Enquete: resorts all-inclusive

Iberostar Praia do Forte
Iberostar Bahia

O dólar baixando significa que os cruzeiros do verão brasileiro vão ficar mais tentadores. Em terra firme, isso acaba refletindo no concorrente direto dos cruzeiros: os resorts.

Uma das saídas dos resorts para enfrentar os cruzeiros tem sido adotar o modelo all-inclusive, em que todas as refeições, bebidas e lanchinhos estão incluídos — o que melhora sensivelmente a relação custo x benefício. É uma fórmula bem-sucedida no exterior, e que por aqui era a marca registrada do Breezes de Sauípe (e, antes dele, do Ventaclub, hoje só em Maceió, mas que se dirige a um público majoritariamente italiano).

A chegada, há três anos, do Iberostar a uma praia ao norte da Praia do Forte, conjugada com a ascensão dos cruzeiros, acabou desencadeando a adesão ao sistema de muitos outros resorts, como o Costa do Sauípe All Inclusive (antigo Renaissance), Vila Galé Marés de Guarajuba, Enotel de Porto de Galinhas, Miramar e Salinas de Maragogi, e recentemente os três Club Med brasileiros.

Eu queria saber: você esteve num desses all-inclusive recemente? Gostou da comida? Lembra as marcas das bebidas? Houve alguma coisa que você pensou que estivesse incluída mas não estava?

Se você já se hospedou em resorts all-inclusive no exterior — Cuba, República Dominicana e Riviera Maia têm muitos — conte pra gente, pufavô!

814 comentários

Estive no fim de agosto no Iberostar Praia do Forte e achei sensacional. Passei 4 noites lá e, na sequencia, 3 noites no Tivoli Ecoresort. Pude comparar bem e afirmo, sem sombra de dúvidas, que o Iberostar é superior. Viajei com minha esposa e filha de 4 anos. O Iberostar possui bem mais “atrações”, seja pra adultos seja pra crianças. Para estas, apesar de não ser perfeita, a recreação é bem superior ao Tivoli. Os shows são excelentes, a comida muito boa – o fato de ser all inclusive é uma grande vantagem, achei fantásticas as opções do café da manhã e do buffet do jantar. As bebidas são variadas, embora possam melhorar (suco natural de laranja, por ex.) Já fui em vários resorts, Breezes, Comandatuba, Vila Galé Guarajuba, Summerville, dentre todos o melhor é o Iberostar Praia do Forte. Outro ponto forte do Premium são os quartos, amplos, bem equipados e limpos. Fiquei no bloco 6, o mais central dos 3 existentes.
Recomendo fortemente, portanto.
Abraços a todos!!

Pergunta: alguém já foi para o Rio Quente Resorts, Goiás?? Gostaria de opiniões!

Obrigada!

    Eu fui há duas semanas. O parque é legal, mas os serviços são péssimos e eles te arrancam até o último centavo sem dó nem piedade. Fui com meus dois filhos pequenos e só me incomodei. Para se ter uma idéia, tiraram o filtro de água da copa do bebê (que não tem nada) só para cobrarem a água do frigobar. Pedi leite para a mamadeira, me venderam uma caixinha. Saímos do hotel na hora do check-out, 10h, e podíamos ficar no parque até às 17h. Detalhe: tivemos que tirar o carro do hotel e estacionar no parque, ao módico preço de 15,00! Não pegamos toalhas no hotel, por falta de informação clara, chegamos no parque e lá não tem, me disseram que eu teria que pegar novamente o ônibus infernal de quente com meus dois bebês, mais carrinho, para buscar no hotel. Os ônibus, alíás, são uma dor de cabeça à parte, demoram 20 min para passar e vão super lotados, um monte de gente em pé, nós com as tralhas todas mais os bebês, com a conhecida educação do brasileiro, que não dá lugar mesmo se a pessoa tiver 100 anos… dá pra visualizar o cenário. Chegávamos sempre suados e estressados.

    Outra: eles não têm salva-vidas nas partes infantis nem qualquer pessoa para orientar sobre os brinquedos. Prato cheio para acidentes… se acontecesse com um dos meus filhos, eu processava na certa. Achei bastante perigoso. Para quem já foi ao Beach Park, é incomparável a gentileza, o cuidado com a segurança e os serviços do último em relação à mesquinheza e pouco caso com os hóspedes do Rio Quente. Mesmo morando perto (Brasília), lá nós não voltaremos.

Já estive nos Clubmeds de Trancoso e Itaparica. São de fato para públicos diferentes… Para Trancoso, fui single, achei a comida divina, com buffet light, vinhos, doces e noites temáticas. O Spa é bem completo, a boate enorme e os showzinhos foram engraçados. O Hotel é bem confortável, e reservado. Os quartos ficam próximos a sede. É um resort bem família, mas dá para fazer amizades com os recreadores e alguns hospédes que estavam na mesma situação que eu.
Itaparica é mais agitado sim! Muita gente sozinha, ou com amigos. O night club fica lotado até altas horas… O cenário de Itaparica é esplendoroso, muito espaço e verde. Bom para crianças também. Só não gostei muito da comida e da recreação, bem inferior a Trancoso.Ainda tive o azar da falta de água (!!!)no dia em que cheguei, foi uma confusão.
Itaparica valeu conhecer pela sua beleza,mas voltaria apenas para o de Trancoso pelo conjunto.

Estou adquirindo um pacote de 8 dias em Janeiro/2010 para Porto de Galinhas, estou na dúvida entre o Summerville ou o Beach Class. Gostaria de uma opinião levando em conta que eu e minha esposa fazemos questão mesmo é da praia, da piscina e da gastronomia do hotel. Abraço a todos e obrigado

Eu estou na dúvida entre Porto de Galinhas e Maragogi. Vou sair com a família para uma viajem maior pela primeira vez e estou pesquisando bastante. Esse site está ajudando muito. Tenho duas meninas de 6 anos e o que elas gostam mesmo é de praia de mar calmo. Adoraram a praia de Daniela em Floripa, e por elas iam pra lá todo ano. Procuro algo assim em um lugar não tão sujeito às variações climáticas que temos aqui no Sul (sou do RS). Quero mesmo é 8 dias de sol e mar! Achei o sistema all-inclusive o mais prático, mas não fechei questão ainda. Estava meio que decido pelo Salinas, mas ouvi coisas não tão boas sobre a praia. O Miramar, ao contrário, dizem ser a melhor praia, porém o hotel deixa a desejar. Passei a olhar algumas coisas também em Porto de Galinhas, mas confesso que fiquei meio perdido, porque a internet engana um pouco e tem muitas opções…
Qualquer informação/dica será muito útil nessa fase de pesquisa… aliás que dilema bom esse de escolher lugar pras férias né!?
Abraço a todos

    Não é que a praia do Salinas seja má; é que ela definitivamente não é a melhor de Maragogi. As praias boas ficam ao norte da vila: Burgalhau, Barra Grande e Ponta de Mangue (onde está o Miramar).

    A equação resort + praia calma é bastante difícil de resolver.

    As melhores praias onde há resorts são, na minha opinião, Ponta de Mangue (Miramar, http://www.miramarmaragogiresort.com.br ), Serrambi (onde há o http://www.serrambiresort.com.br , antigo Ventaclub, que não opera mais em sistema all-inclusive) e Praia do Forte (o Tivoli, http://www.ecoresort.com.br ). Iberostar, Breezes e Enotel ficam em praias não muito boas de entrar. A praia do Vila Galé Marés tem bons momentos, a do Club Med Trancoso também.

    Análise resort a resort em Porto de Galinhas:
    http://viajeaqui.abril.com.br/blog/137953_comentarios.shtml?1311328

    Leandro, eu tive muito azar com a praia de Maragogi (Salinas), quando fui em março, no Carnaval. Choveu e a água ficou marrom como as do nosso litoral aí no RS, uma decepção. Eu tenho um problema com Floripa, que é achar a água muito gelada. Não tem comparação com o Nordeste. Te dou uma sugestão sem erro com crianças: vá para o Beach Park, é maravilhoso.
    Abs.

    A praia em frente ao Salinas não está no mesmo nível das praias ao norte de Maragogi. Ali está muito perto do rio e a água pode ficar turva, mesmo. Ao norte de Maragogi (Burgalhau, Barra Grande e Ponta de Mangue) encontra-se um mar azul-celeste dos mais bonitos do Brasil.

    Olá, Leandro!
    Não fui à Maragogi, mas tenho uma filha pequena (3 anos) e fomos à Porto de Galinhas em março deste ano. Ficamos 3 dias no Village Porto de Galinhas e 5 dias no Pontal de Ocaporã. Em matéria de praia, segundo o próprio Ricardo Freire, nada bate a Pontal do Cupe, próxima ao Pontal de Ocaporã.
    Quanto aos hoteis, têm boa estrutura, mas a comida do Pontal de Ocaporã é bem melhor, fomos neste com meia-pensão e teve um excelente custo benefício. No almoço, normalmente íamos até a Vila de Porto de Galinhas, que conta com bons restarantes. Gostamos muito do Domingos.

Lua de Mel é muito especial, mas temos também que pensar no custox beneficio da viagem,claro sem perder a qualidade e não ter amolação e decepções. Mais uma vez obrigado

Estou casando em Abril de 2010 e gostaria de saber qual uma opção all inclusive de resort, aqui ou fora do Brasil. Obrigado

    Abril é época de chuva em todo o Nordeste, menos no sul da Bahia (um all-inclusive por lá: Club Med Trancoso).

    Abril é bom para ir a todo Caribe. Saindo do Brasil, há pacotes para all-inclusives em Aruba, Punta Cana (República Dominicana), Varadero e Cayo Largo (Cuba), Cancún e Riviera Maia (México).

    A melhor relação custo x benefício está na República Dominicana.

    Veja nos outros comentários depoimentos sobre hotéis específicos.

Estive no Vila Galés Marés na última semana e foi minha primeira experiência em hotéis do gênero ” all you can eat”. Parece que o objetivo do hotel é oferecer comida farta 24 horas, nem sempre com aquele tempero, qualidade e variedade que fazem a diferença e nos fazem pensar em voltar para aquele destino. Para aqueles que curtem comer e beber sem qualquer restrição e a qualquer hora do dia, vale a pena. Os viajantes que preferem uma cozinha mais elaborada é um pouco decepcionante. Quanto às bebidas achei muito conveniente nesse sistema o fato de poder beber a qualquer hora do dia. O vinho frizante brut e demi sec produzido na região sul foi uma ótima surpresa. Considero muito prático para quem tem filhos pequenos porque a qualquer hora você tem uma opção à disposição sem precisar pagar ou sair do hotel. Mas o hotel apesar do lindo paisagismo e quartos confortáveis, deixa muito à desejar em relação ao serviço. Minha opinião, hotel bom é aquele que consegue surpreender o hóspede, mas olha que tá difícil encontrar algum assim…

Em outubro de 2007, estivemos também no Vila Galé Marés. A piscina é lindíssima e os quartos são bem melhores que os do Breezes. Entretanto, o serviço deixou muito a desejar, a ponto até de aborrecer um pouco. Comida de má qualidade, Chopp Kaiser aguado, whisky só 8 anos (não me lembro quais marcas). Refrigerantes e espumante não deixaram a desejar, também não me lembro as marcas. A estação de churrasco da piscina só tinha carne bovina (juro!!); não tinha lingüiça, coração, frango, nada. Os restaurantes a la carte também bem normaizinhos, o café da manhã era legal. Achei o serviço de animação meio desanimado (perdoem-me o trocadilho – hehehe).

A única coisa que nos deixou saudade de lá (além da bela vista da piscina, claro) foi a Villa Zen, SPA com jacuzzi e piscina aquecida com mega chuveirões deliciosos e relaxantes. Era necessário fazer o pagamento de uma taxa para o acesso às instalações, mas nada impeditivo.

Não achamos bom custo-benefício e não pretendemos voltar.
Estamos agora conhecer o Iberostar, talvez o ClubMed. Obrigada pelas dicas já garimpadas e anotadas.

Demorei um pouco para comentar este post exatamente porque acabei de chegar de um “fresh-time” de 3 dias no Breezes de Sauípe. O hotel não estava nada cheio, o serviço simpático e várias atividades de entretenimento, como a clássica hidroginástica, aulas de dança e shows noturnos temáticos. Vale lembrar que havia programação mesmo no meio da semana todos os dias, no hotel e na Vila Nova da Praia. Os outros hotéis estavam praticamente desertos.

Achei a comida boa; nada excepcional, mas satisfatória. Eu não criaria grandes expectativas para os restaurantes “a la carte” e eles não estavam abertos todos os dias (estiveram abertos apenas em um dias dos 3 que passamos lá; talvez em alta temporada seja diferente). O que tivemos oportunidade de conhecer foi o japonês, com serviço e comida bem “normaizinhos”.

No quesito bebidas, não temos reclamações. Chopp Brahma bem tirado, vinhos e espumantes Miolo, vários drinks que achei bem preparados, whiskies de 8 e 12 anos (meu marido, que gosta muito, pôde escolher entre Chivas, Logan, Jack Daniels, Red e Black Label e Famous Grouse). Achei que apenas entre os digestivos não havia tanta opção (Frangélico, Drambuie e Tia Maria). Havia água de coco e sucos à vontade, além de sorvete tipo “Mc Donalds” no restaurante da piscina. Entre os refrigerantes, só encontramos Pepsi, Guaraná Antarctica, Sukita e Soda. No frigobar as bebidas eram repostas no dia seguinte a critério do hóspede, mas não havia serviço de quarto. Não havia bebidas alcoólicas no frigobar, mas você próprio pode levá-las, se quiser.

Achei os quartos antigos, embora bem conservados e sem muito conforto. No SPA, são incluídos o uso da jacuzzi (pequena, cujo horário precisava ser agendado), sauna seca e a vapor, além de duchas. Massagens e serviços de salão de beleza são cobrados à parte. Há duas salas próximas à piscina (Disney Channel e Baby Einstein, essa última para crianças abaixo de 3 anos), com animadoras, vídeo game e brinquedos. Não observei detalhes do funcionamento porque dessa vez fui sem minha filha, mas me pareceu bem agradável. A piscina te estrutura simples, comparada com outras piscinas do complexo, mas tem diferentes níveis de profundidade e bar molhado.

Enfim, achamos um ótimo custo-benefício e pretendemos voltar, da próxima vez com nossa filha.