nas grandes cidades, há bastante oferta de padarias, cafés, mercados, entre outros lugares para tomar nosso desjejum matinal.

Para mim, depende do estilo da viagem e destino.

Se for um local onde o plano é acordar cedo, aproveitar bem o dia e deixar a refeição principal para a noite, um bom café no hotel ajudar a otimizar o tempo.

Estou indo para NY e Paris em Julho. Em NY reservei o Marriott East Side, sem café da manhã. Como já disseram nos depoimentos anteriores, existem muitas opções de delis para poder tomar o café da manhã na “Big Apple”, mais em conta.

Já em Paris achei que valia a pena incluir o café da manhã na hospedagem. Ainda não conheço Paris, mas creio que tembém tenha muita opção na rua, mas pagando a hospedagem antecipadamente no Novotel Les Halles, o preço ficou bem razoável: 20 EUR para 2 adultos e 2 crianças.

Quando eu voltar posso dar o meu depoimento.

Grande abraço a todos!

Acho que primeiramente a leitora responder se vai viajar com criancas, caso sim, acho que cafe da manha no hotel e’ indispensavel, caso contrario, existem tantas opcoes deliciosas para tomar cafe da manha nos EUA e vale a pena sair de manha com aquela fominha a procura de cafe’, bagels, sanduiches de croissants com ovo e “sausage”.

Vou falar de minha experiência mais recente nos EUA:

– NY – Comfort Inn Manhattan Bridge: além de uma localização excelente, apesar de fora do eixo Times Square, o hotel dispunha de um delicioso (e incluso na diária) CM! Com bagels, baguettes, sucos, cafés, máquina de waffle e frutas!

– Orlando – Quality Inn International Drive: não achamos que os mais de 10 USD compensavam pelo buffet, que estava sempre lotado e tinha poucas opções que batessem com nosso paladar… O que fazíamos era comprar chás e toddys na Walgreens e na noite anterior comprar um pão com presunto e queijo que tinha na lojinha de conveniência do próprio hotel que era delicioso! Deixávamos no frigobar e comíamos de manhã antes de ir aos parques!

Eu tbm sempre reservo hotel com café incluído, pois acho incrivelmente prático e gosto de observar os outros hóspedes…

No Rio fiquei uma vez no Windsor Martinique que tinha um buffet incluso que era muito bom…

Em Paris nunca fiquei em hotel onde o café estivesse incluído na diária, quando era bom pagava, quando não tomava na rua.

Em Roma já peguei hotel com que era bom, que era ruim, já tomei na rua, mas não gostei das experiencias de café na rua em Roma… mas como vou de novo agora em maio espero tirar essas últimas má impressões…

Em Londres eu ADORO os English Breakfasts dos B&B’s, nunca um é igual ao outro…

No Peru, não tive boas impressões nem em Lima, Cusco, Aguas Calientes, tanto nos hoteis quanto nas ruas…

Nos EUA tanto Confort Suites quanto Marriott tem buffets legais, mas com tantas boas ofertas na rua é dispensável…

Muito bom o post…

Não existe almoço grátis( no caso café da manhã grátis) , se o hotel fornece está no custo da diária. Eu prefiro me virar fora, perco menos tempo e quando o hotel é na praia o café ainda atrapalha a cervejinha .
Nos Estados Unidos via de regra o café é aquela gororoba gordurosa, prefiro uma Deli ou um Walmart.

Acho caras as taxas de cafe da manha em hoteis na europa e eua. Em NY especificamente ha muitas delis, mercados e nao acho essencial um hotel com cafe.
Claro q dependendo do hotel àa vezes vale a pena pagar, em hoteis 5 estrelas por exemplo, em q geralmente eles capricham no buffet 🙂

Abs e boas trips a todos!

Adorei o post 🙂

Acabei de voltar de Madrid/Barcelona/Paris e em nenhum hotel aderimos ao buffet do hotel por limitar bastante. O preço variava de 8 a 15 euros, o que achamos mto caro pelo que oferecia.

Em Paris, sempre tem opções disponíveis por perto com croissantes e baguetes maravilhosos e acaba virando uma experiência gastronômica. Para nós, a melhor opção foi o Le Pain Quotidien (tem em Madrid tb).

Já em NY, Miami e Orlando, sempre que possível, dá para fazer umas comprinhas no Walgreens/Wal Mart e afins e escolher um quarto com mini cozinha…

Em Cancun, ficamos no Marriot CasaMagna com café da manhã incluso (seguindo as dicas VnV): o melhor café da manhã de nossa vida!!! Vale o almoço… Sensacional!!

Eu SEMPRE incluo o café da manhã no hotel. Como a Mariana disse, eu não sou NINGUÉM antes do café da manhã. Eu geralmente acordo faminta, hehe, e uma das coisas que mais me estressam é sair de casa (ou do hotel) sem o café e ter de ficar procurando uma delicatessen ou padaria para finalmente fazer minha primeira refeição do dia, muitas vezes por preço razoável, mas com pouquíssima variedade (eu sou do time que pensa que a refeição mais importante do dia é o café da manhã).

Minha experiência em viagens onde eu não inclui o café da manhã foram 4 dias em Madrid. Estávamos no Best Western Carlos V, perto da Calle de Preciados. E era sempre aquele stress, onde iríamos comer o bendito café? Havia um Starbucks bem perto e optamos por ele. Um capuccino, um baguelzinho, um suco ou iogurte ficava em torno de 6,50 Eutros por pessoa. O café da manhã do hotel custava 9 Euros e era um senhor buffet (mas só descobrimos isso no último dia). Resultado: na cidade seguinte (Lisboa), mesmo sem o café incluído, resolvemos fazer o café todos os dias no hotel mesmo (por 6 Euros por pessoa por dia – aliás, em Portugal, a maior parte dos hotéis tem ótimos buffets de café da manhã, mesmo os de 3 estrelas). E depois disso, nunca mais reservei hotel sem café da manhã.

Na Alemanha e na República Tcheca, fiquei em 3 hotéis da rede Eurostars (dois de 4 estrelas e 1 de 5 estrelas). E tudo o que eu posso dizer é que foram os melhores cafés da manhã que eu já tomei na vida. Muita, muita variedade e ótima qualidade. Fiz a opção pelo café já na reserva e nem me preocupei em olhar quanto ficaria o preço sem incluir o café. Foi a melhor coisa que eu fiz.

Na Áustria, meu hotel em Viena era um pequeno hotel, tipo gerência familiar (não de rede, cujo nome bem singelo é “Hotel Vienna). O café da manhã era igualmenmte fabuloso, e o melhor, já estava incluído por padrão na diária (todas as classes de reservas inlcuiam o café).

Já fiquei num hotel da rede Holiday Inn Express (em Barcelona), com café incluído, e confirmo o depoimento inicial da postagem: o café é bem completo e variado. Totalmente aprovado.

Na Itália, já fiquei em hotel de duas, três e quatro estrelas (a maior parte foram hotéis que não eram de rede). Em todos eles, o café também era ótimo e tipo buffet super completo mesmo no de dois estrelas). Aliás, só na Itália eu encontrei o tal suco de “arancia rossa”, que eu adorei.

Em Londres, fiquei num hotel da rede Best Western novamente, e desta vez, incluí o café na diária, não cometendo mais o erro de Madrid (10 Libras por dia). Era café do tipo “Full English Breakfest”. Por razões de implicância com feijões na hora do café, eu pulei essa parte. O café não era tão variado quanto o dos hotéis alemães, mas mesmo assim tinha todos os itens de café da manhã estilo buffet e eu aprovei.

Na França, finalmente: em todos os hotéis que eu já fiquei, em Paris e Carcassone, os cafés eram do tipo buffet, mas bem mais modestos do que os dos outros países, mas tinha quase tudo: café com leite, chocolate quente, bagetes, croissants, geleias, nutela, queijos e mais queijos, omeletes, cereais, suco e iogurte. Curiosamente, a única coisa que eu nunca vi num café francês foi o presunto, ou qualquer outro assemelhado (peito de peru, blanquete, etc).

Depoimento super grande, mas isso era uma coisa que eu sempre quis relatar aqui, só que nunca achava o local apropriado para tanto! 🙂

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.